Mahalia Jackson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mahalia Jackson
Mahalia Jackson 1962, van Vechten, LC-USZ62-91314.jpg
Informação geral
Também conhecido(a) como Halie Jackson, A Rainha do Gospel
Nascimento 26 de outubro de 1911[1]
Nova Orleans, Louisiana, EUA
Morte 27 de janeiro de 1972 (60 anos)
Evergreen Park, Illinois, EUA
Gênero(s) Gospel
Gravadora(s) Decca Coral
Apollo
Columbia
Afiliação(ões) Aretha Franklin

Mahalia Jackson (Nova Orleans, 26 de outubro de 1911Chicago, 27 de janeiro de 1972) foi uma cantora estadunidense, sendo uma das principais cantoras gospel dos Estados Unidos no século 20.[2]

Mahalia começou sua carreira cantando em corais Gospel, estilo musical que a acompanhou por toda a carreira. Em 1937, com 26 anos, gravou seu primeiro disco sob o selo The Decca Coral. Em ordem: "God's Gonna Separate The Wheat From The Tares," "My Lord," "Keep Me Everyday," and "God Shall Wipe All Tears Away.". O disco não foi um sucesso financeiro e o Decca Coral não renovou. Em 1947 (dez anos depois), ela gravou com o selo Apollo a música "Move On Up A Little Higher", um sucesso tão grande que vendeu 8 milhões de cópias, esgotando em todas as lojas. A música entrou para o Hall da Fama dos prémios Grammy em 1998. Posteriormente, gravou sucessos como "Let the Power of the Holy Ghost Fall on Me" (1949), "Silent Night, Holy Night", que também tiveram incrível sucesso na Europa. Em 1950 ela se tornou a primeira cantora Gospel a cantar no Carnegie Hall de Nova York. Em 1952, começou uma turnê pela Europa e foi aclamada pela crítica como "A maior cantora Gospel de todos os tempos". Também foi a primeira cantora Gospel a cantar no consagrado festival The Newport Jazz Festival (em 1958 e 1959). Teve uma participação especial no filme Imitação da Vida (Imitation of Life), de 1959, dirigido por Douglas Sirk e interpretado por Lana Turner e Sandra Dee. Em 1961, Mahalia cantou na posse do presidente norte-americano John Kennedy. Em 1963 ela cantou para 250 mil pessoas, na ocasião onde Martin Luther King Jr. fez seu famoso discurso "I Have a Dream" ("Eu tenho um sonho", discurso pelos direitos civis amplamente conhecido nos Estados Unidos). Também cantou "Take My Hand, Precious Lord" no funeral de Martin Luther King Jr.

Seu último álbum foi Guide Me, O Thou Great Jehovah (1969). Encerrou a carreira em 1971 com um show na Alemanha e com aparições final no The Flip Wilson Show nos Estados Unidos. Mahalia também ficou conhecida por seu esforço em ajudar ao próximo, criando a Mahalia Jackson Scholarship Foundation, para jovens que gostariam de entrar para a universidade. Por seus esforços recebeu o The Silver Dove Award.

Faleceu em 27 de janeiro de 1972. Foi sepultada no Providência Memorial Park, Paróquia de Jefferson, Louisiana no Estados Unidos.[3] Em 1978, Mahalia Jackson foi postumamente recebida no GMA Gospel Music Hall of Fame.[4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mahalia Jackson em Concertgebouw, Bestanddeel em 23 de abril de 1961.

Mahalia nasceu em 26 de outubro de 1911 com o apelido de Halie Jackson, cresceu na seção de Black Pearl no bairro de Carrollton na parte alta da cidade de Nova Orleans. A casa de três quartos no Pitt Street viviam 13 pessoas e um cachorro. Mahalia chama-se na época de Mahala (em homenagem a sua tia Mahala Clack-Paul chamada de tia Duke), seu irmão Roosevelt Hunter, a quem chamava de Peter e sua mãe Chality Clack, que trabalhou como empregada e lavadeira. Várias tias e primos viviam na casa também. Tia Mahala ganhou o apelido de "Duke" depois de provar-se ser a chefe indiscutível da familia. A familia muito alargada (Os Clarck's) consistia de irmãos de sua mãe Isabell, Mahala, Boston, Porterfield, Hannah, Alice, Rhoda, Bessie, seus filhos, netos, e patriarca Rev. Paul Clark, um ex-escravo. O pai de Mahalia, John A. Jackson, Sr. era um estivador e um barbeiro que mais tarde se tornou um ministro Batista. Ele era pai de outras cinco crianças fora Mahalia: Wilmon e, em seguida, Yvonne, Edna, Pearl, e Johnny, Jr. (pelo seu casamento logo após o nascimento de Halie). A irmã de seu pai, Jeanette Jackson-Burnett, e seu marido, Josie, eram artistas de vaudeville. Seu filho, seu primo Edward, tinham histórias e registros de Ma Rainey, Mamie Smith, e Bessie Smith cujas vozes e cantar a impressionou tanto que ela iria imitar suas formas de flexão e notas coloração compartilhados. (Seu estilo voz e cantar seria comparado com o de Bessie Smith toda a sua vida).

