Olhai os Lírios do Campo (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Olhai os Lírios do Campo
Informação geral
Formato Telenovela
Duração Aprox. 50 minutos
Criador(es) Geraldo Vietri
Baseado em Olhai os Lírios do Campo de Érico Veríssimo
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Herval Rossano
Elenco Cláudio Marzo
Nívea Maria
Sérgio Brito
Thaís de Andrade
João Paulo Adour
Lourdes Mayer
Chico Martins
Ênio Santos
Elizabeth Hartmann
e outros
Tema de abertura "Esses Moços (Pobres Moços)", Fábio Júnior
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 21 de janeiro - 23 de maio de 1980
N.º de episódios 113

Olhai os Lírios do Campo é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 21 de janeiro e 23 de maio de 1980, em 113 capítulos, substituindo Cabocla e sendo substituída por Marina.[1] Foi a 19ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Escrita por Geraldo Vietri e Wilson Rocha e dirigida por Herval Rossano. Baseada no romance Olhai os lírios do campo de Érico Veríssimo, escrito em 1938.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Cláudio Marzo Eugênio Fontes
Nívea Maria Olívia
Sérgio Britto Vicente Cintra
Thaís de Andrade Eunice Cintra
Mário Cardoso Carlo Bellini
Jardel Filho Felipe Lobo
Nair Bello Micaela
Ruth de Souza Mariana
João Paulo Adour Ernesto Fontes
Lourdes Mayer Alzira
Chico Martins Seu Flores
Ênio Santos Dr. Seixas
Elizabeth Hartmann Frida
Neuza Amaral Isabel Cintra
Jonas Bloch Simão
Sônia Regina Dora
Joyce de Oliveira Dona Quinota
Patricia Bueno Madalena
Ferreira Leite Ângelo
Fernando Almeida Mario
Simone Carvalho Antonieta
Jaime Barcellos Padre Giácomo
Maneco Bueno Acélio Castanho

Enredo[editar | editar código-fonte]

Na Porto Alegre da década de 1930, o Dr. Eugênio Fontes, um médico recém-formado, é um homem dividido em quase todos os níveis do comportamento humano. Seu complexo de inferioridade em relação à sua origem pobre não lhe permite amar os pais, Ângelo e Alzira. Assim como se nega a aceitar o amor puro e honesto de Olívia, também médica e portadora de um caráter admirável.

Eugênio casa-se com a milionária Eunice, filha do industrial Vicente Cintra, e obtém estabilidade financeira. E Olívia embarca para a cidade de Nova Itália para cuidar dos pobres e poder ter seu filho longe das neuroses do pai.

Após o casamento, Eugênio consegue um bom emprego e faz novas amizades com pessoas influentes, como Felipe Lobo, renomado arquiteto amigo de seu sogro. Porém, com o passar do tempo, ele começa a se sentir mal com o novo estilo de vida. Logo fica sabendo da volta de Olívia, que abrira um consultório na cidade. O rapaz decide largar tudo para viver sua antiga paixão, sem saber que a menina Ana Maria, de três anos, é sua filha.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Fonte: Teledramaturgia[2]

  1. "Abandono" - Ivor Lancellotti
  2. "Agora" - Joanna
  3. "Ciranda" - Edson e Terezinha
  4. "Sublime Tortura" - Miúcha e Tom Jobim
  5. "Na Direção do Dia (Toada)" - Boca Livre
  6. "Olha a Lua" - Olívia Byington
  7. "Felicidade" - Caetano Veloso
  8. "Estate" - João Gilberto
  9. "Nunca" - Zizi Possi (tema de Eunice)
  10. "Chuva" - Gilson
  11. "Sonho de Valsa" - 14 Bis
  12. "Canto Triste" - Jane Duboc
  13. "Gira... Gira... (Yira... Yira...)" - Cauby Peixoto
  14. "Esses Moços (Pobres Moços)" - Fábio Júnior

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Essa foi a primeira novela de Geraldo Vietri na TV Globo, após 21 anos de TV Tupi. O autor, no entanto, acabou se desentendendo com o diretor Herval Rossano e foi substituído por Wilson Rocha, então autor do seriado Sítio do Picapau Amarelo.
  • Olhai os Lírios do Campo fez muito sucesso em Portugal, onde foi exibida em 1982.

Referências

  1. «Olhai os lírios do campo». Teledramaturgia. Consultado em 17 de dezembro de 2015. 
  2. «Olhai os lírios do campo - Trilha sonora». Teledramaturgia. Consultado em 17 de dezembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]