Maria Alcina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Alcina
Informação geral
Nome completo Maria Alcina Leite
Também conhecido(a) como Maria Alcina
Nascimento 22 de abril de 1949 (66 anos)
Origem Cataguases, Minas Gerais
País  Brasil
Gênero(s) MPB, Samba, carnaval
Instrumento(s) voz
Modelos de instrumentos Microfone Shure Beta 58
Período em atividade 1966-atualmente
Gravadora(s) Outros Discos

Maria Alcina (Cataguases, 22 de abril de 1949) é uma cantora brasileira.

Entre seus maiores sucessos estão Fio Maravilha (Jorge Ben) — vencedora da fase nacional do Festival Internacional da Canção de 1972 — e Kid Cavaquinho (João Bosco e Aldir Blanc). Com Fio Maravilha, fez o Maracanãzinho vibrar e conquistou o estrelato.

Dona de uma voz grave e de uma presença de palco contagiante, ganhou o Troféu Imprensa, participou de programas de televisão como a Discoteca do Chacrinha, o Qual é a Música? e todos os outros da época. Percorreu o Brasil com seus shows e ficou conhecida internacionalmente. Sua maneira exótica de se vestir se compara muito a Carmem Miranda. No início de sua carreira, trabalhou durante seis anos em um circo.

Alcina iniciou sua trajetória ao sair de Cataguases (MG), sua cidade natal e onde não havia muitas possibilidades de uma vida artística, para estabelecer-se no Rio de Janeiro. Seus primeiros trabalhos artísticos eram apresentações em Teatros de Revista, ao lado de Leila Diniz, e em casas de shows. Entre seus maiores sucessos estão Fio Maravilha (Jorge Ben) — vencedora da fase nacional do Festival Internacional da Canção de 1972 — e Kid Cavaquinho (João Bosco e Aldir Blanc). Com Fio Maravilha, fez o Maracanãzinho vibrar e conquistou o estrelato. Dona de uma voz grave e de uma presença de palco contagiante, ganhou o Troféu Imprensa, participou de programas de televisão como a Discoteca do Chacrinha, o Qual é a Música? e todos os outros da época. Percorreu o Brasil com seus shows e ficou conhecida internacionalmente. Sua maneira exótica de se vestir se compara muito a Carmem Miranda. No início de sua carreira, trabalhou durante seis anos em um circo. Após ganhar projeção nacional em 1972 com a canção Fio Maravilha, de Jorge Bem, a cantora gravou composições de artistas consagrados como Rita Lee, João Bosco & Aldir Blanc e Eduardo Dusek.

Em 2003 surpreende o mundo da música gravando um CD com o Grupo de música eletrônica Bojo, “Agora”, que lhe rendeu ainda mais prestígio junto aos críticos e shows por todo país e uma aparição em Berlim, em 22/09/2006, na Feira de Música Popkomn.

No ano de 2004 gravou um CD de batida eletrônica, chamado Agora, com o Bojo, banda composta por Maurício Bussab, Fê Pinatti, Du Moreira e Kuki Stolarski. No CD, alguns clássicos de sua carreira, com roupagem eletrônica, como Eu dei, Alô, alô e Fio Maravilha; além desses sucessos, canções inéditas.

Em 2009, Maria Alcina ganhou o Prêmio da Música Brasileira nas categorias de melhor cantora, melhor álbum e melhor produção, pelo disco Confete e Serpentina.

Em 2012, para marcar o centenário de Luiz Gonzaga a cantora Maria Alcina apresenta o show “100 anos do Rei do Baião”. Alcina é figura essencial neste tributo por sua forma singular de cantar forró, divisão melódica única desse ritmo nordestino tão brasileiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.