Patricia Marx

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Patrícia Marx)
Ir para: navegação, pesquisa
Patricia Marx
Patricia Marx em 2013.
Informação geral
Nome completo Patricia Marques de Azevedo
Nascimento 28 de junho de 1974 (41 anos)
Local de nascimento São Paulo,  São Paulo
 Brasil
Nacionalidade  brasileira
Gênero(s)
Ocupação(ões) Cantora
Instrumento(s)
Período em atividade 1983 - presente
Gravadora(s)
  • BMG (1984–1992)
  • LUX (1994-1998)
  • Trama (2002-2006)
  • Urubu Jazz (2010-2011)
  • LAB 344 (2012-2014)
Afiliação(ões)
Influência(s)
Influenciado(s)
Página oficial Site oficial

Patricia Marques de Azevedo mais conhecida como Patricia Marx (São Paulo, 28 de junho de 1974) é uma cantora, compositora e musicista brasileira.[1]

Em 1983 ficou nacionalmente conhecida no programa Clube da Criança, que na época era exibido pela Rede Manchete e apresentado por Xuxa, Patricia gravou o álbum homônimo ao lado de Luciano Nassyn e com participações de Xuxa, Absyntho, Robertinho de Recife, Sergio Reis, Pelé, Roupa Nova e Carequinha. Em 1984, o produtor musical Michael Sullivan fundou o grupo infantil Trem da Alegria, onde Patricia permaneceu até o ano de 1987, ano este em que se iniciou sua carreira solo. Em 1994, a cantora muda seu nome artístico para Patricia Marx, e volta com um estilo totalmente pop e dançante em suas músicas, para retirar aquela imagem infantil que o público construiu ao longo de sua carreira. Em 1999 mudou-se para Inglaterra com seu marido, Bruno E., e converteu-se ao budismo, tornou-se vegetariana, casou-se e teve seu primeiro filho, Arthur, hoje com 15 anos. Em 2002, assinou com a gravadora Trama, e lançou seu álbum Respirar, com um estilo totalmente repaginado, voltado para estilo Eletrônico, Dream Pop e Soul, totalmente influenciada pelo estilo da música inglesa.[2] Em 2004, lança o álbum Nu Soul na Europa, onde percorreu o continente com a turnê do álbum, onde obteve êxitos dos sucessos “Burning Luv” e “Dias de Sol”, o álbum chegou ao Brasil seis meses após o lançamento no exterior, o título do álbum foi ‘’Patricia Marx’’, após cinco anos, a cantora retornou em 2010 com seu marido, Bruno E. no álbum Patricia Marx & Bruno E. com clássicos da MPB e Bossa nova, o álbum foi comercializado pelo selo URUBU JAZZ e Tratore.[2] Em 2013 assinou contrato com a gravadora indie, LAB 344, e lançou sua terceira coletânea Trinta, que contou com participação de Seu Jorge e Ed Motta, e também lançou seu primeiro DVD de sua carreira, Trinta Ao Vivo.[1] Em julho de 2014, a cantora anuncia seu novo EP, Te Cuida Meu Bem - Sextape, Pt. 1, sendo este seu último trabalho com a gravadora LAB 344.[3] Em agosto de 2015, Patricia Marx dá início a uma campanha no site de financiamento coletivo Kickante, para poder lançar um novo EP, onde a cantora detalhou os custos em seu Facebook, que deve ficar em torno de R$ 59,4 mil reais. Ao fim da campanha no dia 16 de outubro de 2015, Patricia não conseguiu nem metade do valor, arrecadando apenas R$ 6,9 mil em dois meses, deixando uma mensagem na página da campanha que o dinheiro pago pelos doares irá ser reembolsado,[4] três dias depois publicou uma mensagem em seu Facebook oficial agradecendo a todos seus seguidores por segui-la neste longo caminho até hoje, dando a entender que estaria se despedindo.[5] [6] Em mais de 30 anos de carreira, Patrícia já vendeu mais de 3 milhões de discos e emplacou 14 canções entre as 10 mais tocadas nas rádios brasileiras.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Patricia Marques de Azevedo nasceu na cidade de São Paulo em 28 de junho de 1974. A cantora conta que teve bastante influência musical desde pequena, pois sua mãe era professora de balé clássico e ouvia bastante músicas clássicas para compor suas aulas, e consequentemente isto a estimulava a fazer as suas próprias coreografias em suas primeiras apresentações na televisão. Com apenas cinco anos de idade, a cantora pediu para que seus pais a levassem ao Programa do Chacrinha para cantar, onde acabou encantando o animador, que passou a convidá-la frequentemente para fazer parte de seu programa. Lá ela cantava músicas de Gal Costa, Guilherme Arantes, entre outros artistas que ela ouvia em sua casa por influência de seus pais desde cedo.[7]

