Isabel Ribeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Julho de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Isabel Ribeiro
Isabel Ribeiro em cena de S. Bernardo (1971). Ao fundo, Othon Bastos.
Nome completo Frederica Isabel Iatti Ribeiro
Nascimento 8 de julho de 1941
São Paulo, SP
Morte 13 de fevereiro de 1990 (48 anos)
Jundiaí, SP
Ocupação atriz
Outros prêmios
Festival de Gramado (1980)
Melhor atriz, por Parceiros da Aventura (1980)

Troféu APCA (1974)
Melhor atriz, por S. Bernardo (1971)
IMDb: (inglês)

Isabel Ribeiro (São Paulo, 8 de julho de 1941Jundiaí, 13 de fevereiro de 1990) foi uma atriz brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Frederica Isabel Iatti Ribeiro, ela sonhava em ser médica e trabalhar em pesquisas. Descendente de uma pequena família de imigrantes poloneses, teve que abandonar os estudos antes de ingressar na faculdade e ir trabalhar para ajudar a família.

O teatro surgiu meio por acaso quando fazia um curso de política estudantil. Seu primeiro trabalho como atriz foi na peça infantil A Bruxinha que Queria Ser Boa, em 1962.

Foi levada por Augusto Boal para o Teatro Arena nos anos 60 e entrou para a TV (anos 70) destacando-se primeiro em telenovelas da TV Tupi e depois na Rede Globo. De todos os trabalhos que fez em TV ela mesmo destacava como os mais importantes a Sonia de Duas Vidas, novela de Janete Clair e a Consuelo de Sinal de Alerta, escrita por Dias Gomes. Mas outro trabalho sensível de Isabel Ribeiro foi na novela Sol de Verão de Manoel Carlos em 1983.

No cinema ganhou vários prêmios como melhor atriz e trabalhou com consagrados diretores, como Cacá Diegues, Leon Hirszman e Arnaldo Jabor, entre outros. Seus maiores sucessos no cinema foram em São Bernardo; Os Condenados e Parceiros da Aventura. Seus últimos papéis de destaque foram como a médica Gisela de Feliz Ano Velho, adaptação dirigida por Roberto Gervitz para o romance de Marcelo Rubens Paiva, e o de uma solitária dona de casa no curta-metragem A Voz da Felicidade (1988), dirigido por Nelson Nadotti e adaptado de uma crônica de Luís Fernando Veríssimo.

Foi casada com o ator Altair Lima e teve três filhos. A atriz detectou um pequeno tumor no seio quando gravava a novela [[Helena (1987)|Helena], na TV Manchete, e morreu pouco mais de dois anos depois.

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
1987 Besame Mucho Irmã Encarnacion
Feliz Ano Velho Gisela
1984 De Grens
1982 O Menino Arco-Íris Segunda Lavadeira [1]
Missa do Galo
1980 Parceiros da Aventura Ana Maria
1979 O Coronel e o Lobisomem Dona Celeste[2]
1978 Coronel Delmiro Gouveia Anunciada
1977 Na Ponta da Faca
1976 A Queda
1975 As Deliciosas Traições do Amor
Os Condenados Alma d'Alvellos
1973 Toda Nudez Será Castigada tia jovem
Os Homens Que Eu Tive
1972 Amor, Carnaval e Sonhos
Quem é Beta?
1971 O Doce Esporte do Sexo
São Bernardo Madalena
1970 Os Herdeiros Rachel
Azyllo Muito Louco D. Evarista
1969 Como Vai, Vai Bem? Amiga de Tereza
Tempo de Violência Ana Maria
1968 Lance Maior Marga
1967 El ABC del amor
Garota de Ipanema
Todas as Mulheres do Mundo Tuna[3]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cinemateca Brasileira O Menino Arco-Íris - A Infância de Jesus Cristo [em linha]
  2. «O Coronel e o Lobisomem». Cinemateca Brasileira. Consultado em 14 de março de 2017 
  3. Cinemateca Brasileira Todas as Mulheres do Mundo [em linha]
Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.