Prémio Emmy Internacional

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Prêmio Emmy Internacional
Emmy Internacional 2021
Greg Berlanti no Emmy Internacional 2018.
Descrição Excelência na programação de televisão fora dos EUA
Apresentação Academia Internacional das Artes & Ciências Televisivas
País  Estados Unidos
Primeira cerimónia 19 de Novembro de 1973
Última cerimónia 19 de Novembro de 2019
Sítio oficial

O Prémio (português europeu) ou Prêmio (português brasileiro) Emmy Internacional (no original em inglês International Emmy Award) é concedido pela Academia Internacional das Artes & Ciências Televisivas (IATAS) em reconhecimento aos melhores programas de televisão inicialmente produzidos e exibidos fora dos Estados Unidos. Os prêmios são apresentados na Gala do International Emmy Awards, realizada todos os anos em novembro na cidade de Nova York. O evento atrai mais de 1.200 profissionais da televisão. A primeira cerimônia dos Emmys internacionais foi realizada em 1973.

Além disso, a Academia Internacional também apresenta os Emmys na categoria Notícias e Atualidades, e os prêmios Emmy Kids Internacional que são anunciados em Cannes como parte do MIPCOM em abril. Estes são os únicos Emmys apresentados fora dos Estados Unidos.

História[editar | editar código-fonte]

Início dos prêmios[editar | editar código-fonte]

A Academia Nacional de Artes e Ciências Televisivas começou a homenagear a programação produzida fora dos Estados Unidos com um "International Award", em 1963. Ted Cott, responsável pelo Comitê de Relações Internacionais da Academia, nessa época, observou que o objetivo do prêmio era "promover a compreensão internacional e chamar a atenção do público americano aos programas de televisão produzidos e apresentados em diferentes países ao redor do mundo."

Os vencedores durante os primeiros anos incluem War and Peace da ITV Granada (Reino Unido) em 1963, Les Raisins verts da Radiodiffusion-Télévision Française (França) em 1964, e Le Barbier de Seville da Canadian Broadcasting Corporation em 1965. Inicialmente não havia distinções e só um prêmio era entregue. Para a competição de 1965 duas categorias foram criadas, ficção e não-ficção, e um ano mais tarde, renomeadas entretenimento e documentário.[1]

A premiação[editar | editar código-fonte]

O New York Hilton Hotel, o local da cerimônia de entrega do Emmy Internacional.
Dilma Rousseff discursa durante a abertura do International Academy Day de 2015, evento criado pela Academia, realizado na cidade do Rio de Janeiro.

Fundada em 1969, a Academia Internacional das Artes e Ciências Televisivas (IATAS) é uma organização composta por 700 membros em quase 70 países,[2] que reúne líderes de mídia e figuras de entretenimento de 500 empresas de todos os setores da televisão, incluindo a internet, celulares e tecnologia, com a missão de reconhecer a excelência da programação televisiva produzida fora dos Estados Unidos.[3] A Academia teve como um de seus fundadores Ralph Baruch, que por volta da década de 1960 era o então chefe internacional da rede CBS. Para ele na época, ficava evidente que as três maiores emissoras norte-americanas (ABC, CBS, NBC) não demonstravam muito interesse pela programação estrangeira. A fim de promover a relevância, em tal programação, ele pensou que seria bom começar a honrar o melhor da programação internacional. Surgia assim em 1969, a Academia Internacional, embora os prêmios para melhor programação não-americana já viessem sendo apresentados pela Academia Nacional de Artes e Ciências Televisivas (NATAS) desde 1963.[4]

Os primeiros Emmys internacionais, como os conhecemos hoje, foram realizados em 1973, dois anos depois da formação do conselho internacional da NATAS. O próprio Baruch organizou a primeira cerimônia de premiação, realizada no Plaza Hotel em Nova York. O evento contou com cerca de 200 pessoas.[5] Nessa época haviam apenas duas categorias, uma para ficção, entregue para A cabine (TVE) da Espanha e o prêmio de não-ficção, vencido por um documentário da série de TV Horizon da BBC do Reino Unido. As categorias de ficção e não-ficção continuaram até 1979, quando novos prêmios foram introduzidos e outras categorias foram sendo criadas. Substituindo as duas anteriores, agora existiam os prêmios para melhor série de drama, melhor documentário, melhor programa de artes e melhor programação de artes populares.

