Sonho Meu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre uma telenovela. Para a canção, veja Sonho Meu (canção).
Sonho Meu
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
romance
infantil
Criador(es) Marcílio Moraes
Baseado em A Pequena Órfã e Ídolo de Pano, de Teixeira Filho
País de origem  Brasil
Idioma original (em português brasileiro)
Produção
Diretor(es) Reynaldo Boury
Diretor(es) de criação Reynaldo Boury
Roberto Naar
Marcelo Travesso
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Margareth Boury
Maria Adelaide Amaral
Lauro César Muniz (supervisão de texto)
Elenco
Tema de abertura "Querer É Poder", José Augusto e Xuxa
Composto por José Augusto e Carlos Colla
Música por Roger Henri
Empresa(s) produtora(s) Central Globo de Produção
Localização Rio de Janeiro, RJ
Curitiba, Paraná (locações)
Exibição
Emissora original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 27 de setembro de 199314 de maio de 1994
Episódios 197
Cronologia
Programas relacionados Prova de Amor

Sonho Meu é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Globo no horário das 18 horas de 27 de setembro de 1993 a 14 de maio de 1994, em 197 capítulos,[2] substituindo Mulheres de Areia e sendo substituída por Tropicaliente. Foi a 45ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Escrita por Marcílio Moraes, com a colaboração de Margareth Boury e Maria Adelaide Amaral, sendo inspirada em obras de Teixeira Filho, as telenovelas A Pequena Órfã, da extinta TV Excelsior, de 1968, e Ídolo de Pano, da também extinta TV Tupi, de 1974, esta escrita em parceria com a autora Carmen Lídia, contou com a supervisão de texto de Lauro César Muniz, além da direção de Reynaldo Boury, Roberto Naar e Marcelo Travesso e da direção geral e de núcleo de Reynaldo Boury.

Teve Patrícia França, Leonardo Vieira, Fábio Assunção, Carolina Pavaneli, Isabela Garcia, Walmor Chagas, Nívea Maria, Débora Duarte, Flávio Galvão, Eri Johnson, Carlos Alberto, José de Abreu, Yoná Magalhães, Elias Gleizer e Beatriz Segall nos papéis principais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Cláudia (Patrícia França), ao fugir do marido, o violento Geraldo (José de Abreu), perde a guarda da filha, Maria Carolina (Carolina Pavanelli), que fica sob os cuidados da tia impaciente, Elisa (Nívea Maria), que mantém a menina num orfanato. Maria Carolina acaba por fugir do orfanato e esconder-se na pequena e fictícia vila do Jardim das Flores, e, entre brincadeiras com amiguinhos de lá, esconde-se na casa do sr. Mazurgsky, o Tio Zé (Elias Gleizer), um velhinho bondoso que se encanta com a garotinha, que ele chama carinhosamente de "Laleska".

Enquanto isso, Cláudia se vê envolvida por dois irmãos que a disputam: o jovem médico Jorge (Fábio Assunção), que comanda os negócios da rica família Candeias de Sá, e Lucas (Leonardo Vieira), um mauricinho, que ganha o coração da moça. Paula (Beatriz Segall), a avó e grande matriarca, vê Cláudia como uma ameaça à paz em seu lar, ao se deparar com os desentendimentos dos dois netos. Ao se casar com Lucas, por quem é apaixonada, Cláudia tenta proteger a filha, mas é acusada de bigamia, e ainda tem que enfrentar a fúria de Jorge, que revela-se um homem neurótico e perigoso.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Patrícia França Cláudia Lins / Cláudia Lins Vieira / Cláudia Candeias de Sá
Leonardo Vieira Lucas Candeias de Sá
Carolina Pavanelli Maria Carolina Lins Vieira (Laleska)
Fábio Assunção Jorge Candeias de Sá / Armando Freitas
Isabela Garcia Lúcia Guerra
Elias Gleizer Roman Mazursky (Tio Zé)
Beatriz Segall Paula Candeias de Sá
Débora Duarte Mariana de Souza
José de Abreu Geraldo Vieira
Nívea Maria Elisa Magali Vieira
Carlos Alberto Soares Luigi Fiappo
Walmor Chagas Afrânio Guerra
Yoná Magalhães Magnólia Guerra
Flávio Galvão João Fontana
Françoise Forton Gilda Fontana
Ângelo Paes Leme Santiago Fontana
Daniela Camargo Francisca Fontana
Eri Johnson Giácomo Madureira / Jayme (Pinta)
Cláudia Scher Aída Coutinho
Cristina Mullins Márcia Barbosa
Jayme Periard William Ferraz
Sérgio Fonta Bernardo Cunha
Bernadeth Lyzio Júlia
Gisela Reimann Alice Carroll
Alexandre Lippiani Luís Ortega
Cleyde Blota Verbena
Priscila Camargo Polaca
Newton Martins Mercadoria
Jorge Cherques Ivan Nowak
Lina Fróes Dona Rosa
Beta Madruga Taboinha
Carmen Caroline Ximena
Larissa Queiroz Bruna
Eduardo Caldas Francisco Nabuco (Chico)
Sérgio Mannarino Carlos Alberto Ferraz (Cacá)
Luíza Curvo Ana Lúcia da Silva (Aninha)
Fabiano Miranda Nivaldo Antônio (Trigo)
Marina Thompson Clara de Oliveira
Jussara Calmon Raimunda
Karina Mello Marília
Mara Sandes Dra. Flávia
Tânia Loureiro Míriam
Naura Schneider Helena
Nedira Campos Ângela
Cláudia Magno Josefina Machado
Flávia Alessandra Inês Pereira Carvalho
Renata Castro Barbosa Carla
Mariane Ebert Irene Vaz
Monique Lafond Clarisse Vaz
José Augusto Branco Aurélio Vaz
Carlos Kroeber Abel Varela
Myrian Pérsia Nilda Varela
Miguel Rosemberg Dr. José Osvaldo
Mauro Mendonça Dr. Carlos Louzada
Hélio Ribeiro Delegado Juarez
Mauro Gorini Feriado
Maria Nattari Iracema
Jomba Serafim

