O Astro (2011)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Astro
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero drama
romance
suspense
Duração 40 minutos (terça, quinta e sexta)
15 a 20 minutos (quarta, devido à exibição do futebol)
Criador(es) Alcides Nogueira
Geraldo Carneiro
Baseado em O Astro
por Janete Clair
Desenvolvedor(es) Rede Globo
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Mauro Mendonça Filho
Elenco
Tema de abertura "Bijuterias"
João Bosco
Tema de encerramento "Bijuterias"
João Bosco, entre outras músicas
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 12 de julho – 28 de outubro de 2011
N.º de episódios 64
Cronologia
Eu Prometo
Gabriela
Programas relacionados O Astro (1977)

O Astro é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 23 horas de 12 de julho a 28 de outubro de 2011, em 64 capítulos.[1] Foi a "novela das onze" exibida pela emissora.

Escrita por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro, com a direção de Mauro Mendonça Filho,[2] é livremente inspirada na telenovela homônima de Janete Clair exibida originalmente em 1977.[3] O remake foi escrito para comemorar os sessenta anos da telenovela brasileira.[4]

Conta com a participação de Rodrigo Lombardi, Carolina Ferraz, Regina Duarte, Marco Ricca, Thiago Fragoso, Alinne Moraes, Humberto Martins, Henri Castelli.[1]

No dia 19 de novembro de 2012, a trama ganhou o Emmy Internacional 2012 na categoria de melhor telenovela.[5][6]

Produção[editar | editar código-fonte]

O remake da trama O Astro foi idealizada para comemorar os 60 anos das telenovelas no Brasil. Também foi decidido que a nova versão viria em formado de micro-série, às 23:00[7]. O objetivo de estrear a trama nesse horário era acabar com a oscilação de público, causada tanto pela concorrência quanto pelas produções da própria Globo que não conseguiam fidelizar um público certo[8].

As gravações da trama se iniciaram em 2 de maio de 2011 na cidade de Curitiba, onde foram gravadas cenas no presídio do Ahú. Posteriormente a equipe seguiu para as cidades de Marumbi, Antonina e Morretes, no litoral paranaense. Com cerca de 50 profissionais, foram 12 dias de gravações no estado sulista[9][10].

Para dar vida ao personagem Herculano, o ator Rodrigo Lombardi teve aulas de mágica com profissionais de verdade[11].

O remake trouxe logo na estréia a cena em que Márcio (Thiago Fragoso) fica sem roupa durante uma festa na casa do seu pai Salomão (Daniel Filho). Para o ator, o mais difícil foi lidar com a carga emocional da cena do que tirar a roupa[12]. Além disso, para compor seu personagem, ele se inspirou em São Francisco de Assis e Hamlet[13].

Enredo[editar | editar código-fonte]

Fonte: Memória Globo

A História de Herculano[editar | editar código-fonte]

A trama contemporânea se inicia em 2002, em plena Copa do Mundo, na pequena cidade de Bom Jesus do Rio Claro, quando Herculano era dono de uma loja de miudezas. Para tentar alcançar suas ambições financeiras, Herculano arma um plano. Valendo-se da confiança que frei Laurindo (Sérgio Mamberti) deposita nele, sugere-lhe a arrecadação de donativos para a reforma da Igreja Matriz. Mas, no fundo, tem a intenção de superfaturar a obra e fugir com todo o dinheiro. Os moradores colaboram, e ele consegue uma quantia substancial para os “reparos”. O golpista só não imaginava ser traído por Neco, seu parceiro. No dia da fuga dos cúmplices, Neco se adianta e foge com todo o dinheiro. Herculano é perseguido pelos moradores da cidade, ávidos por vingança. Ele, sem saída, entrega-se à polícia, sendo preso e condenado. Na cidade, deixa sua mulher, Doralice (Marcella Muniz), e o filho, Alan (Bernardo Marinho).

