Como uma Onda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a canção gravada por Lulu Santos, veja Como uma Onda (Zen-Surfismo).
Como uma Onda
Like a Wave (Título Internacional)
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 45 minutos
Criador(es) Walther Negrão
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Dennis Carvalho
Mauro Mendonça Filho
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Fausto Galvão
Jackie Vellego
Lucio Manfredi
Renato Modesto
Elenco
Tema de abertura "Como uma Onda (Zen-Surfismo)", por Lulu Santos
Empresa(s) de produção Estúdios Globo
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 22 de novembro de 200417 de junho de 2005
N.º de episódios 179

Como uma Onda é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 22 de novembro de 2004 a 17 de junho de 2005, em 179 capítulos, substituindo Cabocla, e sendo substituída por Alma Gêmea. Foi a 65ª "novela das seis" exibida pela emissora. Escrita por Walther Negrão, com colaboração de texto de Jackie Vellego, Fausto Galvão, Lucio Manfredi e Renato Modesto, direção de Vinícius Coimbra e Maria de Médicis, tendo direção geral de Dennis Carvalho e Mauro Mendonça Filho com direção de núcleo de Dennis Carvalho. Diferente da maioria das telenovelas, gravadas no eixo entre Rio de Janeiro e São Paulo, a trama se passava em Florianópolis e abordou temáticas de proteção ecológica como a pesca de espécies protegidas, a destruição das praias por grandes empresas, além dos torneios de surf.[1]

Contou com Alinne Moraes, Ricardo Pereira, Maria Fernanda Cândido, Kadu Moliterno, Maytê Piragibe, Dudu Azevedo, Mel Lisboa e Henri Castelli nos papéis principais.

Produção[editar | editar código-fonte]

Como uma Onda foi ambientada nas praias de Florianópolis.

As primeiras cenas da história foram gravadas em Amarante, Lisboa e Guimarães, cidades de Portugal, onde iniciava-se a história do personagem Daniel antes de ser transferida para o Brasil.[2] A trama se passava em Florianópolis, onde foram gravadas as cenas externas e os planos gerais, utilizando as praias e pontos turísticos da cidade como pano de fundo.[3] A cidade cenográfica foi construida nos Estúdios Globo reproduzindo um vilarejo fictício da capital catarinense.[3] Além disso, para evitar grandes desprezas e locomoção de todo elenco, as cenas de surf e de praia eram gravadas no Rio de Janeiro e contrastadas com planos gerais de Florianópolis para simularem que se passavam nas praias da cidade.[3][4]

Como uma Onda marcou a volta das tramas contemporâneas para o horário das 18 horas, após Chocolate com Pimenta e Cabocla.[5] No entanto, devido a maior reciprocidade do público para novelas de época na faixa, outra novela contemporânea só viria a ocorrer quase cinco anos depois, com Negócio da China, tendo seis histórias ambientadas em décadas passadas entre elas.[6] O elenco do núcleo da praia realizou workshops de preparação para absorver a vivência caiçara, sendo que o filme estadunidense Imensidão Azul foi utilizado como inspiração.[7] J.J. era um nome tradicional nas novelas de Walther Negrão, anteriormente interpretado por Jorge Dória em Livre para Voar (1984) e João Carlos Barroso em Era Uma Vez... (1998).[6]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Originalmente Priscila Fantin foi convidada para viver Nina, porém a atriz decidiu aceitar o convite de Walcyr Carrasco para protagonizar a trama que viria na sequência, Alma Gêmea, repetindo a parceria de Chocolate com Pimenta e Esperança, passando a personagem para Alinne Moraes.[8] Lima Duarte foi o primeiro nome para o personagem Sinésio, mas o ator recusou alegando que precisava de férias após Da Cor do Pecado e o papel passou para Hugo Carvana.[6] Mel Lisboa, que já não fazia mais parte do elenco fixo da emissora, teve que realizara os testes para interpretar a antagonista Lenita com outras cinco atrizes, ganhando o papel.[6] A emissora cogitou colocar um ator brasileiro como o protagonista português com a intenção de valorizar seu próprio elenco, porém decidiu apostar em um ator diretamente de Portugal para dar mais veracidade, optando por Ricardo Pereira, que havia se destacado em seus papeis anteriores em seu país nativo.[6]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

