João Pedro Pais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Julho de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
João Pedro Pais
Informação geral
Nascimento 20 de setembro de 1971 (46 anos)
País  Portugal
Gênero(s) Pop / Rock / Folk
Instrumento(s) Vocal, Guitarra
Período em atividade 1997–presente
Página oficial www.joaopedropais.com

João Pedro Pais (20 de Setembro de 1971) é um cantor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pais separados teve de ir estudar para a Casa Pia onde esteve entre 1978 e 1989 e onde frequentou o curso de Artes Gráficas e aprendeu música. [1].

Foi atleta de alta competição de Lutas Amadoras. Em 1989, no Campeonato do mundo de Seniores de Martigny (Suíça), alcançou a oitava posição.[2]

O seu primeiro contacto com o grande público aconteceu através do programa televisivo Chuva de Estrelas, na SIC, onde obteve o segundo lugar interpretando a canção "Ao Passar Um Navio", dos Delfins.

Foi moldando a sua personalidade musical com a experiência de tocar em locais como o "Páteo de Sant'Ana" ou o "Xafarix".

O seu primeiro álbum, Segredos, com produção de Renato Jr., foi editado em 4 de Novembro de1997. O caminho para o disco foi preparado por dois singles, "Ninguém é de Ninguém" e "Louco por Ti", com bastante sucesso. [3]

Em 1999 foi editado o álbum Outra Vez[3] que atingiu o galardão de disco de platina. As gravações decorreram em Londres nos famosos Townhouse Studios com produção de Luís Jardim. O disco inclui temas como "Nada de Nada" (o primeiro single), "Não Quero Ver-te Chorar", "Deixa Cair", "Ternura" ou "Corri".

É nomeado, pela segunda vez, para os Globos de Ouro na categoria de Melhor Interprete. O tema “Mentira” é também eleito para a categoria de Melhor Canção.

O disco Falar Por Sinais, editado em 2001, vendeu cerca de 70 mil unidades. O vídeo do tema “Um Resto de Tudo” é gravado em Barcelona e “Não Há” é escolhido para banda sonora de uma telenovela portuguesa. [3]

Vence dois Globos de Ouro, na edição de 2001, nas categorias de Melhor Interprete individual e de Melhor Canção para "Não Há".[4]

Em 2003 foi convidado para fazer a 1ª parte da digressão ibérica de Bryan Adams, com concertos em Barcelona, Madrid, Lisboa, Porto e Guimarães.

Em junho de 2004 atua na primeira edição do Rock In Rio – Lisboa. Em Novembro de 2004 é editado "Tudo Bem" gravado em Vancouver, Canadá, nos estúdios de Bryan Adams e com os músicos que habitualmente acompanham o artista internacional. O álbum conta, novamente, com produção de Luís Jardim. “Mais Que Uma Vez” e “Tudo Bem” são escolhidos para singles.

Em 2005 e a convite de Jorge Palma, acompanha o músico no tema "Portugal, Portugal" no OPTIMUS Open Air em Lisboa. No Verão do mesmo ano, participa no Festival Sunrise em Albufeira. Em 2005 voltou a ser convidado por Adams a fazer a primeira parte dos seus três concertos em Portugal.

Em 2006 grava, em conjunto com Mafalda Veiga, o álbum Lado A Lado que leva os dois músicos em digressão. [3]

Em Novembro de 2008 é editado o álbum A Palma e a Mão. "Um Volto Já" foi o primeiro single. Jorge Palma participa no tema a si dedicado ("Meu Caro Jorge") e Zé Pedro colabora na canção "Palco de Feras" dedicada aos Xutos & Pontapés. Pedro Abrunhosa escreveu a letra da canção que dá título ao disco). [5]

Em 2010 grava no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, o seu primeiro disco ao vivo denominado precisamente O Coliseu.

O álbum "Desassossego" foi editado em 10 de dezembro de 2012. O disco foi produzido por João Martins Sela, misturado por Adam Kasper e conta com a participação de Mónica Ferraz, Carlos Nobre (Pacman), Mário Delgado, Alexandre Frazão, entre outros. Os temas em maior destaque foram "Havemos De Lá Chegar" e "Isto Do Amor". [6].

No dia 20 de Novembro de 2015, lança "Identidade", o seu 7º álbum de originais[7].

João Pedro Pais faz 20 anos de carreira e vai comemorar com um novo disco e dois concertos com o apoio RFM [8].

Discografia[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Em 2001, recebeu dois Globos de Ouro: um na categoria de para "Melhor Interprete Individual" e outro para "Melhor Canção", pela sua canção "Não há".[9]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Até 2008, assinou a letra e a música em todas as canções incluídas nos seus álbuns a solo com um única excepção: "Bellevue" uma versão do tema dos GNR incluída no trabalho de estreia Segredos.[3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


[1]

  1. Biografia de JPP por Maria João Serra