Wando

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wando
Show de Wando no Ceará, em 2011.
Informação geral
Nome completo Wanderley Alves dos Reis
Nascimento 2 de outubro de 1945
Origem Cajuri, MG
País Brasil Brasil
Data de morte 7 de fevereiro de 2012 (66 anos)
Local de morte Nova Lima, MG
Gênero(s) MPB, samba, samba rock,brega
música romântica
Ocupação(ões) cantor
compositor
Instrumento(s) violão
Período em atividade 1969 - 2012
Página oficial www.wando.com.br

Wando, nome artístico de Wanderley Alves dos Reis (Cajuri, 2 de outubro de 1945Nova Lima, 8 de fevereiro de 2012) foi um cantor romântico, do gênero musical brega, brasileiro.

Além da música, era conhecido por ganhar calcinhas de suas fãs durante os shows. Wando possuía uma coleção da vestimenta estimada em 17 mil peças.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

O hipocorístico Wando foi dado por sua avó. Ainda pequeno mudou-se de Cajuri para Juiz de Fora, onde formou-se em violão erudito e começou a lidar com música por volta dos 20 anos. Nessa época já participava de conjuntos e se apresentava em bailes na região. Mais tarde muda-se para Volta Redonda (Rio de Janeiro), onde trabalhou como caminhoneiro e feirante.

Sua carreira de cantor iniciou-se em 1969 e a de compositor logo depois. Suas primeiras composições eram sambas com levada de swing (o samba-rock) e foram gravadas pelo grupo Originais do Samba. "Catimba criolo", registrada no disco dos Originais em 1972, provavelmente foi a primeira música gravada do mineiro de Cajuri. Depois dessa gravação, no ano seguinte foi a vez de "Ao velho poeta Pixinguinha", homenagem póstuma ao músico recém-falecido.

Nesse mesmo ano de 1973, Wando gravou seu primeiro LP na gravadora Copacabana, Glória a Deus no Céu e Samba na Terra, sob o selo Beverly. Disco pontuado pelo samba, com letras ambientadas em subúrbios e favelas e temática social, é justamente nele que se encontra a gravação de "O importante é ser fevereiro", composto com Nilo Amaro (do conjunto "Os cantores de Ébano"), e que se tornou sucesso instantâneo ao ser gravado por Jair Rodrigues em 1974.

Sua carreira de cantor iniciou-se em 1969 e o sucesso veio em 1973 quando gravou seu primeiro disco na Discos Copacabana. Compôs para outros medalhões da MPB, como Jair Rodrigues, que no ano de 1974 gravou “O Importante é Ser Fevereiro”. Em 1975, Ângela Maria gravou "Vá, mas Volte". “A Menina e o Poeta” foi gravada por Roberto Carlos em seu álbum de 1976. "Moça" (1975), "Chora Coração" (1985), que fez parte da trilha sonora da telenovela Roque Santeiro, e, principalmente, "Fogo e Paixão", lançado no álbum Vulgar e comum é não morrer de amor, de 1988, foram seu maiores sucessos.[2]

Wando foi casado com Rose Marie, com quem teve dois filhos: Gabriela e Wanderley Junior [3] . Antes de morrer, se relacionava com Renata Lana Costa e Souza [4] , com quem teve uma filha, Maria Sabrina.

Maior coleção de calcinhas[editar | editar código-fonte]

Wando entrou para o RankBrasil - Recordes Brasileiros - pela “Maior das coleções de calcinhas do país”. A coleção teve início em 1990, após o lançamento do álbum Tenda dos Prazeres. Como estratégia de divulgação do disco, ele usou a brincadeira de distribuir as peças íntimas nos shows e o retorno foi imediato, deixando registrada a sua marca.

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 27 de janeiro de 2012, Wando foi internado na UTI do Hospital BIOCOR Instituto em Nova Lima região metropolitana de Belo Horizonte com graves problemas cardíacos. Foi submetido a uma angioplastia de emergência e passou a respirar por aparelhos.[5] [6] Sua morte, por parada cardiorrespiratória, foi anunciada às 8 horas da manhã de 8 de fevereiro de 2012 no Biocor Instituto em Nova Lima, Minas Gerais.[7] [8] O corpo do cantor foi sepultado em Belo Horizonte.[9]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Wando em apresentação em 2009.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]