Jorge Fernando

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o ator e diretor brasileiro. Para o cantor português, veja Jorge Fernando (fadista).
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre alguém que morreu recentemente. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (data da marcação: 28 de outubro de 2019; editado pela última vez em 12 de novembro de 2019) Twemoji 1f464.svg
Jorge Fernando
Jorge em 2006.
Nome completo Jorge Fernando de Medeiros Rebello
Nascimento 29 de março de 1955
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Morte 27 de outubro de 2019 (64 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação ator
diretor
Progenitores Mãe: Hilda Rebello

Jorge Fernando de Medeiros Rebello (Rio de Janeiro, 29 de março de 1955Rio de Janeiro, 27 de outubro de 2019)[1][2] foi um ator e diretor de televisão brasileiro. Era filho da também atriz Hilda Rebello.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Quando jovem, iniciou suas aulas de teatro no Colégio Estadual Visconde de Cairu, no Méier, Zona Norte (Rio de Janeiro), onde teve seus primeiros contatos com a arte.

Iniciou sua carreira profissional na TV como ator na série de televisão Ciranda, Cirandinha, de 1978, no papel de Reinaldo (Rei) e no teatro com o espetáculo Zoológico, dirigido e atuado por ele mesmo e produzido por sua mãe.

Foi diretor de núcleo da Rede Globo, destacando-se com telenovelas das sete dos anos 1980 escritas por Sílvio de Abreu e Cassiano Gabus Mendes. Em 1983 recebeu o prêmio de melhor direção da Associação Paulista de Críticos de Arte, por seu trabalho em Guerra dos Sexos, novela marcada pela cena do café da manhã entre Fernanda Montenegro e Paulo Autran.[2]

Como diretor[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Programa/novela Autor da obra
1981–1982 Jogo da Vida Silvio de Abreu
Janete Clair
1982 Sétimo Sentido Janete Clair
1982–1983 Sol de Verão Manoel Carlos
1983–1984 Guerra dos Sexos Silvio de Abreu
1984–1985 Vereda Tropical Carlos Lombardi
1986 Cambalacho Silvio de Abreu
1987 Brega & Chique Cassiano Gabus Mendes
1989 Que Rei Sou Eu?
1990 Rainha da Sucata Silvio de Abreu
1991–1992 Vamp Antônio Calmon
1992–1993 Deus Nos Acuda Silvio de Abreu
1995 A Próxima Vítima
1996 Vira Lata Carlos Lombardi
1997–1998 Zazá Lauro César Muniz
1998 Angel Mix Angélica
(Apresentadora)
Era Uma Vez... Walther Negrão
1999–2000 Vila Madalena
2000–2001 Sai de Baixo Luís Gustavo
Daniel Filho
2000–2003 Gente Inocente Márcio Garcia
(Apresentador)
2001–2002 As Filhas da Mãe Silvio de Abreu
2003–2004 Chocolate com Pimenta Walcyr Carrasco
2005–2006 Alma Gêmea
TV Xuxa (Especial Xuxa 20 Anos) Xuxa Meneghel
(Apresentadora)
2007–2008 Sete Pecados Walcyr Carrasco
2008 Nada Fofa Fernanda Young
Alexandre Machado
2009–2010 Caras & Bocas Walcyr Carrasco
2010–2011 Ti Ti Ti Maria Adelaide Amaral
2011 Macho Man (3 episódios) Fernanda Young
Alexandre Machado
2012 Dercy de Verdade Maria Adelaide Amaral
2012–2013 Guerra dos Sexos Silvio de Abreu
2013–2014 Divertics Claúdio Torres Gonzaga
2014–2015 Alto Astral[3] Daniel Ortiz
2016 Êta Mundo Bom! Walcyr Carrasco
2019 Verão 90 Izabel de Oliveira
Paula Amaral

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Autor da obra
2004 Sexo, Amor e Traição Renê Belmonte
Emanuel Jacobina
2006 Xuxa Gêmeas Patrícya Travassos
Flávio de Souza
Jorge Fernando
2008 A Guerra dos Rocha Maria Carmem Barbosa

Como ator[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Programa/Novela Papel
1978 Ciranda, Cirandinha Reinaldo
1979 Pai Herói Cirilo Baldaracci
1980 Água Viva Jáder[4]
1985 Roque Santeiro Lúcio Armando
1986 Cambalacho Pirulito
1988 Bebê a Bordo Zetó
1989 Que Rei Sou Eu? Guarda do palácio[5]
1990 Rainha da Sucata Rabello
1991 Vamp Vicentinho
1992 Deus Nos Acuda Brasil
1997 Zazá Gastão
1998 Era Uma Vez... Frei João
Torre de Babel ele mesmo[6]
1999 Sai de Baixo Giogione
2000 Você Decide Paulo
2004 Chocolate com Pimenta Palhaço Crispim
2008 Nada Fofa Kélio
2009 Caras & Bocas Professor Gilberto
Malhação Paulo Mattos
2011 Macho Man Nélson Zucatelli (Zuzu)[7]
2012 Cheias de Charme ele mesmo
Guerra dos Sexos Wanderley
2013 Divertics ele mesmo
2014 Alto Astral ele mesmo[8]
2016 Haja Coração ele mesmo[9]
2019 Verão 90 Mendoncinha[10]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Filme Personagem
1993 Alma Corsária Magalhães
2006 Xuxa Gêmeas Palhaço Mór
Se Eu Fosse Você Edgar T. Braga
2008 A Guerra dos Rocha Cassiano França / Cassandra