No início da trama, Daniel Cascais, que nasceu nos Açores, vive um amor impossível com a bela e fogosa portuguesa Almerinda. O pai da moça, o conservador Almirante Figueroa, não aceita o namoro da filha, e contrata capangas para separar o casal. Assim, Daniel resolve fugir, disfarçando-se de guia turístico. Durante a fuga, ele se depara com o empresário brasileiro Sinésio Paiva e sua esposa, a hilária perua Mariléia, junto com as filhas Lenita e Nina, que logo se interessam pelo rapaz. Daniel também fica encantado com Nina, mas seu coração ainda bate forte por Almerinda e ele está disposto a enfrentar tudo por sua amada. Daniel e Almerinda marcam dia e hora para fugir de Portugal, mas os capangas do almirante interceptam o plano. Surrado e desacordado, Daniel é colocado sozinho em um transatlântico que ruma para o Brasil. Por ser um clandestino, Daniel fica preso no navio por ordem do comandante. Mas as irmãs Nina e Lenita, que também estão voltando para casa, aparecem mais uma vez para ajudá-lo. Assim, Daniel consegue se livrar da polícia e se atira no mar.

As ondas acabam levando o estrangeiro para bem longe, mais precisamente até uma vila de pescadores em Santa Catarina, onde ele é resgatado por uma dupla de marinheiros, Quebra-Queixo e Querubim. Desconfiado, imundo e maltrapilho, Daniel mais uma vez ganha a praia e acaba descobrindo a dura realidade das ruas de um novo país, o Brasil. Sem fazer ideia do paradeiro do adorável açoriano, a família Paiva retorna ao Brasil. O descanso, porém, rapidamente é consumido por problemas nos negócios: Sinésio fica pasmo ao descobrir que está quase falido. Nada mal para os planos de seu sócio Jorge Junqueira, o temido J.J.. Os dois dividem o comando da empresa, mas apresentam perfis bem diferentes. Sinésio é um trabalhador que, com muito esforço, construiu um império e tornou-se um dos maiores nomes da indústria pesqueira. Já J.J. assumiu parte do comando da firma depois da morte de seu pai, e deseja se transformar no maior latifundiário marítimo do país.

Mas Lenita reencontra Daniel e consegue garantir para ele o emprego de mordomo de Mariléia. Pivô de uma disputa entre Lenita e Nina, Daniel se afasta das lembranças de Almerinda e se interessa cada vez mais por Nina. Aos poucos, as provocações iniciais entre os dois dão lugar a um grande amor. Só que o amor verdadeiro de Daniel e Nina será abalado por Lenita, que é apaixonada por Daniel e fará de tudo para tirar a irmã da vida dele. Só que Almerinda chega ao Brasil grávida, disposta a reencontrar seu grande amor e pai de seu filho, Daniel, porém será alvo das armações da mimada Lenita, que além de fazer de tudo para a afastar a portuguesa, se alia a J.J. para separar Nina e Daniel, sendo capaz de colocar a vida da irmã em risco.

Em Florianópolis, numa vila, vivem os pescadores da região. A bela Lavínia é uma mulher forte que mora com seu marido Amarante e tem um casamento apaixonado. Encontrou nesse homem um apoio para criar a filha Júlia, fruto de um relacionamento da adolescência. Sua sogra Francisquinha, uma senhora cega, é uma espécie de matriarca da aldeia e está sempre pronta para dar conselhos e solucionar conflitos. Entre os moradores há o mulherengo e hilário Pedroca, que adora um rabo-de-saia, enquanto a mulher, a batalhadora Idalina, dá duro na costura.

Mas também há um homem instigante: Sandoval. Recém saído da prisão, ele luta para recobrar sua dignidade e achará naquele recanto um lugar para reconstruir sua vida. Ao chegar na vila, logo se encantará por Lavínia, colocando em xeque o casamento da quitandeira com Amarante. Ao decorrer da história, é descoberto que Lenita é irmã de Jorge e Encarnação e que foi adotada por Sinésio e Mariléia.