Em 1983, a categoria de programação infantil foi introduzida aos prêmios Emmy, vencida por Fraggle Rock, a Rocha Encantada (CBC) do Canadá. Em 1989, uma sexta categoria foi apresentada: a de melhor documentário artístico, entregue nesse primeiro ano para Gwen: A Juliet Remembered produzido pela Saffron Productions e BBC Television.[1] Até 2007, o Emmy Internacional só premiava programa de arte, programa infantojuvenil, ator, atriz, comédia, documentário, programa de atualidades, noticiário, série dramática, reality show e minissérie. Em 2008 foi criada a categoria de melhor telenovela, reconhecido pela organização como "um fenômeno universal".[6]

Identificar os nomeados demora meses, com a votação a ser levada em diversos festivais de televisão internacionais. Os dois melhores programas de um gênero em particular, em quatro regiões, são selecionados para uma semifinal, de onde os elementos nomeados são eleitos. Cada nomeado é mostrado num festival, em Nova Iorque, que acontece antes da própria cerimônia.[7] O nome "Emmy" foi utilizado como uma feminização de "immy", um apelido usado para tubos de imagem que eram encontrados com facilidade nas primeiras câmaras de televisão.[3][8] Os Prêmios Emmy são troféus feitos atualmente por uma empresa privada de manufactura com a máxima segurança, em El Dorado, Kansas.[9] A estatueta de uma mulher a segurar um átomo tornou-se num símbolo da Academia a tentar suportar e levantar a arte e a ciência na televisão; as asas representam a musa da arte e o átomo, a televisão. Foi criado pelo engenheiro Louis McManus, que usou a esposa como modelo.

Regras e regulamentos[editar | editar código-fonte]

Regulamento[editar | editar código-fonte]

Pelo regulamento do prêmio, uma emissora de televisão ou seus representantes jamais podem votar nas categorias em que estejam concorrendo. A Academia não participa do julgamento. Quem avalia os programas inscritos são cerca de 600 profissionais de televisão, de 40 países. Todo o processo é auditado pela Ernst & Young.[10]

Regras[editar | editar código-fonte]

Segundo a IATAS, estas regras e regulamentos dizem respeito a programas produzidos e exibidos fora dos Estados Unidos:

  • Ter sido originalmente criado para a televisão;
  • Ter sido produzido por uma organização não americana; ou inicialmente exibido fora dos Estados Unidos;
  • Ter sido inicialmente transmitido fora dos EUA entre janeiro e dezembro do ano anterior;
  • Ter sido escrito na competição por uma organização não americana;
  • Não ter sido apresentadas, em qualquer outra competição Emmy Awards (incluindo qualquer outra competição do gênero nos EUA);
  • Não ter tido uma versão teatral, dentro ou fora dos EUA, antes da primeira transmissão de TV.[11]

Categorias[editar | editar código-fonte]

Os prêmios são divididos em quatro categorias: Dramaturgia (programas de entretenimento), Notícias e Atualidades (Jornalismo), Programa Digital (Conteúdo digital e internet) e o Emmy Kids direcionada a desenhos animados e programas infantis.[7]

A modelo, atriz e apresentadora de televisão brasileira Fernanda Lima com as seis medalhas das indicações dos Programas da TV Globo ao Emmy Internacional 2012.

Dramaturgia[editar | editar código-fonte]

Apresentado nos Prêmios Emmy Internacional, no mês de novembro na cidade de Nova York.[12]

Assuntos e Notícias[editar | editar código-fonte]

Apresentado no News & Documentary Emmy Awards, no mês de outubro na cidade de Nova York.[12]

Infantil[editar | editar código-fonte]

Apresentado nos Prêmio Emmy Kids Internacional, no mês de fevereiro, na cidade de Nova York.[13]

Prêmios honorários[editar | editar código-fonte]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

Lusofonia no Emmy Internacional[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

O Brasil já foi indicado 150 vezes ao Emmy Internacional, tendo saído vencedor em 22 ocasiões.[14][15][16][17][18][19][20][21][22] A TV Globo tem sido grande destaque da premiação acadêmica. O Grupo Globo é o conglomerato brasileiro, lusófono e latino-americano a qual mais recebeu prêmios Emmy.

Ano Categoria Programa Canal Resultado Referência
2020 Melhor telenovela Órfãos da Terra TV Globo Venceu
2018 Melhor Série Malhação: Viva a Diferença TV Globo
2016 Melhor telenovela Verdades Secretas TV Globo
2015 Melhor telenovela Império TV Globo
Melhor comédia Doce de Mãe TV Globo
2014 Melhor telenovela Joia Rara TV Globo [23]
Personalidade mundial da televisão Roberto Irineu Marinho Grupo Globo
Melhor série infantil Pedro & Bianca TV Cultura
2013 Melhor telenovela Lado a Lado TV Globo
Melhor atriz Fernanda Montenegro por Doce de Mãe TV Globo
2012 Melhor comédia A Mulher Invisível TV Globo [24]
Melhor telenovela O Astro TV Globo
2011 Melhor programa de notícias Jornal Nacional TV Globo [25]
2009 Melhor telenovela Caminho das Índias TV Globo [26]
2000 Prêmio Especial Unicef Dia da Criança Toda a programação infantil TV Cultura [27]
1999 Prêmio Especial Unicef Dia da Criança Toda a programação infantil TV Cultura [28]
1998 Prêmio Especial Unicef Dia da Criança Toda a programação infantil TV Cultura
1983 Melhor diretor Roberto Marinho TV Globo
1982 Melhor programa dramático Morte e Vida Severina TV Globo
1981 Melhor programa dramático A Arca de Noé TV Globo
1976 Directorate Award Citation Roberto Marinho TV Globo [29]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Portugal converteu em vitórias três das seis indicações que recebeu ao Emmy Internacional.[30]

Ano Categoria Programa Canal Resultado Referência
2018 Melhor telenovela Ouro Verde TVI Venceu
2011 Melhor telenovela Laços de Sangue SIC / TV Globo [31]
2010 Melhor telenovela Meu Amor TVI [32]

Notas

  1. Categoria criada pela primeira vez na história da Academia Internacional, e direcionada a programas do horário nobre americano, falados em espanhol, mas com pelo menos 50% de seu roteiro em inglês, e que tenha sido produzido e exibido nos Estados Unidos.

