Fera Radical

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde setembro de 2011). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Fera Radical
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Duração 45 minutos aproximadamente
Criador(es) Walther Negrão
País de origem Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Gonzaga Blota
Elenco
Tema de abertura "Fera Radical", Solange
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Transmissão original 28 de março - 18 de novembro de 1988
N.º de episódios 203

Fera Radical é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 6, entre 28 de março e 18 de novembro de 1988, em 203 capítulos, substituindo Bambolê[2] e sendo substituída por Vida Nova. Escrita por Walther Negrão, com colaboração de Ricardo Linhares, Luís Carlos Fusco e Rose Calza[2], com direção-geral de Gonzaga Blota, direção de Blota, Denise Saraceni e Fernando R. de Souza, foi a 35ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Malu Mader interpreta "Cláudia", a protagonista de uma trama onde sua personagem vingará o massacre de sua família ocorrido na fictícia Rio Novo. Tal personagem foi considerada pelo jornal Folha de S. Paulo, a "fera radical no Dallas tupiniquim".[2] O mesmo texto de Fera Radical, tendo sido inspirado na peça A Visita da Velha Senhora (Der Besuch der alten Dame, no idioma original), do suíço Friedrich Dürrenmatt, já havia originado outra novela do mesmo autor e produzida pela mesma emissora, Cavalo de Aço, tendo Tarcísio Meira como o protagonista Rodrigo.[3][4]

Exibição[editar | editar código-fonte]

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 16 de dezembro de 1991 a 8 de maio de 1992, substituindo Cambalacho e sendo substituída por Vale Tudo, em 105 capítulos.

Foi reexibida pelo Vídeo Show, no quadro Novelão, em duas oportunidades: de 28 de janeiro a 8 de fevereiro de 2013, e de 23 a 27 de fevereiro de 2015, esta última exibição com narração de Malu Mader.

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva no período de 5 de junho de 2017 até 26 de janeiro de 2018, substituindo Torre de Babel, e sendo substituída por Sinhá Moça.[5]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Chamas, fogo e a casa que queima em meio a gritos, correria e desespero. Imagens gravadas para sempre por uma menina. Mesmo hoje – 15 anos mais tarde – Cláudia ainda se assusta com as cenas presenciadas, que voltam sempre em repetidos pesadelos. Mesmo longe – Rio Novo ficou esquecida no passado – no conforto de Ipanema, Rio de Janeiro, a agora jovem Cláudia não perdoa seus algozes. O massacre de sua família, pai, mãe e irmãos, precisa ser vingado, para cumprir a promessa feita a si própria. Obstinada, prepara-se para voltar à pequena Rio Novo, empregada em uma das fazendas possível e provavelmente envolvidas no seu triste passado. No meio a tantas dúvidas, apenas uma certeza: quer descobrir os verdadeiros culpados e se vingar de cada um deles. Mas o grande mistério está em descobrir quem são esses culpados.

A pequena cidade de Rio Novo cresceu apenas o suficiente para manter o frigorífico, que pertence às fazendas Olho D'Água e Gaibu, de Altino Flores e Donato Orsini, respectivamente os poderosos da região. Tem uma população flutuante de jovens, filhos de fazendeiros, que estudam na Escola de Agronomia da cidade e moram na pensão de Lourdes e Robério. Mas são os jovens das duas famílias – Flores e Orsini – quem conduzem a história. De um lado, os irmãos Fernando e Heitor. Do outro, Marília, filha de Donato, que fica noiva de Heitor, selando a amizade entre seus pais. Distante dali, no Rio, moram Olívia, filha mais velha de Altino, seu marido Jorge Mendes, um mau-caráter, e os filhos Rafael e Ana Paula. Além de Cláudia e Marta, que a acolheu e criou depois do massacre dos seus pais, dando-lhe todo carinho e conforto possíveis.

