Um Sonho a Mais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Um Sonho a Mais
Informação geral
Formato Telenovela
Género crônica humorística
Duração 45 minutos
Criador(es) Daniel Más
Lauro César Muniz
Baseado em Volpone de Ben Jonson
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Roberto Talma
Roteirista(s) Mário Prata
Dagomir Marquezi
Elenco
Tema de abertura "Whisky a Go-Go", Roupa Nova
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 4 de fevereiro - 2 de agosto de 1985
Episódios 153
Cronologia
Vereda Tropical
Ti Ti Ti

Um Sonho a Mais é uma telenovela brasileira produzida pela TV Globo e exibida de 4 de fevereiro a 2 de agosto de 1985 em 153 capítulos.[1] Substituiu Vereda Tropical e foi substituída por Ti Ti Ti, sendo a 34ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Escrita por Daniel Más com a colaboração de Mário Prata e Dagomir Marquezi, foi inspirada na peça teatral Volpone, de Ben Jonson. Contou com argumento e supervisão de texto de Lauro César Muniz e direção de Roberto Talma, Carlos Magalhães, Mário Márcio Bandarra e Luca de Castro. A direção geral e de núcleo foram de Roberto Talma.

Contou com Ney Latorraca, Sílvia Bandeira, Marco Nanini, Fúlvio Stefanini, Susana Vieira, Maitê Proença, Edson Celulari e Tássia Camargo.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Antônio Carlos Volpone é acusado de matar o dr. Telles, pai de sua noiva Stella. Para se livrar da acusação, foge do Brasil com seu amigo Mosca, faz fortuna e passa a viver no Egito. Stella casa-se com o rival de Volpone, Orlando Aranha, e tem uma filha, Mônica.

Vinte anos depois, Volpone vê Stella e Mônica passeando pelo Cairo, sente que continua a amá-la e decide voltar ao Brasil.

Para não ser preso, cria uma farsa, afirmando que está com uma grave doença e que por isso tem que viver em uma redoma de plástico e como está moribundo, procura um herdeiro. Sua chegada ao Rio de Janeiro atrai a atenção da imprensa, em especial da repórter Amélia Bicudo, que passa a investigar sua vida.

Enquanto um ator fica dentro da bolha de plástico no lugar de Volpone, este circula disfarçado entre seus antigos amigos e inimigos, investigando quem é o verdadeiro assassino, tentando se reaproximar de Stella e vivendo várias aventuras. Volpone assume personalidades como a secretária Anabela Freire, o médico Nilo Peixe, o advogado Augusto Mello Sampaio e o motorista André Silva, tudo isso escudado por seu fiel amigo Mosca.

Produção[editar | editar código-fonte]

Inspirada na peça Volpone [en] de Ben Jonson e com argumento de Lauro César Muniz, a Globo encarregou a Daniel Más a missão de escrever a trama. Foi sua primeira experiência como autor de novelas e visto como uma aposta pela Globo.[2]

Porém o estilo de Más não agradou à direção da emissora e nem aos telespectadores, que rejeitavam a trama. Por causa disso, ele foi afastado, e Lauro César Muniz assumiu o controle da novela a partir do capítulo 38.[2]

A novela também sofreu com a censura do governo federal, que envolvia a personagem Anabela, um dos disfarces de Volpone. O governo não permitiu que fosse exibido o casamento da personagem com Pedro Ernesto (Carlos Kroeber). Porém os personagens deram um selinho discreto, sendo considerado o primeiro beijo entre dois homens na televisão brasileira.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Ney Latorraca

Volpone

Anabela Freire
Dr. Nilo Peixe
Moribundo
André Silva
Augusto Mello Sampaio
Fúlvio Stefanini Orlando Aranha
Marco Nanini Mosca / Irmã Florisbela Freire
Sílvia Bandeira Stella Aranha
Susana Vieira Renata Aranha Menezes
Edson Celulari Joaquim Bueno de Andrade
Maitê Proença Valéria Moura Góes
Tássia Camargo Mônica Aranha
Roberto Bataglin Emílio Mendes
José Lewgoy Guilherme Menezes (Neném)
Yara Amaral Beatriz Guimarães
Carlos Kroeber Pedro Ernesto Martins
Cissa Guimarães Amélia Bicudo
Narjara Turetta Suelen Amado
Antônio Pedro Luiz (Lula) / Clarabela Freire
Tamara Taxman Dorothy
Anselmo Vasconcelos