Vida Pessoal

Patricia é casada com o produtor musical Bruno E. e com ele teve seu primeiro filho, Arthur, que nasceu no ano de 2000.[8]

Polêmicas

Em setembro de 2013, Patricia causou polêmica no Facebook ao fazer um desabafo sobre fazer shows no Brasil, chegando a dizer que trabalhar no país com música, é comer o pão que o diabo amassou, e também revelou que há existência de panelinhas no país:

Cquote1.svg Eu estou de saco bem cheio de não fazer show nesse país! Quando morei em Londres, fiz três tournês em um ano!! Tenho um filho pra criar, escola para pagar, casa, comida, gasolina, 30 anos de carreira, um cd e um dvd comemorativos desses anos todos de serviço musical!! Cadê o espaço democrático no mercado de shows, senhores produtores??!! Incrível isso, vocês nem imaginam! Gente, não adianta ter talento não, é tudo mentira! A segunda coisa pior nesse país, é que os próprios artistas não se ajudam! Isso não cabe na minha cabeça!! Cada um olha pro seu próprio umbigo...Muito triste mesmo.A lei Rouanet então é uma piada de mau gosto!", completou. "Hackers do Brasil, uni-vos! Vamos criar o Anonymous Cultural, contra toda essa palhaçada com a cultura no Brasil! Cquote2.svg
Patricia Marx, 28 setembro de 2013

[9]

2013 foi um ano bastante movimentado na vida de Patricia Marx, pois além das polêmicas envolvendo seu nome sobre este desabafo, ela foi protagonista de mais uma polêmica em dezembro do mesmo ano, em que foi vítima de um golpe na capital pernambucana, Recife onde mais uma vez usou seu Facebook para falar sobre o ocorrido.

Cquote1.svg Bom dia pra vc que tomou o maior calote em Recife. Elimar Mazinho é o nome que não deve ser pronunciado. Nem meu hotel ele teve a decência de pagar. Sumiu como um garoto irresponsável. Que a justiça seja feita com quem não tem responsabilidade e noção do mundo real e profissional. Eu tenho 30 anos de carreira e tem sido cada vez mais difícil confiar nas pessoas. (...) Estou muitíssimo triste e frustrada, pois cumpri a minha parte como profissional que sou. Eu só tenho a lamentar. Espero voltar a Recife para realizar um grande show, pois o público daqui merece e não tem culpa Cquote2.svg
Patricia Marx, no Facebook

[10]

Entre o mês de julho e agosto de 2014, Patricia Marx dominou os portais de notícias de todo o Brasil por conta de imagens suas fumando maconha. A cantora sempre utilizou o Instagram para compartilhar momentos íntimos de sua vida com os fãs, porém ela fez uma publicação com uma mensagem alucinógena na rede social, o que acabou viralizando na web, fazendo com que seu nome fosse parar nos trending topics do Twitter Brasil e claro, sendo duramente criticada pelo público.[11] [12]

Cquote1.svg Fumo porque me liberta. Fumo porque quero. Pq sou rebelde. Pq acho contraditório. Pq quero provocar vcs. Pq gosto de estar no Todo que isso me proporciona. Pq faz bem e nao o mal que o cigarro faz. Pq provoca alegria. Pq é um ato político. Pq sou do contra. Pq há um tabu que eu quero desfazer. Pq nem todo mundo entende. Pq muita gente entende. Pq fazer musica e cantar assim é um vôo, uma entrega brilhante. Pq sou criativa e gosto de estar estimulada. Pq me faz perceber coisas q nao enxergo no dia a dia. Pq é perfumado. Pq eu quero fazer vc pensar e se livrar do preconceito com relação à tudo. Apologia ou não, segue o meu parecer. Vc decide. Cquote2.svg
Patricia Marx no Instagram