Ao chegar à prisão, conhece Ferragus, detido há 15 anos. O prisioneiro é um ilusionista, exaltado pelos companheiros por seus poderes e, por isso, cheio de regalias. Herculano embarca em suas histórias e aprende seus truques. No dia em que está deixando a prisão, já em 2010, durante a Copa do Mundo, Herculano ganha de Ferragus uma ametista, a pedra da sorte de seu mestre.

Já em liberdade, Herculano começa a fazer fama no palco da casa de shows Kosmos, em um sobrado na Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro. Ele se apresenta como o Professor Astro, a principal atração do estabelecimento. Na cabeça, um turbante e, no centro do adereço, a ametista. Como ajudante do show de ilusionismo e telepatia, ele conta com Valéria (Ellen Roche). Durante um de seus espetáculos, o olhar do Astro se cruza com o da arquiteta Amanda, herdeira da Construtora Mello Assunção, a ponto de falir. Amanda, muito cética, assiste ao show com ar de indiferença até que Herculano se aproxima dela e lhe conta coisas muito pessoais. Ele lhe diz, por exemplo, que há alguma pessoa dilapidando o patrimônio de sua família. Ela até finge não entender a colocação, mas lembra-se do pai, Adolfo Mello Assunção (Reginaldo Faria), cujas dívidas no pôquer prejudicam a empresa. Como se não bastasse, Herculano pergunta a Amanda sobre o colar que ela pretendia usar naquela noite. A herança de sua mãe foi vendida pelo pai, sem o consentimento de Amanda, para pagar dívidas de jogo. A empresária deixa a casa de shows, acompanhada de sua amiga Beatriz (Guilhermina Guinle), diretora financeira do Grupo Hayalla, mexida com as observações de Herculano, em um misto de curiosidade e encanto.

O reencontro entre Neco e Quintanilha não tarda a acontecer. Eles se reveem no dia da festa de aniversário de Lili (Alinne Moraes), namorada de Natal (Antonio Calloni), dono da casa de shows onde Herculano se apresenta. Durante sua exibição, Quintanilha surpreende os presentes com suas adivinhações e logo “capta” a presença de um traidor e ladrão entre os presentes na casa. Trata-se de Neco. Para impedir Herculano de revelar a todos sua participação no roubo em Bom Jesus do Rio Claro, Neco lhe dá um apartamento, mas não deixa de vigiá-lo.

No decorrer da trama, Herculano e Amanda se aproximam e se descobrem apaixonados. Mas muitos são os percalços que precisam vencer para ficarem juntos: desde as investidas do empresário Samir Hayalla (Marco Ricca), que tenta conquistar Amanda com o objetivo escuso de dominar a Mello Assunção, até a revelação do passado de Herculano. Amanda se choca ao descobrir que o amado fugiu de Bom Jesus do Rio Claro abandonando mulher e filho.

A Família Hayalla: Vinganças, crimes e traições[editar | editar código-fonte]

Ainda em primeiro plano na trama, a novela apresenta a família Hayalla, dona de uma rede de supermercados. No começo da história, em comemoração aos 30 anos do Grupo Hayalla, Salomão (Daniel Filho), o patriarca da família, inaugura mais um supermercado no Rio de Janeiro, com direito à presença de autoridades, celebridades e imprensa. No palanque montado para a inauguração, Salomão aguarda que seu filho, Márcio Hayalla (Thiago Fragoso), aproxime-se dos familiares – da mãe Clô (Regina Duarte) e dos tios Samir, Youssef (José Rubens Chachá) e Amin (Tato Gabus) – e prestigie a celebração. Mas o rapaz faz o oposto: distribui dinheiro a mendigos e os deixa entrar no supermercado, bem no meio do evento. O público, então, invade o estabelecimento e leva todos os produtos que consegue pagar com o dinheiro recebido. É uma correria enorme, e Salomão deixa o local indignado com o comportamento do filho.