Edgar Chaves

Edson Chaves
Cláudia Magno Regina
Ernesto Piccolo Barrão
Maria Helena Dias Magda
Tony Ferreira Afonso
Henriqueta Brieba Dona Guiomar
Lupe Gigliotti Olívia Krauss
Paulette Julião
Cinira Camargo Nona Martins
Edson Silva Jaime
Márcia Porto Sandra (prostituta)
Tânia Gomide Glenda
Marcelo Ibrahim Dagoberto (Beto)
Lys Beltrão Isabel
Chaguinha Mário Alberto

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

Audiência e repercussão[editar | editar código-fonte]

Com 50 pontos de audiência, a novela foi considerada um fracasso. As inovações do autor Daniel Más, um espanhol naturalizado brasileiro, em seu primeiro folhetim, causaram rejeição junto ao público, que não se identificou nem com os personagens, nem com o enredo da trama. Por conta disso, Más acabou afastado da produção, tendo sido substituído por Lauro César Muniz a partir do capítulo 38. Muniz reduziu a participação dos "ricaços" e implementou mais suspense ao longo da trama, no final dos capítulos. Tais esforços, entretanto, não surtiram o efeito esperado.[3]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Chuva de Prata" - Gal Costa e Roupa Nova (tema de Valéria)
  2. "Mais Que Um Sonhador" - Degradée (tema de Mônica e Joaquim)[1]
  3. "Infinito - Djavan (tema de Renata e Guilherme)
  4. "Me Liga" - Os Paralamas do Sucesso
  5. "Me Leva Pra Casa" - Joe (tema de Mônica e Joaquim)
  6. "Leva" - Tim Maia (tema de Stella)
  7. "Whisky a Go Go" - Roupa Nova (tema de abertura)
  8. "Egotrip" - Blitz
  9. "Shy Moon" - Caetano Veloso (part. esp. Ritchie) (tema de Volpone)
  10. "Menino Bonito" - Wanderléa (tema de Emílio)
  11. "Juntos" - Ivan Lins (part. esp. George Benson)
  12. "Corações Psicodélicos" - Lobão e os Ronaldos
  13. "Vivendo Ilusão" - Rádio Táxi
  14. "Garota do Ano" - Arnaldo Brandão (part. esp. Brylho) (tema de Mônica)

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Love Is Love" - Culture Club (tema de Valéria)
  2. "Together In Electric Dreams" - Giorgio Moroder e Philip Oakey (tema de locação)
  3. "Private Dancer" - Tina Turner (tema de Renata)
  4. "Smalltown Boy" - Bronski Beat
  5. "Steady" - Jules Shear (tema de Mônica e Joaquim)
  6. "Do You Wanna Dance?" - Geraldine
  7. "Theme From "Summer Of '42" (The Picasso Suite)" - Michel Legrand (tema de Stella)
  8. "I Want To Know What Love Is" - Foreigner (tema de Volpone e Stella)
  9. "Invisible" - Allison Moyet (tema de Sandra)
  10. "I Can Wait Forever" - Air Supply (tema de Mônica e Joaquim)
  11. "Boys Make Me Nervous" - Heartbreak U.S.A.
  12. "Nobody Loves Me Like You Do" - Whitney Houston e Jermaine Jackson
  13. "Love Hunger" - Tina Charles (tema de locação)
  14. "Sex Over The Phone" - Village People

Referências

  1. a b Xavier, Nilson. «Um Sonho a Mais». Teledramaturgia. Consultado em 1 de novembro de 2021 
  2. a b c Thell de Castro (4 de fevereiro de 2021). «Em 1985, novela da Globo sofreu intervenção, mas havia pouco a ser salvo». TV História. Consultado em 3 de novembro de 2021 
  3. «Novela com 50 pontos de audiência foi considerada um fracasso». TV História. 4 de fevereiro de 2022. Consultado em 25 de julho de 2022