O Fim do Mundo (telenovela)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O Fim do Mundo
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 60 minutos
Criador(es) Dias Gomes
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Paulo Ubiratan
Elenco
Tema de abertura "O Último Dia", Paulinho Moska
Composto por Billy Brandão
Paulinho Moska
Empresa(s) produtora(s) TV Globo
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 6 de maio – 14 de junho de 1996
Episódios 35

O Fim do Mundo é uma telenovela brasileira exibida pela TV Globo originalmente de 6 de maio a 14 de junho de 1996 em 35 capítulos. Substituiu Explode Coração e foi substituída por O Rei do Gado na faixa das 20 horas, foi a 52.ª "novela das oito" produzida pela emissora.[1]

Escrita por Dias Gomes, com colaboração de Ferreira Gullar, teve direção de Gonzaga Blota e Paulo Ubiratan — este também na direção geral.

Contou com as atuações de Paulo Betti, José Wilker, Bruna Lombardi, Lima Duarte, Vera Holtz, Maurício Mattar, Paloma Duarte e Guilherme Fontes nos papeis principais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O vidente Joãozinho de Dagmar previu o fim do mundo para breve, o que fez a cidadezinha de Tabacópolis virar de pernas para o ar. Acontecimentos inexplicáveis se sucedem ratificando as profecias e causando pânico. Os moradores entram em polvorosa deixando a prefeita Florisbela Mendonça revoltada diante de tanta confusão.

Como o tempo é curto, o empresário Tião Socó, dono de uma fazenda de fumo e de uma empresa de cigarros, resolveu investir na bela cunhada, Gardênia, vislumbrando o fim do seu probleminha de impotência sexual. Porém, ela não está nem aí para os problemas dele e precisa lidar com o ciúme do marido Tonico Laranjeira.

Josias, o filho do poderoso Coronel Hildázio Junqueira, não aguenta mais a resistência da noiva Letícia, filha de Tião Socó, que insiste em manter-se virgem até o casamento. Porém, a jovem desperta para um novo amor, o peão Rosalvo, e não resiste a essa paixão, entregando-se a ele. Descoberto, Rosalvo acaba castrado pelo noivo traído.

A jovem Lucilene luta para firmar-se como cantora ao mesmo tempo em que tenta livrar da polícia o namorado Nado, filho da prefeita Florisbela, rapaz problemático acusado de ter matado Maninho, o outro filho do Coronel Hildázio. Em meio ao caos, muita coisa ainda está para acontecer na cidade que enlouquece quando descobre que o mundo vai acabar.

Produção[editar | editar código-fonte]

Dias Gomes começou a escrever os capítulos em outubro de 1995 e ela seria exibida em formato de minissérie, originalmente tendo 40 capítulos.[2]

A substituta de Explode Coração seria O Rei do Gado, porém, a produção desta última estava atrasada, e Glória Perez, autora da história das 20h, precisava ser liberada pela Globo, por contrato, no início de maio, para o julgamento do assassinato de sua filha, Daniella Perez. A solução encontrada foi pegar o texto de Dias Gomes e transformá-lo numa mininovela.[3]

O Fim do Mundo foi a última novela dirigida pelo diretor Gonzaga Blota, que viria a se afastar da televisão até sua morte em 2017.

O objetivo era testar um novo formato de novelas. Pela primeira vez numa novela, criaram-se objetos e animais virtuais em três plataformas de computadores. Para as gravações do cataclismo foi feita uma maquete, dez vezes menor que a cidade cenográfica, que tinha 35 mil metros quadrados.[4]

