Jardim Zoológico do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre sobre o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro, sua história e diversas administrações. Para projeto do Grupo Catataratas, veja BioParque do Rio.
Jardim Zoológico do Rio de Janeiro
Tipo jardim zoológico
Inauguração 1940
Dissolução 2019
Website oficial
Geografia
Coordenadas 22° 54' 16" S 43° 13' 46" O
Localização Rio de Janeiro - Brasil

O Jardim Zoológico do Rio de Janeiro foi o mais antigo zoológico do Brasil, com mais de 80 anos de história.[1] Localizado no Parque da Quinta da Boa Vista, o zoológico passou por diversas administrações, ao longo das quais mudou também algumas vezes de nome. No ano de 1985, o Jardim Zoológico foi transformado na Fundação Jardim Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro, ligada à Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Chamado de RioZoo até o ano de 2016, o zoológico passou a ser administrado por uma empresa privada: o Grupo Cataratas. No ano de 2019, o parque foi fechado para a visitação pública para que uma profunda reforma fosse concluída e um novo projeto fosse inaugurado: o BioParque do Rio.[2]

História[editar | editar código-fonte]

O Jardim Zoológico do barão de Drummond[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Vila Isabel

Após uma viagem a Paris, na década de 1870, o empresário João Batista Viana Drummond ficou impressionado com o urbanismo daquela capital à época e, na qualidade de amigo do imperador dom Pedro II, adquiriu a antiga Fazenda dos Macacos à princesa Isabel por 120 contos de réis em 1872, no atual bairro de Vila Isabel, implantando, nela, um grande projeto de urbanização que viria a culminar, em 16 de janeiro de 1888, na inauguração de um jardim zoológico. No mesmo ano, o empresário recebeu o título de barão de Drummond.

Amante de animais, tinha autorização do império para a sua importação, mantendo, em sua residência, exemplares de diversas espécies. Desse modo, instalou o primeiro jardim zoológico moderno da cidade e do país (acredita-se que fruto ainda da inspiração de sua viagem a Paris) em um parque com riachos e lagos artificiais no bairro de Vila Isabel, em 16 de janeiro de 1888.

Com a Proclamação da República no Brasil, em 1889, e com o consequente fim da ajuda de custo garantida pelo imperador, a manutenção do jardim e de seus animais tornou-se um pesado encargo financeiro. Como solução, o barão concebeu uma loteria para financiá-lo. Diariamente, fazia pendurar uma gaiola coberta por um pano, ocultando um animal de pequeno porte, no alto do portão do jardim zoológico. Cada ingresso dava direito a um bilhete numerado – e cada número correspondia a um animal –, para concorrer ao sorteio diário do "bicho", à hora do encerramento do parque ao público. O dinheiro arrecadado era revertido, parte para a aquisição de mais espécimes para o zoológico, e parte como prêmio aos apostadores. O "jogo dos bichos", devido ao baixo valor do ingresso, revelou-se muito popular, e encontra-se na origem da contravenção atual do jogo do bicho no país. Inicialmente, os moradores do bairro (e depois visitantes de toda a cidade) faziam as apostas pela manhã e inteiravam-se do resultado do jogo do dia, afixado em um poste, ao final da tarde.

Ao longo dos anos, no entanto, com a sucessão das administrações e diante das dificuldades, o antigo zoológico viu-se obrigado a fechar suas portas – o que ocorreu, de fato, na década de 1940.

O local deste primeiro jardim zoológico foi recentemente recuperado pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, sendo renomeado como Jardim da Princesa.

Jardim Zoológico da Quinta da Boa Vista[editar | editar código-fonte]

Em 18 de março de 1945, o Rio de Janeiro ganhou um novo jardim zoológico, inaugurado pelo então presidente Getúlio Vargas, no parque da histórica Quinta da Boa Vista, residência da Família Real Portuguesa e da Família Imperial Brasileira, junto ao Museu Nacional do Brasil.

Fundação Jardim Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Alternando períodos de prosperidade e de dificuldades, o Jardim Zoológico foi transformado, em 1985, na Fundação Jardim Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro, ligada à Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. A mudança proporcionou maior agilidade administrativa, permitindo um extenso processo de modernização que transformou a instituição em um respeitado centro de pesquisas e educação ambiental, reconhecido em todo o país e no exterior.

Em 8 de janeiro de 2005, a Fundação Jardim Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro, com o apoio da VITAE – Apoio à Cultura, Educação e Promoção Social, inaugurou o Museu da Fauna, um projeto voltado à educação ambiental que permite conhecer os ecossistemas brasileiros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Historico - www.rio.rj.gov.br». www.rio.rj.gov.br. Consultado em 1 de fevereiro de 2022 
  2. «Zoológico do RJ vira Bioparque - também dedicado à pesquisa e educação ambiental - e será inaugurado em julho». Conexão Planeta. 20 de fevereiro de 2020. Consultado em 1 de fevereiro de 2022