Perdidos de Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Perdidos de Amor
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 45 minutos aprox.
Criador(es) Ana Maria Moretzsohn
País de origem Brasil Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) José Carlos Pieri
Mauro Farias
Márcio Waismann (direção geral)
Elenco ver elenco
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Bandeirantes
Transmissão original 28 de outubro de 1996 - 7 de junho de 1997
N.º de episódios 160
Cronologia
O Campeão
Serras Azuis

Perdidos de Amor é uma telenovela brasileira exibida pela Rede Bandeirantes entre 28 de outubro de 1996 e 7 de junho de 1997, às 19h[1].

Foi escrita por Ana Maria Moretzsohn, com colaboração de Maria Cláudia Oliveira, Daisy Chaves e Vera Villar, com direção de José Carlos Pieri e Mauro Farias e direção geral de Márcio Waismann.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Maria Luísa Ferreira de Albuquerque Caldas (Christine Fernandes), moça rica, inteligente e bonita que mora numa luxuosa mansão no Alto Leblon. Integra uma família aristocrática carioca e está de casamento marcado com Pedro Henrique Oliveira Andrade Neto (Lugui Palhares). Juntos, formam um casal de "mauricinho e patricinha" perfeitos: bonitos, ricos, charmosos e modernos. Fabiano Caldas (Edney Giovenazzi) é o pai dela, um empresário quase falido porém com muita pose, que alivia suas "tensões" esbanjando o dinheiro que não tem com amantes, o que piora ainda mais a situação. A mãe da moça se chama Eleonora (Sônia Clara), uma mulher de muita classe, porém cega ao mundo e à realidade.

Pedro Henrique, embora com tudo para ser um eterno playboy, não pode se encostar, pois seu pai, Olavo (Paulo Figueiredo), é um homem sério que não permite deslizes e vive dando duro em seu filho. Ainda assim, o rapaz mantém alguns vícios: mulheres e aventuras. Para isso, conta com os amigos Cícero (Jorge Pontual) e Billy (Carlos Thiré), que, juntos, formam a "Confraria dos Destemidos". Vive dizendo que vai pendurar as chuteiras e ser fidelíssimo quando casar com Maria Luísa, mas até chegar o momento...

Enquanto isso, Jéssica Seabra (Carol Machado), mais conhecida como JS, uma "paparazza" de profissão e vocação, que entre outras coisas vive coletando material para a publicação de biografias escandalosas e não autorizadas, feminista como ela é, logo simpatiza com Maria Luísa e odeia Pedro Henrique. Jéssica consegue tudo o que quer se disfarçando, imitando sotaques, se arriscando e aventurando no que der e vier, tudo por um furo de reportagem. E nessa confusão toda quem sempre leva a pior é sua inseparável amiga Tony (Miriam Freeland), que a acompanha e a ajuda nas atrapalhadas.

Para "acabar com o sossego" do casal Pedro Henrique e Maria Luísa, surge Rodrigo (Cláudio Lins): novo-rico, o último dos românticos, quase ingênuo, sonha com a mulher ideal. Bom caráter, sem ser de família tradicional ou pertencer à sociedade, subiu na vida graças ao próprio trabalho e esforço. É uma pessoa extremamente simples e sem vaidades, apesar de endinheirado, pois desde muito cedo teve de cuidar dos negócios capengas do pai e graças à inteligência e habilidade conseguiu superar os problemas e prosperar no rumo da metalurgia. Ex-morador da Baixada Fluminense, atualmente mora num apartamento na Barra da Tijuca com Sofia (Totia Meirelles), sua irmã bem mais velha, uma deslumbrada emergente que ambiciona entrar para a sociedade, ser reconhecida como uma mulher fina, elegante e de bom gosto; Waldemar (Paulo Guarnieri), seu cunhado, conhecido e amigo de Rodrigo desde pequeno; Amélia (Suzana Faini), sua mãe, mulher simples, humana, de valores já consolidados; e os sobinhos Huguinho (Alan Pontes), Luisinho (Ricardo Bruno) e Zezinha (Camila Farias).

Às vésperas de seu casamento com Pedro Henrique, Maria Luísa descobre enfim que o noivo é um grande mulherengo. Magoada, se rende ao amor de Rodrigo. Porém, mesmo apaixonados, para ficarem juntos, os dois passam por muitas dificuldades. A principal é a falência de Fabiano, que, por orgulho, se recusa a vender suas indústrias, principalmente para Rodrigo. Para o empresário, a falência representa uma humilhação muito grande, e a decadência de sua aristocrática família torna-se, para ele, um problema sério dentro da sociedade carioca.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

  1. A Hora da Estrela - Lobão (tema de Maria Luísa)
  2. Beija-Flor - Marina Lima
  3. Eu Não Vou Dizer Nada - Titãs
  4. Péssima - Nanda Rossi
  5. Dinheiro - Viper
  6. Mulher - Nocaute
  7. Salve o Rio - Nanda Rossi
  8. Fuga n.II - Mutantes
  9. Tenha Calma - Djavan
  10. Estava Escrito - Ângela Maria e Nana Caymmi
  11. Tive Sim - Dora Vergueiro
  12. Jeito Danado - Luiz Melodia
  13. Tô Programado - Papo 10
  14. Se Eu Fosse - Cacá e Bruno

Internacional[editar | editar código-fonte]

  1. Lama - Noa
  2. Machine Head - Bush
  3. Long Tall Texan - The Beach Boys
  4. Just When I Needed You Most - Dolly Parton
  5. Dream a Little Dream Of Me - Louis Armstrong
  6. Dedicated To The One I Love - The Mamas and The Papas (tema de Rodrigo e Maria Luísa)
  7. Blue Moon - The Mavericks (tema de abertura)
  8. Born To Be Wild - Steppenwolf
  9. Rain And Tears - Papa Winnie
  10. American Love - Sway
  11. Mambo Rock - Bill Halley
  12. Anxiety - Goldfinger
  13. I'm Sorry - Brenda Lee
  14. Nepal - Celestial

Referências

  1. «Band estréia novela leve e romântica». Folha de S.Paulo. 27 de outubro de 1996. Consultado em 5 de maio de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]