Ao nascer, Mahalia sofria de geno varo, ou "pernas arqueadas". Os médicos queriam realizar a cirurgia para quebrar as pernas, mas uma das tias residentes se opuseram a ela. A mãe de Mahalia esfregava as pernas para baixo com Dishwater gorduroso. A condição nunca parou a jovem Mahalia de realizar seus passos de dança para a mulher branca para quem sua mãe e tia de Bell limpavam a casa.

Mahalia tinha 5 anos de idade quando sua mãe Chality, morreu quando ela tinha 25 anos de idade, deixando a familia a resolver quem iria cuidar de Mahalia e seu irmão. Tia Duke assumiu essa responsabilidade, suas crianças eram forçadas a trabalhar na casa de sol a sol para baixo. Tia Duke sempre inspecionava a casa usando o método "luva branca", caso a limpeza da casa não fosse feita adequadamente, Mahalia ou um de seus irmãos levavam uma surra de chicote, se um dos seus parentes não podiam fazer esse trabalho de limpar a casa, Mahalia ou um de seus primos eram esperados para fazer tal tarefa. A escola não era mas uma opção. Uma coisa que Mahalia realmente gostava de fazer era cantar a Igreja Batista. Sua tia Bell disse-lhe que um dia ela iria cantar na frente da realeza, uma previsão que acabaria por se tornar realidade. Mahalia finalmente começou a sua carreira cantando na Igreja Batista, Monte Moriá. Aos 12 anos, ela foi batizada no rio Mississippi pelo Mt. O pastor de Moriah, o Rev. E. D. Lawrence, em seguida, voltou para a igreja para "receber a mão direita de companheirismo".

Carreira[editar | editar código-fonte]

Anos 1920 a anos 1940[editar | editar código-fonte]

Em 1927, com 16 anos mudou-se para Chicago no meio da grande migração. Depois de seu primeiro servço na escola dominical, onde ela havia dado uma performance improvisada de sua canção favorita, "Hand Me Down My Silver Trumpet, Gabriel", foi convidada para participar do "Greater Salem Baptist Church Choir". Ela começou a excursionar igrejas da cidade e áreas circundantes com as Johnson Gospel Singers, um dos primeiros grupos evangélicos profissionais. Em 1929, Jackson conheceu o compositor Thomas A. Dorsey, considerado hoje como o pai da música gospel. Ele deu-lhe conselhos musicais, e em meados da década de 1930 eles começaram uma associação de 14 anos de turnê com Mahalia cantando canções de Dorsey em programas da igreja e em convenções. Sua composição com Thomas "Take My Hand, Precious Lord" tornou-se sua canção assinatura.

Em 1936, casou-se com Isaac Lanes Grey Hockenhull, um graduado da Universidade Fisk e do Instituto Tuskegee, que era 10 anos mais velho que ela. Ela se recusou a cantar música secular (Blues), uma promessa que ela iria manter ao longo de sua vida profissional. Isaac frequentimente oferecia dinheiro a Mahalia para cantar e em 1941 isso resultou no divorcio dos dois, também pelo seu vicio em jogos de azar e apostas em cavalos de corrida.

Em 1931, Mahalia gravou "You Better Run, Run, Run". Não se sabe muito sobre esta gravação, pois, muitas destas cópias são desconhecidas. O Biógrafo Laurraine Goreau cita que foi também em torno deste tempo, que acrescentou o "i" ao seu nome, transformando-o de Mahala para Mahalia pronunciado / məheɪliə /. Na idade de 25, seu segundo conjunto de registros foi gravado em 21 de Maio de 1937, sob o selo Decca Coral acompanhado de Estelle Allen (piano), em ordem: "God's Gonna Separate The Wheat From The Tares", "My Lord", "Keep Me Everyday" e "God Shall Wipe All Tears Away" que financeiramente não foram bem sucedidos e a Decca se recusou a produzir mais cópias.