1983 – 1987: Festival Internacional da Criança, Clube da Criança e Trem da Alegria[editar | editar código-fonte]

Em 1983, Patricia participou do concurso Festival Internacional da Criança, exibida na época pela TVS e apresentado por Silvio Santos. O vencedor do concurso gravaria uma faixa no disco do festival. A gravadora RCA Records (hoje atual Sony Music), ouviu Patricia e gostou de sua voz e a escolheu junto com outro cantor que também participou do festival, o Luciano Nassyn, para gravar o disco do programa Clube da Criança, que foi exibido pela Rede Manchete, o álbum foi gravado em 1983 e lançado em 1984, as crianças contou com participação de vários outros artistas, entre eles estavam: Xuxa, Sérgio Mallandro, Pelé, Absyntho, Robertinho de Recife, Carequinha entre outros. Em 1985, o produtor musical Michael Sullivan convidou Juninho Bill para o grupo, formando assim o trio Trem da Alegria, que no mesmo ano lançou o álbum Trem da Alegria do Clube da Criança, álbum este dono dos sucessos "Dona Felicidade" com participação de Lucinha Lins, "Uni-Dui-Tê" com participação de Fevers e “Coqui” com colaboração do extinto grupo mexicano Menudo, além destes artistas, ainda teve outras participações especiais de Xuxa, Gal Costa e do jogador de futebol Pelé.[13] Em 1986, Vanessa integrou o grupo infantil ao lado de Patricia Marx, Luciano Nassyn e Juninho Bill, e lançou o álbum de mesmo ano, que obtiveram grandes êxitos com "He-Man", "Zeppelin", "A Patinha da Vovó" e "Fera Neném", neste álbum a grupo contou com colaboração de Roupa Nova, Joe, Evandro Mesquita, Xuxa e Sylvinho Blau Blau. Em 1987 é lançado o quarto álbum de estúdio do Trem da Alegria, sendo este, o último álbum do grupo com colaboração de Patricia, neste ano a cantora amazonense Fabíola Braga entrou para o grupo, no álbum deste ano as músicas de destaques foram "Piuí Abacaxi", "Thundercats" e "A Dança do Canguru". No álbum Patricia só deu a voz à canção "Abra a Boca e Feche os Olhos", que inclusive fez parte de seu primeiro álbum solo do mesmo ano, Paty. Esta foi à única canção cantada por Patricia no álbum, ao contrário do que muitos pensam, ela não deu voz a "Piuí Abacaxi", e sim a cantora Vanessa. Este álbum teria sido o mais bem sucedido do grupo até então com Patricia, com mais de 850 mil cópias vendidas.[14]

1987 – 1992: Paty, Patricia, Incertezas e Neoclássico[editar | editar código-fonte]

Após quase três anos com o grupo Trem da Alegria, finalmente Patricia Marx (que na época ainda era conhecida apenas como Patricia), dava início a sua carreira solo. Durante três anos, Patricia manteve contrato com a gravadora RCA Records (que hoje é à atual Sony Music), mas após três álbuns trabalhados com a gravadora, a cantora se sentiu desconfortável de que ainda ter que seguir um “molde” para poder continuar vendendo suas músicas, pois ela estava em busca de seu próprio estilo musical. Em 1992, fez um trabalho paralelo com a gravadora Camerati com o álbum Neoclássico, que foi lançado com exclusividade no Japão, após o envolvimento com este trabalho, a cantora ficou dois anos trabalhando em seu novo álbum Ficar com Você de 1994, que contou com produção de Tuta Aquino e Nelson Motta em Nova Iorque[15] , e teve direção artística da atriz e modelo Betty Lago que faleceu em 13 de setembro de 2015, vítima de câncer.[16] [17]

