Os Originais do Samba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Os Originais do Samba
Imagem CD Ontem, Hoje e Sempre.
Informação geral
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Samba, Samba-rock
Período em atividade 1960 - atualmente
Gravadora(s) sony music

Escritório GGPA Produções Artísticas

Integrantes Bigode do Pandeiro, Juninho, Rogério Santos e Marcos Scooby
Ex-integrantes Bidi
Bigode
Chiquinho
Coimbra/Zinho/Claudio
Lelei
Mussum
Rubão
Rubinho Lima
Sócrates
Valtinho Tato
Zeca do Cavaquinho

Os Originais do Samba é um grupo brasileiro de samba formado na década de 1960 no Rio de Janeiro por ritmistas de escolas de samba.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Originais do Samba, 1972. Arquivo Nacional.

O grupo começou a se apresentar em praias e baladas, incluindo a balada do Copacabana Palace.

Fixaram-se em Recife depois de excursionar pela América, e em 1968 acompanharam Elis Regina na música vencedora da I Bienal do Samba, Lapinha, de Baden Powell e P.C. Pinheiro.[2] No ano seguinte gravaram a música "Cadê Teresa", de Jorge Ben, que fez grande sucesso. Participaram de festivais e ganharam discos de ouro pelas vendas de suas gravações, principalmente nos anos 1970, combinando o canto uníssono, a roupa padronizada e boa dose de humor.

Um dos integrantes do grupo, Mussum, sairia para formar Os Trapalhões ao lado de Renato Aragão, Mauro Gonçalves e Dedé Santana.

Completaram a formação com Coimbra (Re

eco-reco), Zinho (Cuíca) e Claudio (Surdo). Em 1980, gravaram um compacto simples ("Mulher, Mulher", de Jorge Ben), em 1981 um LP intitulado "Eu me Rendo" (Fábio Junior) e em 1983 o LP "Canta Meu Povo, Canta".

Tocaram com grandes nomes da música popular brasileira como Alex Luiz, Armando Geraldo, Jair Rodrigues, Vinicius de Moraes e, também, da música mundial, como Earl Grant.

Excursionaram pela Europa e Estados Unidos, e foram o primeiro conjunto de samba a se apresentar no Olympia de Paris.

Alguns de seus maiores sucessos são "Tá Chegando Fevereiro" (Jorge Ben/ João Melo), "Do Lado Direito da Rua Direita" (Luiz Carlos/ Chiquinho), "A Dona do Primeiro Andar", "O Aniversário do Tarzan", "Esperanças Perdidas" (Adeilton Alves/ Délcio Carvalho), "E Lá se Vão Meus Anéis" (Eduardo Gudin/ P.C. Pinheiro), "Tragédia no Fundo do Mar "(Assassinato do Camarão) (Zeré/ Ibrahim), "Se Papai Gira" (Jorge Ben) e "Nego Véio Quando Morre".

Em 2000 gravaram o 1° CD Ao Vivo com convidados como Almir Guineto, Carlos Dafé, Joãozinho Carnavalesco, Dhema, entre outros, tendo como sucesso a releitura de "A Subida do Morro", com a participação do Rapper Xis. Em 2003 gravaram um CD focado no Sambarock, regravando os principais sucessos do grupo; em 2008, com recursos próprios, lançaram o CD "A Corda Arrebenta e o Samba não Cai", com 15 músicas inéditas e 2 regravações.

Dos elementos desta fórmula do sucesso, a "experiência" traz o registro na "Enciclopédia Brasileira da Música Popular Brasileira e Clássicos do Samba".

A formação atual completa 24 anos com Juninho Originais (Vocal), Rogerio Santos (Violão), Marcos Scooby (Cavaquinho) e Bigode do Pandeiro (Vocal e Instrumentos).

A partir de 2017, sobre o gerenciamento artístico da GGPA Produções Artísticas - dos sócios Eduardo Prata, Diretor Artístico e Musical, e Jayson França, Diretor Executivo -, comunicação e projetos especiais tiveram repaginação, bem como a tipologia que traduz esse tradicional grupo da música brasileira.


