Tônia Carrero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Novembro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tônia Carrero
Tônia Carrero
Nome completo Maria Antonietta de Farias Portocarrero
Nascimento 23 de agosto de 1922 (94 anos)
Nacionalidade  brasileira
Ocupação atriz
Outros prêmios
IMDb: (inglês)

Tônia Carrero, nome artístico de Maria Antonietta Portocarrero Thedim[1][2] (Rio de Janeiro, 23 de agosto de 1922), é uma atriz brasileira. Após longos anos de carreira, é considerada uma das mais consagradas atrizes do Brasil, com marcantes interpretações em cinema, teatro e televisão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Maria Antonietta de Farias Portocarrero, no Rio de Janeiro, filha do general Hermenegildo Portocarrero,[3][4] e de D. Zilda de Farias. É descendente do marechal Hermenegildo de Albuquerque Porto Carrero, barão de Forte de Coimbra.

Apesar de graduada em Educação Física, a formação de Tônia como atriz foi obtida em cursos em Paris, quando já era casada com o artista plástico Carlos Arthur Thiré, pai do ator e diretor Cecil Thiré. Antes de partir para a França, fez um pequeno papel no filme Querida Susana. Foi a estrela da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, tendo atuado em diversos filmes.

A estreia em teatro foi no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), em São Paulo, com a peça Um Deus Dormiu Lá em Casa, onde teve como parceiro o ator Paulo Autran. Em São Paulo, filiou-se ao TBC. Após a passagem pelo TBC, formou com seu marido à época, o italiano Adolfo Celi, e com o amigo Paulo Autran, a Companhia Tônia-Celi-Autran (CTCA), que nos anos 1950 e 1960 revolucionou a cena do teatro brasileiro ao constituir um repertório com peças de autores clássicos, como Shakespeare e Carlo Goldoni, e de vanguarda, como Sartre.

Na TV, um dos seus personagens mais marcantes foi a sofisticada e encantadora Stella Fraga Simpson em Água Viva (1980), de Gilberto Braga. Tônia viria a trabalhar novamente com o autor, em 1983, na novela Louco Amor, dessa vez interpretando a não menos charmosa e chique Mouriel. Tanto em Água Viva como em Louco Amor, Tônia perdeu o papel de vilã para Beatriz Segall e Tereza Rachel, respectivamente. Mesmo assim os dois personagens que interpretou foram um sucesso.

É mãe do ator Cecil Thiré, e avó dos atores Miguel Thiré, Luísa Thiré e Carlos Thiré.

Boato sobre morte[editar | editar código-fonte]

Em 26 de junho de 2015 um boato sobre a morte da atriz, supostamente noticiada pelo jornal O Globo, circulou pela internet [5]. Tal informação foi desmentida horas depois pelo jornal, que afirmou que, na realidade havia publicado uma matéria de perfil sobre a carreira e vida da atriz, e que havia uma suposta montagem, criada por internautas, circulando na rede e identificando a matéria real como "morte"[6][5].

Carreira[editar | editar código-fonte]

No teatro[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
2004 Senhora do Destino Madame Berthe Legrand
Um Só Coração Ela própria (participação especial em um capítulo)
2000 Esplendor Mimi Melody
1995 Sangue do Meu Sangue Cecile Renon
1993 Cupido Electrónico D. Nenette
1989 Kananga do Japão Letícia Viana
1987 Sassaricando Rebeca
1983 Louco Amor Mouriel
1981 O Amor é Nosso Gilda
1980 Água-Viva Stella Fraga Simpson
1979 Cara a Cara
1972 Uma Rosa com Amor Roberta Vermont
O Primeiro Amor Maria do Carmo
1971 O Cafona Beatriz
1970 A Próxima Atração Maria da Glória
Pigmalião 70 Cristina Melo de Guimarães Cerdeira
1969 Sangue do Meu Sangue Pola Renon

Referências

  1. «Biografia de Tônia Carrero | Brasil Memória das Artes». www.funarte.gov.br. Consultado em 2016-03-09. 
  2. «Bis!: Tônia Carrero se consagrou ao interpretar personagens marcantes». redeglobo.globo.com. Consultado em 2016-03-09. 
  3. «Prestes a fazer 91 anos, Tônia Carrero está lúcida, mas quase não fala e vive reclusa - 18/08/2013 - Mônica Bergamo - Colunistas - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-03-09. 
  4. «Biografia de Tonia Carrero». AdoroCinema. Consultado em 2016-03-09. 
  5. a b Ricardo Fernandes (27/06/2015). «"O Globo" desmente informação sobre morte da atriz Tônia Carrero». portal imprensa. Consultado em 28 de junho de 2015. 
  6. «Notícia sobre morte da atriz Tônia Carrero é falsa». Jornal "O Povo online". 26/06/2015. Consultado em 28 de junho de 2015. 
  7. Cinemateca Brasileira Querida Susana [em linha]

8. Tônia Carrero: Movida pela Paixão, de Tania Carvalho. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Tônia Carrero
Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.