Francisco Cuoco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Francisco Cuoco
O ator em 2015, em uma sessão especial realizada no plenário do Senado para comemorar o cinquentenário das atividades da Rede Globo
Nascimento 29 de novembro de 1933 (83 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Ator
Cantor
Diretor
Escritor
Poeta
Músico
Artista plástico
Humorista
Atividade 1957 – presente
Cônjuge Carminha Brandão (19601965)
Gina Rodrigues (19711984)
Thaís Rodrigues (2010–presente)[1]
IMDb: (inglês)
Francisco cuoco colegas.jpg

Francisco Cuoco (São Paulo, 29 de novembro de 1933) é um ator[2] de sólida carreira no teatro, cinema e televisão (tendo sido intérprete de personagens que marcaram época), cantor, diretor, escritor, poeta, músico, artista plástico e humorista brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Juventude e formação acadêmica[editar | editar código-fonte]

De origem humilde, filho do feirante italiano Leopoldo Cuoco, Francisco cresceu no bairro paulistano do Brás, junto de sua irmã Grácia e sua mãe Antonieta[3].

Trabalhava durante o dia com o pai na feira e à noite estudava, buscando uma profissão estável. Queria estudar Direito, mas ao entrar em contato com a Escola de Arte Dramática de Alfredo Mesquita, decidiu ser um profissional de dramaturgia. Abandonou os estudos de leis e códigos e se entregou à vocação artística.

Início no teatro[editar | editar código-fonte]

Estreou no teatro em peças do Teatro Brasileiro de Comédia e depois atuou pela companhia Teatro dos Sete, trabalhando com diretores como Alberto D'Aversa, Gianni Ratto, Fernando Torres e atores como Ítalo Rossi, Fernanda Montenegro, Carminha Brandão, entre outros. Seu primeiro protagonista no teatro foi com o personagem Werneck, de O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues, em 1961, com direção de Fernando Torres. Em 1964 foi premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) como melhor ator coadjuvante na peça Boeing-Boeing [4].

Estreia na televisão[editar | editar código-fonte]

Sua primeira telenovela foi Renúncia, escrita por Walter Negrão, levada ao ar em 1965 pela TV Record, na qual já estreou como protagonista, ao lado da atriz Irina Grecco. A partir daí, Cuoco foi emendando um trabalho atrás do outro, sempre revestido da aura de galã dos sonhos das telespectadoras, posto dividido na época com Carlos Zara, Tarcísio Meira e Hélio Souto.

Participou de telenovelas na Rede Tupi e, principalmente, na TV Excelsior, onde viveu o Dr. Fernando, protagonista de Redenção, a telenovela que até hoje mantém o recorde de permanência no ar, com 596 capítulos exibidos ao longo de dois anos. Ainda, teve posição de destaque no enredo de Sangue do meu Sangue, exibida em 1969.

Transferiu-se para a Rede Globo em 1970, e seu primeiro trabalho na emissora foi a telenovela Assim na Terra como no Céu, de Dias Gomes, na qual viveu o protagonista Vítor Mariano,[3] um padre que abandona a batina para se casar e tem seus planos frustrados pela morte misteriosa da noiva. A partir daí, fez sucessivos trabalhos que levaram a assinatura de Janete Clair, que o tinha como um de seus atores preferidos. Para Cuoco, Janete criou o Cristiano de Selva de Pedra, o jornalista Alex de O Semideus, o taxista "Carlão" - trabalho muito elogiado de Cuoco na primeira versão da novela Pecado Capital -, o misto de mocinho e vilão "Herculano" de O Astro, o ambicioso Tião Bento em Sétimo Sentido e o político "Lucas" em Eu Prometo.

Retorno aos palcos[editar | editar código-fonte]

Após muitos anos afastado do teatro devido ao trabalho intenso na televisão, Cuoco retornou em 2002 com uma peça ao ar livre[5] ambientada no século XVI na qual interpretou o histórico padre português Gonçalo Monteiro. Seguiram-se, daí, outras peças: a comédia de Rodrigo Murat "Três Homens Baixos" em 2004, "O Último Bolero" (de João Machado), "Circuncisão em Nova York" (João Bethencourt) e "Deus é Química" (Fernanda Torres).

