O Cara Suja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Cara Suja foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela extinta TV Tupi entre 1 de abril a 13 de julho de 1965, às 20h. Foi escrita por Walter George Durst, com base no original de Roberto Valente, com direção de Geraldo Vietri e supervisão de Glória Magadan.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Uma emocionante história que narra a vida de Ciccilo, um imigrante italiano da Calábria, recém-chegado ao Brasil, um homem simples e rude tentando integrar-se numa sociedade fechada e hostil.

Yara, a "Biondina", é uma grã-fina que amarga a ruína financeira de sua família. Por isso ela se aproxima do carcamano grosseirão que, de uma hora para outra, tornara-se milionário ao ganhar um prêmio na loteria. Os milionários estão em decadência e o italiano põe todos a trabalhar!

Um triângulo amoroso se instala quando surge Marília, uma bela secretária, que se apaixona por Ciccilo. Ao final, todos queriam saber se Yara conquistaria o coração do imigrante, ou Marília levaria a melhor.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Uma experiência do neorrealismo na televisão, O Cara Suja foi dos maiores sucessos da época, principalmente por colocar no contexto elementos da colônia italiana.
  • Se constituiu na consagração de Sérgio Cardoso, que a partir dali se tornou um dos atores mais requisitados para os folhetins.
  • Com a repercussão de seu personagem Ciccilo, Sérgio Cardoso gravou um compacto com dois temas da novela: Se Piangi, Se Ridi e Biondina.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.