Tony Tornado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tony Tornado
Tornado, 2014
Nome completo Antônio Viana Gomes
Nascimento 26 de maio de 1930 (86 anos)
Mirante do Paranapanema, SP
Atividade 1971 - atualmente
IMDb: (inglês)
Tony Tornado
Informação geral
Nome completo Antônio Viana Gomes
Também conhecido(a) como Tony Checker[1]
Jonnhy Bradfort[2]

Comfort[2] Dinossauro do Soul

Nascimento 26 de maio de 1930 (86 anos)
Origem Mirante do Paranapanema, estado de São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Rock and Roll - soul- funk
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade anos 60 (Tony Checker) e anos 70 (Tony Tornado)
Outras ocupações ator, dançarino
Afiliação(ões) Tim Maia, Ed Lincoln, Erasmo Carlos, Roberto Carlos, Trio Ternura
Influência(s) Little Richard[3] , Chubby Checker, James Brown[2]

Antônio Viana Gomes, mais conhecido como Tony Tornado ou Toni Tornado (Mirante do Paranapanema[4] [5] [6] , 26 de maio de 1930), é um ator e cantor brasileiro.[7] Em 1970 foi o vencedor da fase brasileira do V Festival Internacional da Canção com a canção soul "BR-3".[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pai guianense e mãe brasileira [8] , aos 11 anos de idade Tony fugiu de casa e foi parar no Rio de Janeiro onde se tornou menino de rua e ganhava a vida vendendo amendoim e engraxando sapatos.

Aos 18 anos serviu na Escola de Paraquedismo de Deodoro junto com o empresário Silvio Santos.

Em 1957, lutou no Canal de Suez[9] .

Tony iniciou sua carreira artística nos anos 60 com o nome artístico de Tony Checker, dublando e dançando no programa "Hoje é dia de Rock" de Jair de Taumaturgo, nessa época Tony imitava os cantores Chubby Checker e Little Richard.

Ainda nos anos 60, viajou aos Estados Unidos onde morou por cinco anos em Nova York.

Em Nova York, Tony atuou como traficante de drogas e cafetão[10] . Para enganar o departamento de imigração, fingia ser funcionário de um lava-rápido[9] . Nessa época, Tony conheceu outro brasileiro que também morava em Nova York, o também cantor Tim Maia[10] .

De volta ao Brasil em 1969, trabalhou no conjunto de Ed Lincoln e, sob o pseudônimo de Johnny Bradfort[2] , cantava numa boate cujo dono o obrigava a se passar por estrangeiro[9] .

Em 1970, adotou o nome com o qual passou a ser conhecido "Tony Tornado". Influenciado por James Brown, Tony foi um dos artistas que introduziu a Soul Music e o Funk na música brasileira[2] .

Nesse mesmo ano, ao lado do Trio Ternura defendeu a canção BR-3, que conseguiu o primeiro lugar no festival[11] . Estreou na televisão em 1972 com a novela Jerônimo, da TV Tupi.

Participa frequentemente de várias novelas e minisséries, mas quase nunca, infelizmente, em papéis de destaque. O maior papel de sua carreira na TV foi Gregório Fortunato[10] , o "Anjo Negro"[12] , chefe da segurança pessoal do presidente e estadista Getúlio Vargas, na minissérie Agosto, de 1993, baseada na obra de Rubem Fonseca. Outro papel marcante de sua carreira foi o capataz Rodésio, que trabalhava para a viúva Porcina (Regina Duarte), em Roque Santeiro - tão marcante que, em um dos finais gravados, era Rodésio quem terminava ao lado de Porcina, que no entanto foi vetado pela emissora Globo por medo da reação do público.

Foi casado com a atriz Arlete Salles na década de 70.

Atualmente, Tony voltou a se apresentar nos palcos de todo país cantando seus maiores sucessos, acompanhado da banda Funkessência e de seu filho, o cantor e também ator Lincoln Tornado[13] .

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

No Conjunto de Ed Lincoln[editar | editar código-fonte]

Como convidado[editar | editar código-fonte]

Trabalhos como ator[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Silvio Essinger. Editora Record, : . Batidão: uma história do funk. 2005 [S.l.: s.n.] p. 20. ISBN 9788501071651. 
  2. a b c d e Zuza Homem de Mello (2003). A era dos festivais: uma parábola Editora 34 [S.l.] 9788573262728. 
  3. Ricardo Pugialli (2006). Almanaque da Jovem guarda: nos embalos de uma década cheia de brasa, mora? Ediouro Publicações [S.l.] p. 307. 9788500020735. 
  4. Bertani, Jéssica (27/2/2013). «Música Perdida Brasileira #2 - Toni Tornado». PlayTV. Consultado em 14/3/2013. «Toni, nasceu Antônio Viana Gomes em Mirante de Paranapanema, no extremo oeste de São Paulo, no ano de 1930.» 
  5. «Tony Tornado». Dicionário Cravo Albin. s/data. Consultado em 14/03/2013. 
  6. «Tony Tornado participa de projeto do Sesc Thermas voltado à terceira idade». Prudensite. 27/2/2013. Consultado em 14/3/2013. «Antônio Viana Gomes, ou simplesmente Tony Tornado, nasceu em Mirante do Paranapanema (SP)...» 
  7. «Biografia de Tony Tornado para o Museu da TV Brasileira». Museu da TV. s/data. Consultado em 14/3/2013. «Ele nasceu em Mirante de Paranapanema, interior de São Paulo, em 26 de maio de 1930.» 
  8. ana Ferraz (19 de julho de 2015). «A tempestade de suingue de Tony Tornado». Carta Capital. 
  9. a b c Rodrigo Cardoso (13 de outubro de 1999). «Tony Tornado volta a sacudir». IstoÉ Gente. 
  10. a b c «Tony Tornado lembra confusão em show de Elis Regina». Programa do Jô. 08/12/11. 
  11. Zuza Homem de Mello (2008). A era dos festivais: uma parábola Editora 34 [S.l.] p. 376. 9788573262728. 
  12. Lucila Soares (20 de Dezembro de 2000). «O preço da fidelidade». Revista Veja Edição 1680. 
  13. Regis Tadeu (20/07/2012). «É show ou é fria? – 4ª semana de julho». Yahoo!. 
  14. GShow (29 de abril de 2015). «Dani Calabresa aceita desafio de Fabiana Karla em lançamento do Zorra». Globo.com. Consultado em 4 de maio de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Tony Tornado