A Ponte dos Suspiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Ponte dos Suspiros
Informação geral
Formato Telenovela
Criador(es) Dias Gomes
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Marlos Andreucci
Elenco Carlos Alberto
Yoná Magalhães
Arlete Salles
Jardel Filho
ver mais
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 6 de junho de 1969 - 15 de novembro de 1969
N.º de episódios 144
Cronologia
A Última Valsa
Verão Vermelho

A Ponte dos Suspiros é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 6 de junho a 15 de novembro de 1969, inicialmente às 21h30 horas, depois às 22 horas.[1] Foi a 11ª "novela das dez" exibida pela emissora.

Escrita por Dias Gomes, com base na adaptação radiofônica, feita pelo dramaturgo carioca Cesar Fabbri, do romance de Michel Zevaco, dirigida por Marlos Andreucci. Teve 144 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Trama[editar | editar código-fonte]

No ano de 1500, em Veneza, Rolando Candiano (Carlos Alberto) é preso no dia de seu casamento com Leonor Dandolo (Yoná Magalhães), devido a intrigas feitas por Altieri (Jardel Filho), Foscari (Mário Lago), Bembo (Emiliano Queiroz) e Impéria (Arlete Salles). Sua noiva, Leonor, é enganada sobre seu paradeiro, enquanto o jovem é jogado nos poços das prisões de Veneza.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde outubro de 2009).
  • Seu horário original de exibição foi às 21:30 horas. Em 1 de setembro a trama passou a começar meia hora mais tarde, iniciando o horário das 22 horas para novelas.
  • A faixa das 21:30 tinha sido a de maior sucesso da TV Globo, com Eu compro esta mulher e O Sheik de Agadir, mas, nesse momento, tinha perdido em audiência e prestígio para as tramas das 20 horas, escritas por Janete Clair.
  • Em São Paulo, a novela começou sendo exibida às 19 horas, e também em 1 de setembro, passou para as 22 horas.
  • A Ponte dos Suspiros foi a primeira telenovela escrita pelo dramaturgo Dias Gomes, que usava o pseudônimo Stela Calderón, ideia da então supervisora de teledramaturgia da emissora carioca, Glória Magadan.
  • Durante a pré-produção, Glória Magadan foi dispensada pela TV Globo, e Dias Gomes, livre, fez com que a trama passasse a discutir problemas políticos. A censura obrigou a emissora a alterar o horário de exibição da trama para mais tarde.
  • Dias Gomes sofreu um processo movido pelas herdeiras de Cesar Fabbri, por ter omitido o nome do autor da adaptação e da tradução na qual a telenovela foi baseada.
  • A Ponte dos Suspiros é uma das telenovelas ambientadas num dos tempos mais longínquos já retratados na teledramaturgia brasileira (século XVI). É definitivamente a telenovela da Rede Globo ambientada em tempos mais remotos - perdendo, fora de sua emissora de origem, apenas para as recentes telenovelas da Rede Record, emissora que atualmente produz tramas bíblicas que, obviamente, se passam em tempos ainda mais remotos.
  • A telenovela foi baseada em dois livros do francês Michel Zevaco: "A Ponte dos Suspiros" e sua continuação, "Os Amantes de Veneza". As obras de Zevaco foram proficuamente traduzidas e publicadas no Brasil nas décadas de 1950 e 1960 alcançando grande popularidade, sendo hoje encontradas apenas em sebos.

Referências

  1. «A ponte dos Suspiros». Teledramaturgia. Consultado em 16 de dezembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.