Tango

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Tango (desambiguação).
Tango
Um espetáculo de tango em Buenos Aires.
Origens estilísticas Polka, Habanera, Milonga
Contexto cultural Entre 1850 e 1890, na Argentina e Uruguai
Instrumentos típicos Acordeão, Bandoneón, piano, violão, violino e contrabaixo
Popularidade Muito popular nas áreas urbanas da Bacia do Prata e na Europa.
Formas derivadas Maxixe, Tango Cayengue
Subgêneros
Tango finlandês, nuevo tango, tango argentino, tango de salão
Gêneros de fusão
Tango eletrônico
Formas regionais
Argentina, Uruguai, Europa

O tango é um estilo musical e uma dança a par. Tem forma musical binária e compasso de dois por quatro. A coreografia é complexa e as habilidades dos bailarinos são celebradas pelos aficionados. Segundo Discépolo, "o tango é um pensamento triste que se pode dançar".

Origem do tango[editar | editar código-fonte]

Ao longo do século XIX, a jovem nação argentina incentivou a entrada de imigrantes europeus no país para que os mesmos pudessem ampliar a mão-de-obra disponível e, conforme relatos da época, “refinar” a cultura pelo contato com espanhóis, franceses, poloneses e italianos. Dos contingentes trazidos para ocupar novos postos de trabalho na Argentina, formou-se uma imensa população masculina que deixava a família para tentar a sorte em terras estrangeiras. Em pouco tempo, o excedente populacional masculino possibilitou a abertura de diversos prostíbulos no país.

De acordo com recentes pesquisas, no final do século XIX, só a capital Buenos Aires contava com mais de 200 casas de prostituição. A procura pelas prostitutas era tão grande que os homens faziam fila à espera de fácil prazer sexual. Foi quando, a grande circulação de pessoas nas casas de prostituição argentinas deu espaço para a encenação de números musicais enquanto os clientes esperavam a sua vez. Nesse instante, apareciam grupos que intercambiavam suas distintas experiências musicais. A polca européia, a havaneira cubana, o candombe uruguaio e a milonga espanhola firmaram o nascimento do tango argentino.

Em seus primeiros anos, o tango era formado por um trio musical executante de ritmos mais acelerados e os passos de dança tinham muita sensualidade. Só mais tarde que os tangos começaram a ganhar suas primeiras letras. Fazendo jus ao seu local de origem, as primeiras letras descreviam situações libidinosas sobre os prostíbulos e as meretrizes. Por isso, durante algum tempo, o tango era sinônimo de imoralidade. As pessoas de “boa índole” tinham verdadeira aversão à prática desse tipo de música dançante. No entanto, os imigrantes que voltavam para Europa tinham popularizado o estilo, principalmente na cidade de Paris.

Os diversos ataques contra o tango perderam força mediante a popularização e as transformações sofridas com a chegada do ritmo à Europa. Atacado ainda por religiosos, o tango chegou a ser dançado para o papa Pio X, para que o mesmo julgasse suas características. Aprovado por Vossa Santidade e influenciado pela escola européia, o tango começou a ganhar um ritmo mais lento e passos mais cadenciados. No início do século XX, as letras começam a incorporar temáticas para fora do prostíbulo. Tempos depois veio a ser considerado uma expressão típica artística de “todos” argentinos.

Saindo dos prostíbulos para os salões de festa, o tango alcançou sua máxima popularização com o estrondoso sucesso do cantor Carlos Gardel. Sendo conhecido como uma dos mais famosos cantores de tango, Gardel mostrou sua música nos palcos e internacionalizou sua arte com a gravação do filme “El Dia Que Me Quieras”. Ainda hoje, o tango é uma das expressões artísticas mais conhecidas na Argentina e seus espetáculos atraem turistas de todo o mundo.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O Tango Argentino herdou influências de diferentes culturas. Através da história, pessoas de todo o mundo contribuiram para a criação do tango.

Existem várias teorias quanto às raizes da palavra tango.

Uma delas diz que a palavra tango é na realidade uma onomatopoeia: a palavra Tango representaria o som dos tambores que seriam usados no tango antigo. Há vários factores que poem em causa esta teoria: o tambor nunca foi um instrumento de tango tipico, os primeiros instrumentos de tango foram o violino, a viola, a flauta, e mais tarde o bandoneon.

A segunda teoria diz-nos que a palavra Tango tem como origem a palavra portuguesa de origem latina tangere, que significa 'palpável, tangível'. No entanto, se tivermos em consideração que o tango mais antigo não era caracterizado pela postura fechada, a palavra tangere não pode ser aceite como uma origem.

A teoria mais fiavel é a que afirma que Tango é uma palavra de raizes Africanas. Em várias línguas Africanas, tango significa dentro de casa – o espaço fechado que muitas vezes era utilizado para dançar. Em Espanha, o Tango representava danças Africanas; ainda mais, algumas estilos de Habanera são conhecidos como Tango Andaluz. Assim, é obvio que a palavra tango era usada muito antes da dança Tango. Acredita-se que os primeiros passos de originaram da dança africana, onde eram dançados sem uma postura fechada, o que contraria de novo a teoria que suporta que palavra tango vem da palavra tangere.

