Andando nas Nuvens

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Andando nas Nuvens
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Comédia romântica
Duração 50 minutos
Estado Finalizada
Criador(es) Euclydes Marinho
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Dennis Carvalho
Elenco Marco Nanini
Vivianne Pasmanter
Cláudio Marzo
Susana Vieira
Renata Sorrah
Débora Bloch
Marcos Palmeira
Marcelo Novaes
Mariana Ximenes
Caio Blat
Júlia Lemmertz
Nicete Bruno
Eliane Giardini
Isabela Garcia
Felipe Camargo
Otávio Augusto
(ver mais)
Tema de abertura "Gulosa", Fat Family
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 22 de março5 de novembro de 1999
N.º de episódios 197

Andando nas Nuvens é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no seu horário das 19 horas, de 22 de março a 5 de novembro de 1999, em 197 capítulos[1], substituindo Meu Bem Querer e sendo substituída por Vila Madalena. Foi a 58.ª "novela das sete" exibida pela emissora. Escrita por Euclydes Marinho, com colaboração de Elizabeth Jhin, Letícia Dornelles e Vinícius Vianna, contou com a direção de Dennis Carvalho, José Luiz Villamarim e Ary Coslov, com direção geral e núcleo de Dennis Carvalho.

Apresentou Marco Nanini, Susana Vieira, Débora Bloch, Vivianne Pasmanter, Marcos Palmeira, Júlia Lemmertz, Marcello Novaes, Mariana Ximenes, Caio Blat, Felipe Camargo, Isabela Garcia, Otávio Augusto, Márcio Garcia, Eliane Giardini e Cláudio Marzo nos papéis centrais da trama. É considerada uma comédia romântica, tendo como mote principal "a capacidade que o ser o humano tem de se superar, diante de uma grande crise, dando a volta por cima".[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

Teve como títulos provisórios Maluco Beleza[3], Alto Astral[4], Volta por Cima e Feliz por um Triz.[5] Andando nas Nuvens, o título definitivo, só foi escolhido no mês de estreia da trama.[6]

Foi a primeira novela solo de Euclydes Marinho. Para escrever a novela, ele baseou-se nas comédias românticas das décadas de 40 e 50. A decisão de colocar uma novela romântica no horário foi fruto de uma pesquisa que mostrava que o telespectador buscava assistir programas trágicos, e o romantismo da novela seria uma opção mais leve.[7]

Marcou a volta de Marco Nanini às novelas desde Pedra sobre Pedra, com o divertido desmemoriado Otávio Montana.[8] Acabou por ser sua última novela fixa, quando em 2001 entra para o elenco de A Grande Família.[9] Inicialmente, Susana Vieira estava cotada para apresentar o Você Decide, mas acabou descartada após a sua escalação para interpretar Gonçala.[10]

Os personagens principais são homenagens de Euclydes Marinho a pessoas que conviviam com o autor na época. Sua então esposa, a socialite Lilibeth Monteiro de Carvalho foi homenageada com o nome das três filhas de Otávio Montana: seus três primeiros nomes de batismo são Celi (Mariana Ximenes), Elizabeth — escrito "Elizabete" — (Viviane Pasmanter) e Júlia (Débora Bloch). Thiago (Caio Blat) é o nome de seu filho, além de Gonçala (Suzana Vieira) e Oneide (Isabela Garcia) que eram pessoas que trabalham com Euclydes.[11] Na reta final da trama, dois personagens apareceram como participações especiais: Arnon Monteiro e Joaquim Pedro, nomes dos filhos de Lilibeth com o ex-presidente Fernando Collor de Melo.[12] "Arnon Monteiro" também seria usado também para fazer merchandising do Centro Sportivo Alagoano (CSA), agremiação de futebol com base em Maceió, que seria citado pelo personagem de Otávio Augusto em uma das cenas.[12] No entanto, a direção da Globo vetou a citação, com base em declaração dada por Arnon de Mello em entrevista. O autor teve também problemas com a emissora quando colocou o personagem com este nome na trama. Em resposta, a Globo desmentiu qualquer censura ao trabalho de Euclydes Marinho e afirmou que não costuma fazer merchandising de clubes de futebol.[13]

