Direito de Amar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nota: Se procura o filme, consulte: A Single Man (filme).
Direito de Amar
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Romance
Duração 60 minutos aproximadamente
Criador(es) Walther Negrão
Baseado em A Noiva das Trevas de Janete Clair
País de origem Brasil Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Reynaldo Boury
Jayme Monjardim
Diretor(es) de criação José Carlos Pieri
Elenco Glória Pires
Lauro Corona
Carlos Vereza
Ítala Nandi
Cissa Guimarães
Ester Góes
Betty Gofman
Narjara Turetta
Ednei Giovenazzi
Suzana Faini
Elias Gleiser
Célia Helena
Cristina Prochaska
Luísa Thiré
Rômulo Arantes
ver mais
Tema de abertura "Iluminados", Ivan Lins
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Transmissão original 16 de fevereiro4 de setembro de 1987
N.º de episódios 172

Direito de Amar é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 16 de fevereiro a 4 de setembro de 1987, em 172 capítulos, substituindo Sinhá Moça e sendo sucedida por Bambolê. Foi a 33ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Escrita por Walther Negrão, com colaboração de Marilu Saldanha, Ana Maria Moretzsohn e Alcides Nogueira, e dirigida por Jayme Monjardim e José Carlos Pieri, com direção executiva de Nilton Travesso e supervisão de Daniel Filho[1]. A trama é baseada na radionovela A Noiva das Trevas de Janete Clair escrita na década de 1950.

Contou com Glória Pires, Lauro Corona, Ítala Nandi, Cissa Guimarães, Suzana Faini, Betty Gofman, Narjara Turetta, Ednei Giovenazzi, Carlos Zara, Ester Góes e Carlos Vereza nos papéis centrais.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Na cidade do Rio de Janeiro do início do século XX, o industrial Augusto Medeiros (Ednei Giovenazzi) se vê forçado a casar sua filha, Rosália (Gloria Pires), com o temível banqueiro Francisco de Montserrat (Carlos Vereza), por causa de uma dívida. Mas Rosália está apaixonada por Adriano (Lauro Corona), médico recém-formado que conhecera num baile de máscaras, na passagem de ano de 1900, sem saber que ele era filho do Sr. de Montserrat.

Enquanto isso, Montserrat mantém sob seus cuidados uma mulher, Joana (Ítala Nandi), tida como louca, presa num quarto de sua mansão - uma mulher que sabe demais sobre o obscuro passado dele. Ao fim, descobre-se que Joana era, na verdade, esposa de Montserrat, que se fizera passar por viúvo. Mas o banqueiro tem ainda que enfrentar seu antigo rival, o médico Jorge Ramos (Carlos Zara), com quem disputara Joana no passado. Além disso, o médico exerce grande influência sobre Adriano, inclusive em sua escolha profissional.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Glória Pires interpretou a protagonista Rosália.
Lauro Corona interpretou o protagonista Adriano de Monserrat
Carlos Vereza interpretou o grande vilão Senhor de Monserrat.
Cissa Guimarães interpretou a vilã Paula.
Elias Gleiser interpretou o comerciante Manel Barbosa.
Ator Personagem
Glória Pires Rosália Alves Medeiros
Lauro Corona Adriano de Monserrat
Carlos Vereza Francisco de Monserrat
Ítala Nandi Joana / Bárbara / Nanette
Carlos Zara Dr. Jorge Ramos
Cissa Guimarães Paula Barbosa
Suzana Faini Mercedes
Edney Giovenazzi Augusto Medeiros
Ester Góes Leonor Alves Medeiros
Elias Gleizer Manuel Barbosa (dom Mañel)
Célia Helena Berenice Reis (Berê)
Betty Gofman Antônia (Tonica)
Tim Rescala Teotônio Andrade da Silva (Bodoque)
Cristina Prochaska Carola
Rogério Márcico Raimundo Reis
Yolanda Cardoso Catarina Barbosa
Older Cazarré Padre Inácio
Priscila Camargo Alice
Rômulo Arantes Nelo Barbosa
Cinira Camargo Esmeralda
João Carlos Barroso Danilo
Rosana Garcia Maria José (Marizé)
Narjara Turetta Mariana
Luísa Thiré Maria Inês (Marinês)
Carlo Briani Rogério Reis
Luca de Castro João Carlos (Juca)
Roberto Faissal Galileu
Stella Miranda Mignon
Felipe Donavan Tufi
Teresa Cristina Arnaud Ondina

Participações[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Carlos Gregório Cirineu Farfan
Francisco Milani Veiga

Reprises[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 8 de novembro de 1993 a 25 de fevereiro de 1994, substituindo Barriga de Aluguel e sendo substituída por Rainha da Sucata, em 80 capítulos. Foi reexibida pelo Vídeo Show, no quadro Novelão, 3 a 14 de setembro de 2012, substituindo Baila Comigo e sendo substituída por Cambalacho, em 10 capítulos.

Audiência[editar | editar código-fonte]

A novela teve média geral de 47 pontos. [2]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Direito de Amar - Nacional
Trilha sonora
Lançamento 1987
Gênero(s) Vários
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Glória Pires

N.º Título Música Personagem Duração
1. "Iluminados"   Ivan Lins Abertura 3:55
2. "Sei de Cor"   Maria Bethânia Adriano 4:03
3. "Olha"   Milton Nascimento Senhor de Montserrat 3:08
4. "Minha Pequena Princesa"   Mariana, Marizé e Marinês 2:53
5. "Bougainvilles"   Carla Daniel Alice 3:04
6. "Boêmio"   Emílio Santiago Nelo 2:00
7. "Por Toda a Minha Vida"   Gisele Rosália 3:07
8. "Suite From Magdalena (The Emerald)"   Andre Kosteleinetz Rosália e Adriano 1:43
9. "Das Dores de Oratórios"   João Bosco Joana 4:55
10. "Fada Noturna"   Cláudia Raia Carola 3:08
11. "Guardião"   João Caetano Ramos 3:14
12. "Dias de Lua"   Claudio Cartier Paula 2:53
13. "Bons Tempos"   Lula Barbosa Manel 2:17
14. "Cumprimentos Ao Novo Século"   Odette Ernest Dias Geral 2:04
15. "Iluminados"   Ivan Lins Abertura 1:00

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Direito de Amar teve uma interrupção de três meses devido a uma ameaça do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Rio de Janeiro, que exigia um limite máximo de seis horas diárias de trabalho para seus afiliados. A estreia da novela, que seria em novembro de 1986, foi protelada para fevereiro de 1987. Durante esse período, foi reapresentado um compacto de Locomotivas, entre 17 de novembro de 1986 e 14 de fevereiro de 1987[3].
  • Um dos melhores papéis de Carlos Vereza, que roubou a cena com seu autoritário e egoísta Francisco de Montserrat.

Referências

  1. Memória Globo "Direito de Amar", Rede Globo, Acessada em 03 de setembro de 2012.
  2. «Média Geral das Novelas das 18 horas da Globo de 1975 á 2010». TV Foco. 29 de maio de 2010. Consultado em 29 de outubro de 2015 
  3. Teledramaturgia Direito de Amar, Acessada em 23 de dezembro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.