O Santo Mestiço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Santo Mestiço
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Romance
Duração 45 minutos
Estado Finalizada
Criador(es) Glória Magadan
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Fábio Sabag
Elenco Ver "Elenco"
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 12 de fevereiro7 de junho de 1968
N.º de episódios 80

O Santo Mestiço é uma telenovela brasileira, exibida pela Rede Globo entre 12 de fevereiro e 7 de junho de 1968, em 80 capítulos, substituindo Padre Tião e sendo substituída por A Grande Mentira. Foi escrita por Glória Magadan e dirigida por Fábio Sabag, produzida em preto-e-branco. Foi a 4.ª "novela das sete" exibida pela emissora.[1][2]

Produção e exibição[editar | editar código-fonte]

O Santo Mestiço foi uma produção da TV Globo São Paulo, com cenas externas gravadas no Rio de Janeiro.[3] A trama reiniciou a exibição de novelas no horário das sete da Rede Globo. Em 1965 - ano da inauguração da emissora -, três produções, remanescentes da TV Paulista, tinham sido apresentadas no horário - Rosinha do Sobrado, A Moreninha e Padre Tião - mas não tiveram substitutas em sequência. Portanto, O Santo Mestiço reiniciou a exibição de novelas na faixa.[4] Em São Paulo a trama foi exibida às 21h30.

Sérgio Cardoso, que fazia dois papéis na trama, teve sua experiência mais desastrosa como ator de telenovela. Isso fez com que Sérgio voltasse para a TV Tupi no mesmo ano, onde iria interpretar um dos maiores personagens da sua carreira: Antônio Maria, na novela de mesmo título. Ele fez pesadas críticas ao texto de Glória Magadan, o que abalou a posição de grande influência da novelista na dramaturgia da TV Globo.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

A novela era baseada na história real de São Martín de Porres, um frade dominicano nascido no Peru e o primeiro sul-americano a ser canonizado pela Igreja Católica em 1962 pelo Papa João XXIII.[5][6]

Na trama, Martinho de Porres é um cristão caridoso que se compromete em pregar os dogmas da igreja. Uma ditadura se forma na fictícia nação onde mora, e o frade dominicano enfrenta uma forte perseguição religiosa, mas resiste e permanece no país para ajudar os fiéis.[5]

Indo de encontro aos ideais de Martinho, Isabel é outra personagem importante na história. É uma mulher determinada que trabalha como tenente de uma milícia feminina. Completamente descrente, acredita que a religião era um perigo para a ditadura. Vive com a mãe Caroliny e é noiva do médico e ativista Gerardo.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator[7] Personagem
Sérgio Cardoso Martinho de Porres/ Padre Ramiro
Rosamaria Murtinho Tenente Isabel
Edney Giovenazzi Gerardo
Dina Lisboa Caroliny
Turíbio Ruiz Tenório
Thaís Portinho Clara Lee
Germano Filho Coronel Eurípedes Pinto
Wanda Lacerda Madre Emanuella
Luiz Pini Felipe
Celso Marques Crispim
Ivete Bonfá Lúcia
Isabella Cerqueira Tina
Midnight Heitor (mordomo)

Referências

  1. «Memória Globo: Trabalhos na TV Globo - Glória Magadan». Memória Globo. Consultado em 22 de fevereiro de 2014 
  2. «O Santo Mestiço - Teledramaturgia». Teledramaturgia. Consultado em 12 de outubro de 2012 
  3. «O Santo Mestiço - Produção». Memória Globo. Consultado em 12 de outubro de 2012 
  4. a b «O Santo Mestiço - Curiosidades». Memória Globo. Consultado em 12 de outubro de 2012 
  5. a b «O Santo Mestiço - Trama». Memória Globo. Consultado em 12 de outubro de 2012 
  6. Teledramaturgia, Site. «O Santo Mestiço -Sinopse». Consultado em 12 de outubro de 2012 
  7. «Elenco Principal de "O Santo Mestiço"». AnosDourados.net. Consultado em 12 de outubro de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.