Em filmes[editar | editar código-fonte]

Suas participações mais recentes no cinema foram nos filmes Cafundó (2008), de Paulo Betti e Clóvis Bueno, Traição (1998 - conjunto de três episódios baseados na obra de Nélson Rodrigues), e Gêmeas (1999), de Andrucha Waddington, em que fez Jorge, o pai das gêmeas do título. Estrelou Anuska, Manequim e Mulher (1968), Os Xeretas (2001), e participou em Um Anjo Trapalhão (2000), Cafundó (2005) e Didi - O Caçador de Tesouros (2006).

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 2013 revelou seu relacionamento de mais de 3 anos[6] com Thaís Rodrigues, de 27 anos e 53 anos mais jovem que ele[1].

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel
2016 Sol Nascente Gaetano De Angeli [7]
2015 I Love Paraisópolis Evaristo Mateus
2014 Boogie Oogie Vicente Teixeira Casagrande [8]
A Grande Família Oduvaldo Carrara [9][10]
Doce de Mãe Fortunato
2013 Amor à Vida Rubão Carvalho [11][12]
2011 A Vida da Gente Mariano Vilaça
O Astro Férragus
2010 Passione Olavo da Silva
A Princesa e o Vagabundo Germain
2008 Negócio da China Evandro Fontanera
Dicas de Um Sedutor Geraldo
Dança dos Famosos Participante
2007 Duas Caras Ele mesmo
Casos e Acasos Edgar Feldman
Toma Lá, Dá Cá Dr. Pauleta (ep: "Galinha que come pedra")
Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Augusto (terceira fase)
2006 Cobras & Lagartos Omar Pasquim
Vicentino Pereira
2005 América Zé Higino (José da Silva Higino)
2004 Da Cor do Pecado Pai Gaudêncio
2003 Agora É que São Elas Matiolli Ramos Tigre
2002 A Grande Família Oduvaldo Carrara (pai de Agostinho)
2001 As Filhas da Mãe Fausto Cavalcante
O Clone Padre Matiolli
Sai de Baixo Lindovando Batista (participação especial)
1998 Dona Flor e Seus Dois Maridos Garcia
Pecado Capital Salviano Lisboa
1997 A Justiceira Seu Paixão
Malhação Orestes
1996 Quem É Você? Nelson Maldonado
1995 A Próxima Vítima Hélio Ribeiro
1994 Tropicaliente Gaspar Velasquez
1992 Deus Nos Acuda Otto Bismark
1990 Lua Cheia de Amor Diego Miranda
Esteban Garcia
1989 O Salvador da Pátria Severo Toledo Blanco
1987 O Outro Paulo Della Santa
Denizard de Matos
1983 Eu Prometo Lucas Cantomaia
1982 Sétimo Sentido Tião Bento
1981 Obrigado Doutor Rodrigo Junqueira
1979 Os Gigantes Chico (Francisco Rubião)
1977 O Astro Herculano Quintanilha
1976 Duas Vidas Victor Amadeu
1976 Saramandaia Tiradentes (participação)
1975

1975

Pecado Capital Carlão (José Carlos Moreno)
Roque Santeiro Luis Roque Duarte
1975 Cuca Legal Mário Barroso
1973 O Semideus Alex Garcia
1972 Selva de pedra Cristiano Vilhena
1971 O Cafona Gilberto Athayde
1970 Assim na Terra como no Céu Vítor Mariano
1969 Sangue do Meu Sangue Carlos
Lúcio
1968 Legião dos Esquecidos Felipe
1966 Redenção Dr. Fernando Silveira
Almas de Pedra Felipe
1965 Renúncia Miguel
O Pecado de Cada Um Daniel
Os Quatro Filhos Luís
1964 Banzo Mário
Marcados pelo Amor Victor

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título
1960 Grande Sertão
1961 Pedro e Paulo
1968 Anuska, Manequim e Mulher
1998 Traição
1999 Gêmeas
2000 Um Anjo Trapalhão
2001 Os Xeretas
2005 Cafundó
2006 Didi - O Caçador de Tesouros
2016 Real Beleza

