Ninguém como Tu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ninguém Como Tu
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 60 minutos
Criador(es) Rui Vilhena
País de origem  Portugal
Idioma original Português
Produção
Produtor(es) NBP
Elenco Alexandra Lencastre
Vítor Norte
Dalila Carmo
Manuela Couto
Nuno Homem de Sá
Lia Gama
Rosa Lobato de Faria
Benedita Pereira
Sofia Aparício
Pedro Lima
Joaquim Horta
Tema de abertura João Pedro Pais - "Não há"
Exibição
Emissora de televisão original Portugal TVI
Transmissão original 3 de Abril de 2005 a 20 de Dezembro de 2005
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 199
Cronologia
Baía das Mulheres
Dei-te Quase Tudo

Ninguém como Tu foi uma telenovela portuguesa transmitida na TVI entre 3 de Abril e 20 de Dezembro de 2005. É da autoria de Rui Vilhena e contou com 199 episódios. A acção narrativa decorre entre Lisboa e Almada.

A telenovela foi reexibida entre 4 de Março de 2013 e 25 de Outubro de 2013, ao longo de 175 episódios, ao início da tarde, na TVI.

É reposta na TVI Ficção em 4 de maio de 2015.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No primeiro episódio desta história, os personagens são-nos apresentados em três acontecimentos de grande suspense: um casamento que está na iminência de não se realizar, um desfalque e o desaparecimento de uma criança.

Luísa Albuquerque (Alexandra Lencastre) está a braços com a preparação do casamento da sua filha Teresa Albuquerque (Benedita Pereira). A noiva não está muito convencida do passo que vai dar e nas vésperas da cerimónia conhece Miguel Rosa (José Fidalgo). Este salva-a de um conflito em pleno aeroporto quando Teresa vai buscar a sua irmã Isabel Albuquerque (Liliana Santos), vinda de Nova Iorque para o casamento. Teresa apaixona-se por Miguel mas põe o amor dos dois nas mãos do destino: se não voltarem a encontrar-se até ao dia seguinte, cada um seguirá a sua vida.

No dia do casamento, enquanto Teresa se debate com a dúvida da decisão que tem que tomar, a família Albuquerque é assombrada pela notícia de que a empresa de Mário Albuquerque (Vítor Norte) sofreu um desfalque do coraçao feito pelo seu director financeiro e pela sua secretária Leonor Esteves (São José Correia), deixando-os na miséria. Luísa vê-se, assim, entre uma filha que não quer casar com um homem rico e um marido na falência. O destino dos Albuquerque fica nas mãos de Teresa.

Luísa e as suas duas irmãs, Júlia Gaspar dos Santos (Dalila Carmo) e Dulce Paredes da Silva (Manuela Couto), filhas de Luciano Gaspar dos Santos (Sinde Filipe) e Milú Gaspar dos Santos (Rosa Lobato de Faria), têm uma relação pouco próxima e tensa, ponto de partida para os grandes conflitos familiares.

No primeiro episódio, Luísa vai ainda ao encontro de outra situação familiar. Jaime Gaspar dos Santos (João Pedro Cary), filho adoptivo de Júlia, desaparece sem deixar rasto, deixando todos desesperados. Luísa não se mostra muito preocupada, pois o casamento da filha é a sua única prioridade. A procura de Jaime faz com que Luísa e Pedro Paredes da Silva (Ricardo Carriço), seu cunhado, casado com Dulce, se encontrem e fiquem sozinhos por momentos ao fim de muitos anos, despertando o grande amor adormecido que os une desde sempre. Dulce e Pedro têm dois filhos, Ana Paredes da Silva (Márcia Leal), que esconde também um segredo do seu passado, e João Paredes da Silva (Frederico Barata), um jovem à descoberta da sua sexualidade.

Teresa acaba por fugir do casamento, passando a ser uma noiva em fuga, em busca do amor. Acaba por se perder entre o Restelo e Almada e vai parar a casa de Alexandre Costa (Joaquim Horta), um cartomante cheio de boa disposição. Este é filho de Conceição Costa (Lia Gama), uma senhora religiosa que vive bem com a orientação sexual do filho, mas a quem não agrada a presença do Tarot em sua casa. Com eles virá morar Henrique Arvana (Guilherme Barroso), sobrinho de Conceição, que vem para Lisboa estudar Medicina. Pelos menos, é o que todos pensam, já que Henrique esconde um segredo surpreendente.