Algumas pessoas acreditam que a origem da palavra tango vem da Africa do Sul, a partir da palavra tambo que significa festa ou celebração.

Conclui-se então o mais provável seja que a palavra tango tenha chegado à Argentina pelo Oceano Atlântico, pela mão dos escravos. Buenos Aires tinha um papel importante no tráfico de escravos, e este facto é normalmente pouco falado e até evitado, assim como as teorias que o usam como prova.

Os Africanos que atravessaram o oceano no século XIX century, para Rio de la Plata, em busca da sua liberdade, tiveram um papel fundamental no nascimento do tango.

Características[editar | editar código-fonte]

dança tango é um elemento popular em atividades artísticas relacionada com dança ou expressão corporal, isso pelo efeito dramático e pela grande capacidade de improvisação no eterno tema do amor. No século XX iniciou-se a primeira fase do tango. Os diversos artistas argentinos e uruguaios se dedicaram a estimular o desenvolvimento do ritmo. A dança era vista nas ruas, nos salões de danças e nas classes mais altas, como em óperas de teatro.

A coreografia é complexa e as habilidades dos bailarinos são reconhecidas por seus admiradores. O tango mistura o drama, a paixão, a sexualidade, a agressividade e muitas vezes tristeza, o que o torna uma dança muito expressiva.

O tango é dançado normalmente em linha, numa posição cerrada, com um contra peso, peito com peito.  A dança consiste numa variedade de estilos como o Tango Canyengue e o Tango Orillero. No entanto, a maioria destes estilos já não se dançam mais e fazem parte da evolução do conhecido Tango Argentino. Atualmente, o Tango Argentino consiste em: Tango de Salão, Tango Milonguero, Nuevo Tango, Show Tango ou Tango Fantasia.

Os dançarinos de Tango Argentino também praticam duas outras danças relacionadas: Vals (uma variante da valsa) e a Milonga, que trata-se de um tango, digamos, mais animado. As festas de tango são também chamadas de Milonga.

Mais recentemente o tango foi retomado e mesclado a sons eletrônicos, ganhando um novo formato e outro sabor, constituindo o eletrotango.

Dois dos tangos mais conhecidos hoje são:

Por una Cabeza de Carlos Gardel, que compõe parte da trilha do famoso filme Perfume de Mulher, com interpretação de Al Pacino e o La Cumparsita do músico uruguaio Gerardo Matos Rodriguez, considerado o tango mais difundido no mundo.

Época de ouro[editar | editar código-fonte]

Pix.gif Tango *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO
Tipo Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade
Critérios {{{Critério}}}
Referência {{{ID}}}
Região** Américas
Histórico de inscrição
Inscrição 2009  (XXXIII sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.
** Região, segundo a classificação pela UNESCO.

O tango argentino, ou rio-platense, começou a ultrapassar fronteiras já no início do século XX, quando marinheiros franceses levaram, ao seu país natal, o tango do uruguaio Enrique Saborido La morocha, isso por volta de 1907. Paris se apaixonou pelo tango, uma dança exótica e sensual para os parisienses, o que fez com que muitos artistas argentinos e uruguaios viajassem e até se radicassem na capital francesa.

Os pesquisadores do gênero identificam duas fases de ouro do tango: a primeira, nos anos 1920, quando várias figuras do ambiente artístico de Buenos Aires e Montevidéu, inclusive muitos literatos como José Gonzalez Castillo e Fernán Silva Valdez, canalizaram seus esforços no fomento da música popular rio-platense e, em especial, do tango. Nos anos 1920, cantores como Carlos Gardel, Ignacio Corsini e Agustín Magaldi, e cantoras como Rosita Quiroga e Azucena Maizani, venderam muitos discos na florescente indústria discográfica argentina e difundiram o tango para fora da Argentina.

Os anos 1940 marcaram a segunda época de ouro do tango, quando novos valores do tango como Aníbal Troilo, Astor Piazzolla e Armando Pontier se juntaram a nomes consagrados como Francisco Canaro e Carlos di Sarli, isso sem contar o fenômeno de popularidade que foi Juan D'Arienzo.

O tango foi considerado um Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura[1] em 30 de setembro de 2009, em Dubai.

Existiu também o tango brasileiro, muito em voga no início do século vinte no Rio de Janeiro.

Estilo do tango[editar | editar código-fonte]

Dançarinos de tango em Buenos Aires

Há diferentes tendências em seu estilo, como o tango-canção, o tango canyengue, o tango milonga, o tango romanza e o tango jazz. Hoje em dia, é possível até se encontrarem estilos como o tango rock e o electrotango, ou tango eletrônico.

Compositores[editar | editar código-fonte]

Alguns compositores tradicionais do tango:

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Tango Conf. Marcelo Copello - Revista Gosto Nº7 Fev. 2010 - Editora Isabella

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Tango


Ícone de esboço Este artigo sobre dança é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.