Marcos Palmeira que fazia o co-protagonista Chico Mota ficou doente com uma crise de hemorroidas nos últimos dias de gravação ficando sem aparecer em 3 episódios e só aparecendo no último. As cenas dele foram apenas lembradas pelos personagens. Numa cena em que Chico Mota tinha que desvendar San Marino acaba por ir Débora Bloch, Júlia Montana, dizendo que ele estava com febre por isso não podendo vir.

A escritora Heloísa Hilário Kohler acusou o autor Euclydes Marinho de plagiar um livro de sua autoria, que nunca foi publicado. Segundo ela, semelhanças da história do livro podiam ser vistas na novela.[14] A Rede Globo e o autor contestaram as acusações.[15]

Marcou a estreia em novelas da Globo: Fernanda Souza[3], Mariana Ximenes e Caio Blat.[16] Bárbara Paz foi uma das atrizes que fez testes para interpretar o papel que ficou com Ximenes.[17]

O papel de Júlia Montana era no princípio para Malu Mader, mas acabou por ficar com Débora Bloch. Isadora Ribeiro iria interpretar Oneide a convite de Dennis Carvalho, mas acabou dispensada pelo mesmo no começo das gravações. Em entrevista, a atriz relatou que ele achava que ela muito nova para viver a mulher de Otávio Augusto — parceiro de Oneide, que viria a ser interpretada por Isabela Garcia: "Não posso ser descartada assim até porque sou cria da casa".[18]

A abertura mostrava cartões a subir com casas, pessoas, barcos e outros, outra abertura que tinha cartões a mexer era da novela da mesma emissora, Estúpido Cupido.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Em uma noite de 1981, o jornalista Gregório Montana, dono do jornal Correio Carioca, é assassinado misteriosamente em sua mansão no bairro da Urca, no Rio de Janeiro. Uma figura misteriosa invade seu quarto e o sufoca com o travesseiro enquanto dorme. Otávio Montana chega a tempo de lutar com o assassino, mas é atirado do alto da varanda da casa e fica inconsciente.

Sendo assim, Otávio fica 18 anos em coma, sofrendo um estado de encefalite letárgica, também conhecida como "a doença do sono", se alimentando e se movendo com a ajuda de enfermeiras, mas mantendo a inconsciência. Felizmente, ele recebe um tratamento inovador realizado pela doutora Lídia Leblon, médica perita na doença, mas pouco esperançosa pela recuperação total de Otávio, até que um acidente com as máquinas hospitalares faz Otávio receber uma descarga elétrica e recuperar a vida. Porém, parte da memória dele está desestruturada. Ele se lembra apenas dos fatos ocorridos em 1968, bem antes do acidente. Naquela época, ele era noivo da bela Eva Rocha. Mais tarde, descobre que se casou, teve três filhas e que Eva morreu misteriosamente.

Há duas únicas pessoas que compõem o passado de Otávio: Alex e Antônio San Marino. Alex é o amigo leal, fiel e incondicional que cuidou dele e de suas filhas durante o coma. San Marino foi o filho da empregada da família e se tornou quase como um irmão para Otávio. Hoje, San Marino é o atual dono do Correio Carioca e se tornou um rico e poderoso empresário. Otávio acredita na amizade de San Marino, mas, aos poucos, descobre que ele é o responsável por todas as suas desgraças. Sempre ao lado do tresloucado Bob Lacerda, seu puxa-saco, San Marino é um homem corrupto e de má índole, um psicopata que usa o Correio Carioca para manipulação política e com pretensão de se tornar o senador da República. Ele teme que, com a recuperação de Otávio, tenha seu passado desmentido, mesmo sabendo que Otávio perdeu a memória.

