Bicho do Mato (1972)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre sobre a telenovela exibida no ano de 1972. Para a novela exibida em 2006, veja Bicho do Mato (2006).
Bicho do Mato
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 50 minutos
Criador(es) Chico de Assis
Renato Corrêa de Castro
País de origem  Brasil
Idioma original língua portuguesa
Produção
Diretor(es) Moacyr Deriquém
Elenco
Tema de abertura "Bicho do Mato", Eustáquio Sena
Exibição
Emissora original Brasil Rede Globo
Formato de exibição Preto e branco
Transmissão original 8 de maio17 de novembro de 1972
Episódios 141
Cronologia
Meu Pedacinho de Chão
A Patota
Programas relacionados Bicho do Mato

Bicho do Mato é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo, no horário das 18 horas, entre 8 de maio e 17 de novembro de 1972, em 141 capítulos, substituindo Meu Pedacinho de Chão e sendo substituída por A Patota. Foi a "novela das seis" exibida pela emissora. Escrita por Chico de Assis e Renato Corrêa de Castro, dirigida por Moacyr Deriquém. Foi produzida em preto-e-branco.

Conta com Osmar Prado, Débora Duarte, Beth Barcellos, Pedro Paulo Rangel, José de Arimathéa, Ruth de Souza, Sandra Bréa e Lúcia Alves nos papéis principais.

Produção[editar | editar código-fonte]

A trama dava continuidade à linha de telenovelas com cunho educativo sobre as raízes do brasileiro, iniciada em Meu Pedacinho de Chão. Foi a primeira novela de Luís Delfino e Fábio Mássimo.[1] Diferentemente das anteriores, a novela estreou uma semana antes do painel nacional na afiliada de Pernambuco, em 24 de abril de 1972, e somente em 8 de maio para todo o Brasil.

Em 2006 a RecordTV produziu uma nova versão homônima, exibida no horário de "novela das sete", trazendo além da história central, algumas alterações e novos núcleos.[2] A versão repetiu o sucesso da original, chegando a atingir 18 pontos no último capitulo.[3][4] Na versão, o nome da personagem feminina principal foi alterado de Ruth para Cecília, enquanto a antagonista passou de Yara para Ruth.[5]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Juba (Osmar Prado) é um rapaz criado livremente em uma fazenda no Pantanal mato-grossenses que vê sua vida ser destruída quando seus pais são brutalmente assassinados. Tocando a fazenda com seu amigo e tutor Irú (José de Arimathéa), índio da tribo Guaporá que vive em harmonia em suas terras, e a doce Zilda (Ruth de Souza), cozinheira que cuida dele desde criança, ele continua investigando até encontrar pistas de que os assassinos fugiram para Rio de Janeiro.

Juba se mudam para a cidade morar com seus tios, Alfredo (Paulo Padilha) e Alzira (Célia Biar), junto com Irú, tendo que lidar não só com as dificuldades de se adequar em uma vida da qual ele nunca imaginou existir. Lá ele se apaixona pela jovem Ruth (Débora Duarte), mas tem que lidar com as armações de Gastão (Pedro Paulo Rangel), namorado da moça, de Yara (Beth Barcellos), que quer conquista-lo de qualquer forma, além das investidas do atrapalhado publicitário Jaime (Luís Delfino), que vê no rapaz um possível garoto-propaganda perfeito para vender viagens ao Pantanal. Quem também gosta de Juba é Lua (Sandra Bréa), uma índia que nunca expressou seus sentimentos.

Ainda há Silvia (Lúcia Alves), moça ambiciosa, filha da faxineira Ivete (Renata Fronzi) e do mecânico Túlio (Rogério Fróes), que odeia ser pobre e vê em Gastão a chance de dar um golpe.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagens
Osmar Prado Lucas Redenção (Juba)
Débora Duarte Ruth de Sá Freitas
Beth Barcellos Yara Sampaio
Pedro Paulo Rangel Gastão
José de Arimathéa Iru Guaporá
Ruth de Souza Zilda da Conceição
Sandra Bréa Lua
Lúcia Alves Sílvia Chaves Nogueira
Luís Delfino Jaime
Paulo Padilha Alfredo Camargo Redenção
Célia Biar Alzira Camargo Redenção
Rogério Fróes Túlio Chaves Nogueira
Renata Fronzi Ivete Chaves Nogueira
Dary Reis José Fernandes ( / Portuga)
Mário Gomes Paguá
Fábio Sabag Guilherme
Zeni Pereira Dora
Antônio Carlos Pires Olegário
Fernando José Padre Olavo
Rogério Fróes Faustino
Paulo Araújo Júlio César
Arthur Costa Filho Sérgio
Jaime Barcelos Dr. Ernesto Gurgel
Suzy Kirbi Dona Candoca
Átila Ventura Rossano
Ana Maria Jansen Gracinha
Álvaro Aguiar Dr. Guilherme
Enock Batista Zé Diabo
Rosana Garcia Margarida Freire (Margaridinha / Tiquinha)
Fábio Mássimo Leandro de Sá Freitas ()
Mário Jorge Dida
Jadilson Santana Sombra

Trilha Sonora Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. Bicho do Mato - Eustáquio Sena
  2. Mariana - Eustáquio Sena

Trilha Sonora Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. Angel Of The Morning - Merrilee Rush & The Turnabouts
  2. In The Bad Bad Old Days - Johnny Johnson & The Bandwagon
  3. Rainy Jane - Davy Jones
  4. Hey Big Brother - Rare Earth
  5. Love Is All - Malcolm Roberts
  6. Everything's Gonna Be Alright - Christie
  7. Love Grows - Edison Lighthouse
  8. Wings Of My Love - Michael Jackson
  9. Marie Jolie - Aphrodite's Child
  10. Run To Me - Bee Gees
  11. Yester Me, Yester You, Yesterday - Stevie Wonder
  12. Touch - The Supremes
  13. I'm An Easy Rider - My Friends
  14. Ladi Hi! Ladi Ho! - Les Costa

Referências

  1. «Bastidores - Bicho do mato». Teledramaturgia. Consultado em 14 de dezembro de 2015 
  2. «Bicho do Mato e Cidadão Brasileiro mantém Record na vice-liderança do horário». Areavip. 22 de agosto de 2006. Consultado em 27 de julho de 2011 
  3. «Capítulo final de Bicho do Mato registra a maior audiência da trama desde a estreia». Areavip.com.br 
  4. «"Bicho do Mato" termina com recorde de audiência na Record». Folha de S.Paulo. Consultado em 21 de agosto de 2016 
  5. «Bicho do Mato: Cristianne Fridman e Bosco Brasil perderam o rumo da trama na Record, mas seguraram a audiência». Terra. Consultado em 20 de agosto de 2016