A reação de Márcio é resultado da relação conflituosa entre ele e o pai, um imigrante libanês que fez fortuna graças ao seu trabalho. Mesmo tendo se tornado muito rico, Salomão continuou trabalhando arduamente e valoriza excessivamente o dinheiro. Márcio, por sua vez, quer viver como um missionário, longe das seduções do mundo material. Ele abomina a hipocrisia e o culto ao dinheiro que reina em sua casa e em sua família. Esses embates frequentes acabam levando a uma ruptura entre os dois, apesar do esforço de Clô em contemporizar a situação.

Mas Márcio ultrapassa os limites. Em uma noite de festa na casa dos Hayallas, o jovem desce as escadarias da mansão tirando a roupa, uma demonstração de seu desapego das coisas materiais – uma referência a São Francisco de Assis. No dia seguinte, o rapaz é internado em uma clínica psiquiátrica, para desespero da mãe.

É também o acaso que proporciona o encontro entre Márcio e Herculano. O rapaz foge da clínica psiquiátrica – contando com a ajuda de sua amiga de infância, Jose (Fernanda Rodrigues) – e passa a vagar pelas ruas do Rio, tocando seu trompete. Dias depois, não tem dinheiro para comer nada e passa fome. Herculano se compadece da situação do jovem e manda trazer comida para ele, ainda sem saber que o rapaz é filho do poderoso Salomão. Herculano acolhe Márcio em sua casa, na Penha, na Zona Norte, e, através da sua amizade com o herdeiro, aproxima-se da família Hayalla. Pela proximidade com Herculano, Márcio também sofre com as maldades de Neco. O vilão incendeia o apartamento do vidente, tentando se livrar dele, e quase mata os dois.

A trama ganha um viés policial com o assassinato de Salomão Hayalla durante uma festa em sua mansão. A investigação toma conta da história, liderada pelos detetives Elizabeth, Eustáquio (Daniel Dantas) e Madureira (Ricardo Duque). Há vários suspeitos, todos com motivos para matar o empresário. Neco é o primeiro a ser preso, mas novas pistas surgem, e ele é inocentado.

Após a morte de Salomão, Márcio começa a ter visões do pai. O falecido tenta ajudá-lo a tomar as melhores decisões na empresa e a se livrar dos inimigos. O herdeiro parece criar um vínculo forte com Salomão: assim como o empresário fazia, tem acessos de raiva e esbraveja com as pessoas quando é contrariado. Clô e Lili, sua namorada, sofrem com esse novo lado de Márcio.

De acordo com o testamento de Salomão, o jovem fica com 49% das ações do Grupo Hayalla; 2%, com Clô; e os outros 49%, com os irmãos Samir, Youssef e Amin. Samir dava como certo ser eleito presidente do Grupo Hayallla, mas se surpreende. Márcio fica com o cargo, e Herculano é nomeado seu assessor. O talento e o carisma de Herculano fazem com que ele ascenda a posições de grande poder dentro do grupo. Faz muitos inimigos, sedentos por provar que ele não passa de um vigarista. Tudo em vão, pois ele tem a confiança de Márcio.

Indignado por não ter sido eleito presidente da empresa, Samir arma contra Márcio – tentando provar sua insanidade mental – e contra Herculano – levantando dúvidas sobre sua credibilidade. Para tal, seduz Clô – tentando transformá-la em aliada para conquistar dela os 2% de participação na empresa – e paga Neco para cometer crimes que afetem Márcio e Herculano. Lili, por exemplo, é sequestrada pelos capangas de Neco, a mando de Samir. O tio até consegue afastar o sobrinho da presidência, mas, em caso de ausência do herdeiro de Salomão, quem assume o cargo é Herculano.