No capítulo 169 da novela, o vilão Jorge Junqueira é assassinado, seu carro é jogado em uma barranco, mas não se sabe o responsável pelo assassinato ficando no ar o mistério sobre "Quem Matou Jorge Junqueira?"; várias pessoas são consideradas suspeitas do crime. No último capítulo descobre-se que o assassino era o personagem Eduardo Mendes (Menez), que matou Jorge para se vingar da morte do filho, que foi morto pelo vilão e para salvar Nina e Daniel. Lenita se desculpa com os pais e com todos que prejudicou, Floriano e Rosário decidem adotar uma criança, Almerinda encontra um novo amor, o Médico João Gabriel, Sandoval se acerta com Encarnação e Lavínia com Amarante. Júlia e Querubim se casam juntamente com Nina e Daniel; após o casamento duplo, todos comemoram e seguem em direção ao mar cada um seus barcos.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Alinne Moraes Mônica Paiva (Nina)
Ricardo Pereira Daniel Cascaes
Mel Lisboa Helena Paiva (Lenita)
Henri Castelli Jorge Junqueira (J.J.)
Maria Fernanda Cândido Lavínia Amarante
Kadu Moliterno Antônio Amarante
Maytê Piragibe Júlia Amarante
Dudu Azevedo Querubim Flores Amarante
Herson Capri Sandoval Peixoto
Hugo Carvana Sinésio Paiva
Denise Del Vecchio Mariléia Paiva
Gustavo Haddad Conrado Prata
Sérgio Marone Rafael Prata (Rafa)
Fernanda de Freitas Amanda Gomes do Espírito Santo
Cauã Reymond Floriano Gomes do Espírito Santo
Bianca Byington Encarnação Junqueira
Sheron Menezzes Rosário Gonçalves
Laura Cardoso Francisca Amarante (Francisquinha)
Louise Cardoso Idalina Gomes do Espírito Santo (Dalina / Dala)
Tato Gabus Mendes Pedro Gomes do Espírito Santo (Pedroca)
Joana Solnado Almerinda Figueroa
Marcos Caruso Dr. Rodolfo Prata
Débora Duarte Alice Prata
Elias Gleizer Bartolomeu Virgílio (Velho Bartô)
Mila Moreira Virgínia Lemos
Ernani Moraes Lauriclenes (Quebra-Queixo)
Débora Olivieri Ana Amélia Lopes
Antônio Grassi Roberto Augusto (Robusto)
Thaís Garayp Abigail Gonçalves (Biga)
Sirmar Antunes Balbino Gonçalves
Nill Marcondes Samuel (Samuca)
Amandha Lee Ylana Castanho
Eduardo Lago Oswaldo
Karine Carvalho Melina Lopes (Memel)
Larissa Queiroz Carolina Lemos (Carol)
Arthur Lopes Rubens Junqueira (Rubico)
Sérgio Malheiros Franklin (Frank)
Guta Gonçalves Maria Eugênia Paiva (Gigi)
Paco Sanches Manjubinha
Adriana Alves Darci
Inez Viegas Marli
Rute Miranda Adélia
Amir Haddad Eduardo Mendes (Menez)
Pietro Mário Seu Capiba
Ricardo Marecos Benvindo

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Paulo José Narrador (primeiro capítulo)
António Reis Almirante Frederico Figueiroa
Gracindo Júnior Fernando
Leonardo Vieira João Gabriel
Yaçanã Martins Jackie
Alexandre Paternost Oscar
Bruna di Tullio Vanessa
Camilo Bevilacqua Nestor
Clemente Viscaíno Garcia
Bruno Giordano Inspetor Jorge
Zulma Mercadante Neide
Clarissa Freire Dolores
Cecília Lage Célia
Thomaz Veloso Pedroquinha

Audiência[editar | editar código-fonte]

A trama estreou com 32 pontos. A audiência foi considerada satisfatória, já que a trama estreou em pleno horário de verão.[9] Sua menor audiência foi alcançada em 31 de dezembro de 2004, quando marcou apenas 17 pontos. No penúltimo capítulo registrou recorde de 35 pontos, maior audiência durante toda a novela. O último capítulo marcou uma média de 31 pontos.[10]

Música[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora nacional[editar | editar código-fonte]

Como uma Onda: Nacional
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento 11 de dezembro de 2004 (2004-12-11)
Gênero(s)
Duração 58:49
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Como Uma Onda: Nacional foi a primeira parte da trilha sonora da telenovela, lançada oficialmente em 11 de dezembro de 2004 apenas com canções do repertório brasileiro, interpretadas em português.[11] O ator português Ricardo Pereira ilustra a capa do disco, caracterizado como Daniel.