Mahalia em 1956.

Em 1947, Mahalia assinou com a gravadora Apollo, e em 1948, gravou a música de W. Herbert Brewster "Move On Up a Little Higher", uma gravação que fez tanto sucessos que as lojas populares não poderiam estocar cópias suficientes para atender a demanda, vendendo um surpreendente oito milhões de cópias (a canção mais tarde foi homenageada com o Grammy Hall of Fame Award em 1998), o sucesso deste disco disparou para a fama nos EUA, e logo depois, na Europa. Durante este tempo ela fez uma turnê como artista de concerto, que aparece mais frequentemente em salas de concerto e menos frequentemente em igrejas. Como consequência desta alteração em seus locais, seus arranjos expandiram de piano e órgão para acompanhamentos orquestrais.

Outras gravações recebeu elogios de largura, incluindo "Let the Power of the Holy Ghost Fall on Me" (1949), que ganhou da Academia Francesa Grand Prix du Disque; e "Silent Night", que se tornou um dos singles mais vendidos na história da Noruega. Quando Jackson cantou "Silent Night" na rádio nacional da Dinamarca, mais de 20.000 pedidos de cópias foram registrados. Outras gravações no rótulo Apollo incluído "He Knows My Heart" (1946), "Amazing Grace" (1947), "Tired" (1947), "I Can Put My Trust in Jesus" (1949), "Walk with Me" (1949), "Let the Power of the Holy Ghost Fall on Me" (1949), "Go Tell It on the Mountain" (1950), "The Lord's Prayer" (1950), "How I Got Over" (1951), "His Eye Is on the Sparrow" (1951), "I Believe" (1953), "Didn't It Rain" (1953), "Hands of God" (1953) e "Nobody Knows" (1954).

Anos 1950 a anos 1970[editar | editar código-fonte]

Em 1950, Mahalia se tornou a primeira cantora gospel para se apresentar no Carnegie Hall, quando Joe Bostic produziu o The Negro Gospel e Religious Music Festival. Ela começou a turnê pela Europa em 1952 e foi saudada pela crítica como "a maior cantora gospel do mundo". Em Paris, ela foi chamada de Anjo da Paz, e em todo o continente, ela cantou para um público de capacidade. O passeio, no entanto, teve de ser interrompido devido à exaustão. Ela começou uma série de rádio da CBS e assinou contrato com a Columbia Records em 1954. Um escritor da revista Down Beat Music declarou em 17 de novembro de 1954: "Aceitem que a maior cantora espiritual agora vivo é Mahalia Jackson". Seu álbum de estreia para a Columbia foi o The World's Greatest Gospel Singer, gravado em 1954, seguido por um álbum de Natal chamado "Sweet Little Jesus Boy" e Bless This House em 1956.

Mahalia Jackson durante sua performance no Irenehal em Utrecht para manifestação da juventude Juventude e Bíblia (Irenehal, Jaarbeurs Utrecht, 7 de maio de 1964)

Com seu sucesso mainstream, Mahalia foi criticada por alguns puristas do Gospel que se queixaram sobre palmas e o pé-stomping e sobre ela trazendo "jazz para a igreja". Ela teve muitas realizações notáveis ​​durante este período, incluindo o seu desempenho em canções no filme 1958 St. Louis blues, cantando "Trouble of the World", em Imitação da vida 1959 do, e gravando com Percy Faith.

Quando ela gravou "The Power and the Glory with Faith" a orquestra de John Williams arqueou seus arcos para honrá-la em reconhecimento solene de sua grande voz. Ela foi a principal atração no primeiro showcase música gospel no Festival de Jazz de Newport em 1957, que foi organizado por Joe Bostic e registradas pela voz da América e realizado novamente em 1958 (Newport Jazz 1958). Ela também esteve presente na noite da Old Town School of Folk Music, em Chicago abertura de Dezembro de 1957. Em 1961, ela cantou no baile de posse de John F. Kennedy. Ela gravou seu segundo álbum de Natal Silent Night (Canções para o Natal), em 1962. Por esta altura, ela também havia se tornado um rosto familiar para os telespectadores britânicos como resultado de curtas-metragens de seu desempenho que foram ocasionalmente exibidos. Em março em Washington, em 1963, Mahalia cantou na frente de 250.000 pessoas "How I Got Over" e "I Been 'Buked and I Been Scorned". Martin Luther King, Jr. fez seu famoso diiscurso "I Have a Dream". Ela também cantou "Take My Hand, Precious Lord" em seu funeral depois que ele foi assassinado em 1968. Ela cantou para multidões na feira de 1964 New York World's Fair e foi acompanhada por "wonderboy preacher" Al Sharpton. Ela excursionou pela Europa novamente em 1961 (Ao vivo gravado na Europa em 1961), 1963-1964, 1967, 1968 e 1969. em 1970, ela se apresentou para o presidente liberiano William Tubman.