Alexandre e Conceição são vizinhos de Júlia. No mesmo prédio vivem Paula Duarte (Vera Alves) e Frederico Duarte (António Pedro Cerdeira), um casal tradicional que não aparenta grandes complicações. No entanto, o temperamento machista de Frederico será o cerne de problemas. Juntos têm um filho, Guilherme Duarte (João Secundino), amigo de Jaime e o grande cúmplice na fuga deste. Eugénia Macieira (Márcia Breia), mãe de Paula, deixa a vila onde vive e vem para a cidade ajudar a sua filha, entrando em contacto com um mundo novo, que lhe faz confusão em quase todos os detalhes.

Beatriz Paiva Calado (Suzana Borges) é casada com António Paiva Calado (Nuno Homem de Sá) e mãe de dois filhos, Nuno Paiva Calado (Alexandre Ferreira) e Inês Paiva Calado (Maria João Falcão), uma jovem cleptomaníaca. Beatriz, amiga de Luísa, não é uma mulher feliz devido às sucessivas traições de António. Quem apoiará Beatriz em todas estas situações por que passará é o seu cunhado, Gabriel Paiva Calado (Pedro Lima), um cirurgião plástico, viúvo e com uma filha, Carmo Paiva Calado (Patrícia Franco) que tudo faz para arranjar uma namorada ao pai

Quando Mário declara a falência da sua empresa, os Albuquerque são obrigados a abdicar do conforto a que sempre se habituaram. Mas Luiza não aceita este retrocesso na sua vida e, sem hesitações, divorcia-se de Mário. A partir desde momento, a família segue rumos opostos: enquanto Mário e Teresa reaprendem a viver num humilde T2 na Margem Sul, Luiza decide recuperar tudo aquilo a que julga ter direito. Beatriz, sua melhor amiga, será a primeira vítima desta escalada social. Aproveitando-se das infidelidades de António e das fragilidades de Beatriz, agora os novos proprietários da sua antiga casa, Luiza dissimuladamente leva a cabo o seu objectivo: provocar a separação dos dois para assim casar com António e recuperar a vida desafogada que perdeu. Quem a irá ajudar em todos os passos deste plano será Guida (Sofia Aparício), editora de uma revista cor-de-rosa.

Durante este périplo de ganância, Luiza colecionará vários inimigos. Para além da amarga relação com a irmã Júlia (a única pessoa que sempre soube da sua falta de caráter) e da frieza da filha Teresa, Luiza terá de enfrentar os desaforos da sobrinha Ana, a concorrência de Leonor - que também está interessada no dinheiro de António -, as desconfianças de Gabriel e o ódio de Inês. Quando finalmente está prestes a atingir o seu primeiro objetivo, Luiza depara-se ainda com outro grande obstáculo: Glória (Sofia de Portugal) e José (Lourenço Henriques), um casal pelintra e ávido, que se faz passar por milionário e que vê em Luiza a oportunidade para se infiltrarem no jet-set português.

No dia 20 de Dezembro de 2005 (último capítulo) foi revelada Guida Martins (Sofia Aparício), a melhor amiga de Luíza, por interesse, como sendo a assassina de António. A novela acaba com um desfecho no mínimo perturbante - morre Luíza Albuquerque. A cena final contém um misto de drama e transcendência quando se assiste à libertação corporal de Luíza, levada deste mundo pela mãe, Milú, falecida a meio da trama, num acidente rodoviário.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sofia Aparício interpretou Guida.



