O Tempo e o Vento (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja O Tempo e o Vento (desambiguação).
O Tempo e o Vento
Informação geral
Formato minissérie
Criador(es) Doc Comparato
Regina Braga
Baseado em O Tempo e o Vento,
de Érico Veríssimo
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Paulo José
Wálter Campos
Denise Saraceni
Tema de abertura "Passarim" (instrumental), Tom Jobim
Exibição
Emissora original Rede Globo
Transmissão original 22 de abril - 31 de maio de 1985
Episódios 26
Cronologia
Rabo de Saia
Tenda Dos Milagres

O Tempo e o Vento é uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 22 de abril e 31 de maio de 1985, em 26 capítulos. Escrita por Doc Comparato com colaboração de Regina Braga, contou com a direção de Denise Saraceni e Wálter Campos, direção geral de Paulo José e direção de núcleo de Ary Nogueira.[1] É livremente inspirada na obra homônima de Érico Veríssimo, mas apesar de levar o nome da trilogia, a minissérie desenvolve apenas tramas abordadas no primeiro volume da obra, O Continente.

Trama[editar | editar código-fonte]

A minissérie conta um pouco da história de formação do estado de Rio Grande do Sul, através da família Cambará e as lembranças de Bibiana: sua avó Ana Terra, seu marido capitão Rodrigo Cambará, seu filho Bolivar e a ligação deste com Luzia, "a Teiniaguá", seu neto Licurgo (ainda presente).

Produção[editar | editar código-fonte]

O Tempo e o Vento foi uma das três adaptações literárias (juntamente com Tenda dos Milagres e Grande Sertão: Veredas) que a Rede Globo produziu em comemoração ao seu aniversário de 20 anos. Foi a mais ousada produção da emissora até então. Com um alto investimento, a minissérie contou com cerca de 100 personagens, quase seis mil figurantes e aproximadamente mil cenas. Grande parte das suas sequências eram gravadas ao ar livre. Ao total, foram quase cinco mil pessoas envolvidas na produção da minissérie.[1]

Para a sua realização, foi construída uma cidade cenográfica de 40 mil m² em Pedra de Guaratiba, projetada por Mário Monteiro, baseada na descrição do livro, com as mesmas ruas largas, as mesmas quadras e o sol marcando a passagem do tempo sobre as casas. O principal ponto de referência da cidade é uma figueira centenária, parte fundamental da cenografia, elaborada para caracterizar a ação do tempo e do vento ao longo dos 150 anos de história.[1] A direção de arte e figurinos teve assessoria de Antônio Augusto Fagundes, um dos mais conhecidos tradicionalistas do Rio Grande do Sul. A trilha sonora foi composta por Tom Jobim.[1]

Programado para ir ao ar em 22 de abril de 1985, que coincidentemente foi um dia após a morte de Tancredo Neves, o primeiro capítulo contou com uma homenagem póstuma ao presidente eleito feita pelo diretor da minissérie, Paulo José, onde ele ressaltava o propósito da cena final do último capítulo, uma comemoração pelo fim dos conflitos que nortearam a trama e o início da república, como uma associação com o fim da ditadura militar e a chegada da Nova República, pela qual Tancredo havia lutado e morrido antes que pudesse assumir o cargo de presidente, e declarou:[2]

[...] Nós imaginávamos ao fazer este programa, que estas imagens ilustrariam bem o momento atual brasileiro de retomada do processo democrático, da Nova República. Mas hoje, o país está de luto. No entanto, nós acreditamos que a melhor forma de se homenagear um estadista que morre, é ajudar o seu país a caminhar com confiança e otimismo. Daí, a oportunidade da estreia desta série brasileira, que fala da construção de uma nação, da luta de nosso povo pela fixação de nossas fronteiras, de nossos medos, de nossas fraquezas... Mas também, de nossa coragem, de nossa força, de nossa fé no futuro, e esperança.
— Paulo José

Exibição[editar | editar código-fonte]

O Tempo e o Vento foi exibida originalmente de 22 de abril a 31 de maio de 1985, em capítulos diários de segunda a sexta, às 21h30. A previsão inicial era de que fossem exibidos 25 capítulos, porém, devido a alterações na grade da Rede Globo no dia 24 de abril (por conta do sepultamento de Tancredo Neves) e nos dias 25 de abril, 2 e 15 de maio (por conta de amistosos da Seleção Brasileira de Futebol), a trama teve ao todo 26 capítulos. Foi produzido ainda um especial com os bastidores das suas gravações narrado por Lima Duarte, que a princípio deveria ir ao ar um dia antes da estreia, após o Fantástico.[3] No entanto, ele foi cancelado devido à cobertura da morte do presidente eleito Tancredo Neves em uma edição especial do Jornal Nacional realizada em pleno domingo,[4] e só foi disponibilizado quando a minissérie foi lançada em DVD em 2005, como conteúdo extra.

A minissérie foi reprisada pela primeira vez entre 15 de março e 1.º de abril de 1988, em 12 capítulos, às 22h30, precedendo a inédita O Pagador de Promessas. Sua segunda reprise foi entre 10 e 21 de junho de 1991, dentro do bloco Vale a Pena Ver de Novo, apenas com as fases "Ana Terra" e "Capitão Rodrigo", dividindo espaço com a reprise da telenovela Top Model. E por fim, sua terceira reprise ocorreu entre 3 e 27 de janeiro de 1995, em 16 capítulos, durante as comemorações dos 30 anos da Rede Globo. O Tempo e o Vento também foi reexibida na íntegra pelo Viva, de 2 de janeiro a 6 de fevereiro de 2012, substituindo Contos de Verão[5] e sendo substituída por Dona Flor e Seus Dois Maridos.[6]

Em 19 de agosto de 2021, a minissérie foi disponibilizada no catálogo do Globoplay na íntegra, como homenagem póstuma a Paulo José e Tarcísio Meira.[7]

Elenco[editar | editar código-fonte]

1ª Fase (Ana Terra)[editar | editar código-fonte]

2ª Fase (Capitão Rodrigo)[editar | editar código-fonte]

3ª Fase (A Teiniaguá)[editar | editar código-fonte]

4ª Fase (O Sobrado)[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

O Tempo e o Vento recebeu o Prêmio Coral Negro de Melhor Vídeo no Festival de Cinema e Vídeo de Havana, em 1986.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «O Tempo e o Vento». Memória Globo. Consultado em 16 de junho de 2015 
  2. «Episódio de 22/04/1985». Globoplay. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  3. «Eleição e morte de Tancredo Neves». Memória Globo. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  4. «O Tempo e o Vento Especial». Memória Globo. Consultado em 6 de setembro de 2021 
  5. Redação Canal Viva (7 de dezembro de 2011). «Minissérie "O Tempo e o Vento" estreia dia 2 de janeiro». Globo.com. Consultado em 10 de janeiro de 2012 
  6. Redação Canal Viva (7 de fevereiro de 2012). «Está de volta a minissérie Dona Flor e Seus Dois Maridos». Globo.com. Consultado em fevereiro de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  7. «'O Tempo e o Vento' estreia no Globoplay em homenagem a Tarcísio Meira e Paulo José». G1. 19 de agosto de 2021. Consultado em 6 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão no Brasil é um esboço relacionado ao projeto entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.