Julio Iglesias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Julio Iglesias
Julio Iglesias
Julio Iglesias em 2005
Informação geral
Nome completo Julio José Iglesias Puga de la Cueva
Nascimento 23 de setembro de 1943 (73 anos)
Origem Madrid
País Flag of Spain.svg Espanha
Gênero(s) Latino, Pop latino
Ocupação(ões) cantor, compositor
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1968 - 2011
Gravadora(s) Columbia, Sony
Afiliação(ões) Willie Nelson
Diana Ross
Nelson Ned
Roberto Carlos
Thalía
Simone
Página oficial www.julioiglesias.com

Julio José Iglesias Puga de la Cueva (Madrid, 23 de setembro de 1943) é um ex-futebolista, cantor, compositor e empresário espanhol de fama internacional.

Iglesias dedicou-se inicialmente à sua carreira desportiva, com o objetivo de tornar-se um jogador profissional de futebol. Ele atuou no time juvenil do Real Madrid, na posição de goleiro, entre 1958 e 1962.[1][2][3] Mas, na noite de 22 de setembro de 1963, quando tinha 20 anos de idade, ao conduzir o seu carro entre Majadahonda e Madri, juntamente com os seus amigos Enrique Clemente Criado, Toto Arroyo e Pedro Luis, Iglesias sofreu um trágico acidente que o deixou semiparalisado durante um ano e meio, existindo poucas hipóteses de poder voltar a andar, internado no hospital Eloy Gonzalo, em Madri, ele passou a escrever poemas românticos, que encantaram uma das enfermeiras que o atendia, elas arrumaram um violão para Julio, que transformou seus poemas em música.

No final dos anos de 1960, já totalmente recuperado do acidente de carro, Julio procurou uma produtora musical para oferecer suas canções aos intérpretes da empresa. Os empresários propuseram que ele defendesse sua canção, La vida sigue igual, no Festival de Benidorm. Sagrado como grande vencedor, assinou seu primeiro contrato com a Columbia Records.

Monumento de Julio Iglesias em Benidorm

Marcado pela voz e seu detalhismo nas canções, além de grande carisma, se tornou o mais bem sucedido artista latino em todos os tempos, com números impressionantes: 200 milhões de cópias vendidas, 2600 discos de ouro e de platina, quatro mil espetáculos em mais de quinhentas cidades do mundo e uma canção tocada a cada trinta segundos. Estima-se que sua fortuna seja de mais de US$ 5 bilhões. Seu talento musical também se estende ao seu filho Enrique Iglesias, que se tornou um dos grandes pop stars da música pop internacional. Além de Enrique, Julio Iglesias também é pai de Chabeli Iglesias, Julio Iglesias Jr., Miguel Alejandro, Rodrigo, Victoria, Cristina e Guillermo.

Dentre os artistas brasileiros estão os duetos com: Daniel, Zezé di Camargo e Luciano, Simone, Nelson Ned e Roberto Carlos, de quem é fã.[4]. Em visita ao México nos anos 90, Julio se encantou pela beleza da cantora mexicana Thalía, tanto que cantou com ela em um programa local, e a convidou para participar de um de seus clipes Baila Morena, e ele retribuiu o favor participando do clipe de Amandote da mexicana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Julio José Iglesias de la Cueva nasceu em 23 de setembro de 1943 em uma antiga maternidade de Lavapiés, um bairro de Madrid. Foi o primeiro filho de Julio Iglesias Puga e María del Rosario de la Cueva y Perignat, que teve também outro filho chamado Carlos Luis. Por parte paterna, Iglesias descende de galegos, uma vez que seu pai era originário de Orense.[5] O próprio Iglesias afirma possuir ascendência judaica por parte de sua mãe, sendo que não há registro de nenhum antepassado judeu em sua família.[6] Sua avó materna, Dolores de Perignat, era originária de Porto Rico.[7][8][9] Iglesias tem também dois meios-irmãos: Jaime (nascido em 2004) e Ruth (nascida em 2006), fruto do segundo casamento do pai, em 2001[10].