Ao articular a destruição de todos que a fizeram sofrer, Cláudia se defronta com a amizade leal de Altino, que se vê preso a uma cadeira de rodas desde a noite da chacina, e o ódio de Joana, mulher de Altino. Tal ódio aumenta quando ela descobre quem é Cláudia e que ela vive com Marta, antigo amor de Altino, cujo romance no passado gerou Olívia, criada por ela. Mas os planos de Cláudia podem vir por terra quando ela se envolve com os filhos de Altino, Fernando e Heitor, e se sente arrebatada pelo amor de Fernando.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Malu Mader Cláudia da Silva / Cláudia Esteves Borges
José Mayer Fernando Flores
Paulo Goulart Altino Flores
Yara Amaral Joana Flores
Thales Pan Chacon Heitor Flores
Carla Camurati Marília Orsini
Elias Gleizer Donato Orsini
Laura Cardoso Marta / Mirtes
Denise Del Vecchio Olívia Flores Mendes
Cláudia Abreu Ana Paula Flores Mendes
George Otto Rafael Flores Mendes
Rodrigo Santiago Jorge Mendes
Older Cazarré Robério Fernandes
Cleyde Blota Lourdes Fernandes
Alexandra Marzo Betty (Elizabeth Cristina Fernandes)
Cláudia Magno Vicky (Victória Regina Fernandes)
Tato Gabus Mendes Paxá
Raul Gazolla Marcelo
Luiz Maçãs Dudu (Luiz Eduardo Lins Albuquerque)
Márcia Rodrigues Estela Lins Albuquerque
Milton Gonçalves Damasceno Righi Salomão
Reinaldo Gonzaga Vítor Menezes
Chica Xavier Júlia
Daúde Jacy
Carlos Kroeber Dr. Nogueira
Benjamin Cattan Dr. Geraldo Lima
Henri Pagnoncelli Juca Boas Maneiras
Pratinha Etelvino
Lícia Magna Dulce
Vera Paxie Tânia
Vera Brito Vera
Zezé Fassina Crislaine
Pedro Cassador Evaldo
Renato Neves Renato
Simone Brandão Luísa
Bia Gemal Helô
Evandro Mesquita Alex
Adilson Barros Jorjão
Julio Braga Chico da Silva

Participações Especiais[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Alexandra Plubins Rosa
Aloísio de Abreu Programador
Angelito Mello Célio Cruz
Antonio Carlos Iglesias Jr Altino Flores Neto
Augusto Olímpio Cochicho Moraes
Auricéia Araújo Amiga de Lourdes
Bel Garcia Mônica
Chico Expedito Zeca
Cláudio Alves Irmão de Cláudia
Dary Reis João Peru
Felipe Donavan Luiz (Fisioterapeuta)
Fernanda Marmorato Nandinha
Fernando Amaral Padre
Fernando José Dr. Rui
Francisco Dantas Dr. Paulo
Gabriela Bicalho Cláudia (criança)
Geraldo Carbutti Inspetor
Guaracy Valente Ramires
Guto Garrera Chefe dos peões (chacina)
Helena Di Castro Neuza
Hemílcio Fróes Médico de Betty
Ilse Rodrigues Mãe de Cláudia
Ivan Mesquita Dr. Henrique
Joana Rocha Sebastiana de Jesus (Tiana)
José Augusto Branco Dr. Freitas
Karine Moura Irmã de Cláudia
Kate Hansen Marinês
Lenita Mordach Empregada da Gaibu
Ludoval Campos Promotor de Acusação
Lutero Luiz Juiz
Marcelo Picchi Dr. Mário
Marino Jardim Porteiro (Ed. de Heitor)
Miguel Rosenberg Caroneiro de Cláudia
Odenir Fraga Segurança de Jorge
Paloma Riani Sílvia
Paulo Leite Dr. Jair
Paulo Nigri Garçom
Raul Toledo César
Ruth de Souza Cecília
William Gavião Pedro

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Walther Negrão já havia se inspirado na peça A Visita da Velha Senhora, do suíço Friedrich Dürrenmatt, para escrever Cavalo de Aço, novela exibida pela TV Globo em 1973.

Fera Radical foi escrita em 40 dias após a suspensão de Amor Perfeito, trama de Alcides Nogueira prevista para a faixa. Com Maurício Sherman na direção, Amor Perfeito estava na seleção de elenco quando Boni, à época vice-presidente de operações da Rede Globo, determinou o seu engavetamento por conta dos custos elevados (estavam previstas reconstituições da Guerra do Paraguai, em 1865) e devido à exibição sequencial de três folhetins de época no horário: Sinhá Moça (1986), Direito de Amar (1987) e Bambolê (1987). Sherman foi substituído por Paulo Ubiratan e Walther Negrão foi recrutado às pressas para assumir o horário.[6]

Ricardo Linhares mudou-se para São Paulo para trabalhar como colaborador de Walther Negrão em Fera Radical, em um período em que a máquina de escrever e o carbono eram os instrumentos de trabalho dos escritores. Nada de internet ou computador.