A trama de Otávio se torna cada vez mais tentadora quando ele passa a viver um romance com Gonçala. Ela é esposa de San Marino, mas sempre foi rejeitada por ele. Ao se relacionar com Otávio, ela vê a oportunidade de ser feliz de novo. E assim se forma um inevitável triângulo amoroso.

Ao saber que Otávio sofreu melhoras, suas três filhas passam a se rever. Porém, ambas possuem gênios opostos e alguma ligação irônica com San Marino. Júlia Montana, a mais velha, trabalha com jornalista no jornal de San Marino. Honesta e de bom coração, apoia o pai e tem uma relação com o jornalista Chico Mota, também amigo de Otávio. Mas ela possui uma certa rivalidade competitiva com o rapaz. E, para completar, a ex-mulher de Chico, Lúcia Helena, volta ao bairro da Urca, junto a filha que tiveram, a prodigiosa Constancinha. Lúcia Helena fará de tudo para voltar para Chico, até mesmo se aliar a Jujú, a mãe rabugenta de Chico que odeia Lúcia Helena, mas se associa a ela por detestar mais Júlia. Elisabeth, a filha do meio, é uma moça fútil e ambiciosa que se casa com Arnaldinho, filho de San Marino, para enriquecer. Arnaldinho sempre teve tino para os negócios do pai, porém sempre foi muito mulherengo, ambicioso e irresponsável. A maior prova disso é a rejeição a Elisabeth quando ela engravida. A ambição de Elisabeth é tamanha que a faz rejeitar o grande amor de sua vida, Raul Pedreiras, por sua pobreza. O fotógrafo trabalha junto a Júlia e divide um minúsculo apartamento com Chico. E a filha caçula é a doce e inocente Celi. Ela pretende ir para um convento devido seu fanatismo religioso, mas se apaixona por Thiago, o filho de San Marino. Diferente do pai e do irmão, ele possui bom caráter. Mas San Marino rejeita o fato do seu filho mais novo não querer assumir os negócios do pai e gostar de música clássica. Crendo Thiago ser homossexual, ele até chega a levar o menino a um bordel.

A trama possui diversos núcleos, como no Correio Carioca, onde trabalham o solteirão de meia-idade e chefe de redação Wagner Macieira, que tenta fazer um bom jornal, mesmo sendo interferido pelo sensacionalismo de San Marino; o dublê de repórter e dançarino de gafieira Dino Israel, o pirado Jacques Delon, que trabalha com colunista social e editor de cultura; a repórter Ana Paula e a estagiária Zezé. Todos estes jornalistas frequentam o Café Samba Berlim, administrado por Tião Alemão, um sujeito divertido que sempre se lembra de quando era jovem e servia a marinha. Outro lugar assiduamente frequentado é a Academia de Dança Dancin' Days, onde trabalha Janete, uma moça sensual e madura que adora namorar homens mais novos, com o malandro Átila, o que desespera Joana, a filha da professora de dança.

Em meio ao enredo, também há a esposa de Bob Lacerda, Flora, uma terapeuta corporal, apaixonada pela profissão. Atende nos domicílios, para desespero de Bob. Júlia é uma de suas clientes, já que é adepta dos tratamentos alternativos e fã ardorosa da cultura oriental.

Alex é casado com Oneide, que conheceu o marido depois de ganhar uma fortuna na loteria. Ela é responsável pelo molho do cachorro quente, segredo do sucesso do empreendimento do marido. Sensitiva, tem um papel importante quando seus poderes extra-sensoriais ajudam na descoberta dos verdadeiros culpados pela morte do pai de Otávio.