Em sua juventude, Iglesias envolveu com o futebol. Atuou como goleiro da equipe juvenil do Real Madrid, uma das categorias inferiores do clube. Iglesias chegou a conviver com alguns dos quais tornariam-se estrelas do clube, como Manuel Velázquez, Ramón Grosso, Pedro de Felipe, Luis Costa, Espejo e Hernández. Um atleta habilidoso, Iglesias planejava jogar profissionalmente e chegou a integrar o elenco oficial do clube madrilenho.[11] Enquanto evoluía no sonho de tornar-se um jogador profissional, Iglesias investiu em sua formação acadêmica, cursando Direito na Universidade San Pablo CEU. Entretanto, um grave acidente automobilístico em 1962, colocaria um hiato em sua promissora carreira.[12]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1968, Iglesias venceu o Festival Internacional da Canção de Benidorm com a canção "La vida sigue igual", que anos mais tarde foi tema do filme homônimo sobre sua vida. Após a vitória, Iglesias assinou contrato com a Columbia Discos e laçou seu primeiro álbum de estúdio, ititulado Yo Canto. O álbum permaneceu nas paradas musicais espanholas por três semanas e atingiu a 3ª posição.[13] Em 1970, já com certa evidência no cenário nacional, Iglesias representou seu país no Festival Eurovisão da Canção, terminando em quarto lugar, depois da irlandesa Dana.[14][15] O cantor espanhol competiu com a canção "Gwendolyne", que eventualmente tornou-se um dos maiores sucessos de sua carreira. Pouco tempo depois, Iglesias atingiu as primeiras posições em toda a Europa com "Un Canto a Galicia", interpretada em galego. A canção vendeu mais de um milhão de cópias na Alemanha. Em 1975, outro estrondoso sucesso comercial foi "Se mi lasci non vale", marcando sua entrada no mercado musical italiano. Ao longo da década de 1970, consolidou sua carreira com baladas românticas como "Manuela", "El Amor" e "Soy". Na França, um de seus maiores sucessos foi sua versão de "Je n'ai pas changé."

Em 1979, com o enorme sucesso que já causava, Iglesias mudou-se para Miami, onde assinou contrato com a CBS International e passou a interpretar canções em diversos idiomas, incluindo até mesmo português e alemão. Dois anos mais tarde, em 1981, lançou o álbum De Ninã a Mujer, o qual dedicou a sua filha, Chabeli Iglesias. O álbum incluía uma versão em inglês de "Begin the Beguine", que tornou-se um hit no Reino Unido e na América Latina por completo. Em 1983, Iglesias lançou sua primeira coletânea, Julio. No ano seguinte, lançou 1100 Bel Air Place, considerado por muitos críticos como o álbum que o lançou no mercado musical norte-americano, tendo vendido mais de 3 milhões de cópias somente nos Estados Unidos.[16] O primeiro single, "To All the Girls I've Loved Before", em dueto com Willie Nelson, atingiu a primeira posição na Billboard Country Charts e ficou entre as cinco primeiras na Billboard Hot 100. O álbum também incluiu "All of You", um dueto com Diana Ross, que atingiu a segunda colocação na Adult Contemporary Chart.[17]

Iglesias realizou uma participação especial na série The Golden Girls, como o namorado de Sophia Petrillo. Em 1988, o cantor espanhol venceu o Prêmio Grammy de Melhor Álbum Pop Latino por Un Hombre Solo. No mesmo ano, gravou o dueto "My Love" com Stevie Wonder, lançado no álbum Non Stop, deste último. Em 1990, Iglesias, que há pelo menos duas décadas se dedicava ao repertório crossover, lançou o álbum Tango, dedicado a canções do gênero homônimo. O álbum foi indicado ao Grammy de Melhor Álbum Pop Latino, perdendo para Romances, de Luis Miguel.[18]

Em 2003, Iglesias lançou o álbum Divorcio. No primeiro dia de vendas, Divorcio vendeu mais de 350 mil cópias somente na Espanha, atingindo a primeira posição também em Portugal, França, Itália e Rússia. Em 2003 e 2004, ainda colhendo frutos de seu trabalho, Iglesias ingressou em uma turnê de dez meses por Ásia, Europa, Américas e África. Mais da metade dos concertos lotaram em público. Em dezembro de 2004, gravou um dueto de "Silent Night" com sua namorada Miranda Rijnsburger, lançado nas plataformas virtuais do artista.

