Eduardo Dussek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde janeiro de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eduardo Dussek
Dusek em 2015,no
26º Prêmio da Música Brasileira
Informação geral
Nome completo Eduardo Gabor Dusek
Nascimento 1 de janeiro de 1954 (63 anos)
Origem Rio de Janeiro, RJ
País Brasil
Gênero(s) MPB, rockabilly, doo wop,[1] marchinha de carnaval
Ocupação(ões) Cantor, ator, compositor
Instrumento(s) Vocal, piano
Período em atividade 1975-atualmente
Gravadora(s) Polydor - Polygram do Brasil, Polygram, Universal Music, Mercury Records.
Afiliação(ões) João Penca e Seus Miquinhos Amestrados
Página oficial Site oficial

Eduardo Gabor Dusek [2], ou os nomes artísticos de Eduardo Dussek e Duardo Dusek (Rio de Janeiro, 1º de janeiro de 1954), é um ator, cantor e compositor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira artística como pianista de peças de teatro aos quinze anos, quando estudava na Escola Nacional de Música. Mais tarde passou a compor suas próprias canções e montou uma banda, que acabou apadrinhada por Gilberto Gil.

A partir de 1978 já tinha algumas composições gravadas por nomes de peso da MPB, como As Frenéticas (o samba "Vesúvio"), Ney Matogrosso (o fox "Seu tipo") e Maria Alcina (o frevo "Folia no Matagal", dois anos depois regravada por Ney Matogrosso) - todas em parceria com Luís Carlos Góis.

Suas composições buscavam aliar sátira e bom humor. Em 1980, participou do festival MPB Shell da Rede Globo cantando apenas de cueca a debochada canção "Nostradamus", que não se classificou mas ficou conhecida pelo público. Por essa época gravou o primeiro LP, "Olhar Brasileiro". Mas o estouro sucesso viria em 1982, quando flertou com o ainda incipiente pop-rock, no LP "Cantando no Banheiro!, com "Barrados no Baile" (com Luís Carlos Góis), "Cabelos Negros" (Com Luiz Antonio de Cássio) e "Rock da Cachorra" (Léo Jaime).

Dois anos depois, notabilizou-se com o LP "Brega-chique", cuja faixa-título, mais conhecida como "Doméstica", fazia uma sátira social, bem no clima do teatro besteirol da época. Em 1986, lançou "Dusek na sua", com "Aventura" e com "Eu Velejava em Você", uma das mais tocantes músicas da MPB, depois regravada por Zizi Possi. Em 1989, voltou à cena com o musical "Loja de Horrores", em que atuava no papel de dentista. Nos anos 90, afastado da função de cantor, interpretou a personagem do Capitão-Mor Gonçalo na novela "Xica da Silva", da extinta Rede Manchete. Atuou como diretor de espetáculos e, no fim da década, voltou a apresentar alguns trabalhos como humorista e cantor, um deles sobre Carmen Miranda. Revelou na revista Quem que sofre do mal de Parkinson [3].

Maiores sucessos[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem
2015 I Love Paraisópolis Armando Prado (Armandinho)
2010 Ti Ti Ti Ele mesmo
2010 A Vida Alheia Gevalí Neiva
2007 Sítio do Picapau Amarelo Barão de Münchhausen
2007 Toma Lá, Dá Cá Apresentador do reality show Além das Panelas Ep. Nem Tudo é Realidade
2006 Bang Bang Príncipe Von Kristoff
2005 Sob Nova Direção Ele mesmo
2005 A Lua Me Disse Caricato
2004 Celebridade Ele mesmo
2001 As Filhas da Mãe Ele mesmo
1999 Você Decide Ep. Numa Sexta-Feira 13: Parte 2
1996 Xica da Silva Capitão-Mor Emanuel Gonçalo
1991 Floradas na Serra Bruno
1983 Plunct, Plact, Zuuum Mestre da Matemática

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligação externa[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Eduardo Dusek
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.