O embate pelo poder continua. Uma das acusações que Samir levanta contra o ilusionista é que ele teria comprado um terreno na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, que serviria para a construção de um supermercado concorrente. Esse negócio, inclusive, afasta Herculano de Amanda, pois ela estava prestes a comprar o terreno. Mas Samir não sai vitorioso, pois Herculano apresenta documentos que comprovam que ele comprou o terreno no nome de Amanda, como um presente para ela. O vidente tanto sai ileso das acusações de Samir como reata o romance com a amada.

A contratação de uma nova secretária para o Grupo Hayalla dá novos ares à trama. Ela chega a ser assediada por Amin, mas nega qualquer aproximação. Acaba se encantando por Herculano Quintanilha e, por isso, torna-se alvo de Samir. Ele vê nela um caminho para destruir Herculano. A essa altura, porém, Samir está enfraquecido: Clô o flagra com Valéria, sua amante. Ele é expulso de casa e perde, mais uma vez, a chance de ser eleito presidente da empresa, pois Clô, como vingança, une-se a Márcio e entrega seu voto a Herculano.

Herculano Quintanilha volta a se apresentar na Kosmos, mas quase morre devido a uma armadilha arquitetada por Samir. Neco e seus capangas sabotam a fechadura mágica da caixa de encantos. O mágico vidente entra nela, cheia de água, durante a apresentação, e fica preso. Só consegue sair dela quebrando o vidro.

Pressionado pelas ameaças de Valéria – que sabe das armações e falcatruas dele – Samir mata a amante. A essa altura, já está em processo uma auditoria no grupo Hayalla, que leva à demissão de Amin e Youssef, acusados de desvios de dinheiro. A auditoria também revela deslizes cometidos por Samir, mas ele vira o jogo a seu favor graças ao depoimento de Nina. Pressionada, ela mente dizendo que Herculano a obrigou a recolher documentos falsos sobre Samir e que o vidente a assediou. Na verdade, a secretária foi chantageada por Samir. Ele disse que se ela não o ajudasse, ele denunciaria à polícia os desvios de dinheiro cometidos pela mãe dela. Além disso, aproveita a situação para estuprá-la.

Mais uma vez, a negociação do terreno na Barra da Tijuca pesa contra Herculano. Um dossiê montado por Samir acaba levando o vidente a ser perseguido pela Polícia Federal. Com as provas recolhidas contra Herculano, Márcio não tem outra saída e o demite do Grupo Hayalla.

Enquanto isso, a trama policial ganha novos personagens. Felipe (Henri Castelli), amante de Clô, é preso acusado de roubo, fraude e por ser suspeito da morte de Salomão. Felipe divide a cela com Neco, preso por Eustáquio (Daniel Dantas) na Kosmos, acusado, entre outros crimes, da morte de Natal. Graças a um alvará de soltura, Neco é solto, mas não antes de, a mando de Samir, armar a morte de Felipe.

Para enfraquecer Herculano, Henri (João Baldasserini), Artur (Rafael Primot), Neco e Ubiraci sequestram Alan, filho do vidente. O rapaz chega a levar um tiro, mas o pai o resgata. Samir, por sua vez, tenta matar Beatriz, amante de Neco e diretora financeira do Grupo Hayalla, afinal ela sabia demais de suas armações, mas Eustáquio chega antes de o crime ser cometido e prende o vilão sob a acusação de ter matado Valéria e de ser suspeito da morte de Salomão. Samir é solto graças a um habeas corpus, mas ainda não está livre de acusações de crimes empresariais. A auditoria no Grupo Hayalla consegue documentos que comprovam que Samir fez negócios ilícitos que prejudicaram a empresa. Por isso, ele é demitido por Márcio. O vilão até tenta provar que o sobrinho é louco, mas a Polícia Federal é acionada antes de qualquer movimento dele. Samir foge usando Nina como refém, mas é preso em um motel. Por não ter diploma universitário, termina em uma cela com detentos comuns.

