Méier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Méier
—  Bairro do Brasil  —
Praça Jardim do Méier.
Praça Jardim do Méier.
Méier.svg
Distrito Subprefeitura da Zona Norte
Município Rio de Janeiro
Criado em 23 de julho de 1981
Área
 - Total 247,09 ha (em 2003)
População
 - Total 49,828 (em 2 010)[1]
 - IDH 0,931[2](em 2000)
Domicílios 21.023 (em 2010)
Limites Cachambi, Engenho de Dentro, Engenho Novo, Lins de Vasconcelos e Todos os Santos[3]
Subprefeitura Subprefeitura da Zona Norte
Fonte: Não disponível

Méier é um bairro localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, no Brasil. O bairro é o histórico centro da "Área dos Engenhos" que hoje é conhecido como Grande Méier; o qual já foi uma subprefeitura entre 1993 e 2008; tendo em função disso um vasto comércio e variedade de serviços e transportes; ainda que não seja um dos maiores bairros da cidade. É no bairro onde se localiza um dos primeiros shopping centers do Brasil, o Shopping do Méier, inaugurado em 1963. Apresenta duas aparências urbanas distintas, uma mais agitada, comercial, nas áreas próximas da Rua Dias da Cruz e da estação ferroviária; e outra mais calma, nas ruas mais residenciais.

História[editar | editar código-fonte]

Estação Méier e Avenida Amaro Cavalcanti.

No século XVIII, o bairro era uma fazenda de cana-de-açúcar. Em 1760, houve desentendimentos entre os jesuítas (os donos da fazenda) e a Coroa Portuguesa, que os expulsou do Rio de Janeiro. A fazenda, então, foi dividida em três partes: Engenho Novo, Cachambi e São Cristóvão. Em 1884, Dom Pedro II presenteou um amigo com parte das terras. Esse amigo tinha o nome de Augusto Duque Estrada Meyer, (filho do comendador Miguel João Meyer, português de origem alemã e um dos homens mais ricos da cidade no final do século XVIII), conhecido como "camarista Meyer" por ter livre acesso às câmaras do palácio imperial.

Por sua causa, a região ficou conhecida como "Meyer" (pronuncia-se "Maier"). Depois de certo tempo, os moradores aportuguesaram o termo para "Méier". Os primeiros habitantes da região eram escravos fugidos que formaram quilombos na Serra dos Pretos Forros.

Cortado pela Estrada de Ferro Central do Brasil, a história do Méier se confunde com a dos trens. O aniversário da sua estação ferroviária é utilizado como data de fundação do bairro: 13 de Maio de 1889. A estrada de ferro foi de extrema importância para o início de um acelerado progresso da região, que é, atualmente, conhecida como Grande Méier. A partir da década de 1950, o bairro explodiu demográfica e comercialmente. Em 1954, o bairro ganhou o Cine Imperator, na ocasião, a maior sala de cinema da América Latina, com 2 400 lugares. Em seguida, foi a vez do Shopping do Méier se instalar no bairro. Foi o primeiro do gênero a ser inaugurado no Brasil.

Um dos grandes problemas atuais do Méier é o trânsito. O aumento de tráfego após a implantação da Linha Amarela, somado às vias de acesso que ainda mantém um dimensionamento obsoleto, complicam o trânsito na região, tornando-o, por vezes, caótico. Quem vem do Centro enfrenta congestionamentos na Avenida 24 de Maio e quem sai da Linha Amarela observa trânsito lento principalmente no horário do rush em ruas como Arquias Cordeiro, Borja Reis e Dias da Cruz, essa última sendo a principal do bairro e tendo apenas duas pistas em algumas partes, uma de ida e outra de volta.

O Méier é o 17º bairro carioca com maior IDH, de 0,931, sendo um dos mais valorizados da Zona Norte da cidade na 4ª posição, só perdendo para o Jardim Guanabara (0,962), Maracanã (0,944) e o Grajaú (0,938), estando a frente de bairros "rivais" nesse quesito dentro da Zona Norte como Tijuca (0,926), Vila da Penha (0,911), Vila Isabel (0,909) e Portuguesa (0,904).[4]

Dados demográficos[editar | editar código-fonte]

  • Área territorial (2003): 247,09 ha (84º)[6]
  • Total da população (2000): 51 344 (30º)[6]
  • Total de domicílios (2000): 17 568 (28º)[6]

Educação e lazer[editar | editar código-fonte]

Rua Dias da Cruz, principal do Méier.

O bairro possui, hoje, campi de universidades, diversas escolas particulares, escolas estaduais e municipais. Destacam-se o Colégio Imaculado Coração de Maria fundado em 1914 na antiga Rua Imperial, atual Aristides Caire[7] e o Colégio Metropolitano, fundado em 1932 na Rua Dias da Cruz (onde hoje fica o Shopping do Méier) e que tem três unidades no bairro. Destaca-se, também, o Instituto Nícia Macieira, fundado em 1952.[8] O bairro possui diversos cursos de idiomas (alguns de grande tradição como Brasas, CCAA, Cultura Inglesa, Ibeu, Wizard e Fisk), pré-vestibulares (como o Intellectus e Keppler), informática e outros cursos (como o Kumon). Há, ainda, uma academia de dança tradicional (Centro Dança Rio) e o Sport Club Mackenzie.

O Méier também possui uma escola bilíngue. O governo do Estado inaugurou o Colégio Estadual Hispano-Brasileiro João Cabral de Melo Neto, onde as aulas são ministradas em português e espanhol. [9]

A Rua Dias da Cruz se transforma em área de lazer aos domingos e feriados das oito às dezoito horas das Ruas Hermengarda / Ana Barbosa até as Ruas Magalhães Couto / Dona Claudina. Como os ônibus são desviados da Rua Dias da Cruz, o trecho entre a travessa Comendador Filips e Rua Dona Claudina fica com o tráfego de carros reduzido.