- Atores Convidados

Ator Personagem
Sinde Filipe Luciano Gaspar dos Santos(Pai de Luíza,Júlia e Dulce, viúvo de Milú e depois marido de Conceição)
Lia Gama Conceição Costa(Mãe de Alexandre, tia de Henrique e futura esposa de Luciano)
Márcia Breia Eugénia Macieira(Mãe de Paula e avó de Guilherme)
Rosa Lobato Faria Maria de Lurdes "Milú" Gaspar dos Santos(Mãe de Luíza, Júlia e Dulce, Mulher de Luciano que morreu num acidente de viação)


- Participações especiais:

Ator Personagem
Orlando Costa Victor(Amigo do tempo da Lisnave de Luciano)
Anna Paula Berta(Madrinha e testa de ferro de António Paiva Calado que morreu no mesmo acidente que Milú)
Paulo Rocha Rafael Pinheiro (Pintor que vai para Florença e depois tem um romance com Beatriz Paiva Calado)


- Elenco Infantil:

Ator Personagem
João Pedro Cary Jaime Gaspar dos Santos(Filho adoptivo de Júlia e filho biológico de Gabriel)
João Secundino Guilherme "Gui" Macieira Duarte(Filho de Paula e de Frederico)
Patrícia Franco Carmo Paiva Calado(Filha de Gabriel)


- Elenco adicional:

Ator Personagem
Bruno Rossi Álvaro (Psicólogo de Inês)
Carlos Barradas Gonçalo-(Cúmplice de Inês para enganar Luciano e Luíza no negócio da agência funerária)
Eurico Lopes André-(Namorado de Alexandre a partir do último episódio)
Fátima Custódia Rosário-(Empregada de Beatriz)
Grace Mendes Sandra-(Empregada de Guida)
Joana Figueira Ofélia-(Empregada de Luíza)
José Neves Afonso (Director financeiro que desfalcou a empresa de Mário Albuquerque com a ajuda de Leonor)
Júlio Cardoso Ricardo Gomes (Empresário do Porto a quem Luíza lhe quer vender a empresa e a casa)
Laurinda Ferreira Manuela Gomes (Mulher de Ricardo, empresário do Porto)
Luís Alberto Dr. Carlos Pinho (Médico de Luísa Albuquerque)
Miguel Sá Monteiro Rui Barreto de Castro-(Noivo de Teresa no primeiro episódio)
Patrícia Adão Marques Recepcionista do consultório de Gabriel
Patrícia Roque Mónica (substituta de Leonor na recepção da clínica)
Pedro Gouveia Sérgio Lima(Amigo de João Paredes da Silva e depois namorado)
Rui de Sá Albano Ferreira (Vendedor do veneno de escorpião que matou António)
Rui Quintas Cúmplice de Mário,Inês,Teresa e Nuno que se disfarça de empregado e rouba a carteira a Ricardo Gomes
Sónia Cláudia Carla-(Secretária na Viagens Calado)
Sofia Póvoas Empregada do laboratório clínico
Tina Barbosa Natália(Empregada de Gabriel)
Tozé Martinho Ele Próprio

Banda Sonora[editar | editar código-fonte]

Ninguém Como Tu
Os protagonistas de «Ninguém como Tu»
Banda sonora de Vários artistas
Idioma(s) Português
Inglês
Formato(s) 1 CDs

CD[editar | editar código-fonte]

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Não há"   João Pedro Pais Genérico  
2. "Quero é viver"   Humanos Luíza Albuquerque  
3. "Escuridão (Vai por mim)"   Jorge Palma Tema geral  
4. "Matas-me com o teu olhar"   UHF Leonor  
5. "Sei que vou mais além"   Os Anjos Júlia e Tiago  
6. "Mais que uma vez"   João Pedro Pais Pedro  
7. "Laços"   Toranja Miguel  
8. "Chuva"   Lúcia Moniz Paula e Mário  
9. "Quase Perfeito"   Donna Maria Teresa  
10. "Fugir dos Meus Medos"   Beto Luciano  
11. "Medo de Voltar a Amar"   Ménito Ramos Gabriel  
12. "Chegar a Ti"   Rita Guerra Luíza e Pedro  
13. "Eu Sou Assim"   Jorge Marante Dulce e Pedro  
14. "I´ll Stand By You"   Girls Aloud Teresa e Miguel  
15. "Se Esse Tempo Voltasse"   Milénio Ana  
16. "Toda a Noite"   Sexto Sentido Jaime  
17. "It ain`t easy(on your own)"   Ricky Fante    