Em 1987, a cantora lançou seu primeiro álbum solo Paty pela gravadora RCA, o álbum vendeu 450 mil cópias, Patricia na época estourou nas rádios devido as suas músicas marcarem presença constante em telenovelas da Rede Globo. Em 1988, a cantora lançou seu segundo álbum Patricia, neste álbum, a canção “Certo ou Errado” foi o primeiro single a ser trabalhado para divulgação do álbum, que também obteve um êxito em suas vendagens, várias outras canções como “Doçura”, “Cedo Demais” e “É Tempo de Amar” fizeram sucesso entre os jovens da época. Inclusive, a canção “É Tempo de Amar” entrou para a lista da canção para ser regravada para seu novo EP de 2015, porém os fãs escolheram “Miragem, Viagem”. Em 1990, após dois anos de seu segundo álbum, Patricia volta com um álbum de inéditas Incertezas, que também foi dono de grandes sucessos da cantora, que marcam épocas até hoje, neste álbum Patricia e contou com a colaboração de seu amigo Ed Motta na canção “Um Ano Eu Sei”. Deste álbum "Sonho de Amor" foi a canção de maior sucesso, e foi regravada para sua terceira coletânea Trinta, de 2013; Ainda em 2012 foi regravada pela dupla sertaneja Zezé Di Camargo e Luciano (Os dois são da gravadora Sony Music, detentora dos direitos autorais da canção). Este foi seu último álbum com a gravadora Sony BMG, que no ano seguinte, 1991, lançou sua primeira coletânea As Melhores de Patricia, onde reuniu os maiores sucessos de Patricia que leva o selo da gravadora.[18]

Em 1992 Patricia lança seu quarto álbum de estúdio Neoclássico pela gravadora Camerati, este foi um projeto paralelo de sua carreira com o produtor Mamoru Oshima, pois apenas trabalhou com regravações dos clássicos de MBP, como músicas de Oswaldinho da Cuíca, Tom Jobim, José Maria de Abreu, Luiz Peixoto, Sônia Rosa, entre outros. O álbum foi produzido exclusivamente para o Japão, que inclusive foi o trabalho responsável por tornar Patricia Marx até hoje uma das cantoras mais conhecidas do país por sua voz doce. Este álbum é o mais raro de sua carreira, os colecionadores desembolsam até R$ 500,00 para tê-lo em sua coleção.[19]

1993 - 1997: Novo repertório e pausa na carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1993, Patricia assinou com os produtores musicais Nelson Motta e Tuta Aquino para trabalharem um estilo mais livre que a cantora estava buscando, onde poderia ter maior flexibilidade em escolher seu repertório. A modelo e atriz Betty Lago, foi a responsável pela direção de arte e imagem de Patricia, que inclusive, mudou seu nome artístico para “Marx” (Referente ao seu sobrenome ‘Marques’), o álbum que marcou a "nova era" de Patricia Marx recebeu o nome de Ficar com Você. A faixa título é uma adaptação de Nelson Motta da canção "I Wanna Be Where You Are", do grupo The Jacksons, a segunda canção, que inclusive obteve maior destaque foi "Quando Chove", que fez parte da trilha sonora da telenovela A Viagem da Rede Globo, a canção foi uma adaptação de Nelson Motta para canção “Quanno Chiove”, do músico italiano Pino Danielle. A grande visibilidade que Patricia Marx obteve com seu novo repertório, fez com que o compositor Dalto lhe desse a canção Espelhos D’água, para a trilha sonora da telenovela teen Malhação de 1994, a canção fez tanto sucesso, que a gravadora editou uma nova edição do álbum Ficar com Você incluindo a canção. Esta música é a grande carro-chefe na carreira de Patricia Marx até hoje, inclusive ela foi regravada para sua coletânea de 2013 com Seu Jorge, e ficou entre as mais tocadas de 2012. No Japão, foi lançada em um compacto de 7 polegadas.[20] [21]

