Uma Rosa com Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a telenovela de 2010 produzida pelo SBT, veja Uma Rosa com Amor (2010).
Uma Rosa com Amor
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Comédia romântica
Duração 45 minutos
Estado Finalizada
Criador(es) Vicente Sesso
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Walter Campos
Elenco
Tema de abertura "Uma Rosa com Amor", Kris & Cristina
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 23 de outubro de 197229 de junho de 1973
N.º de episódios 221
Cronologia
Programas relacionados Uma Rosa com Amor (2010)

Uma Rosa com Amor é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida entre 23 de outubro de 1972 e 29 de junho de 1973, em 221 capítulos, substituindo O Primeiro Amor e sendo substituída por Carinhoso. Escrita por Vicente Sesso e dirigida por Walter Campos, foi produzida em preto-e-branco. Foi a 11.ª "novela das sete" exibida pela emissora.[1]

Teve Marília Pêra, Paulo Goulart, Grande Otelo, Tônia Carrero, Marcos Paulo, Wanda Lacerda, Leonardo Villar, Jacyra Silva, Ênio Santos, Eleonor Bruno, Gilberto Martinho, Monah Delacy, Felipe Carone, Lélia Abramo e Yoná Magalhães nos papéis principais.

Produção[editar | editar código-fonte]

Uma Rosa com Amor marcou o estilo "comédia romântica" no horário das 19h da Rede Globo, tornando-se um dos maiores sucessos no horário na década de 1970. A novela marcou a volta de Yoná Magalhães à Globo após um período fora da emissora. Para quebrar a imagem das antigas heroínas que interpretou na emissora, a atriz teve que ficar loura, o que simbolizou uma nova fase na sua carreira profissional.[2]

Grande parte do sucesso de Uma Rosa com Amor pode ser creditado à excelente química entre os atores Paulo Goulart e Marília Pêra, ambos fazendo sua primeira comédia em televisão. Segundo Paulo, os dois se divertiam muito durante as gravações e frequentemente não resistiam ao riso. Ele conta que, em cenas românticas, evitava olhar a atriz nos olhos, enquanto ela procurava olhar fixamente para o seu queixo, do contrário os dois começavam a rir.[1]

Remake[editar | editar código-fonte]

Em 2009 o texto de Uma Rosa com Amor foi comprado pelo SBT[3] e em 2010 foi adaptado por Tiago Santiago, sendo o primeiro trabalho do mesmo na emissora de Sílvio Santos.

Exibição[editar | editar código-fonte]

Uma Rosa com Amor foi reprisada a partir de abril de 1980, às 10 horas da manhã, dentro do programa feminino TV Mulher.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Serafina Rosa Petrone é uma moça solitária, desastrada e aparentemente sem grandes atrativos físicos, que sonha encontrar o amor da sua vida, alimentando uma paixão secreta por seu chefe, o industrial Claude Antoine Geraldi. Para atenuar a carência e fazer crer que é cortejada, envia uma rosa para si mesma todos os dias.[5][2]

Morando em um cortiço habitado por imigrantes italianos no bairro do Bexiga com os pais Amália e Giovanni, a irmã Terezinha e o irmão Dino, Serafina passa a ser notada pelo chefe quando este a pede em casamento, por mero interesse porque é estrangeiro e vive ilegalmente no Brasil. Diante da perspectiva de ver a família e os amigos desamparados por causa da demolição do cortiço, a moça aceita encenar o falso casamento, sabendo que ele será desfeito após um determinado período.[5] Com o casamento, o relacionamento dos dois se torna péssimo e passam a brigar constantemente. Para piorar a situação, a milionária Nara Paranhos de Vasconcelos, com quem Claude teve um caso, atrapalha de todas as formas a vida do casal com diversas maldades. Com um tempo, Claude e Serafina acabam se apaixonando.[5]

Nara é uma mulher exagerada e maledicente que mantém a família num alto padrão de vida. Vivendo na companhia das amigas também ricas, a vaidosa Ercy e a neurótica Alzira, mora com o pai, o ambicioso Egídio e é ex-mulher de Carlos de Vasconcelos, homem sedutor e oportunista que não aceita o divórcio e a abandonou sozinha com seus dois filhos: Beto, um bon-vivant que se apaixona por Terezinha; e a sonhadora e compreensiva Raquel. Ambos foram criados pela sábia Carmem, governanta da família há mais de 20 anos.