O Ultimo album de Mahalia foi "What The World Needs Now" (1969). No ano seguinte, em 1970, ela e Louis Armstrong cantaram juntos "Just a Closer Walk with Thee" e "When the Saints Go Marching In". Ela terminou sua carreira em 1971 com um concerto na Alemanha, e quando ela voltou para os EUA, fez uma de suas aparições na televisão finais sobre The Flip Wilson Show. Ela dedicou grande parte de seu tempo e energia para ajudar os outros. Ela criou a The Mahalia Jackson Scholarship Foundation para os jovens que queriam cursar a faculdade. Pelos seus esforços no sentido de ajudar a compreensão internacional, ela recebeu o Prêmio Prata Dove. Em Chicago permaneceu em sua casa até o fim. Ela abriu um salão de beleza e uma loja de florista com seus ganhos, ao mesmo tempo, investiu em imóveis (US $ 100.000 por ano em seu pico).

Em 1970, ela co-estrelou no episódio 56 da Vila Sésamo, cantando "He's Got the Whole World in His Hands" seguido por Gordon Robinson (interpretado por Matt Robinson) encontrar o que está escondido.

Movimento dos Direitos Civis[editar | editar código-fonte]

Mahalia desempenhou um papel importante durante o movimento dos direitos civis. Em agosto de 1956, ela conheceu Ralph Abernathy e Martin Luther King, Jr.,[5] na Convenção Batista Nacional. Alguns meses depois, King e Abernathy entraram em contato com ela sobre uma chegada a Montgomery, Alabama, para cantar em um comício para arrecadar dinheiro para o boicote aos ônibus. Eles também esperavam que ela inspirasse como pessoas que estavam desanimadas com o boicote.[6]

Este programa listou os eventos programados no Lincoln Memorial durante o dia 28 de agosto de 1963, em março, em Washington por Trabalho e Liberdade.

Apesar das ameaças de morte, Mahalia concorda em cantar em Montgomery. Seu concerto foi em 6 de dezembro de 1956. Até então, um Suprema Corte dos EUA selecionou Browder v. Gayle, que segregava o ônibus era inconstitucional. Em Montgomery, uma decisão ainda não foi efetivada, então ou boicote ao ônibus continuado. Nesse show, ela pode "I've Heard of a City Called Heaven", "Move On Up a Little Higher" e "Silent Night". Houve uma boa participação no show e ficaram felizes com uma quantidade de dinheiro arrecadada. No entanto, quando ela voltou para a casa dos Abernathy, havia sido bombardeada. O boicote finalmente terminou em 21 de dezembro de 1956, quando as autoridades federais foram cumpridas, forçando Montgomery a cumprir uma decisão do tribunal.

Embora Mahalia fosse conhecido internacionalmente e tivesse mudado para os estados do norte, ela ainda encontrava preconceito racial. Um relato disso foi quando ela comprou uma casa em Chicago. Onde quer que ela esteja, os brancos e os agentes imobiliários a recusarem, alegando que a casa já foi vendida ou que eles mudaram de ideia sobre a venda. Quando ela finalmente encontrou uma casa, os vizinhos não ficaram felizes. Tiros foram disparados em suas janelas e ela teve que entrar em contato com a polícia de proteção. As famílias brancas começaram a mudar e as famílias negras começaram a mudar. Tudo fica no mesmo bairro, exceto na cor da pele dos moradores.[7]

King e Abernathy continuaram a protestar contra a segregação. Em 1957, eles fundaram a Conferência de Liderança Cristã do Sul (SCLC). O primeiro grande evento patrocinado pelo SCLC foi a Peregrinação de Oração pela Liberdade em Washington, DC, em 17 de maio de 1957, o terceiro aniversário da decisão de Brown versus Conselho de Educação. Desse ponto em diante, Mahalia apareceu muitas vezes com King, cantando antes de seus discursos e para captação de recursos do SCLC. Em um comunicado à imprensa do SCLC de 1962, ele escreveu que ela "havia aparecido em vários programas que ajudaram a luta no sul, mas agora ela indicou que deseja se envolver regularmente". Jesse Jackson disse que quando King a chamou, ela nunca recusou, viajando com ele para as partes mais profundas do sul segregado.

