Tônia Carrero

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Novembro de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Tônia Carrero
Tônia Carrero
Nome completo Maria Antonietta de Farias Portocarrero
Nascimento 23 de agosto de 1922 (93 anos)
Nacionalidade  brasileira
Ocupação atriz
Outros prêmios
IMDb: (inglês)

Tônia Carrero, nome artístico de Maria Antonietta Portocarrero Thedim[1][2] (Rio de Janeiro, 23 de agosto de 1922), é uma atriz brasileira. Após longos anos de carreira, é considerada uma das mais consagradas atrizes do Brasil, com marcantes interpretações em cinema, teatro e televisão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida Maria Antonietta de Farias Portocarrero, no Rio de Janeiro, filha do general Hermenegildo Portocarrero,[3][4] e de D. Zilda de Farias. É descendente do marechal Hermenegildo de Albuquerque Porto Carrero, barão de Forte de Coimbra.

Apesar de graduada em Educação Física, a formação de Tônia como atriz foi obtida em cursos em Paris, quando já era casada com o artista plástico Carlos Arthur Thiré, pai do ator e diretor Cecil Thiré. Antes de partir para a França, fez um pequeno papel no filme Querida Susana. Foi a estrela da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, tendo atuado em diversos filmes.

A estreia em teatro foi no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), em São Paulo, com a peça Um Deus Dormiu Lá em Casa, onde teve como parceiro o ator Paulo Autran. Em São Paulo, filiou-se ao TBC. Após a passagem pelo TBC, formou com seu marido à época, o italiano Adolfo Celi, e com o amigo Paulo Autran, a Companhia Tônia-Celi-Autran (CTCA), que nos anos 1950 e 1960 revolucionou a cena do teatro brasileiro ao constituir um repertório com peças de autores clássicos, como Shakespeare e Carlo Goldoni, e de vanguarda, como Sartre.

Na TV, um dos seus personagens mais marcantes foi a sofisticada e encantadora Stella Fraga Simpson em Água Viva (1980), de Gilberto Braga. Tônia viria a trabalhar novamente com o autor, em 1983, na novela Louco Amor, dessa vez interpretando a não menos charmosa e chique Mouriel. Tanto em Água Viva como em Louco Amor, Tônia perdeu o papel de vilã para Beatriz Segall e Tereza Rachel, respectivamente. Mesmo assim os dois personagens que interpretou foram um sucesso.

É mãe do ator Cecil Thiré, e avó dos atores Miguel Thiré, Luísa Thiré e Carlos Thiré.

Boato sobre morte[editar | editar código-fonte]

Em 26 de junho de 2015 um boato sobre a morte da atriz, supostamente noticiada pelo jornal O Globo, circulou pela internet [5]. Tal informação foi desmentida horas depois pelo jornal, que afirmou que, na realidade havia publicado uma matéria de perfil sobre a carreira e vida da atriz, e que havia uma suposta montagem, criada por internautas, circulando na rede e identificando a matéria real como "morte"[6][5].

Carreira[editar | editar código-fonte]

No teatro[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Biografia de Tônia Carrero | Brasil Memória das Artes». www.funarte.gov.br. Consultado em 2016-03-09. 
  2. «Bis!: Tônia Carrero se consagrou ao interpretar personagens marcantes». redeglobo.globo.com. Consultado em 2016-03-09. 
  3. «Prestes a fazer 91 anos, Tônia Carrero está lúcida, mas quase não fala e vive reclusa - 18/08/2013 - Mônica Bergamo - Colunistas - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-03-09. 
  4. «Biografia de Tonia Carrero». AdoroCinema. Consultado em 2016-03-09. 
  5. a b Ricardo Fernandes (27/06/2015). «"O Globo" desmente informação sobre morte da atriz Tônia Carrero». portal imprensa. Consultado em 28 de junho de 2015. 
  6. «Notícia sobre morte da atriz Tônia Carrero é falsa». Jornal "O Povo online". 26/06/2015. Consultado em 28 de junho de 2015. 
  7. Cinemateca Brasileira Querida Susana [em linha]

8. Tônia Carrero: Movida pela Paixão, de Tania Carvalho. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Tônia Carrero
Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.