Em 2006, Iglesias lançou um álbum totalmente em inglês, intitulado Romantic Classics. O cantor disse ter selecionado "canções dos anos 60, 70 e 80 para serem novos clássicos da música". O álbum incluía interpretações de "I Want to Know What Love Is", "Careless Whisper" e "Right Here Waiting", entre outras. Romantic Classics foi o álbum mais bem-sucedido do artista na Billboard, estreando em 31º lugar nos Estados Unidos, 21º no Canadá, 10º na Austrália.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 29 de janeiro de 1971, Iglesias casou-se com Isabel Preysler, um jornalista e celebridade televisiva filipina. Preysler, filipina de ascendência espanhola, descendo da aristocrática dinastia Perez de Tagle, que detinha do Marquesado de Altamira desde o século XVI. O casamento rendeu-lhe três filhos: Chabeli Iglesias (nascida a 3 de setembro de 1971), Julio Iglesias, Jr. (nascido a 25 de fevereiro de 1973) e Enrique Iglesias (nascido a 8 de maio de 1975). Os dois últimos filhos, assim como o pai, ingressaram na carreira musical. Iglesias, Jr. é um cantor de relativo sucesso na Espanha, enquanto Enrique Iglesias se destaca também como compositor, ator e produtor. Iglesias e Preysler divorciaram-se em 1979.

Iglesias possui atualmente duas grandes propriedades residenciais. Uma em Indian Creek, uma luxuosa ilha em Miami;[19][20] e outra localizada em Punta Cana, República Dominicana, onde o cantor também possui um aeroporto internacional com outros investidores.[21] O cantor costuma dividir-se entre as duas residências quando não está em trabalho. Além destas propriedades, Iglesias também mantém um sítio em Málaga, Espanha.[22][23]

Recentemente, o cantor têm se dedicado a aprender culinária tunisiana, pelo qual nutre uma paixão incrível, o Mloukhia é sua melhor receita. De acordo com seu amigo íntimo, Emilio Lopez, Julio também está aprendendo judaísmo ortodoxo para se tornar um rabino em Los Angeles e ensinar as crianças francesas como orar com um toque latino.[24]

Julio é freqüentemente visto no restaurante da Tunísia em Paris chamado Douieb onde ele ordena que o sanduíche seja tunisiano. De acordo com seu site oficial, ele já vendeu mais de 300 milhões de álbuns em todo o mundo em 1 de novembro de 2010. Iglesias tem uma neta chamada Sofia Iglesias, que é filha de sua filha Chabeli.

Em março de 2011, o artista lançou um novo álbum de estúdio chamado Numero 1. Em dezembro do mesmo ano, Julio Iglesias anunciou sua aposentadoria dos palcos.[25]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Yo Canto (1969)
  • Gwendolyne (1970)
  • Como El Alamo Al Camino (1972)
  • Por una mujer (1972)
  • Así Nacemos (1973)
  • Soy (1973)
  • Und das Meer singt sein Lied (1973)
  • A Flor de Piel (1974)
  • A México (1975)
  • El Amor (1975)
  • Manuela (1975)
  • América (1976)
  • En el Olympia (1976)
  • Se mi lasci, non vale (1976)
  • A mis 33 años (1977)
  • Sono Un Pirata, Sono Un Signore (1978)
  • Emociones (1978)
  • Aimer La Vie (1978)
  • Às Vezes Tu, Às Vezes Eu (1978)
  • Innamorarsi alla mia età (1979)
  • A vous les femmes (1979)
 
  • Hey! (1980)
  • Sentimental (1980)
  • Amanti (1980)
  • De niña a mujer (1981)
  • Fidèle (1981)
  • Zartlichkeiten (1981)
  • Minhas canções preferidas (1981)
  • Schenk Mir Deine Liebe (1982)
  • Momentos (1982)
  • Momenti (1982)
  • Et l'amour créa la femme (1982)
  • In Concert (1983)
  • Julio (1983)
  • 1100 Bel Air Place (1984)
  • Libra (1985)
  • Un Hombre Solo (1987)
  • Tutto l'amore che ti manca (1987)
  • Non Stop (1988)
  • Raíces (1989)
  • Momentos (1989)
 