Mas a trama só agita de vez quando Eva retorna ao bairro da Urca com outra identidade: ela agora é a Condessa de Astrid Van Bradenburg. Mais tarde, ela revela a Otávio que lhe traiu com San Marino e que Júlia é o fruto desta traição. Após cortar relações com San Marino, ele a ameaçara durante o assassinato de Gregório e ela fugiu para o exterior, fez plásticas para não ser reconhecida e enriqueceu. No último capítulo da trama, Eva e San Marino caem do convés, San Marino morre no local e Eva é encaminhada ao hospital, onde também vai a óbito. No final, Otávio fica com Gonçala, Júlia fica com Chico, Beth com Raul e Celi com Tiago.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Marco Nanini Otávio Montana
Susana Vieira Gonçala San Marino
Cláudio Marzo Antônio San Marino
Débora Bloch Júlia Montana
Eva Montana (jovem)
Marcos Palmeira Francisco Viana de Oliveira Mota (Chico Mota)
Vivianne Pasmanter Elisabete Montana Rocha (Bete)
Marcello Novaes Raul Pedreira
Márcio Garcia Arnaldo San Marino (Arnaldinho)
Mariana Ximenes Celina Montana (Celi)
Caio Blat Thiago San Marino
Eliane Giardini Janete Mota Vargas
Fernanda Souza Joana Mota Vargas
Nicette Bruno Judite Viana de Oliveira Mota (Juju)
Júlia Lemmertz Lúcia Helena (Lulu Miranda)
Otávio Augusto Alex
Isabela Garcia Oneide
Helena Ranaldi Dra. Lídia Leblon
Felipe Camargo Bob Lacerda
Hugo Carvana Wagner Macieira
Lúcia Veríssimo Flora Dumont Lacerda
Taumaturgo Ferreira Átila Silva de Oliveira
Antônio Abujamra Álvaro Luís Gomes
Otávio Muller Dino Israel
Antônio Pedro Jacques Delon
Tonico Pereira Torquato
Carla Regina Ana Paula
Thalma de Freitas Zezé
Virgínia Cavendish Patrícia Gomes
Tony Tornado Sebastião (Tião Alemão) / Benedito Assunção[19]
Isabel Guéron Valéria[20]
Pedro Brício Luiz Mário (Lula)[21]
Gabriela Martins Constância Mota (Constancinha)
Karla Karenina Iracema
Sílvio Guindane Clayton (MC)
Betty Erthal Lucila
Luciana Migliaccio Gisela

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Renata Sorrah Eva Montana / Condessa Astrid von Brandenburg
Adriano Reys Lúcio Dumont
Alexandre Dacosta Eurico Fidelix
Ana Beatriz Nogueira Marta
Ana Lúcia Torre Olívia Mota
André Mattos Pacheco Pitbull
André Segatti go-go boy
Andressa Köetz Hannah[22]
Ary Coslov Gregório Montana / garçom na festa do último capítulo
Ary França Juvenal[23]
Bruna Lombardi Frida
Dalton Vigh Dr. Cícero
Dennis Carvalho Almirante (voz)
Carlos Casagrande Joaquim Pedro Honório (JP)[12]
Carlos Evelyn Nicolau Rocha
Cininha de Paula Bárbara
Eduardo Lago Célio Maninho
Eliane Aguiar Juliana
Elias Gofman empregado de San Marino
Guida Vianna Zana
Isio Ghelman Araújo
Ivens Godinho Delegado Tavares[24]
Ivone Hoffmann Zelda
Jorge Coutinho Roberto
Jorge Neves Serginho
José D'Artagnan Júnior Arnon Monteiro[12]
Leopoldo Pacheco médico
Lúcio Mauro Filho recepcionista de clínica psiquiátrica
Luthy Fernandes aluno da academia
Malu Galli grávida que faz parto na van de Otávio
Marcelo Brou Frederico
Marcelo Mansfield atendente de joalheria
Marcos Oliveira Dr. Vantuir Magalhães
Milton Gonçalves Delegado Serafim
Miwa Yanagizawa atendente do restaurante japonês
Murilo Elbas Aurélio
Nilton Bicudo Rolando Bicalho
Octávio Domit Mário Bernardo
Rafaela Mandelli Karinne[25]
Ricardo Kosovski Adolfo
Regina Dourado Yeda Mangabeira Pedreira
Renato Scarpin Tales
Rita Guedes Vanessa Uau
Roney Villela apostador de carteado
Sandro Rocha corretor de imóveis
Sebastião Vasconcellos Hélio Arantes (Dr. Hélio)
Sérgio Loroza Carlão[26]
Zezé Polessa Bonitona