Outros Temas[editar | editar código-fonte]

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Nunca é Tarde"   Mafalda Sacchetti Beatriz  
2. "Ave à Solta"   Gardénia Henrique  
3. "Fugir do Amor é Morrer"   Beto João  
4. "Depois do Nada"   Gardénia Júlia  

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Luisa teve um desfecho trágico no enredo: morreu com um aneurisma que lhe tinha sido diagnosticado. Ainda hoje, a personagem Luísa Albuquerque é uma referência entre os vilões da ficção portuguesa para muita gente.
  • Há quem considere que Luisa Albuquerque deve ser considerada uma anti-heroína e não uma vilã. Ao longo da trama ficou explicito que Luiza ajudou a família sempre que pôde e muitos dos seus esquemas traziam beneficios às suas vitimas.
  • A novela foi premiada, em Outubro de 2005, com o Prémio Arco-íris, da Associação ILGA Portugal, pelo seu contributo na luta contra a discriminação e homofobia.
  • A personagem Júlia, que primeiro recebeu o nome de Madalena, foi inicialmente proposta a Sofia Alves, porém, a actriz recusou o papel, que foi entregue a Dalila Carmo, que saiu às pressas de Morangos com Açúcar. Como a personagem de Dalila na série juvenil também se chamava Madalena, o nome foi mudado para Júlia. O mesmo aconteceu com a personagem Miguel, recusada pelo actor Pedro Granger, sendo então entregue a José Fidalgo. A personagem Dulce seria inicialmente interpretada por Suzana Borges.
  • Para além da brilhante actuação de Alexandra Lencastre no melhor trabalho da sua carreira, a eterna Luíza Albuquerque, destaque também para São José Correia como a emergente Leonor, Maria João Falcão como a cleptomaníaca e conflituosa Inês e Sofia de Portugal no papel da impostora Glória, que juntamente com o seu marido (Lourenço Henriques), faziam-se passar por um casal de milionários, armando os maiores esquemas para pertencer ao jet-set português. A sua personagem teve enorme brilho, conseguindo "roubar a cena", devido à carga cómica, porém, por motivos profissionais ou de roteiro, acabou por sair a meio da novela, não permanecendo até ao final.
  • Os exteriores da enorme mansão de Luiza e Mário foram filmados na Praça de Diu nº3, no Restelo. A mesma vivenda foi também utilizada nas telenovelas Palavras Cruzadas (telenovela) (1986) e Vidas de Sal (1996).
  • As gravações dos primeiros episódios acabaram por ser repetidas. Erros técnicos levaram a NBP a refazer tudo e alguns papéis foram alterados. José Fidalgo e Alexandre Ferreira trocaram entre si os papéis inicialmente previstos.
  • Grande parte das audiências deveram-se também ao mistério à volta do assassinato de António Paiva Calado, personagem de Nuno Homem de Sá, encontrado morto com uma bala na cabeça. António fora um personagem indelicado, imponente e impiedoso, o que faz com que crie muitas inimizades e o que faz com que grande parte das personagens sejam suspeitas do sua morte, pois todas elas tinham motivos para o fazer. Desde razões relacionadas com dinheiro, outras relacionadas com vingança, praticamente todo o elenco podia ter morto António, porque quando alguém não se preocupa com sentimentos de ninguém, é fácil criar ódios e é fácil as pessoas não gostarem do mesmo. De ressaltar que Guida, a verdadeira culpada, era talvez a personagem que menos se pensava ter morto António. O autor poderá ter pensado bastante até encontrar a forma de matar António, pois na altura da sua morte acontecem vários atos da sua parte que poderiam ter levado à mesma. A ameaça a Júlia, o confronto com Gabriel, em que o acusa de ter morto a mulher, a destruição da empresa de Beatriz e Mário, causada por António, os assédios, cada vez mais frequentes, a Paula, a revelação dos mesmos assédios a Frederico, que promete vingança, etc... Todo um conjunto de ações mostram o quão impiedoso António fora para cada uma das personagens e reforça a ideia de que todos pensaram em matar António.