A trama também conta a história da atriz Roberta Vermont, que mantém um caso com o ator iniciante Sérgio, mostrando pela primeira vez na televisão um romance entre uma mulher madura e um homem mais jovem. Sérgio tem vergonha da condição social da sua mãe, a costureira Joana Carioca, que mora no cortiço do Bexiga.[6] Roberta é fina, elegante e um pouco inconsequente, que precisa ser freada, muitas vezes, pela sua amiga, a espevitada Alabá. Tem como "rival artística" a atriz Jerusa Garcez, que a vive atormentando e ambicionando seus papéis nas produções.

A família Rosa Batateira é outro núcleo importante da trama. Tradicional família paulistana, tem como matriarca a compreensiva Catarina, empresária séria, determinada e mãe de três filhos: o sofisticado Antoninho, braço-direito da mãe; Milton, jovem e responsável executivo que se envolve com Terezinha, disputando a sua atenção com Beto, seu amigo de infância; e Cleide, a filha mais nova que, contrariando a todos, sonha em ser modelo.

Hugo Lombardi é um diretor de televisão, sobrinho de Catarina e melhor amigo de Roberta. Apesar de dedicado e atraente, é um pouco atrapalhado quando se trata de conquista amorosa. Envolve-se com Alabá no começo da trama mas acaba se apaixonando por Janete, moça romântica que mora no cortiço do Bexiga com o irmão Colibri, e passa a disputá-la com o primo Antoninho, também apaixonado por ela. Melhor amiga de Serafina, Janete trabalha como secretária de Frazão, industrial bonachão e melhor amigo de Claude.

Outros ilustres moradores do cortiço do Bexiga são: Pimpinoni, velho tintureiro amigo de Serafina que cativa a todos com as suas marionetes e ajuda a amiga a enxergar a vida com poesia;[7] o fanhoso Afrânio, garçom apaixonado por Serafina; a piedosa Pepa; e as fofoqueiras Genô e Antonieta, costureiras amigas de Joana.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator[8] Personagem[8]
Marília Pêra Serafina Rosa Petrone
Paulo Goulart Claude Antoine Geraldi
Yoná Magalhães Nara Paranhos de Vasconcelos
Grande Otelo Pimpinoni
Tônia Carrero Roberta Vermont
Marcos Paulo Sérgio Camargo
Lélia Abramo Amália Petrone
Felipe Carone Giovanni Petrone
Wanda Lacerda Joana Camargo (Joana Carioca)
Gilberto Martinho Carlos de Vasconcelos
Leonardo Villar Frazão
Jacyra Silva Alabá
Ênio Santos Egídio Paranhos
Eleonor Bruno Catarina Rosa Batateira
Ary Fontoura Afrânio
Henriqueta Brieba Pepa
Monah Delacy Jerusa Garcez
Nélson Caruso Antônio Rosa Batateira (Antoninho)
Sônia Dutra Janete
Jorge Cherques Hugo Lombardi
Dinorah Marzullo Carmem
Beth Barcellos Raquel Paranhos de Vasconcelos
José Augusto Branco Milton Rosa Batateira
Nívea Maria Tereza Petrone (Terezinha)
Roberto Pirillo Roberto Paranhos de Vasconcelos (Beto)
Tamara Taxman Ercy Andrade
Jacqueline Laurence Alzira
Alberto Pérez Dr. Freitas
Heloísa Helena Dona Genoveva (Genô)
Selma Lopes Dona Antonieta
Aurimar Rocha Mr. Darley Smith
Rosita Thomaz Lopes Mrs. July Smith
Fernando José Oscar
Cléa Simões Elisa
Paulo Padilha Alfredo Gurgel
Paulo Ramos Haddad
Márcia Couto Cleide Rosa Batateira
Luiz Fernando Guimarães Colibri
Elisa Fernandes Ninica
Herivelto Martins Filho Dino Petrone
Haroldo Botta João (Joãozinho)