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator / Atriz Personagem
Agnes Fontoura Dirce (amiga de Paula)
Aidée Miranda Aidée (amiga de Paula)
Alexandre Salcedo Office boy do Dr. Langoni
Alfredo Martins Mestre de Cerimônias que contrata Cláudia
Andréa Cavalcanti Amiga falsa de Cláudia para enganar Lucas
Andréa Stelzer Patrícia (enfermeira da clínica do Dr. Fontana)
Anja Bittencourt Policial que escolta Maria Carolina quando Tio Zé é preso
Bianca Blonde Funcionária da Ludens
Carlos Seidl Investigador auxiliar do delegado Juarez
Castro Gonzaga Giácomo Madureira (padrasto de Jaime)
Cecília Lage Gerente da churrascaria que emprega Cláudia no Rio
Cesar Augusto Jardineiro da mansão Candeias de Sá
Cévio Cordeiro Juiz da guarda de Maria Carolina
Cláudia Wagner Tininha
Claudioney Penedo Carcereiro que escolta Lucas
D'Artagnan Junior Jornalista
Dary Reis Machado (corretor de Jorge)
Eduardo Canuto Joel
Eduardo Paranhos Repórter
Fernanda Muniz Atendente na clínica do Dr. Fontana
Gilberto Porto Recepcionista do hotel de Lucas
Gilson Moura Aparecido (Cidão)
Guilherme Corrêa Dono da loja de sapatos
Ingrid Fridman Criança do orfanato de Fiappo
Jacyra Sampaio Dona Constância
Jarbas Fontenelle Amigo de Francisca
João Vieitas Delegado Oscar
Júlio Braga Amadeu Costa (Xará)
Karla Nogueira Lídia (secretária da Ludens)
Kleber Drable Padre que casa Lucas e Cláudia
Lala Schneider Médica que compõe a junta na Ópera de Arame
Léo Wainer Ciro (amigo do casal Fontana)
Mário Faini Advogado Felipe
Miriam Pires Cecília
Miwa Yanagizawa Gueixa do bordel onde Lucas é dopado
Nardel Ramos Motorista de Cacá
Nestor de Montemar Chef de cozinha da Magnólia
Orion Ximenes Garçom do Largo da Ordem
Otacílio Coutinho Advogado de Guerra
Pablo Sobral Canivete
Paschoal Villaboim Porteiro do prédio de Jorge
Paulo Cesar Grande Augusto (namorado de Márcia)
Paulo Leite Pai de Chico
Paulo Rezende Caseiro de William
Rafael Ponzi Irineu
Regiana Antonini Policial que leva Maria Carolina quando Tio Zé é preso
Renato Neves Advogado de Tio Zé no Rio de Janeiro
Renato Pinheiro Cassiano (Cacá)
Roberto Lopes Gogó
Rubem de Bem Investigador Meireles
Ruthinéa de Moraes Alcinéia Madureira
Sandra Barsotti Promoter que contrata Cláudia como dançarina
Stella Maria Rodrigues Funcionária da creche de Maria Carolina no Rio
Vanda Alves Funcionária do mercadinho na Rua das Flores
Vicente Barcelos Zé Carlos (empresário amigo de William)

Produção, críticas e curiosidades[editar | editar código-fonte]

Marcílio Moraes escreveu Sonho Meu inspirando-se em duas telenovelas de Teixeira Filho e Carmen Lídia, A Pequena Órfã, sobre a amizade entre uma garotinha de um orfanato e um bondoso velhinho, que foram interpretados por Dionísio Azevedo e Patrícia Aires. Já de Ídolo de Pano, o autor retirou a disputa de dois irmãos pelo amor da mesma mulher, interpretados por Tony Ramos, Denis Carvalho e Elaine Cristina.