Suspeitos da morte de António Paiva Calado[editar | editar código-fonte]

- Luísa - cansada dos desaforos do novo marido, seria a principal beneficiária da morte deste. Com o marido morto, poderia ter dinheiro para tudo o que quisesse e tornar-se-ia uma mulher rica. Torna-se a culpada mais óbvia.;
- Gabriel - manteve sempre uma relação conflituosa com o irmão, que o acusou de ter levado a sua mulher ao suicídio;
- Mário - viu-se obrigado a vender a sua mansão a António, que também atentou contra a sua empresa, para além de ter casado com a sua ex-mulher, Viu a sua nova empresa destruída por ele;
- Beatriz - foi constantemente humilhada pelo seu ex-marido, durante o casamento e após o divórcio. Viu a sua nova empresa destruída por ele;
- Leonor - uma das inúmeras amantes de António, mas nunca a preferida;
- Frederico - sempre teve um enorme despeito pelo patrão, que lhe negou uma promoção na carreira e tentou ainda seduzir a sua mulher;
- Pedro - matar António seria criar uma oportunidade para finalmente ficar com Luísa;
- Paula - assediada várias vezes pelo patrão, logo após ter sido promovida na empresa;
- Júlia - chantageada por António, que ameaçou denunciar a adopção ilegal de Jaime, caso Júlia continuasse a pressionar Luísa por dinheiro;
- Tiago - soube que a namorada Júlia estava a ser vítima de uma grave chantagem por António;
- Alexandre - não aparenta motivos de vingança, nem tão pouco benefícios financeiros com a morte do ex-patrão, mas esteve sempre ausente nas horas suspeitas;
- José - era pobre e vivia no desejo de conseguir para si a vida e o dinheiro de alguém como António ; queria ainda conquistar a admiração da mulher, Glória;
- Inês - sempre foi vingativa e as suas maiores frustrações, como a cleptomania, tinham origem nos tristes e pouco discretos episódios de traição do pai;
- Nuno - apoiante incondicional da mãe, mostrou que já não via em António um pai, mas sim um alvo a evitar;
- Teresa - António era a raiz de uma série de tensões na sua vida, nomeadamente quando atenta contra a sua agência de viagens;
- Glória - matar António significaria ganhar um atalho para a sua ascensão social, nomeadamente porque seria mais fácil aproveitar-se de Luísa e conseguir mudar-se para a mansão;
- Lurdes - está acima de todas as suspeitas, como qualquer empregada doméstica, e nunca foi respeitada pelo patrão; mais do que qualquer outra personagem, tinha o meio e a oportunidade, e mais razões tinha quando no decorrer da história se descobre que era ela a verdadeira testa-de-ferro de António e não Luísa.;
- Carla - António era simplesmente um patrão desagradável e é, por norma, a secretária quem mais o sente na pele.

  • Em Agosto, descobriu-se que José tinha alvejado António, obrigando-o a simular o suicídio, para ficar com parte dos seus bens e extorquir Luísa, uma vez que tinha uma gravação em que a socialite diz desejar a morte de António. Porém, revelou-se que António havia sido envenenado antes do tiro (com veneno de escorpião), o que leva o caso ao verdadeiro assassino. A pergunta ao mistério "Quem matou António?" ficou nas bocas do público até ao último e derradeiro episódio, onde, após uma confusa troca de copos durante a festa (havendo um que estava envenenado), se descobre que Guida (Sofia Aparício) foi a responsável pelo crime.
  • Foi reposta na TVI Internacional, e nas tardes da TVI em 2013. Na sua reposição às 14h voltou a ser um enorme sucesso, tornando-se na novela mais vista do horário nos últimos anos, e ainda conseguindo feitos históricos como ter mais espectadores do que novelas ineditas que davam em horários com mais publico.

Audiência[editar | editar código-fonte]

  • Ninguém Como Tu estreou a 3 de abril de 2005 com 14.3% de audiência média e 33.9% de share, tendo o ultimo episódio registado a melhor audiência de sempre de uma telenovela portuguesa, a 20 de dezembro de 2005, com 25.9% e 67.2% de share.
  • O total de 199 episódios registou uma audiência média de 16.5% e 42.3% de share. [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. http://www.marktest.com/wap/a/n/id~9a7.aspx