Em 1995 a cantora já anunciou seu quinto álbum de estúdio Quero Mais, com o sucesso "Sei Que Você Não Vai", neste álbum a canção "Espelhos D’água" entrou como faixa bônus apenas na edição em CD, já em vinil e k7 ela não foi gravada. Em 1998 é lançado o sétimo álbum da cantora, que deu uma pausa para estudar um novo estilo em suas músicas. Vendo o álbum como um meio de se fazer o teste, ela e Nelson Motta regravaram canções de Marina Lima ("Charme do Mundo"), Herbert Vianna ("Me Liga"), Lulu Santos ("O Último Romântico") e Titãs ("Go Back"), entre outras. Como Patricia Marx havia assumido um estilo eletrônico com seus dois últimos álbuns Ficar com Você e Quero Mais e que ambos obtiveram um grande êxito na nova fase da cantora, Patricia Marx viu a oportunidade de se fazer um novo estilo musical, unindo a MPB com música eletrônica. Só que infelizmente o público e a crítica não aceitaram o novo repertório da cantora, fazendo com que as vendagens o disco não atingisse o esperado pela gravadora e como conseqüência, Patricia acabou não renovando seu contrato com a LUX. No ano seguinte, em 1999, a gravadora Universal Music lançou a segunda coletânea da carreira de Patricia Marx, na série “Millennium” da gravadora, onde no catálogo desta série continha apenas artistas que marcaram uma era com suas músicas.[20] [21]

Pausa na carreira

Após quase 20 anos seguindo uma carreira sem parar, Patricia Marx se viu em um momento em que gostaria de sair um pouco dos holofotes, e dar mais atenção a sua vida pessoal. Neste período, a cantora casou-se e teve seu primeiro filho, Arthur que nasceu em 2000, e também se converteu ao budismo e adotou alimentação vegetariana. Neste período, a cantora passou uma temporada em Londres com seu marido, onde o mesmo freqüentava clubes de música eletrônica e experimental, que é bastante comum na capital inglesa.[21] [22]

2002 – 2010: Volta e carreira internacional[editar | editar código-fonte]

Em 2002 seu oitavo álbum de estúdio ‘’Respirar’’ é lançado pela gravadora Trama, que trouxe parceria de Patricia Marx com o grupo inglês 4 Hero na canção “Submerso”, neste álbum Patricia traz a canção “Chegou”, especialmente para seu filho, logo depois vem a faixa “Respirar”, onde ela faz um desabafo sobre sua pausa na carreira, o álbum inteiro traz composição de Patricia Marx, a cantora traz um estilo de experimento musical trabalhando diversos gêneros musicais, entre eles o Dream Pop, Soul, música eletrônica com MPB e um estilo bem alternativo, bastante diferente do que os brasileiras estavam acostumados a ver no dia-a-dia na televisão, em alguns blogs especializados em soul music, citam Patricia Marx como a embaixadora do Soul no Brasil, as canções de maiores destaques do álbum foi “Demais Pra Esquecer”, e “Despertar” sendo esta a escolhida para entrar em coletânea de 2013.[2] Em 2004, Patricia lança seu nono álbum de estúdio Nu Soul na Europa, onde percorreu o continente com turnês durante um ano, o álbum após seis meses de ter sido lançado na Europa, chega ao Brasil no ano de 2005 com o título de apenas “Patricia Marx”, e trouxe uma nova versão da canção "Dias de Sol", onde o rap é cantado em português, e a canção "La No Mar". Em 2010 faz parceria com seu marido em seu décimo primeiro álbum Patricia Marx & Bruno E., no álbum ela traz regravações dos clássicos da MPB e Bossa nova.[2] [20] [21]

2011 – 2015: "Trinta" e projetos paralelos[editar | editar código-fonte]