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Otávio Montana (Marco Nanini) - É um homem que ficou quase 20 anos em coma, e logo depois acordou sem memória. Tem 3 filhas lindas: Júlia, Beth e Celi. Otávio é filho de Gregório Montana, que morreu assassinado e marido de Eva, que acabou morrendo em um acidente. Tem 2 amigos: Antônio San Marino, que o considera como um irmão, porém, demorou para descobrir que San, como é chamado por Otávio, é um corrupto, bandido e assassino. E Alex, que é completamente diferente de San Marino, é um homem fiel e dedicado. Alex cuidou das suas 3 filhas enquanto Otávio estava hospitalizado.
  • Antônio San Marino (Cláudio Marzo) - É um homem inescrupuloso, maldoso e corrupto, bola planos malignos para se apoderar de tudo. Dono do Correio Carioca, que foi do seu padrinho Gregório Montana, San Marino é casado com Gonçala e pai de 2 filhos: Arnaldinho e Tiago. San Marino causou as mortes de Gregório e de Eva e o acidente que deixou Otávio em coma por 18 anos. Com o passar do tempo, Gonçala se separa de San Marino e o vilão começa a se apaixonar por Júlia.
  • Gonçala (Susana Vieira) - É uma mulher dedicada e batalhadora, completamente diferente do seu marido San Marino. É mãe de Arnaldinho e Tiago. Gonçala sempre sofre nas mãos do marido, e depois de um tempo descobre que San Marino era amante de Eva no passado e se separa do crápula.
  • Júlia Montana (Débora Bloch) - É uma das filhas de Otávio. É uma mulher batalhadora e dedicada a sua profissão de jornalista. Trabalha no Correio Carioca, jornal que tem proprietário o perigoso Antônio San Marino. Às vezes perde a paciência quando ouve falar o nome Chico Mota.
  • Chico Mota (Marcos Palmeira) - É um jovem de talento além do normal. É um jornalista fora de série. Conhece o amor quando se apaixona por Júlia Montana, filha de Otávio e sua colega de profissão. Só que é muito esnobado por ela.
  • Elizabeth (Vivianne Pasmanter) - Filha do meio de Otávio, é uma jovem ambiciosa e gosta de dinheiro. Chegou a se apaixonar por Arnaldinho, filho mais velho de San Marino, mas o amor de verdade ela conheceu quando se apaixonou pelo jornalista Raul Pedreira.
  • Celi (Mariana Ximenes) - Filha caçula de Otávio, é completamente diferente das suas irmãs. Enquanto Júlia é forte e bruta, Elizabeth é ambiciosa, Celi é uma jovem doce, calma e meiga. Seu sonho sempre foi se tornar freira, só que conhece o verdadeiro amor quando se apaixona por Tiago, filho caçula de San Marino.
  • Alex (Otávio Augusto) - Melhor amigo e sócio de Otávio, é um homem fiel e dedicado. Casado com Oneide, acompanha Otávio em tudo, às vezes tem que suportar algumas loucuras do amigo. Cuidou de Júlia, Beth e Celi enquanto Otávio estava hospitalizado. Também foi colega de trabalho de Otávio na barraca de cachorro quente "Cachorro do Papai".
  • Arnaldinho (Márcio Garcia) - Filho mais velho de San Marino e Gonçala. Mulherengo, sedutor e metido a mauricinho, puxou o jeito de ser do pai. Chegou a namorar e se casar com Beth, filha do meio de Otávio Montana, mas ele a traía sempre. No final, ele se separa de Beth, fica com o Correio Carioca e se casa com Patrícia.
  • Thiago (Caio Blat) - Filho caçula de San Marino e Gonçala. Completamente diferente do pai e do irmão. Enquanto Arnaldinho puxou o mau caráter do pai, Tiago puxou a bondade da mãe. É um jovem calmo e tranquilo, conheceu o amor quando se apaixona por Celi, filha caçula de Otávio Montana, que se casam no final da trama.
  • Raul (Marcello Novaes) - Um jornalista dedicado e talentoso. É um dos funcionários do Correio Carioca, jornal que tem como dono o inescrupuloso Antônio San Marino. Conheceu o amor de verdade quando se apaixonou pela jovem Beth Montana, filha do meio de Otávio, com quem teve um filho chamado Joaquim Francisco, ou "Baby".