O Fim da trama[editar | editar código-fonte]

No último capítulo da novela, Neco é assassinado pela sogra, Consolação (Selma Egrei), após invadir a casa dela e ameaçar matar Laura (Simone Soares), sua ex-mulher, e Lili. Mas a grande surpresa ficou com a revelação do assassino de Salomão: Clô. Ela confessa o crime e diz não se arrepender, afinal livrou-se de um tirano, que tanto maltratou seu filho. Mas pouco antes de ser empurrado pela janela por Clô, Salomão foi traído por Inácio (Pascoal da Conceição), seu mordomo, e Youssef. Inácio trocou as pílulas de antiácido do patrão por veneno, o polônio. Youssef deu uma coronhada na cabeça de Salomão, com uma arma fornecida por sua esposa, Nádia (Vera Zimmermann). Ele estava furioso pelo fato de o irmão ter dito que ele foi incapaz de ter filhos. Inácio, Youssef e Nádia são presos por tentativa de homicídio. Clô é a assassina.

Ainda no último capítulo, o Grupo Hayalla ganha um novo diretor executivo, José Maurício Fonseca (Márcio Garcia), que, já em sua chegada, atrai a atenção de Nina. Amanda, grávida, vai ao encontro de Herculano em Santa Fé, um país latino-americano, onde o amado tornou-se assessor do presidente. Rebeldes invadem o palácio presidencial e atiram em Herculano. Ele sobrevive, e o casal termina a trama em uma ilha deserta, com um filho.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Elenco de O Astro (2011)

Crítica[editar | editar código-fonte]

Maurício Stycer, do UOL, avaliou positivamente o primeiro capítulo: "Numa das primeiras cenas de 'O Astro', dentro do presídio onde Herculano Quintanilha (Rodrigo Lombardi) cumpre pena, o misterioso Ferragus (Francisco Cuoco) ensina: 'Todos os seres humanos querem ser enganados, sobretudo as mulheres. Enganar com elegância é a alma do negócio'. A frase pode ser lida como uma homenagem a Janete Clair (1925-1983). Nenhum outro autor de novelas soube 'enganar' o público com tanta “elegância” quanto a autora da versão original de 'O Astro', exibida entre 1977 e 1978. (...) Exibido sem intervalos comerciais, por 50 minutos, o primeiro capítulo de 'O Astro' foi capaz, como fazia Janete Clair, de 'enganar com elegância', ou seja, de entreter com inventividade e qualidade. Tomara que continue assim", disse[14].

Jorge Luiz Brasil, editor-chefe da revista especializada Minha Novela, apresentou crítica também favorável, mas menos positiva: "[Foi] o excesso dessas duas características [agilidade e dinamismo] o grande problema da estreia de O Astro. Achei tudo corrido demais. Não vi necessidade para Herculano Quintanilha (Rodrigo Lombardi) passar por tantos percalços de maneira tão rápida. Os autores poderiam ter aproveitado melhor a traição que ele sofreu de Neco (Humberto Martins) e os ensinamentos que recebeu de Ferragus (Francisco Cuoco) na prisão. (...) Não ficou claro porque Márcio era tão revoltado com Salomão e o empresário precisaria ter aprontado muito para o rapaz ter motivos para estragar a inauguração do supermercado dele e surgir nu na festa chiquérrima de aniversário do Grupo Hayalla. Esta cena, aliás, foi emblemática na versão de 1977, mas aqui perdeu a força"[15].

Classificação indicativa[editar | editar código-fonte]

O ministério da justiça brasileiro classificou a trama como inadequada para menores de dezesseis anos, por conter cenas de relação sexual, carícias íntimas e nudez.[16]

Mas a partir de 13 de setembro de 2011, o Ministério interveio na trama e diminuiu sua classificação e ela passou a ser inadequada para menores de quatorze anos.[17]

Audiência[editar | editar código-fonte]

Horário # Eps. Estreia Final Posição Temporada Classificação geral
Data Primeiro
capítulo
Data Último
capítulo
Segunda—Sexta
23:00
64
12 de julho de 2011
28 [18][19]
28 de outubro de 2011
26 [20] #1 2011 19[21]

O primeiro episódio obteve 28 pontos na medição do Ibope, um número acima do que vinha até então sendo conquistado pela emissora no horário.[18][19]

A trama bateu recorde de audiência no capítulo 15, exibido em 4 de agosto de 2011. Foram registrados 23 pontos de média, maior audiência desde a estréia. No capítulo foi exibida a cena da morte de Salomão Hayalla, e dando início a um mistério que durou até o fim da trama.[22]

O último capítulo teve uma média de 26 pontos.[23] A trama obteve média de 19 pontos.