Em 2011 ela grava a emocionante canção “Gato & Sapato”, em parceria com seu amigo Sérgio Sá. A canção faz alusão ao ocorrido com o cãozinho da raça Yorkshire que foi morto a pancada por sua dona, em Goiânia.[23] Em 2012 a cantora assina o contrato com a gravadora LAB 344 e dá início a produção de sua coletânea Trinta em comemoração aos trinta anos de carreira. Em dezembro de 2012 faz lançamento inédito da canção “Tudo o que Eu Quero” no iTunes em parceria com o músico Ed Motta,[24] e em fevereiro de 2013 lança o segundo single para promoção do álbum, “Espelhos D’água”, que traz a parceria com Seu Jorge.[25] No álbum, a cantora também trouxe outra canção inédita “Cedo ou Tarde”, parceria com Filiph Neo; Trinta ficou entre os álbuns mais vendidos do iTunes entre março e junho de 2013, o videoclipe de ‘Espelhos D’água’ possui mais de 600 mil visualizações no canal oficial da gravadora. Em 2014, anuncia um novo projeto para regravação de seu EP Te Cuida Meu Bem - Sextape, Pt. 1, neste extended play lançado apenas no iTunes, Patricia trouxe releitura das canções “Te Cuida Meu Bem” e “Destino”, porém não obteve o mesmo êxito que seu lançamento anterior, em 2013. Em agosto de 2015, a dá início ao seu novo projeto, porém sem contrato com a sua gravadora, a cantora recorreu ao financiamento coletivo pela Kickante, onde ela revela os detalhes do valor de sua produção, e deu uma lista com 5 canções antigas de sua carreira que os fãs desejariam que ela regravasse, pois as outras 4 canções do EP ela irá regravar duas de outros artistas que ela gosta, e as outras duas serão inéditas. Ao final da campanha, em 16 de outubro de 2015.[26] [27] [28] [29]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Em seus trinta anos de carreira, Patricia Marx conta com 11 álbuns de estúdio na carreira solo, 3 coletâneas e 1 EP, e atualmente está em um financiamento coletivo no site Kickante para produzir seu novo trabalho.[30]

Ano Detalhes do Álbum Singles Vendas & Certificações
1987 Paty
  1. "Festa do Amor"
  2. "Te Cuida Meu Bem"
  3. "To Be Or Not To Be"
1988 Patricia
  1. "Certo ou Errado"
  2. "Doçura"
  3. "Cedo Demais"
1990 Incertezas
  • Lançamento: 1990
  • Gravadora (s): BMG
  • Formato (s): LP, K7, CD
  1. "Sonho de Amor"
  2. "Incertezas"
  3. "Destino"
  4. "Um Ano Eu Sei"
1992 Neoclássico
  • Lançamento: 1992
  • Gravadora (s): Camerati
  • Formato (s): CD, LP, K7
--
1994 Ficar com Você
  • Lançamento: 1994
  • Gravadora (s): LUX
  • Formato (s): CD, LP, K7
  1. "Ficar com Você"
  2. "Quando Chove"
  3. "Gostava Tanto de Você"
  4. "Deixa Chover"
  5. "Espelhos D'água"
1995 Quero Mais
  1. "Quero Mais"
  2. "Sei Que Você Não Vai"
  3. "Espelhos D´água"
1997 Charme do Mundo
  1. "Go Back"
  2. "Me Liga"
  3. "Charme do Mundo"
2002 Respirar
  1. "Demais Pra Esquecer"
  2. "Despertar"
  3. "Submerso"
  4. "...E o Meu Amor Vi Passar/Earth"
2004 Nu Soul
  1. "Burning Luv"
2005 Patrícia Marx
  1. "Dias de Sol"
2010 Patricia Marx & Bruno E.
  1. "Minha Paz"
  2. "Three Short Stories"
2013 Trinta
  1. "Tudo O Que Eu Quero"
  2. "Espelhos D'Água"
  3. "Quando Chove"
2014 Te Cuida Meu Bem - Sextape, Pt. 1
  1. "Te Cuida Meu Bem"
  2. "Destino"
--

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 1987 - Prêmio Rádio Globo - Artista Revelação
  • 1988 - Prêmio Radio Globo - Melhor Cantora infantil
  • 1991 - Troféu Paradão da Xuxa - Música "Sonho de Amor"
  • 1994 - Revista Capricho - Melhor Cantora
  • 1994 - Rádio FM 105 - Destaque do Ano
  • 1995 - Troféu Xuxa Hits - Música "Espelhos D'Água"
  • Prêmio SBT de Música
  • 1995 - Destaque feminino de música pop com o hit "Quando Chove"
  • 1995 - Concorreu ao Prêmio Sharp Melhor Cantora POP - 1995[31]