Música[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Vivianne Pasmanter

  1. "Machuca Demais" - Alexandre Pires (Tema de Janete e Átila)
  2. "Não Há Dinheiro Que Pague" - Paulo Ricardo (Tema de San Marino)
  3. "Garganta" - Ana Carolina (Tema de Júlia Montana)
  4. "Resposta" - Milton Nascimento - participação especial: Lô Borges (Tema de Chico e Júlia)
  5. "Rachadinho" - Soweto (Tema Geral)
  6. "Me Dê Motivo" - Tim Maia (Tema geral)
  7. "Ouro Pra Mim" - Renata Arruda (Tema de Gonçala)
  8. "Indecisão" - Netinho (Tema Geral)
  9. "Você Mentiu Pra Mim (You Fooled Me)" - Ed Motta (Tema Geral)
  10. "Tempestade" - Harmadilha (Tema de Thiago e Celi)
  11. "Gulosa" - Fat Family (Tema de Abertura)
  12. "Minha Menina" - Maurício Manieri (Tema de Arnaldinho e Beth)
  13. "Mais Uma Vez (Back For Good)" - Pepê & Neném (Tema Geral)
  14. "Despertar" - Paulo Henrique (Tema de Otavio Montana )

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

Capa: Marcos Palmeira

  1. "True Colors" - Phil Collins
  2. "You Needed Me" - Boyzone
  3. "She's All I Ever Had" - Ricky Martin
  4. "Crush" - Jennifer Paige
  5. "Te Perdi" - Chris Duran
  6. "Dust In The Wind" - Sarah Brightman
  7. "No Scrubs" - TLC
  8. "Tiembla Mi Piel" - Javier[27]
  9. "More Than a Feeling" - No Mercy
  10. "Inevitable (Soft Final Ballad)" - Shakira
  11. "Wait Till I Get Home" - C-Note
  12. "I'm Yours" - Quincy Jones
  13. "Ci Saró (I'll Be)" - Mafalda Minnozzi
  14. "I Could Be The One" - Vanessa Mann
  15. "Everything Is Gonna Be Alright" - Sweetbox (com Tina Harris/ Orquestra Sinfônica Alemã / Orquestra Sinfônica de Babelsberg)
  16. "Delicious" - Sweet Tide

Trilha sonora complementar: Academia Dancin' Days[editar | editar código-fonte]

  1. "Don't Let Me Be Misunderstood" - Santa Esmeralda
  2. "Mambo Jambo" - Tropical Brazilian Band
  3. "Carnavalera" - Havana Delírio
  4. "In The Mood" - Syd Lawrence Orchestra
  5. "El Cayuco" - Tito Puente
  6. "Stranger In Paradise" - Ray Conniff
  7. "Na Onda do Berimbau / Pergunte ao João / Zum Zum Zum" - Ed Lincoln
  8. "Rock Around The Clock" - Bill Haley & His Comets
  9. "Valsas Strauss & Co. (Medley)" - André Rieu
  10. "La Cumparsita" - Alfredo de Angelis
  11. "Forró em Limoeiro" - Marinês e Sua Gente
  12. "Samba do Avião / Tema da Academia" - Br +
  13. "Um Chorinho Para Você" - Zé Nogueira
  14. "Dancin' Days" - Frenéticas

