Irmãos Coragem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura a novela de 1995, veja Irmãos Coragem (1995).
Irmãos Coragem
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero drama
romance
faroeste[1]
Duração 60 minutos
Criador(es) Janete Clair
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Daniel Filho
Milton Gonçalves
Elenco
Tema de abertura "Irmãos Coragem", Jair Rodrigues
Composto por Paulinho Tapajós e Nonato Buzar
Exibição
Emissora original TV Globo
Formato de exibição preto e branco
Transmissão original 8 de junho de 197012 de junho de 1971[nota 1]
Episódios 328
Cronologia
Véu de Noiva
O Homem Que Deve Morrer
Programas relacionados Irmãos Coragem (1995)

Irmãos Coragem é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 8 de junho de 1970 e 12 de junho de 1971,[nota 1] em 328 capítulos. Substituiu Véu de Noiva e foi substituída por O Homem Que Deve Morrer, sendo a 9ª "novela das oito" exibida pela emissora.

Escrita por Janete Clair, teve a direção de Daniel Filho, Milton Gonçalves e Reynaldo Boury. A direção geral foi de Daniel Filho,[2] tendo sido produzida ainda em preto e branco.[nota 2] É a segunda novela mais longa da TV Globo, depois de A Grande Mentira (1968), que teve 341 capítulos.[2]

Contou com as atuações de Tarcísio Meira, Glória Menezes, Cláudio Cavalcanti, Cláudio Marzo, Regina Duarte, Zilka Salaberry, Gilberto Martinho e Emiliano Queiroz.[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

A luta pela liberdade e contra a opressão são o tema central deste folhetim que narra a história dos irmãos Coragem: João, Jerônimo e Duda, na fictícia cidade de Coroado, no cerrado goiano, cuja principal atividade econômica é o garimpo. João Coragem, um homem rude, simples e generoso, que trabalha honestamente como garimpeiro, encontra um valioso diamante, que é roubado pelo Coronel Pedro Barros, que comanda com “mãos de ferro” o comércio de garimpo de Coroado e é o homem mais poderoso da cidade, ditando as suas regras. Apesar de ser um homem pacifico que tenta resolver tudo com diálogo e dentro da legalidade, João após várias injustiças, torna-se um fora da lei liderando o seu próprio bando de garimpeiros injustiçados, e passa a usar da força para confrontar seu algoz, o Coronel Pedro Barros. Mas João conhece e se apaixona pela tímida e reprimida Lara, a filha doente do Coronel, que desconhece a doença da própria filha. Lara tem outras duas personalidades: a esfuziante e selvagem Diana, de comportamento contrário ao de Lara; e o contraponto entre as duas, Márcia. E isto acaba por confundir e enlouquecer João.

O jovem Jerônimo, por sua vez, sente uma paixão reprimida por sua irmã de criação, a indígena Potira. Mas ela para conseguir esquecer Jerônimo aceita se casar com Rodrigo César, que luta ao lado dos Coragem no confronto contra Coronel Pedro Barros. Para ajudar o seu irmão à confrontar o Coronel, Jerônimo entra para política, no partido da esquerda, para acabar com os desmandos do coronel. Mas o rapaz para fugir do amor que sente por Potira, aceita se casar por interesse com Lídia Siqueira, a filha do deputado Dr. Siqueira.

Duda é o irmão mais novo de João e Jerônimo, um rapaz que para seguir o seu sonho de ser jogador de futebol, deixou para trás a cidade, a família e o seu amor de infância, Ritinha. Ela é uma boa moça que luta pelo seu amor quando retorna à Coroado. Mas ele já está envolvido com outra mulher, Paula, que não mede esforços para permanecer ao seu lado. O conflito cresce quando Ritinha passa a noite com Duda, mas mesmo sem ter acontecido nada o pai dela, Dr. Maciel, que nunca gostou do rapaz, o obriga a se casar com a sua filha.

Produção[editar | editar código-fonte]

Foi a primeira telenovela a ter uma cidade cenográfica própria para as gravações. A novela também contou como um dos protagonistas um personagem que era jogador de futebol.[4]