Na Marcha de Washington para Empregos e liberdade, em 1963, Mahalia cantou "I Been 'Buked and I Been Scorned", antes de King fazer seu discurso "Eu tenho um sonho". No final do discurso, ele se afastou do texto preparado para uma reverência parcialmente improvisada sobre o tema "Eu tenho um sonho", motivado pelo grito de Mahalia: "Conte a eles sobre o sonho, Martin!".

Mahalia disse que esperava que sua música pudesse "acabar com o ódio e o medo que dividem os brancos e negros deste país". Ela também contribuiu financeiramente para o movimento.

Morte[editar | editar código-fonte]

Mahalia morreu em 27 de janeiro de 1972, no Little Company of Mary Hospital, em Evergreen Park, Illinois, por insuficiência cardíaca e complicações no diabetes. Duas cidades prestaram homenagem: Chicago e Nova Orleans. Começando em Chicago, fora da Igreja Batista da Grande Salem, 50.000 pessoas passaram silenciosamente por seu caixão de mogno com tampo de vidro em homenagem final à rainha do evangelho. No dia seguinte, tantas pessoas que puderam - 6.000 ou mais - ocuparam todos os lugares e ficaram ao longo das paredes de uma sala de concertos pública da cidade, o Arie Crown Theatre de McCormick Place, para um funeral de duas horas. Seu pastor, Rev. Leon Jenkins, o prefeito Richard J. Daley e a sra. Coretta Scott King elogiaram-na durante o funeral de Chicago como "uma amiga - orgulhosa, negra e bonita". Sammy Davis Jr. e Ella Fitzgerald prestaram seus respeitos. Joseph H. Jackson, presidente da Convenção Batista Nacional, EUA, Inc., proferiu o elogio no funeral de Chicago. Aretha Franklin encerrou os ritos de Chicago com uma versão emocionante de "Precious Lord, Take My Hand".

Três dias depois, a milhares de quilômetros de distância, a cena se repetiu: novamente as longas filas, novamente o tributo silencioso, novamente os milhares enchendo o grande salão do Rivergate Convention Center, no centro de Nova Orleans dessa vez. O prefeito Moon Landrieu e o governador da Louisiana, John J. McKeithen, se juntaram à cantora gospel Bessie Griffin. Dick Gregory elogiou a "força moral" de Mahalia como a principal razão do seu sucesso. Lou Rawls cantou "Just a Closer Walk With Thee". "O cortejo fúnebre de 24 limusines passou lentamente pelo local de culto de sua infância, Mt. Moriah Baptist Church, onde suas gravações tocavam em alto-falantes, depois foi para o Providence Memorial Park em Metairie, Louisiana, onde finalmente Mahalia foi sepultada" . Apesar da inscrição de seu ano de nascimento em sua lápide em 1912, ela realmente nasceu em 1911. Entre seus parentes sobreviventes estão seus sobrinhos-netos, o ex-jogador de basquete da NBA Danny Granger e o artista de soul Scotty Granger.

A propriedade de Jackson foi registrada em mais de quatro milhões de dólares. Alguns repórteres estimaram royalties recordes, resíduos de televisão e filmes, e vários investimentos fizeram valer mais. A maior parte da propriedade foi deixada para vários parentes, muitos dos quais cuidaram dela durante seus primeiros anos. Entre os principais herdeiros estavam parentes, incluindo seu meio-irmão, John Jackson, e tia, Hannah Robinson. Nenhum de seus ex-maridos, Isaac Hockenhull (1936–1941) nem Sigmund Galloway (1964–1967), foi mencionado em seu testamento.

Legado e Honras[editar | editar código-fonte]

A música de Mahalia era tocada amplamente em estações de rádio gospel e cristãs, como a Family Radio. Seu bom amigo Martin Luther King Jr. disse: "Uma voz como esta não vem uma vez em um século, mas uma vez em um milênio".[8] Ela era amiga íntima de Doris Akers, uma das compositoras mais prolíficas do gospel do século XX. Em 1958, eles escreveram o hit "Lord, Don't Move the Mountain". Mahalia também cantou muitas composições próprias de Akers, como "God Is So Good to Me", "God Spoke to Me One Day", "Trouble", "Lead On, Lord Jesus" e "He's a Light Unto My Pathway", ajudando Akers a garantir sua posição como a principal compositora gospel da época. Além de sua carreira de cantora, ela orientou a lendária cantora de soul Aretha Franklin. Jackson também era uma boa amiga de Dorothy Norwood e da cantora gospel gospel de Chicago Albertina Walker, e ela descobriu uma jovem Della Reese. No 20º aniversário de sua morte, a Smithsonian Folkways Recording a comemorou com o álbum I Sing Because I'm Happy, que inclui entrevistas sobre sua infância conduzida por Jules Scherwin.