Repercussão[editar | editar código-fonte]

Avaliando o primeiro capítulo para a Folha de S.Paulo, Francisco Martins da Costa elogiou alguns nomes presentes em seu elenco, como Marcos Palmeira e Marcelo Novaes, bem como a volta às novelas de atores da TV Pirata (Débora Bloch e Marco Nanini). Notou também que atores como Vivianne Pasmanter, Nicette Bruno e Cláudio Marzo "vieram apenas repetir performances de sucesso" de personagens anteriores. O ponto negativo ficou para a cena em que a personagem de Bloch se disfarça de camareira para conseguir informações de um empresário árabe que não aceita dar entrevistas: "Em que "padrão" de jornalismo se inspiraram?".[28]

Também em análise para a Folha de S.Paulo, Telmo Martino avaliou que Andando nas Nuvens estava "coalhada de personagens" mas que não conseguiam entrar na trama. Em sua crítica, ele ironiza a função do personagem de Nanini que, nesta fase da trama, não se lembrava de ninguém. Ele fez elogios ao personagem de Marcos Palmeira e afirmou que "é um ator em constante evolução" que conseguiu se livrar dos "vestígios de caipirice e está um William Holden dos bons tempos." Realizando comparação semelhante, diz que a personagem de Débora Bloch, "aclamada por sua beleza esfuziante, não é mais do que uma Jean Arthur para o Holden de Marcos Palmeira."[29]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Seu primeiro capítulo obteve 36 pontos de média em São Paulo. Esse índice não foi mantido e a audiência da novela começou a penar. Até abril de 1999, a média da novela era de 31 pontos — 14 pontos abaixo da meta estabelecida, de acordo com reportagem da Folha de S.Paulo.[30] Um dos fatores para a baixa audiência era a concorrência com a telenovela infantil Chiquititas e o jornalístico Cidade Alerta.[31] Euclydes Marinho chegou a afirmar que não estava sendo cobrado por causa dos números, mas que a audiência era satisfatória no restante do Brasil. "Não tenho como competir com o Cidade Alerta ou as Chiquititas. Eu não quero apelar. Fazer uma novela infantil significa perder o público adulto. Minha novela tem um público maior, anônimo. É preciso escrever de forma a atingir a maioria."[32] Na semana seguinte, o diretor-executivo do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, rebateu a crítica de Marinho e as considerou infundadas: "Novela e telejornal são fenômenos nacionais. A diferença é realmente por causa da concorrência".[33]

Andando nas Nuvens encerrou com média geral de 29 pontos de audiência em São Paulo.[34]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Jornal dos Clubes