Significado[editar | editar código-fonte]

Algumas fontes descrevem a história como uma inspiração no "bruxo" Gregori Rasputin, um homem do povo que, usando supostos "poderes" ou "truques", dependendo do ponto de vista, acaba se tornando um conselheiro da corte (na época, o Tzar) e sofrendo vários atentados[24][25].

A história de Herculano Quintanilha em o Astro apresenta muitas semelhanças com a do ambicioso, mas de coração puro Eugène de Rastignac do romance Le Père Goriot de Honorè de Balzac, apresentando as mesmas vicissitudes.

DVD[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2012, a novela foi lançada em DVD pela Globo Marcas e compactada em 12 discos[26]

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

  1. "Bijuterias" – João Bosco (tema de abertura)
  2. "Easy" – André Leonno (tema de Herculano e Amanda)
  3. "Quando o Sol Bater na Janela do Teu Quarto" – Legião urbana (tema de Lili e Márcio)
  4. "Eu Nunca te Esqueci (Always on my mind)" – Julio Iglesias (tema de Natal e Laura)
  5. "É Hora" – Djavan (tema de locação: Penha)
  6. "Canção de Amor Rasgado" – Danilo Caymmi (tema de Jose)
  7. "Depois dos Temporais" – Ivan Lins (tema de Alan e Doralice)
  8. "Não me Amarra Não" – Samba de Rainha (tema de Natal)
  9. "Eu Não estou Nesses Planos" – Gabriel Guerra (tema de Jose e Márcio)
  10. "Ela Quer Provocar" – Seu Cuca
  11. "Juras" – Rosa Passos
  12. "Para Não Parar de Sambar" - Aleh (tema de Lili)
  13. "Amor Meu Grande Amor" - Taryn Spilzman (tema de Herculano e Nina)
  14. "Loucuras" – Maria Bethânia
  15. "Momentos" – Bebel Gilberto (tema de locação)
  16. "Dont’t Let Me Be Misunderstood" – Dan Torres
  17. "Stalling for Time" – Caetano Veloso
  18. "The Story of our Lives" – Alex Dimou
  19. "Last Dance" – Donna Summer (tema para festas)
  20. "Can’t Get Enough of You Love Baby" – Barry White (tema para festas)
  21. "You’re the First, The Last, My Everything" – Barry White (tema para festas)

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado
2011 Prêmio Extra de TV Melhor novela O Astro Indicado[27]
Melhor ator Rodrigo Lombardi Indicado[28]
Melhor atriz Alinne Moraes Indicado[29]
Carolina Ferraz Indicado[29]
Melhor ator coadjuvante Humberto Martins Indicado[30]
Prêmio Contigo de TV Melhor atriz coadjuvante Fernanda Rodrigues Indicado[31]
Melhores do Ano Melhor ator Rodrigo Lombardi Indicado
2012 Prêmio Emmy Internacional Melhor novela O Astro Venceu[32]

