A Viagem (1994)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A Viagem
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Ivani Ribeiro
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Wolf Maya
Elenco Christiane Torloni
Antônio Fagundes
Andréa Beltrão
Guilherme Fontes
Maurício Mattar
Lucinha Lins
Cláudio Cavalcanti
Miguel Falabella
Thaís de Campos
Laura Cardoso
Suzy Rêgo
Jonas Bloch
Nair Bello
Ary Fontoura
Cibele Larrama
Breno Moroni
ver mais
Tema de abertura "A Viagem", Roupa Nova
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 11 de abril - 21 de outubro de 1994
N.º de episódios 167
Cronologia
Programas relacionados A Viagem

A Viagem é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 11 de abril a 21 de outubro de 1994, no seu horário das 19 horas, em 167 capítulos, substituindo Olho no Olho e sendo substituída por Quatro por Quatro[1]. Foi a 50ª "novela das sete" exibida pela emissora.

Escrita por Ivani Ribeiro, com colaboração de Solange Castro Neves, e contou com a direção de Wolf Maya, Ignácio Coqueiro e Maurício Farias, com direção geral e núcleo de Wolf Maya.[2] É um remake da telenovela homônima transmitida entre 1975 e 1976 pela Rede Tupi.

Contou com Christiane Torloni, Antônio Fagundes, Andréa Beltrão, Maurício Mattar, Guilherme Fontes, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Laura Cardoso, Jonas Bloch, Thaís de Campos e Suzy Rêgo nos papéis centrais da trama.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Pego em flagrante em uma tentativa de roubo, Alexandre Toledo, um jovem de classe média usuário de drogas e álcool, mata o funcionário da agência bancária que o surpreende e tenta fugir. Porém, seu irmão Raul e seu cunhado Teodoro (Téo) o entregam à polícia. Tem uma irmã chamada Diná,[3] uma mulher bonita, charmosa e que tem muito ciúme de Téo, seu marido que é bem mais jovem que ela, com quem tem uma filha de 5/6 anos. Diná é quem faz tudo para defender Alexandre. Vai procurar o renomado advogado Otávio Jordão para que represente Alexandre, mas Otávio prontamente recusa a proposta uma vez que a vítima era seu grande amigo. Assim sendo, Alexandre é preso e condenado a 18 anos de reclusão, sofrendo muito. Na prisão acabou por cometer suicídio por envenenamento, não sem antes, jurar vingança contra os supostos responsáveis por sua condenação ou seja o irmão, o cunhado, e o advogado.

Com o suicídio de Alexandre, o médico e amigo da família Dr. Alberto Rezende, adepto do espiritismo, põe-se a tentar ajudar a mãe dele, Dona Maroca, e a todos da família. Alberto é apaixonado por Diná,[3] mas depois volta suas atenções para Estela, irmã de Diná, Raul e Alexandre. Estela vive as voltas com a filha problemática Bia, que criou sozinha desde quando foi largada pelo marido. Porém, depois de anos de ausência, ele reaparece e passa a influenciar negativamente a filha contra a mãe.

Do lado cômico da trama existe a pensão de Dona Cininha, onde vivem Tibério, um bondoso funcionário público amigo de Estela e que acredita ter um amigo imaginário; Adonay, um homem misterioso apelidado de "Mascarado", que esconde seu rosto horrivelmente deformado num acidente na adolescência; e o folgado Agenor, pai da jovem Lisandra (Lisa).

O Dr. Otávio, com quem Diná passa a viver uma relação de amor e ódio, culpando-o por tudo de ruim que aconteceu a seu irmão, é viúvo e pai de dois filhos: o jovem Otávio (Tato) e o garoto Eduardo (Dudu). Todavia, Alexandre, no vale dos suicidas, um lugar de dor e sofrimento para os que se matam, passa a atormentar a vida de todos, cumprindo o que prometera antes de morrer, como por exemplo deixando Tato drogado e alcoólatra, incentivando-o sem ele saber, para ele ir em prostíbulos e boates, além de bater em mulheres e no próprio irmão. Ele causa tudo isso para atingir Otávio.

Ele também acaba estragando o casamento de Raul e Andreza influenciando negativamente a sogra de seu irmão, Dona Guiomar, antes uma mulher doce que se torna uma víbora por causa de Alexandre. E ainda torna Téo um marido muito violento com Diná.[3] Seus principais alvos são o advogado, o irmão e o cunhado.

Diná e Otávio acabam se apaixonando, bem como Téo e Lisa, ex-namorada de Alexandre. As únicas pessoas que se dão conta da malévola influência de Alexandre sobre os vivos são o Dr. Alberto e a mãe de Téo, Dona Josefa, ambos adeptos do Espiritismo, que tentam fazer algo através das sessões mediúnicas.