Apostando numa trama com três homens protagonistas e com temáticas masculinas como o futebol, a autora almejava buscar atrair o telespectador masculino e quebrar o tabu de que novelas eram feitas apenas para mulheres.[4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Tarcísio Meira João Coragem
Claudio Marzo Eduardo Coragem (Duda)
Cláudio Cavalcanti Jerônimo Coragem
Glória Menezes Maria de Lara Barros Lemos (Lara) / Diana / Márcia
Regina Duarte Rita de Cássia Maciel (Ritinha)
Gilberto Martinho Coronel Pedro Barros
Zilka Salaberry Sinhana Coragem
Emiliano Queiroz Juca Cipó
Ângela Leal Yolanda Queiroz
Lúcia Alves Potira
Carlos Eduardo Dolabella Delegado Diogo Falcão
Myriam Pérsia Paula
Paulo Araújo Ernani
José Augusto Branco Rodrigo César Vidigal
Glauce Rocha Estela Barros Lemos
Ênio Santos Dr. Salvador Maciel
Ana Ariel Domingas
Antônio Victor Sebastião Coragem
Milton Gonçalves Braz Canoeiro
Suzana Faini Iracema (Cema)
Hemílcio Fróes Lourenço D'Ávila / Ernesto Bianchini
Neuza Amaral Branca D'Ávila
Miriam Pires Dalva Lemos
Macedo Neto Padre Bento
Jurema Pena Indaiá
Arthur Costa Filho Gentil Palhares
Ivan Cândido Delegado Gerson Louzada
B. de Paiva Prefeito Jorge Campos (Jorginho)
Monah Delacy Deolinda Campos
Isaac Bardavid Beato Zacarias
Yara Amaral Tula
Dary Reis Lázaro
Jacyra Silva Beatriz
Sônia Braga Lídia Siqueira
Felipe Wagner Neco Moreira
Dhu Moraes Helena Ribeiro (Leninha)
Michel Robin Alberto D'Ávila
Lourdinha Bittencourt dona Manuela
Renato Master Dr. Rafael Marques
Fernando José Antenor Siqueira
Estelita Bell dona Regina
Nélson Caruso Cláudio
Dorinha Duval Carmem Valéria
Arnaldo Weiss Damião
Delorges Caminha seu Julião
Zeni Pereira Virgínia
Clementino Kelé Jesuíno
Maria Esmeralda Jurema
Waldir Onofre Anacleto
Leda Lúcia Margarida Campos
Moacyr Deriquém Dr. Jarbas Valente
Ivan de Almeida Antônio
Maria Alves Salete
Vinícius Salvatori Joaquim Venâncio
José Steinberg Laport
Francisco Dantas Dr. Paulo
Sônia Clara Glória
Fábio Mássimo Júlio (Julinho)
Otoniel Serra Gastão

Elenco de apoio[editar | editar código-fonte]

  • Telmo de Avelar
  • Francisco Serrano - Souza
  • Ivan Borges - Onofre
  • Miguel Carrano - Dr. Henrique
  • Ana Maria Lage - Nita
  • Enoque Batista - Ivan
  • Rômulo D'Ângelo - Zé Fuinha
  • Fábio Milton - Jagunço do coronel Pedro Barros
  • Mauro Braga - Tonho
  • Alceste Castelani - Darci.
  • Francisco Milani - Promotor
DVD

Em abril de 2011, foi lançada em oito DVDs pela Globo Marcas.[5]

Música[editar | editar código-fonte]

  1. "Irmãos Coragem" - Jair Rodrigues
  2. "Jerônimo" - Luiz Carlos Sá
  3. "Minhas Tardes de Sol" - Regina Duarte
  4. "Ondas Médias" - Umas & Outras
  5. "Porto Seguro" - Banda Cores Mágicas
  6. "Coroado" - Denise Emmer & M. Pitter
  7. "Nosso Caminho" - Maysa
  8. "Irmãos Coragem" - Banda Cores Mágicas
  9. "João Coragem" - Tim Maia
  10. "Flamengo, Flamengo" - Maria Creuza
  11. "Branca" - Luiz Eça
  12. "O Amor Maior" - Eustáquio Sena
  13. "Bachianas No. 5" - Joyce
e ainda

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. a b A estreia aconteceu primeiro no Rio de Janeiro. Em São Paulo, praça com o maior número de telespectadores, foi exibida entre 29 de junho de 1970 e 15 de julho de 1971.[2]
  2. A última telenovela da Globo produzida em preto e branco foi Estúpido Cupido, que estreou em agosto de 1976.[3]

Referências

  1. 35 anos de Irmãos Coragem
  2. a b c d e «Irmãos Coragem». Teledramaturgia 
  3. «Estúpido Cupido». Memória Globo 
  4. a b c Gabriel Vaquer (12 de agosto de 2021). «Tarcísio Meira ajudou a quebrar tabu de homens noveleiros na década de 1970». Notícias da TV. Consultado em 16 de novembro de 2021 
  5. «Globo lança "Irmãos Coragem" em DVD». Gazeta Online. 21 de abril de 2011. Consultado em 30 de julho de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]