Referências

  1. a b c Nilson Xavier. «O Astro 2011». Teledramaturgia. Consultado em 25 de setembro de 2011 
  2. «Especial: "O Astro" volta às telinhas após mais de trinta anos». Consultado em 13 de julho de 2011. Arquivado do original em 21 de setembro de 2012 
  3. «'O astro' e 'A mulher invisível' ganham prêmio Emmy Internacional». G1 - Pop & Arte. 20 de novembro de 2012. Consultado em 18 de outubro de 2018 
  4. «NaTelinha entrevista o autor de "O Astro"». Arquivado do original em 12 de julho de 2012 
  5. «'O Astro' e 'A Mulher Invisível' são premiados no International Emmy Awards». Caras. 20 de novembro de 2012. Consultado em 11 de abril de 2015 
  6. «'O Astro' vence como melhor telenovela no Emmy Internacional». Yahoo. 20 de novembro de 2012. Consultado em 11 de abril de 2015 
  7. «Remake de 'O Astro', de Janete Clair, estreia em julho na Globo». Terra. 1 de abril de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  8. «Novela "O Astro" termina com a ressurreição de ícones da teledramaturgia brasileira». Folha de São Paulo. 1 de novembro de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  9. «Primeiras cenas da minissérie "O Astro" foram gravadas no Paraná». Rede Globo. 18 de maio de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  10. «"Antonina é cenário de O Astro"». Gazeta do Povo. 14 de maio de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  11. «'O Astro': Rodrigo Lombardi aprendeu a fazer mágicas». Terra. 21 de junho de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  12. «"Ficar nu foi o de menos", diz Thiago Fragoso». IG. 13 de julho de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  13. «Thiago Fragoso conta que se inspirou em São Francisco e Hamlet para papel em O Astro». UOL. 27 de outubro de 2011. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  14. «Homenagem a Janete Clair, "O Astro" lembra que as novelas sabiam "enganar com elegância"» 
  15. «Excesso de agilidade prejudica o primeiro capítulo de "O Astro"» 
  16. «O Astro' 2011 terá cenas mais 'ousadas». Veja. 18 de junho de 2011 
  17. «Para Ministério da Justiça, O Astro é novela das nove, não das onze». Paraíba Agora. 13 de setembro de 2011 
  18. a b «Estreia de "O Astro" levanta audiência da Globo no horário» 
  19. a b «O Astro estreia com altos índices de audiência na Globo». Natelinha. 12 de julho de 2011. Consultado em 15 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 21 de julho de 2012 
  20. http://www.ofuxico.com.br/noticias-sobre-famosos/ultimo-capitulo-de-gabriela-supera-o-astro-em-audiencia-com-media-de-29-pontos/2012/10/26-152606.html
  21. «Exibida ás 23h, "Verdades Secretas" já tem média geral igual a de "Gabriela"». otvfoco.com.br. Consultado em 23 de setembro de 2015 
  22. «Morte de Salomão Hayalla bate recorde e ofusca concorrentes». RD1. 5 de agosto de 2011. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2013 
  23. http://natv.ig.com.br/index.php/2011/10/29/ultimo-capitulo-de-o-astro-marca-tres-pontos-a-menos-que-a-novela-registrou-na-estreia/
  24. Carneiro, Geraldo, Várias Noites, 2011
  25. Reis, Luiz Felipe, O Astro, um Mistério de Janete Clair Volta à TV, Jornal O Globo, 2011
  26. «Novela "O Astro" é lançada em DVD». UOL. 6 de fevereiro de 2012. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  27. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Cordel encantado fatura como melhor novela do ano». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  28. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Gabriel Braga Nunes leva o prêmio de melhor ator pelo vilão Léo». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  29. a b Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: Andrea Beltrão é a melhor atriz». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011 
  30. Redação Extra Online (29 de novembro de 2011). «Prêmio Extra de TV: André Gonçalves brilha em 'Morde & assopra' e conquista o título de melhor ator coadjuvant​e». Extra Online. Consultado em 29 de novembro de 2011  zero width space character character in |título= at position 111 (ajuda)
  31. «Cópia arquivada». Consultado em 9 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 25 de maio de 2012 
  32. Área Vip (21 de novembro de 2012). «'O Astro' e 'A Mulher Invisível' vencem Emmy International». Consultado em 11 de abril de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]