Appassionata

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Apassionata)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Appassionata
Tônia Carrero, Alberto Ruschel, Anselmo Duarte e Ziembinski, destaques do cartaz do filme.
 Brasil
1952 •  pb •  96 min 
Direção Fernando de Barros
Roteiro Maria José Dupré e
Guilherme de Almeida (diálogos)
Chianca de Garcia (argumento)
Agostinho Martins Pereira
Elenco Tônia Carrero
Alberto Ruschel
Anselmo Duarte
Ziembinski
Gênero drama
Música Beethoven
Direção de fotografia Ray Sturgess
Edição Oswald Hafenrichter
Edith Hafenrichter
Companhia(s) produtora(s) Companhia Cinematográfica Vera Cruz
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento Brasil 10 de setembro de 1952
Portugal 17 de setembro de 1954[1]
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Appassionata é um filme brasileiro, produzido em 1952 pela Companhia Vera Cruz e dirigido por Fernando de Barros.[2]

Esta grande produção da Companhia Vera Cruz, levemente inspirada no enredo de The Men in Her Life (Gregory Ratoff, 1941)[3], foi escrita especialmente para a atriz Tônia Carrero[4], que, nas cenas ao piano, foi dublada por Yara Bernette.[2]

O filme marcou a estreia do ator Paulo Autran no cinema brasileiro.[4]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Associação Brasileira de Cronistas Cinematográficos (1952)
Vencedor na categoria:
Melhor ator (Alberto Ruschel)[2]
Vencedor na categoria:
Melhor ator (Alberto Ruschel)[2]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Sílvia Nogalis (Tônia Carrero), pianista consagrada, prefere a carreira ao casamento. Na noite em que se consagraria tocando Appassionata (de Beethoven), recebe a notícia do suicídio de seu marido, o maestro Hauser (Ziembinski). Ela, porém, acaba sendo acusada por sua governanta de ter planejado a morte do marido. Depois de comprovar sua inocência ela se retira para um local junto ao mar onde conhece e se apaixona pelo diretor de um reformatório de jovens.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Tônia Carrero ... Sílvia Nogalis
  • Anselmo Duarte ... Pedro (diretor do reformatório)
  • Alberto Ruschel ... Luís Marcos (pintor fracassado)
  • Ziebgniew Ziembinski ... Walter Hauser (maestro fracassado)
  • Abílio Pereira de Almeida ... delegado
  • Paulo Autran ... advogado de Sílvia
  • Jaime Barcellos ... advogado de Rogério
  • Dinah Lisboa ... Florinda (amiga de Sílvia)
  • Francisco Sá ... delegado distrital
  • Elisio Albuquerque ... violinista
  • Xandó Batista... homem no teatro
  • Renato Consorte ... investigador
  • Edson Borges
  • Annie Berrier ... Cyldene Freden (cantora francesa)
  • Nelson Camargo
  • Edith Helou... governanta do maestro
  • Salvador Daki ... Rogério (chofer)
  • Josef Guerreiro ... Nélio (aluno do reformatório)
  • Vera Sampaio
  • Lima Neto ... Ventura (empresário de Sílvia)
  • Luiz Calderaro ... amigo de Rogério
  • Joe Kantor
  • Danilo Oliveira
  • Neide Landi
  • Albino Cordeiro
  • Freddy Kleeman
  • Isidoro Lopes
  • Maria Luíza Splendore
  • Antônio Fragoso
  • Wanda Hammel ... mulher na plateia
  • Rubens de Falco
  • Pedro Petersen
  • Suzana Petersen
  • Humberto Riva
  • Francisco Taricano
  • Pedro Moacyr
  • Agostinho Martins Pereira
  • Joaquim Mosca
  • José Renato
  • Ida Fogli
  • Jordano Martinelli ... vigilante do reformatório
  • Arquimedes Ribeiro
  • Jerry Fletcher
  • Valentim Cruz
  • Adolfo Paz González
  • Climente Carvalho
  • Carlos Tetslaf Ferreira
  • Napoleão Sucupira




Referências

  1. IMDb
  2. a b c d «Ficha técnica». Cinemateca Brasileira. Consultado em 23 de julho de 2011. 
  3. «Appassionata». Adoro Cinema. Consultado em 23 de julho de 2011. 
  4. a b «Apassionata». Meu Cinema Brasileiro. Consultado em 23 de julho de 2011. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.