Saúde[editar | editar código-fonte]

O Méier conta com o Hospital Municipal Salgado Filho, um dos hospitais de emergência da rede de saúde da Prefeitura do Rio de Janeiro. O hospital iniciou suas atividades em 12 de outubro de 1920 sob a denominação Serviço Auxiliar do Pronto Socorro do Méier. Em 28 de novembro de 1951, trocou de nome para Dispensário do Méier. Somente em 27 de março de 1963, recebeu a sua atual denominação. Em 17 de março de 1977, o novo hospital municipal Salgado Filho, com um bloco principal (subsolo e sete andares), possuindo dois anexos (um com três e outro com dois andares) foi inaugurado pelo prefeito Marcos Tamoio e pelo seu secretário de Saúde, doutor Felippe Cardoso Filho.[10] Na Rua Ana Barbosa, está situado o posto de atendimento municipal César Pernetta.[11]

Próximo ao Méier, no bairro Todos os Santos, está situado o Hospital Pasteur, inaugurado em 2005. Com atendimento 24 horas, possui emergência, clínica médica, ginecologia/obstetrícia, cirurgia geral, ortopedia e radiologia.[12]

Cultura[editar | editar código-fonte]

O bairro já possuiu quatro cinemas. O mais famoso deles é o Cine Imperator. Os outros são: Art Méier (na Rua Silva Rabelo) e Bruni Méier (na Rua Amaro Cavalcanti) e o Paratodos (na Rua Arquias Cordeiro). Em 1991, o Imperator foi transformado em casa de espetáculos, mas acabou encerrando suas atividades em 1995. Todos os demais cinemas também foram fechados ou transformados em igrejas protestantes, porém, com a reabertura do Imperator (como Centro Cultural João Nogueira), em parceria com a Prefeitura do Rio, o grupo Severiano Ribeiro inaugurou 3 novas salas de cinema, o Cinecarioca Méier. O novo cinema conta com um padrão de qualidade equivalente ao UCI do Norte Shopping, e ganhou o gosto dos moradores do bairro por sua localização privilegiada (R. Dias da Cruz, 170, 2º andar) e seu conforto, qualidade de imagem e som e salas com assentos espaçosos e de braços móveis.

O bairro conta com o Centro Coreográfico do Rio, fundado em 1973, que teve entre suas alunas a atriz Adriana Esteves e a apresentadora Fátima Bernardes.[13]

O local onde funcionava o antigo Imperator hoje abriga o Centro Cultural João Nogueira (na R. Dias da Cruz, 170). O governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes assinaram acordo de cessão do terreno onde funciona o centro, que pertencia ao Estado e passou a ser do Município. O espaço possui 3 salas de cinema (sob direção do grupo Severiano Ribeiro), teatro, galeria de exposições e restaurantes, com previsão de custo inicial de R$ 21 milhões. A previsão de inauguração foi de 20 de janeiro 2012, porém só ocorreu meses depois.[carece de fontes?]

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Shopping do Méier, na Rua Dias da Cruz.

A prefeitura determinou a criação do Polo Gastronômico do Alto Méier, no dia 27/04/2016. Os estabelecimentos ficam situados na Rua Galdino Pimentel. Entre eles estão : Bar do Adão, Vizinhando e Choperia Cometa Express. [14]

Locais relevantes[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Trens[editar | editar código-fonte]

O bairro possui duas estações da SuperVia Trens Urbanos: a Estação Méier, na qual param os trens da Linha Deodoro. Já na Estação Silva Freire é possível embarcar em trens diretos das linhas Santa Cruz e Japeri.

Ônibus[editar | editar código-fonte]

O bairro possui dois terminais rodoviários: o Terminal Rodoviário Américo Ayres (ponto final/regulador de oito linhas e de dezesseis itinerários) e o Terminal odoviário Gelton Pacciello da Motta (ponto final/regulador de sete linhas e de quinze itinerários). Ao todo, são 93 itinerários e 55 linhas operadas por 23 empresas que permitem acesso para diversos outros bairros da cidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dados
  2. Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000
  3. Bairros do Rio
  4. Instituto Pereira Passos; IBGE. «Tabela 1172 - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH), por ordem de IDH, segundo os bairros ou grupo de bairros - 2000» (XLS). Consultado em 23 de julho de 2008. 
  5. Maria Helena R. R. de Sousa (23 de dezembro de 2009). «Lima Barreto passeia pelo Rio de Sempre». O Globo Online. Consultado em 5 de maio de 2010. 
  6. a b c Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio de Janeiro - Instituto Pereira Passos. «Armazém de Dados». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  7. Colégio Imaculado Coração de Maria. «História». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  8. Colégio Metropolitano. «O Colégio - Nossa história». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  9. Site do Governo do Rio de Janeiro. Notícia do dia 31/01/2014, escrita por Gabrielli Damazio Link: http://www.rj.gov.br/web/seeduc/exibeconteudo?article-id=1946588
  10. «Hospital Municipal Salgado Filho». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  11. Secretaria Municipal de Saúde; Divisão de Apoio Didático e Tecnologia Educacional. «PAM César Pernetta» (em portugues). Consultado em 7 de maio de 2008. 
  12. «Website oficial». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  13. Revista Veja; Suplemento Veja Rio. «Casa dos artistas - Academia no Méier forma bailarinos que brilham no exterior». Consultado em 6 de maio de 2008. 
  14. «Alto Méier é o mais novo Polo Gastronômico do bairro». Sou Méier. 29 de abril de 2016. Consultado em 8 de junho de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Méier