Revelação: Mariana Ximenes

  • Magnífico Award

Revelação: Mariana Ximenes

Maior Revelação: Mariana Ximenes

Melhor Ator: Marco Nanini

Notas e referências

Notas

Referências

  1. «ANDANDO NAS NUVENS - FICHA TÉCNICA». memóriaglobo.globo.com 
  2. Ana Lee (21 de março de 1999). «Estréia amanhã "Andando nas Nuvens", nova novela das sete da Globo, que mistura romantismo e humor leve». Folha de S.Paulo. Consultado em 26 de julho de 2015 
  3. a b Cristina Padiglone (29 de janeiro de 1999). «Ex-"Chiquitita' fecha contrato com a Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  4. Alexandra Ozorio de Almeida (28 de fevereiro de 1999). «Cigarro volta às novelas da Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019. Essa é a idéia de Euclydes Marinho, autor da nova novela das sete, com o título provisório de "Alto Astral". 
  5. Patricia Decia (6 de março de 1999). «Tiazinha toma "banho" de interpretação». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019. Chegou ao fim a indefinição do nome da nova novela das sete da Globo. Em comunicado oficial, a emissora anuncia que batizou de "Feliz por um Triz" a trama de Euclydes Marinho, que deve estrear em março. 
  6. Patricia Decia (8 de março de 1999). «Walter Salles estará no "Roda Viva"». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019. Isso é o que se pode chamar de indefinição. Pela quarta vez, a Rede Globo muda de idéia quanto ao nome da nova novela das sete, de Euclydes Marinho. Já foi "Alto Astral", "Volta por Cima" e "Feliz por um Triz". Agora, se nada mais acontecer, a trama se chamará "Andando nas Nuvens". 
  7. «Opção por romance é resultado de pesquisa». Folha de S.Paulo. 21 de março de 1999. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  8. «Nanini 'reaprende' a fazer novela». Folha de S.Paulo. 24 de janeiro de 1999. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  9. Laura Mattos (27 de novembro de 2005). «A hora da estrela». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  10. Anna Lee (2 de maio de 1999). «"Você Decide" terá debates nos moldes do "Barraco MTV"». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  11. Thiago Stivaletti (22 de agosto de 1999). «Autores abusam de nomes estranhos». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  12. a b c d Francisco Martins da Costa (20 de outubro de 1999). «Novela das sete faz merchandising "collorido"». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  13. Paulo Cobos (20 de outubro de de 1999). «Com herdeiro de Collor, Nordeste busca América». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019  Verifique data em: |data= (ajuda)
  14. «Escritora afirma que Globo copiou história de seu livro». Folha de S.Paulo. 4 de abril de 1999. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  15. «A resposta da Globo». Folha de Londrina. 4 de abril de 1999. Consultado em 19 de novembro de 2018 
  16. «Nova safra». Folha de S.Paulo. 7 de fevereiro de 1999. Consultado em 3 de dezembro de 2017 
  17. Fernanda Dannemann (5 de maio de 2002). «"Insolação curada a banho frio"». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  18. Viviane Rosalem. «A espera de Isadora». IstoÉ Gente. Consultado em 19 de março de 2019 
  19. Rodrigo Cardoso (13 de outubro de 1999). «Tony Tornado volta a sacudir». IstoÉ Gente. Consultado em 19 de março de 2019 
  20. Alessandro Giannini (14 de maio de 2001). «Simplesmente nua». IstoÉ Gente. Consultado em 19 de março de 2019 
  21. Lucas Neves (21 de novembro de 2008). «Ator da TV Globo se dá bem como dramaturgo». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  22. André Bernardo (6 de abril de 2002). «Simplesmente nua». Terra. Consultado em 19 de março de 2019 
  23. Fernanda Dannemann (25 de maio de 2003). «"Durval" deixa seus velhos discos e vai fazer novela na TV Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de janeiro de 2019 
  24. «Ator de 'Tropa de elite' morre aos 71 anos». Extra. 15 de fevereiro de 2019. Consultado em 13 de março de 2019 
  25. Geraldo Bessa (23 de maio de 2012). «Sem limitações, Rafaela Mandelli comemora boa fase na Record». Terra. Consultado em 19 de março de 2019 
  26. Cristian Klein (8 de julho de 2001). «SÉRGIO LOROZA». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  27. Patricia Decia (29 de abril de 1999). «Globo News discute ódio racial nos EUA». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  28. Francisco Martins da Costa (24 de março de 1999). «Nova novela parou no tempo». Folha de S.Paulo. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  29. Telmo Martino (5 de abril de 1999). «Nanini continua dormindo em "Andando..."». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  30. Patricia Decia (25 de abril de 1999). «Caindo das nuvens». Folha de S.Paulo. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  31. «Andando nas Nuvens não decola». Veja. 14 de abril de 1999. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  32. «"Novela é feita de beijos", diz Marinho». Folha de S.Paulo. 25 de abril de 1999. Consultado em 21 de outubro de 2018 
  33. Aline Sordili (2 de maio de 1999). «Audiência paulista migra da Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de março de 2019 
  34. Maria Lins. «Uga Uga». IstoÉ Gente. Consultado em 19 de março de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]