A Barba-Azul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Barba Azul
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 minutos aprox.
Criador(es) Ivani Ribeiro
País de origem Brasil Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Henrique Martins
Antônio de Moura Mattos
Elenco Eva Wilma
Carlos Zara
Jussara Freire
Newton Prado
Edgard Franco
(ver mais)
Tema de abertura "Tema de abertura", César Mariano
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Tupi
Transmissão original 1 de julho de 1974 - 15 de fevereiro de 1975
N.º de episódios 196
Cronologia
Último
As Divinas... e Maravilhosas
Meu Rico Português
Próximo
Programas relacionados A Gata Comeu

A Barba-Azul foi uma telenovela brasileira produzida e exibida às 19h00 pela extinta Rede Tupi, entre 1 de julho de 1974 a 15 de fevereiro de 1975, substituindo As Divinas... e Maravilhosas e sendo substituída por Meu Rico Português no horário[1].

Foi escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Antônio de Moura Mattos e Henrique Martins.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Apesar de já ter ficado noiva sete vezes, Jô Penteado, sempre fica viúva de seus pretendentes, o que lhe rende o curioso apelido de "Barba Azul", por fazer deles gatos e sapatos. Jô embarca numa excursão escolar à Angra dos Reis, promovida pelo pacato professor Fábio Coutinho, viúvo e pai de dois filhos, que levou consigo um grupo de alunos. Mas uma falha faz com que o barco desvie de sua rota e vá parar numa ilha desconhecida e distante.

Dados como mortos, eles passam alguns meses perdidos e a convivência faz com que nasça um amor tempestuoso entre Jô e Fábio, que passam a viver, feito cão e gato, um tumultuado romance que percorre toda a trama - apesar das armações de Gláucia, a irmã invejosa de Jô, e de Paula, ex-noiva de Fábio ainda apaixonada por ele.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  1. "Don't Let Me Cry" - Mark Davis - Fábio Junior - (tema de Jô e Fábio)
  2. "Sempre" - Willis (tema de Fábio)
  3. "Papillon" - Il Guardiano Del Faro (tema de Horácio)
  4. "Caminho da Paz" - Edu França (tema de Tony)
  5. "If You Let Me Go" - Jeffrey (tema de Lenita)
  6. "Por Que Tudo Começou?" - Mariney (tema de Ester)
  7. "Tema de Abertura" - César Camargo Mariano
  8. "Quarto Fechado" - Ronnie Von (tema de Jô)
  9. "Shadows" - Demis Roussos (tema de Gláucia)
  10. "Procuro Por Você (Yours Until Tomorrow)" - Tony (tema de Babi)
  11. "Miss Mirian Said No" - Mr. Charlie (tema de Ofélia)
  12. "Só Nós Dois" - Bruno Paulli (tema de Tereza e Gustavo)
  13. "Tema de Jô" - César Camargo Mariano

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • Mais um sucesso de Ivani Ribeiro: uma comédia romântica que caiu no gosto do público.
  • Um grande sucesso de audiência, a trama chegou a conquistar 54% da audiência, ultrapassanso a concorrente da Rede Globo no horário, Corrida do Ouro.
  • A trama tinha um atrativo a mais: mostrava cenas verídicas de amor do casal Eva Wilma e Carlos Zara, que oficializaram sua união durante a exibição da novela.
  • Em 1985, A Barba Azul teve um remake produzido pela Rede Globo com o título A Gata Comeu, repetindo o sucesso da novela original. Christiane Torloni e Nuno Leal Maia viveram Jô e Fábio, personagens de Eva Wilma e Carlos Zara, nesta versão.
  • A "barba azul" do título era o apelido de Jô Penteado, famosa por ficar noiva várias vezes sem nunca ter se casado.
  • Foi a primeira telenovela em cores do horário das sete da noite da emissora. A partir de sua data de estreia em 1º de julho de 1974, todas as novelas noturnas da emissora passaram a ser transmitidas em cores - também Os Inocentes, às 20h, e O Machão, às 20h30.
  • A atriz Carminha Brandão atuava em Os Inocentes, a novela das oito da Rede Tupi, quando deixou a atração para participar da nova novela das sete, A Barba Azul, onde viveu a personagem Ofélia. Enquanto iam ao ar os primeiros capítulos da trama, Carminha ainda aparecia em Os Inocentes, nas últimas gravações que ela fez para a novela nesse período. Ao final de Os Inocentes, a atriz retornaria à novela das oito para gravar uma última participação. Novamente a atriz pôde ser vista simultaneamente na novela das sete e na novela das oito da emissora.
  • Na trama, o ator Nelson Caruso interpretava um ator da própria emissora (Tony Duarte) que recebeu uma oferta de uma "emissora carioca" (o que de fato ocorreu com Nelson Caruso, que trocou a Rede Tupi pela Rede Globo) e deixou a trama. Então a Tupi fictícia (na história da novela) contratou outro ator para substituí-lo: Mauricio Moraes (interpretado por Edgard Franco). E esse personagem passou a fazer as vezes do outro.
  • No remake da Globo - A Gata Comeu, em 1985 - a autora pôde enfim levar adiante sua ideia original para o personagem Tony Duarte (Roberto Pirillo), que permaneceu durante toda a trama, o que eliminou a necessidade do personagem substituto, Mauricio Moraes.
  • A atriz Rachel Martins, que vinha vivendo a personagem Zazá, faleceu durante a novela. A atriz não foi substituída. As vezes da personagem foram feitas por outra: Olga, de Wilma de Aguiar.
  • Chamada da novela: "No barco do destino a força de uma paixão..."

Referências

  1. «A barba azul». Teledramaturgia. Consultado em 23 de abril de 2016. 
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.