Teve cenas externas gravadas na cidade de Vassouras, no Rio de Janeiro e nas cidades de Carrancas e Cordisburgo, em Minas Gerais.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Paulo Betti Joãozinho de Dagmar
José Wilker Sebastião (Tião) Socó
Bruna Lombardi Gardênia Laranjeira
Lima Duarte Coronel Hildásio Junqueira
Ângela Vieira Margarida Socó
Otávio Augusto Tonico Laranjeira
Vera Holtz Florisbela Mendonça (Belinha)
Paloma Duarte Letícia Socó
Maurício Mattar Rosalvo (Laudelino de Jesus Nogueira)
Guilherme Fontes Josias Junqueira
Patrícia França Lucilene
Marcos Winter Arnaldo Mendonça (Nado)
Pedro Paulo Rangel Mudinho
Totia Meirelles Cacilda
Mário Borges Joca Mendonça
[[Renata Dutra Fabiana Mendonça
Eduardo Galvão Dr. José Otávio
Tatiana Issa Maria do Socorro Socó
Norton Nascimento Frei Eusébio
Oswaldo Loureiro Delegado Romildo Galvão
Alexia Dechamps Valdete
Isabel Fillardis Marialva
Luciana Coutinho Jaciara
Lúcia Alves Fafá (Fátima) Badaró
Cininha de Paula Zizi (Alzira) Badaró
Ricardo Blat Emiliano
Carlos Vereza Dr. Pestana
Tamara Taxman Clotilde Junqueira
Tato Gabus Mendes Vadeco
Marilu Bueno Dagmar
Marcelo Faria Maninho Junqueira
Bernadeth Lyzio Elisa
[[Renata Lima Dalva Junqueira
Carlos Gregório Michel Renault
Tonico Pereira Chico Veloso
Estelita Bell Maria Chupeta
Ariel Coelho Irana
Cleyde Blotta Creusa
Fernanda Lobo Helô
Milton Gonçalves Juiz
Denise Milfont Bruna
David Brasil Gisele
Fátima Freire Marieta
Cristina Prochaska Advogada
Mário Lago Frei Luiz
Mauro Mendonça Advogado de defesa
Rodolfo Bottino Promotor
Valter Santos Juvenal
Andréa Murucci Zulmira

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

O Fim do Mundo Nacional
Trilha sonora de vários intérpretes
Lançamento maio de 1996
Gênero(s) MPB
Duração 1:03:26
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Capa: José Wilker

  1. "O Último Dia" - Paulinho Moska
  2. "Solidão" - Alceu Valença
  3. "Teu Cafuné" - Maurício Mattar
  4. "Belíssima (Sei Belissima)" - Vanessa Barum
  5. "E... O Mundo Não Se Acabou" - Adriana Calcanhoto
  6. "Balada do Louco" - Arnaldo Baptista
  7. "Nossa Paixão" - Selma Reis
  8. "Profetas" - Zé Ramalho
  9. "Matando a Pau" - Simone Moreno
  10. "Lenda Pessoal" - Tânia Maya
  11. "Só Louco / Não Tem Solução / Nem Eu" - Patrícia França
  12. "Raios da Manhã" - Jorge Vercillo
  13. "Leste" - Guilherme Dias Gomes

Reexibições[editar | editar código-fonte]

Foi reapresentada entre 15 de agosto e 29 de setembro de 2000, apenas para o Distrito Federal, logo após a apresentação do Jornal Nacional, enquanto no resto do Brasil, era apresentado o horário eleitoral gratuito das eleições municipais.[5]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 18 de dezembro de 2017 a 26 de janeiro de 2018, substituindo Por Amor e sendo substituída por Explode Coração, às 23h30.[6]

Referências

  1. Gilberto de Abreu (7 de abril de 1996). «Mininovela inaugura nova etapa da dramaturgia na Rede Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 19 de julho de 2017 
  2. Cristina Grillo (8 de outubro de 1995). «Mininovela estréia em abril». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  3. Thell de Castro (9 de agosto de 2015). «Em 1996, Globo exibiu novela com só 35 capítulos para tapar buraco». Notícias da TV. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  4. Cristina Grillo (5 de maio de 1996). «Globo testa novo formato às 20h40». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de dezembro de 2017 
  5. «Sintonia fina». Folha de S.Paulo. 18 de agosto de 2000. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  6. Nilson Xavier (26 de setembro de 2017). «Canal Viva altera sua programação e vai reprisar a novela "Bebê a Bordo"». Blog do Nilson Xavier. Consultado em 16 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]