Que Rei Sou Eu?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Que Rei Sou Eu?
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 60 min.
Criador(es) Cassiano Gabus Mendes
País de origem  Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Jorge Fernando
Elenco Edson Celulari
Giulia Gam
Tato Gabus Mendes
Antônio Abujamra
Cláudia Abreu
Tereza Rachel
Daniel Filho
Marieta Severo
Natália do Vale
Jorge Dória
(Ver mais)
Tema de abertura "Rap do Rei" - Luni
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 13 de fevereiro de 1989 - 15 de setembro de 1989
N.º de episódios 185 (original)
50 (Sessão Aventura)
185 (Canal Viva)
Cronologia
Último
Bebê a Bordo
Top Model
Próximo
Programas relacionados Brega & Chique
Meu Bem, Meu Mal

Que Rei Sou Eu? é uma telenovela brasileira do gênero capa e espada produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 19 horas, entre 13 de fevereiro e 15 de setembro de 1989, em 185 capítulos, substituindo Bebê a Bordo e sendo substituída por Top Model. Foi a 41ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Escrita por Cassiano Gabus Mendes com colaboração de Luís Carlos Fusco e Solange Castro Neves com direção de Jorge Fernando, Mário Márcio Bandarra, Fábio Sabag e Lucas Bueno. Vários atores foram convidados, mas não puderam fazer parte do elenco, como: Nuno Leal Maya, Luis Gustavo, Rosana Garcia.

Contou com Edson Celulari, Giulia Gam, Natália do Vale, Daniel Filho, Tereza Rachel, Cláudia Abreu, Stênio Garcia, Aracy Balabanian, Tato Gabus Mendes, Jorge Dória, Antônio Abujamra, Ítala Nandi, Carlos Augusto Strazzer, Oswaldo Loureiro, John Herbert, Laerte Morrone, Vera Holtz e Marieta Severo nos papéis principais da trama.

Foi reprisada no Canal Viva entre 7 de maio de 2012 e 18 de janeiro de 2013, substituindo Roque Santeiro e sendo substituída por Rainha da Sucata. [1] [2]

Em dezembro de 2013, a Globo Marcas lançou a novela em DVD.[3]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O ano é 1786, três anos antes da Revolução Francesa. Após a morte do rei Petrus II (Gianfrancesco Guarnieri), o trono do reino de Avilan é assumido pela rainha Valentine (Tereza Rachel), uma histérica que não estava preparada para o governo. No entanto, em seu testamento, o falecido rei revela haver deixado um filho bastardo, que teve com a camponesa Maria Fromet (Aracy Balabanian), e seria o herdeiro do trono.

A rainha Valentine é dominada pelos conselheiros reais: Crespy Aubriet (Carlos Augusto Strazzer), Gaston Marny (Oswaldo Loureiro), Bidet Lambert (John Herbert), Gerárd Laugier (Laerte Morrone) e o cruel conselheiro-chefe Vanolli Berval (Jorge Dória), que com seu jogo de cintura comandam completamente a rainha. O único conselheiro honesto de Avilan é Bergeron Bouchet (Daniel Filho), que sofre com o assédio de Valentine. Ele é casado com a bela Madeleine (Marieta Severo), a única mulher do reino que sabe escrever, e tem ideais feministas. Madeleine é objeto do desejo de Ravengar (Antonio Abujamra), o bruxo da corte.

Na ausência do sucessor do trono, os conselheiros reais coroam o mendigo Pichot (Tato Gabus Mendes) como rei, como se fosse o verdadeiro filho de Petrus II. A armação é obra do misterioso Ravengar, o feiticeiro. Porém, há uma conspiração entre a classe pobre de Avilan, que busca derrubar o governo para instituir uma sociedade menos opressiva, já que o reino é corroído pela corrupção de seus governantes e injustiças sociais. Dentre eles está Loulou Lion (Itala Nandi), a dona de uma taberna que sabe a verdade sobre o filho do rei; e Corcoran (Stênio Garcia), o bobo da corte, que é um rebelde infiltrado no palácio.

Mas o líder da revolução é Jean Piérre (Edson Celulari), que, ao descobrir que é o filho bastardo do rei, passa a lutar pela coroa que lhe pertence. Todavia, não só de heroísmo sobrevive Jean Piérre. Sua luta é entremeada por duas mulheres apaixonadas: a jovem idealista Aline (Giulia Gam), e a nobre Suzanne (Natália do Vale), a bela esposa do conselheiro Vanolli Berval, que disputam o seu amor.