Referências

  1. a b «20 years of the International Emmy Awards». thefreelibrary.com/ 
  2. «FAQ - International Academy of Television Arts & Sciences». iemmys.tv (em inglês). International Academy of Television Arts & Sciences. Consultado em 19 de agosto de 2021 
  3. a b «The International Academy of Television Arts & Sciences». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 14 de setembro de 2013 
  4. Anthony Slide (1996). «Some Joe You Don't Know» (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2021 
  5. «The International Council: more than just Emmys». thefreelibrary.com/ 
  6. «Emmy Internacional premiara telenovela». Folha de S.Paulo. thefreelibrary.com/. 30 de janeiro de 2008. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 
  7. a b «THE INTERNATIONAL ACADEMY OF TELEVISION ARTS & SCIENCES». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 14 de setembro de 2013 
  8. «BEING A MEMBER OF THE ACADEMY». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 14 de setembro de 2013 
  9. «Telenovela Windeck, nomeada para Emmys, avança para o mercado internacional». ANGONOTÍCIAS. Portalangop.co.ao. Consultado em 6 de Março de 2014 
  10. «Globo refuta acusações da Record sobre Emmy Internacional». Folha de S.Paulo. 5 de setembro de 2008. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 
  11. «2014 INTERNATIONAL EMMY® AWARDS — RULES & REGULATIONS». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 18 de novembro de 2014 
  12. a b «INTERNATIONAL EMMY® AWARD ENTRIES». iemmys.tv (em inglês). Consultado em 27 de novembro de 2014 
  13. «International Emmy® Kids Awards». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 15 de outubro de 2014 
  14. «40TH INTERNATIONAL EMMY AWARDS WINNERS ANNOUNCED». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  15. «Emmy Internacional consagra América do Sul; Brasil ganha 2 prêmios». ESTADÃO. Estadão.com.br. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  16. «Coprodução entre Rede Globo e SIC ganha prêmio Emmy de melhor novela». Rede Globo. TV Globo. Consultado em 10 de outubro de 2013 
  17. «INTERNATIONAL EMMY WORLD TELEVISION FESTIVAL TO CELEBRATE 40TH INTERNATIONAL EMMY AWARD NOMINEES NOVEMBER 17 & 18». iemmys.tv (em inglês). Iemmys.tv. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  18. «Indicados ao Emmy Internacional 2013». Veja. Veja. Consultado em 10 de outubro de 2013. Arquivado do original em 7 de outubro de 2014 
  19. «'Pedro & Bianca', da TV Cultura, ganha o Emmy Kids de melhor série». F5. Folha de S.Paulo. 11 de fevereiro de 2014. Consultado em 11 de fevereiro de 2014 
  20. «Presidente das Organizações Globo vai receber prêmio Emmy». G1. 30 de julho de 2014. Consultado em 30 de julho de 2014 
  21. «Fantástico e Jornal Nacional são indicados ao Emmy Internacional». G1. 12 de agosto de 2014 
  22. «Vencedores do Emmy Internacional são anunciados em Nova York». Jornal da Globo. Consultado em 1 de outubro de 2014 
  23. «'Joia Rara' vence prêmio Emmy Internacional». G1. 24 de novembro de 2013 
  24. «'O astro' e 'A mulher invisível' ganham prêmio Emmy Internacional». G1. G1. 20 de novembro de 2012. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  25. «Jornal Nacional ganha o Emmy Internacional». G1. G1. 26 de setembro de 2011. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  26. «'Caminho das Índias' leva Emmy Internacional de melhor telenovela». G1. 24 de novembro de 2009. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  27. «TV Cultura ganha o prêmio Emmy em NY». Estado de S. Paulo. 21 de novembro de 2000. Consultado em 6 de novembro de 2014 
  28. «Brasil é eliminado do Emmy internacional». Folha de S.Paulo. 24 de outubro de 2001. Consultado em 6 de novembro de 2014 
  29. «Prêmio Emmy: Roberto Marinho». Memória Roberto Marinho. Consultado em 31 de janeiro de 2015. Arquivado do original em 2 de abril de 2015 
  30. «Awards previous» (em inglês). Iemmys.tv 
  31. «Telenovela portuguesa "Laços de Sangue" vence Emmy». Expresso. Semanário Expresso. 22 de novembro de 2011. Consultado em 24 de setembro de 2013 
  32. «Novela "Meu Amor" vence Emmy em Nova Iorque». Jornal de Notícias. Jornal de Notícias. 23 de novembro de 2011. Consultado em 24 de setembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]