Fera Radical foi o último trabalho da atriz Yara Amaral, que morreu no naufrágio do Bateau Mouche, no Rio de Janeiro, no réveillon de 1988/89.

Vários cantores fizeram participações especiais na novela: Cazuza e Leila Pinheiro apresentaram-se na Arqueria Sherwood, de Paxá e Vicky, e Nana Caymmi apresentou-se numa boate do Rio de Janeiro, enquanto Sérgio Reis gravou cenas no palanque da Rural Rio, de Santa Cruz, onde ocorreu a festa-rodeio em que Fernando saiu como vencedor.

Fera Radical foi exibida em mais de 30 países, como Alemanha, Angola, Argentina, Áustria, Canadá, Espanha, Grécia, Guatemala, Nicarágua, Rússia, Suíça e Turquia.

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Fera Radical Nacional
Trilha sonora
Lançamento 1988
Gênero(s) Vários
Duração 47:26
Gravadora(s) Som Livre

Capa: Carla Camurati

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "Verdades e Mentiras"  Maria BethâniaCláudia 3:42
2. "A Cura"  Lulu SantosCláudia 4:33
3. "Sonhos"  Jane DubocCláudia e Fernando 4:05
4. "Más Companhias"  Virginie e o Fruto ProibidoAna Paula 3:41
5. "Castigo"  Eduardo DusekRobério e Lourdes 2:06
6. "Cremoso"  César Camargo MarianoJoana 3:20
7. "Peão"  Almir SaterAltino 3:12
8. "Me Faz Bem"  Gal CostaMarília 3:21
9. "Tabuleiro"  Sá & GuarabiraFernando 3:33
10. "Vida Fácil"  CazuzaPaxá 3:45
11. "Paraíso"  Heitor 3:30
12. "Sobrou Pra Mim"  TunaiBetty 3:03
13. "Pedaços"  João CaetanoOlívia 4:11
14. "Fera Radical"  SolangeAbertura 3:24
Duração total:
47:26

Internacional[editar | editar código-fonte]

Fera Radical Internacional
Trilha sonora de Vários Artistas
Lançamento 1988
Gênero(s) Vários
Duração 51:21
Formato(s) LP, K7
Gravadora(s) Som Livre

Capa: José Mayer

N.º TítuloMúsicaPersonagem Duração
1. "She's Like the Wind" (com participação de Wendy Fraser)Patrick SwayzeAna Paula 3:51
2. "Get Outta My Dreams, Get Into My Car"  Billy OceanGeral 3:51
3. "(You Make Me Feel Like A) Natural Woman"  Carrie Hamilton e Yutaka TadokoroCláudia e Fernando 3:23
4. "Living in a Box"  Living in a Box  3:00
5. "That's What Love is All About"  Michael BoltonMarília e Heitor 3:51
6. "Lessons in Love"  Level 42Cláudia 3:41
7. "Magic Emotions"  Joel Paul DradeAltino e Marta 4:01
8. "Love Changes Everything"  Climie FisherRafael 3:47
9. "Tell It to My Heart"  Taylor Dayne  3:34
10. "Just a Little Love"  Rainier Hoeglmeier  2:40
11. "Promises"  BasiaPaxá 4:03
12. "Special Way"  Kool & The GangVicky 4:50
13. "Watch Your Step"  Star  2:34
14. "Mary's Prayer"  Danny WilsonGeral 3:53
Duração total:
51:21

Referências

  1. Nilson Xavier. «Fera Radical - Teledramaturgia». Teledramaturgia. Consultado em 27 de dezembro de 2017. 
  2. a b c «Malu Mader é a 'fera radical' no 'Dallas' tupiniquim (Página 4)». Folha de S. Paulo. 27 de março de 1988 
  3. http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-224150,00.html
  4. «Destaques da TV - Fera Radical (Página 36)». Folha de S. Paulo. 28 de março de 1988 
  5. Nilson Xavier (22 de março de 2017). «Canal Viva vai reprisar a novela "Fera Radical", com Malu Mader». UOL. Consultado em 22 de março de 2017. 
  6. Duh Secco (5 de junho de 2017). «"Fera Radical" estreia no Viva; trama foi implantada às pressas para substituir novela cancelada». UOL. Consultado em 27 de janeiro de 2018.