Lauro César Muniz, supervisor de texto, teve que antecipar a decisão de Cláudia de assumir seu romance com Lucas e enfrentar um processo judicial, devido ao público não aceitar a bigamia.[3]

A novela foi ambientada em Curitiba, no Paraná, onde teve diversas cenas gravadas.[4][5] Uma cidade cenográfica foi montada em 28 dias em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro, que reproduzia detalhes da arquitetura de Curitiba.[6]

Maria Adelaide Amaral passou a integrar o time de roteiristas a partir do capítulo 95, que foi ao ar em 14/01/1994, com a missão de aquecer a história e proporcionar reviravoltas que pudessem conter a queda de audiência. Por iniciativa de Lauro César Muniz e Marcílio Moraes, o trio instalou-se em um flat na cidade de São Paulo para analisar as mudanças que seriam feitas na novela.[7]

Primeira novela de Ângelo Paes Leme, que havia estreado no mesmo ano na minissérie Contos de Verão.

Patrícia França e Leonardo Vieira vinham do sucesso de seus personagens na primeira fase da novela Renascer, tendo sido convidados para formar novamente um casal romântico em Sonho Meu.

Último trabalho de Cláudia Magno, que faleceu durante a exibição da novela. A atriz deixou a produção já adoentada, vindo a falecer em 05/01/1994, aos 35 anos de idade, de insuficiência respiratória aguda (em decorrência de Aids).

Estava previsto na sinopse o envolvimento de Geraldo (José de Abreu) com a enfermeira Josefina (Cláudia Magno), que seria a responsável pela transformação da sua personalidade. Com o falecimento da atriz, Josefina desaparece da novela e Geraldo tem a sua vilania intensificada, vindo a passar por um processo de redenção somente nos momentos finais.[8]

O argumento original também previa que Jorge fosse assassinado por Aída, por motivo passional[9], e esse desfecho chegou a ser gravado, em março de 1994, estando pronto para ir ao ar nos últimos capítulos.[10] Tão logo se espalhou pela imprensa que Aída seria a assassina, o autor Marcílio Moraes decidiu alterar o desfecho contrariando a sinopse e, com isso, obteve autorização da Rede Globo para gravar oito sequências de morte e confundir o público, cada uma delas com um criminoso diferente.[11]

Por meio da personagem Maria Carolina (Carolina Pavanelli), que sofria de leucemia, a novela também abordou o tema da doação de sangue. A doença da menina propiciou a discussão sobre a qualidade do sangue, doação voluntária e AIDS.

Guilherme Arantes fez uma participação, no capítulo 155, no bar da Polaca cantando "Um Pouco Mais", tema presente na trilha nacional.

Os atores Yoná Magalhães e Carlos Alberto foram casados na vida real entre 1966 e 1972, época em que protagonizaram 5 novelas, sendo 4 na TV Globo e 1 na TV Tupi. Depois de 21 anos separados, Sonho Meu foi a única novela em que os dois estiveram presentes.

O encerramento da novela exibiu um show de José Augusto e Xuxa na Ópera de Arame, em Curitiba, cantando para uma plateia de crianças o tema de abertura "Querer é Poder". No palco, juntaram-se as crianças do elenco e os atores Leonardo Vieira, Patrícia França e Elias Gleizer.

Reprise[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida na integra no Viva de 12 de julho de 2021 a 25 de fevereiro de 2022, substituindo Era uma Vez... e sendo substituída por O Beijo do Vampiro ao 12h40, com reprise às 1h20, sendo essa a sua única reexibição desde a estreia.[12]

Outras mídias[editar | editar código-fonte]

Foi disponibilizada na íntegra na plataforma de streaming Globoplay em 28 de março de 2022.[13]

Exibição internacional[editar | editar código-fonte]

Sonho Meu foi exibida em vários países, como Argentina, Bolívia, Chile, Chipre, Costa Rica, Filipinas, Guatemala, Honduras, Indonésia, Jordânia, Malásia, Nicarágua, Síria, Líbano, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, Porto Rico, Portugal, República Dominicana, Rússia, Turquia, Ucrânia, Uruguai e Venezuela.

Audiência[editar | editar código-fonte]

Segundo medições pelo método eletrônico do IBOPE, teve uma média geral de 44 pontos[14] e uma média semanal recorde de 56 pontos, sendo essa a maior média semanal de uma novela das seis. e 63 pontos em seu final sendo assim a maior audiência do horário.

