Eduardo Dussek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Eduardo Dusek)
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Dussek
Dussek em 2015,no
26º Prêmio da Música Brasileira
Informação geral
Nome completo Eduardo Dussek
Nascimento 1 de janeiro de 1958 (58 anos)
Origem Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) MPB, rockabilly, Marchinha de carnaval
Ocupação(ões) Cantor, ator, compositor
Instrumento(s) Vocal, piano
Período em atividade 1975-atualmente
Afiliação(ões) João Penca e Seus Miquinhos Amestrados
Página oficial Site oficial

Eduardo Gabor Dusek [1] , ou nome artístico de Eduardo Dussek (Rio de Janeiro, 1º de janeiro de 1958), é um ator, cantor e compositor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira artística como pianista de peças de teatro aos quinze anos, quando estudava na Escola Nacional de Música. Mais tarde passou a compor suas próprias canções e montou uma banda, que acabou apadrinhada por Gilberto Gil.

A partir de 1978 já tinha algumas composições gravadas por nomes de peso da MPB, como As Frenéticas (o samba "Vesúvio"), Ney Matogrosso (o fox "Seu tipo") e Maria Alcina (o frevo "Folia no Matagal", dois anos depois regravada por Ney Matogrosso) - todas em parceria com Luís Carlos Góis.

Suas composições buscavam aliar sátira e bom humor. Em 1980, participou do festival MPB Shell da Rede Globo cantando apenas de cueca a debochada canção "Nostradamus", que não se classificou mas ficou conhecida pelo público. Por essa época gravou o primeiro LP, "Olhar Brasileiro". Mas o estouro sucesso viria em 1982, quando flertou com o ainda incipiente pop-rock, no LP "Cantando no Banheiro!, com "Barrados no Baile" (com Luís Carlos Góis), "Cabelos Negros" (Com Luiz Antonio de Cássio) e "Rock da Cachorra" (Léo Jaime).

Dois anos depois, notabilizou-se com o LP "Brega-chique", cuja faixa-título, mais conhecida como "Doméstica", fazia uma sátira social, bem no clima do teatro besteirol da época. Em 1986, lançou "Dusek na sua", com "Aventura" e com "Eu Velejava em Você", uma das mais tocantes músicas da MPB, depois regravada por Zizi Possi. Em 1989, voltou à cena com o musical "Loja de Horrores", em que atuava no papel de dentista. Nos anos 90, afastado da função de cantor, interpretou a personagem do Capitão-Mor Gonçalo na novela "Xica da Silva", da extinta Rede Manchete. Atuou como diretor de espetáculos e, no fim da década, voltou a apresentar alguns trabalhos como humorista e cantor, um deles sobre Carmen Miranda.

Maiores Sucessos[editar | editar código-fonte]

  • 1975 - Ela Não Sabia Nada (Piccadilly Rock)
  • 1980 - Nostradamus
  • 1982 - Rock Da Cachorra
  • 1982 - Barrados No Baile
  • 1983 - Cabelos Negros
  • 1984 - Brega-Chique (O Vento Levou Black)
  • 1984 - Lua My Love
  • 1985 - Folia no Matagal
  • 1985 - Tudo Em Cima
  • 1987 - Nem Tanto Tempo Assim (da novela Sassaricando)
  • 1988 - Castigo
  • 1988 - Amor E Bombas (da novela Bebê a Bordo)
  • 1989 - Que Rei Sou Eu? (Com Luni) (da novela homônima)
  • 1989 - Sou Eu
  • 1989 - Estou Gamada em Você (composta para Mara Maravilha)
  • 1995 - Happy Hour (da novela A Próxima Vítima)
  • 1996 - Encontro Das Águas
  • 2001 - Alô Alô Brasil (da novela As Filhas da Mãe)
  • 2003 - Tá-Hí (da novela Chocolate com Pimenta)
  • 2007 - Gula
  • 2007 - Tamanho Não É Documento
  • 2010 - Aventura (da novela Ti-Ti-Ti)
  • 2011 - Me Segura (da novela Fina Estampa)

Trabalhos na TV[editar | editar código-fonte]

Trabalhos no Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Dussek Dic Cro Albim

Ligação externa[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eduardo Dusek
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.