Referências

  1. a b Patricia Marx (Site Oficial). «Biografia - Patricia Marx». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  2. a b c d Estadão (16 de abril de 2002). «Patrícia Marx volta eletrônica e budista». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  3. LAB 344. «Patricia Marx (LAB 344)». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  4. Kickante. «Blog de Patricia Marx Kickante». Consultado em 23 de outubro de 2015. 
  5. Billboard Brasil. «Patricia Marx volta a infância para lançar EP». Consultado em 19 de setembro de 2015. 
  6. Kickante. «Patricia Marx cria campanha para novo EP». Consultado em 19 de setembro de 2015. 
  7. Revista Circuito (03 de fevereiro de 2012). «Patricia Marx - Entrevista». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  8. Portal Ego (fevereiro de 2012). «Já fiz muito sucesso, hoje quero gostar do que faço diz Patricia Marx». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  9. Revista Caras. «Lembra dela? Patricia Marx desabafa 'estou de saco bem cheio de não fazer shows». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  10. R7 Entretenimento (14 de dezembro de 2013). «Patricia Marx toma calote em show em Recife». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  11. Portal G1. «Patricia Marx posta foto em que aparece fumando maconha».  Parâmetro desconhecido |Acessodata= ignorado (|acessodata=) (Ajuda)
  12. UOL Celebridades. «Patricia Marx fala sobre maconha: "Fumo porque me liberta"». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  13. FC Simplesmente Paty. «Reportagem 1985». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  14. Dirceu Soares (3 de Maio de 1988). «A Meninada Fatura: O Trem da Alegria prepara uma turnê pelo país.». Revista Afinal [S.l.: s.n.] Arquivado desde o original em 30 de julho de 2015. Consultado em 26 de Fevereiro de 2013. 
  15. Revista Amiga. «Imagem entrevista Patricia Marx 1995». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  16. Portal G1. «Atriz Betty Lago morre aos 60 anos no Rio, vítima de Câncer». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  17. Revista Folha 1992. «Uma Pequena Notável». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  18. FC Simplesmente Paty. «Discografia comentada». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  19. Mauro Ferreira. «O futuro clássico de Patricia». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  20. a b c Cantoras do Brasil. «Patricia Marx». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  21. a b c d Trama (2002). «Patricia Marx - Biografia». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  22. Saraiva Conteúdo. «Por onde andam os integrantes do grupo trem da alegria?». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  23. Ego (17 de dezembro de 2011). «Patricia Marx faz música que fala sobre maus tratos com animais». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  24. Mauro Ferreira. «Gravado com Ed Motta, single 'Tudo o Que eu Quero' anuncia lançamento de Trinta». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  25. Mauro Ferreira. «Marx lança no Youtube Espelhos D'água». Consultado em 18 de setembro de 2015. 
  26. Redação (14-03-2013). «Patricia Marx lança CD e DVD "Trinta" em Apresentação Única no Rio». Net Hits. Consultado em 15 de Março de 2013. 
  27. Aline Nobre (30/08/12). «Patrícia Marx grava parceria com Seu Jorge para seu próximo álbum». Extra. Consultado em 2 de Março de 2013. 
  28. Anna Carolina Lementy (18 de fevereiro de 2013). «“Eu já fiz sucesso, eu sei como é. Agora quero fazer música”, diz Patricia Marx». Colherada Cultural. Consultado em 3 de Março de 2013. 
  29. Mauro Ferreira. «Marx revisa em "Trinta" quase 20 anos de carreira». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  30. UAI Informações (07 de setembro de 2015). «Após 12 álbuns solo, Patricia Marx recorre ao financiamento coletivo». Consultado em 20 de setembro de 2015. 
  31. Marisa Adán Gil (7 de maio de 1996). «Prêmio Sharp aponta melhores de 1995». Folha de S. Paulo. Consultado em 28 de Junho de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]