Thales Pan Chacon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Thales Pan Chacon
Nascimento 23 de novembro de 1956
São Paulo
Morte 2 de outubro de 1997 (40 anos)
São Paulo
Ocupação ator, bailarino e coreógrafo
IMDb: (inglês)

Thales Pan Chacon (São Paulo, 23 de novembro de 19562 de outubro de 1997) foi um ator, bailarino e coreógrafo brasileiro[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Estudou na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, mas não terminou o curso, que abandonou em 1978. Nesta época, já se dedicava ao teatro.

Foi para a Bélgica, onde foi aluno de Maurice Béjart. Na volta, participou da montagem de Chorus Line, dirigido por Walter Clark. No teatro, trabalhou ainda no musical Gardel, uma Lembrança (1987) e protagonizou Theatro Musical Brazileiro (1995). Ainda no palco, atuou em Trilogia da Louca, O Drácula, Descalços no Parque, Gilda — Um Projeto de Vida, No Coração do Brasil e Fedra, na qual foi responsável também pela coreografia da peça.

Conheceu o reconhecimento profissional do grande público ao atuar ao lado de Fernanda Torres em Eu sei que vou te amar, filme pelo qual Fernanda ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes. A popularidade o levou às telenovelas, principalmente às da Rede Globo.

Em 1993, foi internado com quadro grave de pneumonia, mas se restabeleceu e voltou a trabalhar após algum tempo. Seu último trabalho foi no filme La Serva Padrona, da diretora, amiga e ex-esposa Carla Camurati, que também o tinha dirigido em Carlota Joaquina — Princesa do Brazil e no curta A Mulher Fatal Encontra O Homem Ideal. Faleceu em sua casa, no bairro do Higienópolis, pouco antes de completar 41 anos, vítima do vírus da AIDS, doença que havia contraído dez anos antes, quando estava ensaiando a ópera La Serva Padrona.[2] Carla Camurati, sua companheira durante seis anos, disse que ele "foi para o céu literalmente, virou uma estrela".

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Famosos que partiram cedo demais Portal BOL - acessado em 21 de abril de 2015
  2. http://www1.folha.uol.com.br/fol/cult/cx039201.htm Página acessada em 20 de janeiro de 2016.
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.