Nacional
N.º Título Artista Duração
1. "Supernova"   Skank 3:05
2. "Nua"   Ana Carolina 3:35
3. "Grão de Amor"   Arnaldo Antunes e Marisa Monte 3:44
4. "Provas de Amor"   Titãs 3:40
5. "O Mesmo Amor"   Fábio Nestares 2:54
6. "Faz de Conta"   Fagner 4:05
7. "Jardim de Cores"   LS Jack 3:11
8. "Sonhando o Futuro"   Beto Guedes 3:04
9. "Vira Virou"   Crase 3:10
10. "Pra Você Eu Digo Sim"   Cídia & Dan 3:45
11. "A Lua Girou (Sobre Tema Folclórico)"   Milton Nascimento 3:00
12. "Navega Coração"   Rafaella 3:42
13. "Como Uma Onda (Zen Surfismo)"   Lulu Santos 4:03
14. "Rua da Praia"   Due Angeli 3:54
15. "O Amor e o Mar"   Due Angeli 3:54
Duração total:
58:49

Trilha sonora internacional[editar | editar código-fonte]

Como uma Onda: Internacional
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento 15 de dezembro de 2004 (2004-12-15)
Gênero(s)
Duração 55:33
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

Como Uma Onda: Internacional foi a primeira parte da trilha sonora da telenovela, lançada oficialmente em 15 de dezembro de 2004, apenas com músicas do repertório internacional, com canções interpretadas em inglês e espanhol – com exceção de "Eu Quero Te Levar", de Paulo Ricardo, que é interpretada em português e foi incluída como bônus por ter sido adicionada na novela após o lançamento da trilha sonora nacional.[12] O ator Cauã Reymond ilustra a capa do disco, caracterizado como Floriano.[13]

Internacional
N.º Título Artista Duração
1. "Sunday Morning"   Maroon 5 3:05
2. "Sitting, Waiting, Wishing"   Jack Johnson 3:35
3. "Fields Of Gold"   Maxi Priest 3:44
4. "Other Side Of The World"   KT Tunstall 3:40
5. "Somewhere Only We Know"   Keane 2:54
6. "Stay With Me"   Libera 4:05
7. "Angie"   Rolling Band 3:11
8. "Right To Be Wrong"   Joss Stone 3:04
9. "My Boo"   Usher e Alicia Keys 3:10
10. "I'll Do It Right This Time"   Sun Coast 3:45
11. "That You're Made Of"   Lucie Silvas 3:00
12. "One"   Joe Cocker 3:42
13. "Te Quiero"   Erotik 4:03
14. "Eu Quero Te Levar"   Paulo Ricardo 3:54
Duração total:
55:33

Referências

  1. «18 CURIOSIDADES E INFORMAÇÕES FANTÁSTICAS SOBRE FLORIANÓPOLIS». Mais Curiosidades. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  2. «Sensualidade volta às tardes em "Como uma Onda"». Estadão. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  3. a b c «"Como Uma Onda" traz cultura açoriana e brasileira». Terra. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  4. «Novelas que se passam em praias». Vix. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  5. «Laura Cardoso: Relembre trabalhos da atriz». Globo. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  6. a b c d e «Nos 13 anos de Como Uma Onda, tudo o que rolou nos bastidores da trama». TV História. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  7. «Cauã Reymond diz que Floriano é seu melhor papel». Terra. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  8. «Como Uma Onda estreava há 13 anos». Observatório da Televisão. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  9. «"Como uma Onda" estréia com 32 pontos de audiência». Terra. 22 de novembro de 2004. Consultado em 30 de março de 2015 
  10. «Insossa trama de Walther Negrão chega ao fim sem surpreender o telespectador». Terra. 27 de junho de 2005. Consultado em 6 de maio de 2015 
  11. «Como uma Onda: Nacional». Teledramaturgia. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  12. «Como uma Onda: Internacional». Teledramaturgia. Consultado em 30 de dezembro de 2017 
  13. «Trilha Sonóra da novela Como uma Onda Internacional». Músicas de Novela. Consultado em 30 de dezembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]