No mais recente lançamento, feito em junho de 2017 e intitulado como "Ontem, Hoje e Sempre" - em parceria entre a GGPA Produções Artísticas e Sony Music Brasil - Os Originais do Samba vêm com uma roupagem moderna, sem perder a característica do samba tradicional com novas músicas e com participações especiais como Zeca Pagodinho, Benito Di Paula e Reinaldo - O Príncipe do Pagode.


Integrantes[editar | editar código-fonte]

Formação atual[editar | editar código-fonte]

  • Bigode do Pandeiro
  • Juninho
  • Rogério Santos
  • Marcos Scooby

Formação original[editar | editar código-fonte]

  • Mussum - reco-reco, voz
  • Bidi - cuíca, voz
  • Chiquinho - ganzá, voz
  • Lelei - tamborim, voz
  • Rubão - surdo, voz
  • Bigode - pandeiro, voz

Segunda Formação (Original)

  • Coimbra - reco reco, voz
  • Zinho - cuica, voz
  • Chiquinho - agogo, voz
  • Lelei - tamborim, voz
  • Claudio - surdo, voz
  • Bigode - pandeiro, voz

Segunda formação[editar | editar código-fonte]

  • Bigode - pandeiro, voz
  • Zeca do Cavaco - cavaco, banjo
  • Gibi - reco-reco, tamborim
  • Sócrates - guitarra
  • Rubinho Lima - percussão
  • Valtinho Tato - percussão

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Mussum (falecido)
  • Chiquinho (falecido)
  • Lelei (atualmente, escritor e humorista)
  • Rubão (falecido)
  • Bigode
  • Almir Guinéto (rápida passagem em 1979) (falecido)
  • Armando (falecido)
  • Branca di Neve (falecido)
  • Idi Amin
  • Coimbra - reco-reco, voz (no lugar de Mussum, em 1980)
  • Zinho da Cuíca (no lugar de Bidi)
  • Claudio - surdo (no lugar de Branca di Neve)
  • Gibi (atualmente, seguindo carreira solo cantando música gospel)
  • Vinicius - baterista
  • Biguinho - compositor (falecido)
  • Paulo Rogério, o Paulão - baterista (falecido)
  • Rubinho Lima - depois Sambasonic
  • Sócrates
  • Valtinho Tato
  • Zeca do Cavaquinho
  • Joãozinho Carnavalesco
  • Fritz Escovão
  • Betinho Drumms - vocal e compositor
  • Zé Carlos (Adorno) - tecladista e arranjador
  • Gêra (Falecido)
  • Ulysses Costa - bateria (atual Banda Tradição Popular)

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Os Originais do Samba (1995) RGE
  • Os Originais de todos os sambas (1997) RGE
  • Os Originais do Samba Ao Vivo (2000) Rhythm and Blues
  • Swing dos Originais (2003) Rhythm and Blues/Canta Brasil
  • A Corda Arrebenta e o Samba não cai (2008) Independente

EP's/LP's[editar | editar código-fonte]

  • Os Originais do Samba (1969) RCA
  • Os Originais do Samba - Volume 2 (1969) RCA
  • Samba é de Lei (1970) RCA
  • Samba Exportação (1971) RCA
  • O Samba é a Corda... Os Originais a Caçamba (1972) RCA
  • É Preciso Cantar (1973) RCA
  • Pra que Tristeza (1974) RCA
  • Alegria de Sambar (1975) RCA
  • Em Verso e Prosa (1976) RCA
  • Os Bons Sambistas Vão Voltar (1977) RCA
  • Aniversario do Tarzan (1978) RCA
  • Clima Total (1979) RCA
  • Os Originais do Samba (1981) RCA
  • Canta, Meu povo, Canta (1983) RCA
  • A Malandragem Entrou em Greve (1986) Copacabana
  • Sangue, Suor e Samba (1989) Copacabana
  • Brincar de Ser Feliz (1992) ChicShow/Fivestar
  • A Vida é Assim (1994) ChicShow/Fivestar

Outros[editar | editar código-fonte]

  • Show / Recital - Baden Powell - Márcia - Os Originais do Samba (1968)

Notas e Referências

  1. «Os Originais do Samba». dicionariompb.com.br. Consultado em 16 de junho de 2013 
  2. REIS, Fernanda. Biografia explora a carreira musical que Mussum largou, Folha de S.Paulo, Ilustrada, E3, 6 de julho de 2014. Acesso em 6 jul. 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.