Morre o advogado Otávio (num acidente de carro provocado por Alexandre) e, depois, morre também Diná (de um infarto fulminante após reencontrar sua sobrinha Beatriz, que estava desaparecida, pois era sua última missão aqui na Terra). Eles se reencontram num lugar chamado "Nosso Lar", uma colônia espiritual de fato existente para alguns espíritas, onde os espíritos evoluem e aprendem lições de amor e paz. De lá, juntos, com seu amor capaz de superar todas as barreiras, os dois tentam reverter a influência diabólica de Alexandre, que está preso no "Vale dos Suicidas", sobre os seus entes queridos na Terra. Farão Alexandre perdoar a todos, e ir para colônia "Nosso Lar", para que Alexandre reencarne e se torne melhor, além de evoluir espiritualmente.

Produção[editar | editar código-fonte]

Ivani Ribeiro escreveu A Viagem da Rede Tupi baseando-se nos livros Nosso Lar de 1944 e E a Vida Continua de 1968, que foram psicografados pelo médium brasileiro Chico Xavier,[2] com autoria atribuída ao espírito André Luiz.[2] Também teve a colaboração do professor Herculano Pires, considerado um dos maiores escritores e estudiosos da doutrina kardecista.[2] A princípio, Ivani pretendia adaptar um livro de Chico Xavier. Mas Chico sugeriu a Ivani que ela desenvolvesse uma trama que abordasse o tema da vida após a morte. Assim, Ivani escreveu a novela baseando-se na filosofia de Allan Kardec.[2]

O remake foi produzido em 20 dias para entrar no ar, porque houve um atraso na produção de sua sucessora no horário, Quatro por Quatro. Segundo o diretor Wolf Maya, isso só foi possível porque os cenários que representam o céu e inferno só surgiriam na trama depois do capítulo 60, dando tempo à equipe de produzir as cenas ambientadas nesses espaços.[4]

Miguel Falabella criticou o texto e o trabalho desnecessário, que segundo o ator, os escritores não sabem poupar o elenco, "É uma novela muito cansativa de fazer. Tem cenários demais. A ação não é concentrada". A crítica era para Solange Castro Neves, que o ator crítica por colocar o elenco em todos os cenários. Como resposta, Solange argumentou que "tem artista que grava muito mais cenas do que ele e nunca reclamou".[5]

A falta de pessoas de cor negra no céu fez com que surgissem reclamações, endereçadas por entidades do movimento negro para a Rede Globo, como a vários jornais do país.[6]

A Viagem foi a última novela de Ivani Ribeiro, que faleceu em julho de 1995, aos 79 anos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Christiane Torloni Diná Toledo Dias [3][7]
Antônio Fagundes Otávio César Jordão
Andréa Beltrão Lisandra Barbosa ("Lisa")
Guilherme Fontes Alexandre Toledo
Maurício Mattar Teodoro Dias (Téo)
Lucinha Lins Estela Toledo Novaes
Miguel Falabella Raul Toledo
Thaís de Campos Andrezza Muniz Toledo
Suzy Rêgo Carmem
Jonas Bloch Ismael Novaes
Laura Cardoso Guiomar Muniz
Yara Cortes Maroca Toledo
Cláudio Cavalcanti Dr. Alberto Rezende
Nair Bello Dona Cininha
Ary Fontoura Seu Tibério
Eduardo Galvão Mauro Botelho Rezende
Fernanda Rodrigues Beatriz Toledo Novaes (Bia)
Breno Moroni Mascarado / Adonay
Lolita Rodrigues Fátima Aparecida Domingues
John Herbert Agenor Barbosa
Denise Del Vecchio Glória Gusmão
Felipe Martins Otávio César Jordão Júnior (Tato)
Mara Carvalho Regina
Irving São Paulo José Carlos Barbosa (Zeca)
Daniel Ávila Eduardo Jordão (Dudu)
Viviane Pinheiro Patrícia Toledo Dias (Patty)
Cláudio Mamberti Geraldão
Ricardo Petraglia Diogo Queiroz
Tânia Scher Josefa Dias
Mara Manzan Edmeia
Keila Bueno Naná
Renato Rabello Padilha
Eduardo Felipe Dedé
Roberta Índio do Brasil Sofia
Chris Pitsch Bárbara
Walther Verve Boca
Danton Mello Johnny
Carlos Takeshi Okida
Maria Alves Francisca
Cibele Larrama Maria
Jorge Pontual Antônio
Nádia Bambirra Margarida
Jayme Periard Igor

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Repercussão[editar | editar código-fonte]

A trama também despertou o interesse dos telespectadores sobre a religião espírita. Houve uma grande procura por centros espíritas, se comparado a anos anteriores. Além disso, a a venda de livros sobre espiritismo aumentou em 50%, segundo dados levantados na época por livrarias especializadas.[8]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Teve uma média geral de 52 pontos em 1994. Seu primeiro capítulo registrou 51 pontos no IBOPE, maior que a meta estipulada pela TV Globo para as novelas das sete na época, que era 40. Seus penúltimo e último capítulo registraram, respectivamente, 63 pontos e 80% de share. Já o seu menor índice foi de 38 pontos, registrado no dia 16 de junho do mesmo ano.[9]

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 28 de abril a 12 de setembro de 1997, substituindo Mulheres de Areia e substituída por Fera Ferida, em 100 capítulos[10].

