O Tempo e o Vento (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Tempo e o Vento
Informação geral
Formato Minissérie
Criador(es) Doc Comparato
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Paulo José
Wálter Campos
Denise Saraceni
Tema de abertura "O Tempo e o Vento (Passarim) - Instrumental", Tom Jobim
Exibição
Emissora de
televisão original
Brasil Rede Globo
Transmissão original 22 de abril de 1985 - 31 de maio de 1985
N.º de episódios 25

O Tempo e o Vento é uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 22 de abril e 31 de maio de 1985, em 25 capítulos. [1]

O roteiro é baseado na obra homônima de Érico Veríssimo, adaptada por Regina Braga e Doc Comparato, e dirigida por Paulo José. Apesar de levar o nome da trilogia escrita por Érico Veríssimo, a minissérie desenvolve apenas tramas abordadas no primeiro volume da obra: "O Continente". Foi exibida em comemoração aos vinte anos da emissora.

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 2 de janeiro a 6 de fevereiro de 2012, substituindo Contos de Verão[2] e sendo substituída por Dona Flor e Seus Dois Maridos.[3]

Trama[editar | editar código-fonte]

A minissérie conta um pouco da história de formação do estado de Rio Grande do Sul, através da família Cambará e as lembranças de Bibiana: sua avó Ana Terra, seu marido Capitão Rodrigo Cambará, seu filho Bolivar e a ligação deste com Luzia, "a Teiniaguá", seu neto Licurgo (ainda presente).

Produção[editar | editar código-fonte]

O Tempo e o Vento foi a mais ousada produção da TV Globo até então. Com um alto investimento, a minissérie contou com cerca de 100 personagens, quase seis mil figurantes e aproximadamente mil cenas. Grande parte das suas sequências eram gravadas ao ar livre. Ao total, foram quase cinco mil pessoas envolvidas na produção da minissérie.[4]

Para a realização da minissérie, foi construída uma cidade cenográfica de 40 mil m2 em Pedra de Guaratiba, projetada por Mário Monteiro, baseado na descrição do livro, com as mesmas ruas largas, as mesmas quadras e o sol marcando a passagem do tempo sobre as casas. O principal ponto de referência da cidade é uma figueira centenária, parte fundamental da cenografia, elaborada para caracterizar a ação do tempo e do vento ao longo dos 150 anos de história.[5]

A direção de arte e figurinos teve assessoria de Antônio Augusto Fagundes, um dos mais conhecidos tradicionalistas do Rio Grande do Sul. A trilha sonora foi composta por Tom Jobim.[6]

Elenco[editar | editar código-fonte]

1ª Fase (Ana Terra)[editar | editar código-fonte]

2ª Fase (Capitão Rodrigo)[editar | editar código-fonte]

3ª Fase (A Teiniaguá)[editar | editar código-fonte]

4ª Fase (O Sobrado)[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

O Tempo e o Vento recebeu o Prêmio Coral Negro de Melhor Vídeo no Festival de Cinema e Vídeo de Havana, em 1986.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Outras adaptações da mesma obra de Érico Veríssimo:
Um Certo Capitão Rodrigo, filme de Anselmo Duarte
Ana Terra (filme), de Durval Garcia
O Tempo e o Vento (telenovela)
O Sobrado, filme de Cassiano Gabus Mendes e Walter George Durst
O Tempo e o Vento (filme), dirigido por Jayme Monjardim

Referências

  1. O Tempo e o Vento: Ficha Técnica Memória Globo. Visitado em 16 de junho de 2015.
  2. Redação Canal Viva (7 de dezembro de 2011). Minissérie "O Tempo e o Vento" estreia dia 2 de janeiro Globo.com. Visitado em 10 de janeiro de 2012.
  3. Redação Canal Viva (7 de fevereiro de 2012). Está de volta a minissérie Dona Flor e Seus Dois Maridos Globo.com. Visitado em fevereiro de 2012.
  4. O Tempo e o Vento: Produção Memória Globo. Visitado em 16 de junho de 2015.
  5. O Tempo e o Vento: Cenografia e Arte Memória Globo. Visitado em 16 de junho de 2015.
  6. O Tempo e o Vento:Figurino e Caracterização Memória Globo. Visitado em 16 de junho de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]