Outros trabalhos[editar | editar código-fonte]

Além dos trabalhos na televisão e no cinema, também dirigiu shows como Destino de Aventureiro, com Ney Matogrosso, Desejos, com Simone e Não Perca o Tom, com Tom Cavalcante. Dirigiu ainda Sidney Magal, Guilherme Arantes, Elba Ramalho, Chitãozinho e Xororó, Leandro e Leonardo, Edson Cordeiro, Zezé di Camargo e Luciano.[carece de fontes?]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Na adolescência, Jorge Fernando vendia livros para se manter, e já frequentava os teatros no subúrbio do Rio de Janeiro. Casou-se na Igreja aos dezenove anos, com Lúcia, uma amiga da turma com que ele frequentava o Píer de Ipanema. A união durou um ano e os dois continuaram amigos. Depois da separação, passou a acompanhar o grupo teatral Dzi Croquettes, viajando para Paris em turnê, o que, segundo ele, foi o começo de tudo. Era despojado, não gostava de formalidades, tendo sido o primeiro artista a entrar nos estúdios da Globo de shorts. Gostava de viajar e fazer extravagâncias, mas também ajudava financeiramente outras pessoas. Afirmava não ter dinheiro guardado, mas possuía três imóveis, um apartamento na Barra da Tijuca, outro no Leme e uma casa em Paquetá.[11] Aos 56 anos, afirmou ainda estar "malhando e transando muito", e que havia mudado seus hábitos alimentares, levando uma vida mais saudável.[12]

Doença e morte[editar | editar código-fonte]

Em outubro de 2016, o ator passou dezoito dias internado em um hospital, devido a uma pancreatite. Poucas semanas depois, sofreu um AVC e foi submetido a uma cirurgia no Hospital Samaritano, em Botafogo. A partir daí, passou a ter acompanhamento médico constante, devido às sequelas do AVC.[13]

Jorge Fernando passou mal na tarde de 27 de outubro de 2019 e deu entrada no hospital Copa Star, em Copacabana, no Rio de Janeiro, onde morreu aos 64 anos, vítima de uma parada cardíaca, em decorrência de uma dissecção de aorta completa.[1][14]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
1983 Associação Paulista de Críticos de Arte Melhor Diretor Guerra dos Sexos Venceu
2011 Prêmio Extra de TV Melhor ator Nelson (Zuzu) em Macho Man Indicado[15]

Referências

  1. a b «Diretor Jorge Fernando morre aos 64 anos no Rio de Janeiro». Veja. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  2. a b «Diretor e ator Jorge Fernando morre aos 64 anos no Rio». Uol. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  3. «Jorge Fernando usa experiências pessoais e profissionais para dirigir nova novela das 7». Gshow. Extras - Alto Astral. 1 de novembro de 2014. Consultado em 31 de maio de 2015 
  4. Nilson Xavier. «Teledramaturgia - Guerra dos Sexos (1983)». Teledramaturgia. Consultado em 31 de maio de 2015 
  5. Nilson Xavier. «Teledramaturgia - Que Rei Sou Eu?». Teledramaturgia. Consultado em 31 de maio de 2015 
  6. «Vídeo Show | Jorge Fernando dirige clipe de Johnny Percebe em Torre de Babel». Globo.com. Globoplay. Consultado em 8 de maio de 2017 
  7. «Segunda temporada de 'Macho Man' tem novos personagens». ClicRBS. Site RBS TV Bagé. Consultado em 29 de outubro de 2011 
  8. «Em Alto Astral, Jorge Fernando atua com Claudia Raia em cenas hilárias». Gshow. Extras - Alto Astral. 20 de abril de 2015. Consultado em 31 de maio de 2015 
  9. Gshow (19 de agosto de 2016). «Leonora e Dinalda participam de gravação de 'Êta Mundo Bom!'». Extras - Haja Coração. Consultado em 23 de agosto de 2016 
  10. Flávio Ricco (7 de julho de 2019). «Jorge Fernando vira diretor de pornochanchada em "Verão 90"». UOL - TV e Famosos. Consultado em 10 de julho de 2019 
  11. Priscila Bessa (14 de maio de 2012). «Jorge Fernando: "Consigo dizer eu te amo várias vezes" - Edição 544 (07/02/2011)». Quem. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  12. «"Estou transando muito", diz o diretor Jorge Fernando». Terra. 27 de março de 2011. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  13. «Após AVC, Jorge Fernando passa bem e se recupera em casa». Ego. 1 de fevereiro de 2017. Consultado em 10 de março de 2017 
  14. «Morre, aos 64 anos, o diretor Jorge Fernando». Extra Online. 28 de outubro de 2019. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  15. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Gabriel Braga Nunes leva o prêmio de melhor ator pelo vilão Léo». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Jorge Fernando