Foi reexibida novamente pelo Vale a Pena Ver de Novo de 13 de fevereiro a 21 de julho de 2006, substituindo Força de um Desejo e substituída por Chocolate com Pimenta, em 113 capítulos.[11]

Foi reexibida pelo Vídeo Show, no quadro Novelão, de 25 a 29 de junho de 2012, substituindo Renascer e sendo substituída por História de Amor, em 5 capítulos.

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 14 de julho de 2014 a 23 de janeiro de 2015, substituindo A Próxima Vítima e sendo substituída por Pedra sobre Pedra, às 14h30.[12]

DVD[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2017, a Globo Marcas lançou a novela em DVD, em um box com 14 discos.[13]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

A Viagem Nacional
Capa: Christiane Torloni
Trilha sonora
Lançamento 1994
Gênero(s) Vários
Formato(s) CD, LP, cassete
Gravadora(s) Som Livre
N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Esqueça (Forget Him)"  Fábio Jr.Estela 3:39
2. "Mais uma de Amor (Geme Geme)"  BlitzBia 3:39
3. "Meu Grande Amor"  Renato TerraZeca e Naná 3:54
4. "Febre"  Lulu SantosTato 4:22
5. "Caminhos de Sol"  YahooLisa 3:48
6. "Ilha de Mel"  Leila MonjardimRegina 4:08
7. "A Viagem"  Roupa NovaAbertura 3:29
8. "Poeira de Estrelas (Stardust)"  Fafá de BelémOtávio 4:10
9. "Melodrama"  Toni PlatãoMauro 3:38
10. "Beijo Partido"  Milton NascimentoRaul e Andrezza 3:49
11. "Seja Lá Como For"  Rita de Cássia OliveiraCarmem 3:58
12. "Ter Mais Que Um Coração"  Artur MaiaTéo 3:35
13. "Quando Chove (Quanno Chiove)"  Patrícia MarxDiná 3:35
14. "Cada Um No Seu Cada Um" (part. Ivan Milanes)Zeca PagodinhoCininha 2:33
15. "Paisagem"  BR-3Geral 3:37

Internacional[editar | editar código-fonte]

A Viagem Internacional
Capa: Andréa Beltrão
Trilha sonora de Vários Artistas
Lançamento 1994
Gênero(s) Vários
Formato(s) CD, LP, cassete
Gravadora(s) Som Livre
N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "I'm Your Puppet" (part. Paul Young)Elton JohnTéo e Lisa 3:33
2. "Linger"  The CranberriesRaul e Andrezza 4:31
3. "I'll Stand by You"  PretendersEstela 3:52
4. "Twist and Shout" (feat. Jack Radics & Taxi Gang)Chaka Demus & PliersJohnny 3:55
5. "My Love"  Little TexasZeca e Sofia 3:58
6. "Another Sad Love Song"  Toni BraxtonMauro 4:53
7. "The Way I Feel"  Twenty Seven HeavensIgor 3:50
8. "Crazy"  Julio IglesiasOtávio e Diná 3:16
9. "Why Worry"  Art GarfunkelCarmem e Adonai 5:32
10. "I Miss You"  HaddawayDiná 4:12
11. "Can We Talk"  Tevin CampbellGeral 4:42
12. "Paradise"  KorellBia 4:40
13. "Desperate Lovers" (part. Paulo Ricardo)Marta SanchezGeral 3:43
14. "I Need You"  B.V.S.M.P.Dudu 4:32

Referências

  1. «Autora assina adaptação de fábula espiritualista». Folha de São Paulo. 10 de abril de 1994. Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  2. a b c d e «A Viagem». Teledramaturgia. Consultado em 30 de março de 2014. 
  3. a b c d Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome ficha
  4. «A Viagem». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 30 de março de 2014. 
  5. Ricardo Valladares; Ana Paula Martins (2 de outubro de 1994). «Miguel Falabella critica texto da novela 'A Viagem'». Folha de S. Paulo. Grupo Folha. Consultado em 30 de março de 2014. 
  6. Marcelo Migliaccio (16 de outubro de 1994). «Democracia racial chega ao céu de "A Viagem"». Folha de S. Paulo. Folha de São Paulo. Consultado em 5 de dezembro de 2017. 
  7. «Diná (Christiane Torloni)». Memória Globo. Consultado em 12 de julho de 2015. 
  8. «A Viagem detona explosão espírita». Folha de São Paulo. 18 de setembro de 1994. Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  9. «Globo vai reprisar novela "A Viagem"». Consultado em 30 de março de 2014. 
  10. «Reprise esnoba boas novelas antigas». Folha Ilustrada. 15 de junho de 1997. Consultado em 14 de novembro de 2017. 
  11. Daniel Castro (27 de janeiro de 2006). «Globo vai reprisar novela "A Viagem"». Folha Ilustrada. Consultado em 27 de julho de 2015. 
  12. Daniel Castro (23 de janeiro de 2014). «Canal Viva reprisa Dancin Days em abril e adia volta de A Viagem». UOL. Consultado em 25 de novembro de 2016. 
  13. Diogo Cavalcante (31 de julho de 2017). «Globo lançará DVD de "A Viagem" em agosto». natelinha.uol.com.br. UOL. Consultado em 15 de dezembro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]