No teatro[editar | editar código-fonte]

  • 1955 - O Anúncio Feito à Maria
  • 1956 - As Três Irmãs
  • 1957 - A Bilha Quebrada
  • 1957 - Os Apaixonados Pueris
  • 1957 - A Madona de Éfeso
  • 1958 - A Pedreira das Almas
  • 1959 - A Senhoria
  • 1959 - Quando se Morre de Amor
  • 1959 - Romanoff e Julieta
  • 1960 - Cristo Proclamado
  • 1960 - Com a Pulga atrás da Orelha
  • 1960 - Mambembe
  • 1961 - O Beijo no Asfalto
  • 1961 - O Médico Volante
  • 1961 - O Velho Ciumento
  • 1962 - O Homem, a Besta e a Virtude
  • 1962 - Panorama Visto da Ponte
  • 1964 - Boeing Boeing
  • 1965 - Boeing-Airbus
  • 1967 - A Infidelidade ao Alcance de Todos
  • 1969 - O Assalto
  • 1985 - Hedda Gabler
  • 2005 - Os Três Homens Baixos
  • 2006 - O Último Bolero
  • 2007 - Paixão de Cristo de Nova Jerusalém
  • 2008 - Circuncisão em Nova York
  • 2009 - Deus É Química
  • 2012 - Judy Garlandy-E o fim do Arco Iris
  • 2013 - Uma Vida no Teatro
  • 2015 - Electra

Fonte: Itaú Cultural/Enciclopédia/Teatro dos Sete e TBC

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Recebeu o Troféu Imprensa na categoria de melhor ator por:

  • 1967 - Dr. Fernando, de Redenção
  • 1971 - Gilberto Atahyde, de O Cafona
  • 1972 - Cristiano Vilhena, de Selva de pedra
  • 1977 - Herculano Quintanilha, de O Astro
  • 1982 - Tião Bento, de Sétimo Sentido

Recebeu o Prêmio Qualidade Brasil- RJ, na categoria melhor ator coadjuvante por:

  • 2005- José Higino, de "América"

Ganhou também os prêmios de melhor ator coadjuvante (APCA), por Boing Boing, e destaque de interpretação no Festival de Cinema de Brasília, por Traição.

Referências

  1. a b Portal Terra. «Francisco Cuoco sobre namorada: pedi em namoro em 10 minutos». Consultado em 29 de março de 2014. 
  2. http://gshow.globo.com/programas/domingao-do-faustao/cachorrada-vip/participante/francisco-cuoco.html
  3. a b «FRANCISCO CUOCO». Memória Globo. Consultado em 20 de março de 2016. 
  4. Contamais Acessado em 1-03-15
  5. «"Cidade encena sua história. Estadão. 21 de janeiro de 2002. Consultado em 21 de janeiro de 2002. 
  6. TV Globo. «Com mulher 53 anos mais jovem, Cuoco afirma: Estou muito feliz». Consultado em 29 de março de 2014. 
  7. «Francisco Cuoco e Aracy Balabanian interpretarão casal apaixonado em ‘Sol Nascente’». Gshow.com. Consultado em 29 de julho de 2016. 
  8. Gshow (10 de julho de 2014). «Deborah Secco e Francisco Cuoco serão pai e filha». Ghsow - Foi dada a largada. Consultado em 10 de julho de 2014. 
  9. Gshow (24 de julho de 2014). «Malandragem de berço! Francisco Cuoco está de volta como pai de Agostinho». Por Trás das Câmeras - A Grande Família. Consultado em 24 de julho de 2014. 
  10. Patrícia Kogut (20 de julho de 2014). «Francisco Cuoco grava 'A grande família' como pai de Agostinho». O Globo. Consultado em 24 de julho de 2014. 
  11. O Globo (02 de janeiro de 2014). «Francisco Cuoco entra em ‘Amor à vida’ como Rubão, pai de Ignácio». O Globo. Consultado em 10 de julho de 2014. 
  12. Gshow (23 de dezembro de 2013). «Francisco Cuoco grava primeiras cenas como o fazendeiro Rubão». Por Trás das Câmeras - Amor à Vida. Consultado em 10 de julho de 2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Francisco Cuoco