Música[editar | editar código-fonte]

O tema de abertura da novela, Uma Rosa com Amor – composto por Antônio Carlos & Jocafi e interpretado por Kris & Cristina –, precisou ser regravado para atender a exigências da Censura Federal, que vetou a expressão “pega pra capar”. Na nova versão, os autores escreveram: “É um saco sem tamanho nesse velho bafafá”. A versão original, no entanto, já havia sido lançada na primeira edição da trilha sonora.[9][4]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Uma Rosa com Amor - Nacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento 1972
Gênero(s) Vários
Formato(s) LP
Gravadora(s) Som Livre[10]
Produção João Araújo[10]
Eustáquio Sena[10]

Capa: Yoná Magalhães, José Augusto Branco, Marília Pêra, Paulo Goulart, Leonardo Villar, Ênio Santos e Felipe Carone[9][10]

  1. Minhas Razões - Antônio Carlos & Jocafi
  2. Do Amor Fazer Novas Lendas - César Costa Filho
  3. Vou Disparar - Osmar Milito e Quarteto Number One
  4. Elisabeth - Paulinho Soares
  5. Marionetes - Coral Som Livre
  6. Buona Sera Serafina - Felipe Carone
  7. Uma Rosa Com Amor - Kris & Cristina
  8. Bate Boca - Paulinho Soares
  9. Burguês Fino Trato - Djalma Dias
  10. Chuchu Beleza - Maria Alcina
  11. A Rosa - Moacyr Franco
  12. Amor Não é Coisa Pra Negócio - Tom & Dito
  13. Bom de Bico - Luiz Carlos Sá
  14. Meu Silêncio - Marcio Lott

Internacional[editar | editar código-fonte]

Uma Rosa com Amor - Internacional
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento 1972
Gênero(s) Vários
Formato(s) LP
Gravadora(s) Som Livre[10]
Produção João Araújo[10]
Eustáquio Sena[10]

Capa: Logotipo da novela[9][10]

  1. Il Etait Une Fois... La Revolution - Free Sound Orchestra
  2. Crocodile Rock - Elton John
  3. You Are The Sunshine of My Life - Stevie Wonder
  4. Ben - Michael Jackson
  5. Clair - Spirit of Freedom
  6. Love Song - Jackson 5
  7. La La La - El Chicles
  8. Tell Me Once Again - The Light Reflections
  9. Superwoman - Stevie Wonder
  10. Amour Et Liberté - Tony Rallo Orchestra
  11. Oh Girl - The Chi-Lites
  12. Un Amore Sbagliato - Tony Cucchiara
  13. This World - Zingara
  14. When You Told Me - P. J. Ross

Referências

  1. a b «Uma Rosa com Amor - Curiosidades». Memória Globo 
  2. a b Paulo Senna. «Uma Rosa com Amor - 1972». Consultado em 19 de junho de 2013. 
  3. «Entrevista polêmica de Vicente Sesso.». SBT World. Consultado em 19 de junho de 2013. 
  4. a b «Uma Rosa com Amor - Bastidores». Teledramaturgia. Consultado em 6 de janeiro de 2015. 
  5. a b c «Uma Rosa com Amor - Trama Principal». Memória Globo 
  6. «Uma Rosa com Amor -Tramas Paralelas: Roberta e Sérgio». Memória Globo 
  7. «Uma Rosa com Amor -Tramas Paralelas: Pimpinoni». Memória Globo 
  8. a b «Ficha técnica». Memória Globo 
  9. a b c «Trilha Sonora de 'Uma Rosa com Amor'». Memória Globo. Consultado em 2 de janeiro de 2010. 
  10. a b c d e f g h «Uma Rosa com Amor - Trilha Sonora». Teledramaturgia. Consultado em 19 de junho de 2013. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.