  • Latinamente (1989)
  • Starry Night (1990)
  • Calor (1992)
  • Anche senza di te (1992)
  • Crazy (1994)
  • La Carretera (1995)
  • Tango (1996)
  • My Life: The Greatest Hits (1998)
  • Noche de cuatro lunas (2000)
  • Una donna può cambiar la vita (2001)
  • Ao Meu Brasil (2001)
  • Divorcio (2003)
  • Love Songs (2003)
  • En français (2004)
  • Love Songs - Canciones de amor (2004)
  • L'homme que je suis (2005)
  • Romantic Classics (2006)
  • Quelque chose de France (2007)
  • Julio Iglesias 1 - Vol 1 (2011)
  • Fallaste Corazón (2015)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Julio Iglesias

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Julio Iglesias actuou várias vezes em Portugal:

(lista incompleta)

Referências

  1. «The Iglesias dynasty: two generations of hot Latin talent» (em inglês). HELLO!. 2007. Consultado em 02 de junho de 2012. 
  2. «Julio Iglesias - biography» (em inglês). Bio. True History. 2012. Consultado em 02 de junho de 2012. 
  3. «Biografie Julio Iglesias Lebenslauf» (em alemão). Was war wann?. Consultado em 02 de junho de 2012. 
  4. Roberto Carlos estreia no New York Times
  5. Murashko, Alex (9 de agosto de 2000). «Hands Across the Water, to Spain's Galicia». Los Angeles Times. 
  6. «Front». The Miami Herald. 12 de julho de 1995. 
  7. Moral Roncal, Antonio M. (2003). «Cuba ante la Guerra Civil Española: la acción diplomática de Ramón Estalella». 
  8. «Julio cumple 67 años en plena gira mundial». El Correo Galego. 10 de fevereiro de 2010. 
  9. «Julio Iglesias». Zócalo. 8 de setembro de 2012. 
  10. belfasttelegraph.co.uk (em inglês) Página visitada em 23 de junho de 2012
  11. «Julio Iglesias». LaHiguera. 
  12. «El personaje de hoy». El Sol de Cuernavaca. 23 de setembro de 2009. 
  13. Figueroa, Acton (2004). «Julio Iglesias and Enrique Iglesias». 
  14. «Iglesias praises Eurovision as a learning moment». Eurovisão. 11 de outubro de 2008. 
  15. «Singer in Alabama eyes bid for the Irish presidency». The Tuscaloosa News. 9 de agosto de 1997. 
  16. Dougherty, Steve; Gold, Todd (29 de agosto de 1988). «Julio Iglesias' Good Life Demands Wine, Women, Song—and More Women». People. 
  17. «Diana Ross». Michigan Rock and Roll Legends. 
  18. «The 1998 Grammy Award Winners». The New York Times. 26 de fevereiro de 1998. 
  19. Rose, Lacey (9 de junho de 2006). «Most Expensive Home in the U.S.». Forbes. 
  20. Brennan, Morgan (23 de agosto de 2012). «Inside Indian Creek Island, Miami's Billionaire Bunker». Forbes. 
  21. «Los secretos nunca contados de Julio Iglesias». Vanitatis. 13 de fevereiro de 2008. 
  22. «Julio Iglesias desolado com incêndio que destruiu parte da sua propriedade em Málaga». TVI24. 5 de setembro de 2009. 
  23. «Julio Iglesias supervisa en Málaga la reforma de su casa». Hola. 17 de maio de 2001. 
  24. Banin, Jana (14 de novembro de 2013). «Julio Iglesias says he’s ‘Jewish from the waist up’». Jewish Telegraph Agency. 
  25. Julio Iglesias anuncia aposentadoria ao ser homenageado em Madri
  26. «Concerto de Júlio Iglésias pode acabar com queixa-crime». 
  27. https://programadefestas.wordpress.com/2008/06/05/julio-iglesias-concerto-em-portimao-5-de-agosto/
  28. «Bilhetes Julio Iglesias». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]