Rosamaria Murtinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Junho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rosamaria Murtinho
Rosamaria Murtinho em 2003.
Nome completo Rosa Maria Pereira Murtinho
Nascimento 24 de outubro de 1939 (77 anos)
Belém, Pará Pará
Nacionalidade  brasileira
Ocupação Atriz e produtora
Atividade 1953 - presente
Cônjuge Mauro Mendonça (1959-presente)

Rosamaria Murtinho, cujo nome completo é Rosa Maria Pereira Murtinho, (Belém, 24 de outubro de 1939) é uma consagrada atriz brasileira.[1]

É casada com o também ator Mauro Mendonça com quem tem três filhos homens, sendo que um deles, Mauro Mendonça Filho, é diretor da Rede Globo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

É descendente do político brasileiro Joaquim Murtinho. Seu pai, o engenheiro agrônomo carioca Frederico Murtinho Braga, teve que fazer um trabalho no Norte do Brasil, para o Instituto Agronômico do Norte, e então conheceu Maria do Carmo, filha do Dr. Enéas Calandrini Pinheiro, então diretor do instituto, e os dois se apaixonaram. Casaram-se e Rosamaria nasceu em Belém e foi para o Rio de Janeiro ainda bebê, aos 21 dias de idade, na então capital do país. Morou durante um ano nos Estados Unidos. Queria estudar Direito e para isso vinha se preparando, mas entrou para o teatro, arte pela qual se apaixonou e que a fez desistir de tudo o mais.

Seu irmão começou a fazer teatro amador com Paulo Francis, e Rosamaria ingressou no grupo Studio 53. Uma das atrizes adoeceu e Rosamaria, a pedido de seu irmão e por sugestão de Paulo Francis, tomou o lugar dela, isso aos dezoito anos, num grupo amador, mas que levava o trabalho a sério. Um dia, Silveira Sampaio, que era dono do Teatro de Bolso, assistiu a uma apresentação do grupo e gostou de Rosamaria, convidando-a a participar de uma peça dele. Só aí ela ganhou seu primeiro salário. Depois foi a vez de Sandro Polônio chamá-la para fazer teatro em São Paulo, mas os pais não permitiram. Porém, acompanhada pela mãe, Rosamaria foi para Portugal trabalhar. Ainda nem era atriz nacional, e já era atriz internacional.

Voltando ao Brasil, começou a trabalhar na televisão, ao mesmo tempo em que fazia teatro, com o Teatro dos Sete, que era de Fernanda Montenegro, Fernando Torres, Sérgio Britto e outros, por volta de 1955. Participou nessa época do programa Câmera Um, de Jacy Campos, que montava todo o espetáculo usando apenas uma câmera. Depois Rosamaria foi do Rio para São Paulo, participando de grandes peças, dentre as quais O Canto da Cotovia, A Rosa Tatuada e Manequim. Foi numa dessas montagens que viria a conhecer o ator Mauro Mendonça, com quem se casou em 1959.

Dependendo de seus trabalhos e dos de Mauro em televisão e teatro, a vida de Rosamaria sempre esteve entre a "terra da garoa" e a "cidade maravilhosa". Trabalhou na TV Tupi e, contratada pela TV Excelsior, mudou-se para São Paulo, onde participou de telenovelas como A Moça que Veio de Longe, A Muralha, Sangue do Meu Sangue, Os Estranhos, entre outras. Em 1972, estreou na Rede Globo, participando de O Primeiro Amor, e onde outras telenovelas de sucesso se seguiram.

No fim da década de 1980 foi trabalhar na TV Manchete, atuando em Kananga do Japão e Pantanal, voltando a seguir à Rede Globo. Sem deixar o teatro de lado, Rosamaria atuou em Ô Abre Alas, que falava de Chiquinha Gonzaga.

Em 2013, voltou às novelas em Amor à Vida, onde viveu Tamara Gouveia Sobral, sogra de Félix (Mateus Solano) e mãe de Edith (Barbara Paz). Uma dos antagonistas da trama.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
1964 A Moça que Veio de Longe Maria Aparecida
1965 Eu Quero Você Natália
Pecado de Mulher Rita
Ainda Resta uma Esperança
1966 Somos Todos Irmãos Valéria
A Inimiga Leonora
O Anjo e o Vagabundo Geni
1967 Paixão Proibida Maria Helena
1968 A Muralha Isabel
O Santo Mestiço Isabel
1969 Os Estranhos Dionéia
Sangue do Meu Sangue Viviane
1972 O Primeiro Amor Paula
1973 Carinhoso Ivone
1974 O Espigão Helka Escobar
1975 Escalada Arlete
Cuca Legal Kinu
Roque Santeiro Matilde Mendes de Oliveira
Pecado Capital Eunice
1977 Nina Arlete
1979 Pai Herói Valquíria Montanha Brandão
1980 Chega Mais Léa
1981 Jogo da Vida Loreta Pires de Camargo
1983 Eu Prometo Tarsila Serra Jardim
1984 Vereda Tropical Bárbara
1985 Jogo do Amor Neide
1986 Cambalacho Cecília Pereira (Ceci)
1987 Mandala Glória Lunardo
1989 Kananga do Japão Josephine
1990 Pantanal Zuleica
1991 O Fantasma da Ópera Amália
1994 Memorial de Maria Moura Eufrásia
1995 As Pupilas do Senhor Reitor Ressureição
A Próxima Vítima Romana Ferreto (participação especial)
1996 Salsa e Merengue Bárbara
1998 Corpo Dourado Isabel Moreira de Barros
1999 Chiquinha Gonzaga Princesa Isabel
Vila Madalena Margot
2001 Estrela-Guia Carlota
As Filhas da Mãe Dona italiana
2002 Papo Irado Dona Olaíde
2003 Chocolate com Pimenta Margot Oliveira
2005 Malhação Naná
2007 Paraíso Tropical Dolores
Sete Pecados Otília
2008 Toma Lá, Dá Cá D. Cidalva
2009 Dança dos Famosos 6 Ela mesma
2011 O Astro Tia Magda
Zorra Total Ela mesma
2012 Guerra dos Sexos Mirelle Darrieux
2013 Amor à Vida Tamara Gouveia Sobral
2014 Dupla Identidade Suzana

Atuação no cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «ROSAMARIA MURTINHO». Memória Globo. 
  2. Site alemão New Video - Das Filmlexicon, Freddy - Weit ist der Weg [em linha]
  3. «Didi, O Cupido Trapalhão». Cinemateca Brasileira. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rosamaria Murtinho