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

Sonho Meu Nacional
Sonho Meu - Trilha Sonora Nacional.jpg
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1993
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil, CD, K7
Gravadora(s) Som Livre
Produção Roger Henri

Capa: Patrícia França

  1. "Bhaja Shiri Krishna" - Homem de Bem - Tema de Santiago
  2. "Ando Meio Desligado" - Roupa Nova - Tema de Giácomo
  3. "Melhores Dias" - Rita de Cássia - Tema de Mariana
  4. "Frágil" - Guido Brunini - Tema de Lúcia
  5. "Todas as Ruas" - Orquestra Harmônicas de Curitiba - Tema de locação: Curitiba
  6. "Querer é Poder" - José Augusto e Xuxa - Tema de abertura
  7. "O Preço de uma Vida" - Selma Reis- Tema de Cláudia
  8. "Um Pouco Mais" - Guilherme Arantes- Tema de Francisca
  9. "Vieste" - Ivan Lins - Tema de Lucas e Claudia
  10. "Um Sonho Maior" - Danilo Caymmi - Tema de tio Zé
  11. "Privação de Sentidos" - Watusi - Tema de Gilda
  12. "Dançando Com Lágrimas Nos Olhos" - Orquestra e Coro RGE - Tema de Fiappo e Elisa

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

Sonho Meu Internacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento 1994
Gênero(s) Vários
Formato(s) Vinil, CD, K7
Gravadora(s) Som Livre
Produção Roger Henri
Cronologia de vários intérpretes
Sonho Meu Nacional
-

Capa: Leonardo Vieira

  1. "What Is Love" - Haddaway - Tema de locação: Curitiba
  2. "Under The Same Sun" - Scorpions - Tema de Gilda
  3. "Mr. Vain" (Intense Radio Edit) - Culture Beat - Tema de Locação
  4. "Right Here" (Human Nature Mix) - SWV - Tema da boate
  5. "Show Me Love" - Robin S - Tema de locação: Curitiba
  6. "Cryin'" - Aerosmith - Tema de Giácomo
  7. "Living Without Your Love" - Rennie Ladd - Tema de William
  8. "For Whom The Bell Tolls" - Bee Gees - Tema de Lucas e Cláudia
  9. "Felicità" - Lucio Dalla - Tema de Paula
  10. "More and More" - Captain Hollywood Project - Tema de Giácomo e Francisca
  11. "Wild World" - Mr. Big - Tema romântico geral
  12. "House Of Love" - Rupaul - Tema de Luís Ortega
  13. "Con Los Años Que Me Quedan" - Gloria Estefan - Tema de Magnólia
  14. "Don't Say Goodbye" - Oseas - Tema romântico geral

Referências

  1. «Sonho Meu - Galeria de Personagens». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 25 de janeiro de 2018 
  2. «Sonho Meu - Teledramaturgia» 
  3. «Sonho Meu». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 9 de novembro de 2013 
  4. «Sonho Meu». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 9 de novembro de 2013 
  5. Pedro Pinheiro (19 de novembro de 2021). «Novela "Sonho Meu", ambientada em Curitiba, será reprisada em 2021». Curitiba Cult. Consultado em 14 de abril de 2022 
  6. «Sonho Meu». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 9 de novembro de 2013 
  7. Ferreira Netto. «Reforço» (29 de dezembro de 1993, p. 3). Tribuna Bis. Tribuna da Imprensa. Consultado em 26 de maio de 2022 
  8. O Fluminense: 26 de setembro de 1993, ano CXVII, nº 33.757, 2º Caderno, página 9. «Contos de Fada na nova novela das seis». Biblioteca Nacional. Consultado em 26 de maio de 2022 
  9. Jornal do Commercio: 27 de março de 1994, ano XC, nº 36.313, JC na TV, página 3. «Aída é a assassina de Jorge». Biblioteca Nacional. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  10. Jornal do Commercio: 08 de maio de 1994, ano XC, nº 36.346, JC na TV, página 4. «Guerra é o Assassino de Jorge». Biblioteca Nacional. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  11. Jornal do Commercio: 01 de maio de 1994, ano XC, nº 36.340, JC na TV, página 3. «Sonho Meu: Assassinato na Mansão». Biblioteca Nacional. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  12. «Paraíso Tropical substitui A Viagem no Canal Viva». NaTelinha. Consultado em 9 de junho de 2021 
  13. Sousa, Camila (25 de fevereiro de 2022). «Confira o que chega ao catálogo do Globoplay em março». Jovem Nerd. Consultado em 28 de fevereiro de 2022 
  14. «Sonho Meu: 25 anos de um sucesso das 18h até hoje não reprisado». observatoriodatv.uol.com.br. Consultado em 25 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]