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Cláudia Abreu interpretou a princesa Juliette.
Edson Celulari interpetou o protagonista Jean-Pierre.
Tato Gabus Mendes intepretou o antagonista principal Pichot.
Ator Personagem
Edson Celulari Jean-Pierre
Giulia Gam Aline
Tato Gabus Mendes Pichot / Lucien Élan / Rei Petrus III
Tereza Rachel Rainha Valentine de Avillan
Antônio Abujamra Mestre Ravengar
Natália do Valle Suzanne Webert
Cláudia Abreu Princesa Juliette de Avillan
Daniel Filho Bergeron Bouchet / André Barral
Marieta Severo Madeleine Bouchet
Jorge Dória Vanolli Berval
Aracy Balabanian Maria Fromet / Lenoir Gaillard
Stênio Garcia Corcoran
Ítala Nandi Loulou Lion
Edney Giovenazzi François Gaillard
Carlos Augusto Strazzer Crespy Aubriet
Zilka Salaberry Gaby
Fábio Sabag Roger Webert
John Herbert Bidet Lambert
Vera Holtz Fanny
Oswaldo Loureiro Gaston Marny
Laerte Morrone Gérard Laugier
Ísis de Oliveira Lucy Laugier
Mila Moreira Zmirá
Marcelo Picchi Michel, o Marquês de Lafitti
Betty Gofman Princesa Ingrid
Guilherme Leme Roland Barral
Cristina Prochaska Charlotte
Paulo César Grande Bertrand
Cinira Camargo Lily
Carla Daniel Cozette
Marcos Breda Pimpim
Yolanda Cardoso Miruska
Ivan Setta Godard
Heloísa Helena Cocote
Luiz Magnelli arauto Arnúbio
Desireé Vignolli Denise
José Carlos Sanches Balesteros
Totia Meirelles Monah
Soraya Ravenle Anete
Cacá Barrete Vadi
Melise Maia Janine

Participações[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Nossa luz" - Fagner (tema de Aline)
  2. "Chama" - Roupa Nova (tema de Bergeron)
  3. "Medieval 2" - Leo Jaime (tema de Crespy Aubriet)
  4. "Renascer" - Zizi Possi (tema da Princesa Juliette)
  5. "Espanhola" - Kledir Ramil (tema de Loulou Lion)
  6. "Nunca é tarde pra sonhar" - Eddy Benedict (tema de Charlotte)
  7. "Cigana" - Carla Daniel (tema de Cozette)
  8. "Rap do rei" - Luni (tema de abertura)
  9. "Bye bye tristeza" - Sandra de Sá (tema de Suzanne)
  10. "As muralhas do teu quarto são bem altas, mas eu posso te alcançar" - Wando (tema de Lucy)
  11. "Finge que não falou" - Nico Rezende (tema de Madeleine)
  12. "A dama e o vagabundo" - Zé Lourenço (tema de Pichot)
  13. "Raça de heróis" - Guilherme Arantes (tema de Jéan Pierre)
  14. "Flecha" - Sagrado Coração da Terra (tema dos rebeldes)
  15. "Que rei sou eu?" - Eduardo Dusek & Luni (tema de Pichot)

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. "Eternal flame" - Bangles (tema da Princesa Juliette e Pichot)
  2. "How can I go on?" - Freddie Mercury & Montserrat Caballé (tema da Rainha Valentine)
  3. "Someday we'll be together (el camiño)" - Santa Fé (tema de Suzanne)
  4. "Bamboleo" - Gipsy Kings (tema da taverna de Loulou Lion)
  5. "I'll always love you" - Taylor Dayne (tema de Cozette e Bidet)
  6. "Les chemins d'amour" - Matisse (tema dos rebeldes)
  7. "Orinoco flow" - Enya (tema de Roland Barral)
  8. "Especially for You" - Kylie Minogue & Jason Donovan (tema de Madeleine e Bergeron)
  9. "Like a child" - Noel (tema da guarda real)
  10. "Let the river run" - Carly Simon (tema de Jean Pierre)
  11. "Turn turn turn" - Herrey's (tema de Michel)
  12. "When I fall in love" - Lil Consant (tema de locação de Avilan)
  13. "American bars" - Leo Robinson (tema de Crespy Aubriet)
  14. "Patience" - Guns N'Roses (tema de Aline e Jean Pierre)
  • Esta trilha foi lançada também em CD.[5]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.