Dona Flor e Seus Dois Maridos (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dona Flor e Seus Dois Maridos
Informação geral
Formato Minissérie
Gênero Comédia Romântica
Erotismo
Realismo Mágico
Duração (50 minutos Aproximado)
Criador(es) Dias Gomes, baseada na romance de Jorge Amado
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Mauro Mendonça Filho
Produtor(es) Guel Arraes
Elenco Giulia Gam [1]
Edson Celulari
Marco Nanini
Otávio Augusto
Lúcio Mauro
Chico Díaz
Walderez de Barros
Bruno Garcia
Thalma de Freitas
Suely Franco
João Acaiabe
Myriam Muniz
Lília Cabral
Dira Paes
Cyria Coentro
Ver mais
Tema de abertura "Caminho do Camarim" - Carlinhos Brown
Tema de encerramento "Caminho do Camarim" - Carlinhos Brown - (entre outras canções)
Transmissão original 31 de março1 de maio de 1998
N.º de episódios 20 (original)
37 (Canal Viva)
2 (reprise especial da Rede Globo)
Cronologia
Último
Guerra de Canudos
Hilda Furacão
Próximo

Dona Flor e Seus Dois Maridos é uma minissérie brasileira, produzida pela Rede Globo e exibida entre de 31 de março e 1 de maio de 1998, em vinte capítulos, sendo exibida de terça a sexta às 23h15.

Escrita por Dias Gomes, adaptação do romance homônimo de Jorge Amado, contou com a colaboração de Ferreira Gullar e Marcílio Moraes, com direção geral de Mauro Mendonça Filho, e também contou com a direção de núcleo de Guel Arraes.

Uma das locações da minissérie foi na cidade de Bananal, utilizando como cenário a Pharmácia Popular, um estabelecimento / museu local.[2]

Contou com as atuações de Giulia Gam, Edson Celulari, Marco Nanini, Otávio Augusto, Lúcio Mauro, Chico Díaz, Walderez de Barros e Bruno Garcia.[1] Os personagens interpretados por Giulia Gam (Dona Flor), Edson Celulari (Vadinho) e Marco Nanini (Teodoro) foram imortalizados respectivamente por Sônia Braga, José Wilker e Mauro Mendonça no filme homônimo, produzido em 1976.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Florípedes, a Dona Flor, professora de culinária da escola Sabor & Arte (que se transforma no trocadilho saborear-te), perde seu marido Vadinho, malandro incorrigível, em pleno domingo de carnaval. De luto fechado, chorosa, recorda os altos e baixos desse relacionamento. Mas, como ainda é jovem e bonita, desperta a atenção do corretíssimo farmacêutico Teodoro, com quem se casa.

As diferenças entre os maridos são gritantes: se com Vadinho tudo era uma louca "vadiação", com Teodoro o sexo é regular e bem comportado; se com Vadinho o que sentia era emoção e insegurança, com Teodoro a solidez traz uma ponta melancólica de tédio. Até que o fantasma de Vadinho se intromete na cama de Dona Flor e de Teodoro.

Elenco[editar | editar código-fonte]

em ordem da abertura da minissérie
Ator Personagem
Giulia Gam Dona Flor
Edson Celulari Vadinho
Marco Nanini Teodoro
Tássia Camargo Madona
Aloísio de Abreu Alberto
Ana Cecília Costa Marinalva
Bruno Garcia Heitor
Cândido Damm Melado
Chica Xavier Dinoráh
Chico Díaz Mirandão
Cláudia Liz Noêmia
Elizabeth Hartmann Albertina
Cláudio Mamberti Máximo
Cyria Coentro Juliana
Otávio Müller Robato Filho
Maria Helena Pader Rejane Medrado
Yaçanã Martins Aritana
Ernani Moraes Propalato
Dira Paes Celeste
Oscar Magrini Pablo
Floriano Peixoto Otoniel
Jackson Costa Anacreon
Lú Mendonça Dora
Rodrigo Mendonça Moraes
Solange Couto Zulmira
João Acaiabe Sampaio
Thalma de Freitas Marilda
Serafim Gonzalez Lemos Couto
Virgínia Cavendish Rosália
Frank Menezes Cachorrão
Jackson Antunes Professor Marcelo
Antônio Calloni Bruno Campello
Sílvia Bandeira Joanna Hirschfeld
Participação Especial
Ator Personagem
Francisco Cuoco Garcia
Lília Cabral Violeta
Suely Franco Norma
Lúcio Mauro Neca do Abaeté
Myriam Muniz D. Miloca
Milton Gonçalves Clemente
Walderez de Barros como D. Rosilda
Otávio Augusto como Calabrês

Reexibições[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 18 de janeiro a 14 de fevereiro de 2011, substituindo Chiquinha Gonzaga e sendo substituída por Sex Appeal.[3]

Foi reexibida novamente na íntegra pelo Canal Viva de 7 de fevereiro a 5 de março de 2012, substituindo O Tempo e o Vento e sendo substituída por Os Maias.[4]

Também foi reapresentada no festival Luz, Câmera, 50 Anos nos dias 12 e 14 de maio de 2015, em formato de longa-metragem divido em duas partes, sucedendo A Cura, em comemoração aos cinquenta anos da Rede Globo.[5]

Referências

  1. a b «Dona Flor e Seus Dois Maridos - Elenco». Teledramaturgia. Arquivado desde o original em 21 de fevereiro de 2016. Consultado em 19 de março de 2016. 
  2. Plínio Graça (1924-2011) - Preservou uma farmácia de 1830 Cotidiano - Folha.com
  3. «Canal Viva reexibe ‘Dona Flor e Seus Dois Maridos’». GCN. 14 de janeiro de 2011. Consultado em 16 de junho de 2015. 
  4. Redação Canal Viva (7 de fevereiro de 2012). «Está de volta a minissérie Dona Flor e Seus Dois Maridos». Globo.com. Consultado em fevereiro de 2012. 
  5. «"Dona Flor e Seus Dois Maridos" volta a ser exibida em especial da TV Globo». UOL. 8 de maio de 2015. Consultado em 16 de junho de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]