O Teatro Mahalia Jackson em frente a estatua de Louis Armstrong.

A ganhadora do American Idol e cantora de R&B ganhadora do Grammy, Fantasia Barrino foi escalada para interpretar Mahalia em um filme biográfico sobre sua vida. Será baseado no livro de 1993, Got to Tell It: Mahalia Jackson, The Queen Of Gospel. Dizem que é dirigido por Euzhan Palcy, de acordo com o The Hollywood Reporter.

A Academia Nacional de Artes e Ciências de Gravação criou a categoria Música Gospel ou Outras Gravações Religiosas para Jackson, fazendo dela a primeira artista de música gospel a ganhar o prestigioso Grammy.

Em dezembro de 2008, ela foi introduzida no Louisiana Music Hall of Fame.

Um homônimo de destaque em sua cidade natal, Nova Orleans, é o Mahalia Jackson Theater of the Performing Arts, que foi remodelado e reaberto em 17 de janeiro de 2009, com uma cerimônia de gala com Plácido Domingo, Patricia Clarkson e a Ópera de Nova Orleans, dirigida por Robert Lyall.

Mahalia Jackson foi nomeada Laureada da Academia Lincoln de Illinois e premiada com a Ordem de Lincoln (maior honra do Estado) pelo Governador de Illinois em 1967 na área de Artes Cênicas.

Discografia da Columbia Records[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • You'll Never Walk Alone (1952)
  • The World's Greatest Gospel Singer (1955)
  • Sweet Little Jesus Boy (1955)
  • Bless This House (1956)
  • Gospels, Spirituals, & Hymns (1956)
  • Newport 1958 (1958)
  • Great Gettin' Up Morning (1959)
  • Come On Children, Let's Sing (1960)
  • The Power and the Glory (1960)
  • I Believe (1960)
  • Everytime I Feel the Spirit (1961)
  • Recorded Live in Europe During Her Latest Concert Tour (1962)
  • Great Songs of Love and Faith (1962)
  • Silent Night – Songs for Christmas (1962)
  • Make a Joyful Noise Unto the Lord (1963)
  • Let's Pray Together (1963)
  • Mahalia (1966)
  • Garden of Prayer (1967)
  • My Faith (1967)
  • Mahalia Jackson in Concert – Easter Sunday, 1967 (1967)
  • A Mighty Fortress (1968)
  • Sings the Best-Loved Hymns of Dr. Martin Luther King, Jr. (1968)
  • Christmas with Mahalia (1968)
  • Mahalia Sings the Gospel Right Out of the Church (1969)
  • What the World Needs Now (1969)

Álbuns de Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Mahalia Jackson's Greatest Hits (1963) Columbia
  • Mahalia Jackson Sings America's Favorite Hymns (1971) Columbia
  • The Great Mahalia Jackson (1972) Columbia
  • Nobody Knows the Trouble I've Seen (1975) Vogue
  • The Best of Mahalia Jackson Hymns, Spirituals & Songs of Inspiration (1976) Columbia
  • Mahalia Jackson's Greatest Hits (1988) Columbia
  • Silent Night – Gospel Christmas with Mahalia Jackson (1990) LaserLight Digital
  • Gospels, Spirituals & Hymns (1991, re-issued 1998) Columbia
  • Mahalia Jackson: The Apollo Sessions 1946–1951 (re-issued 1994) Pair
  • The Best of Mahalia Jackson (1995) Columbia
  • 16 Most Requested Songs (1996) Columbia
  • The Essential Mahalia Jackson (2004) Columbia
  • The Forgotten Recordings (2005) Acrobat

Referências

  1. [1]
  2. http://archive.is/xMuBb
  3. Mahalia Jackson (em inglês) no Find a Grave
  4. «Mahalia Jackson no Gospel Music Hall of Fame». Consultado em 3 de junho de 2008. Arquivado do original em 19 de outubro de 2007 
  5. Martin Luther King, Jr. and the Global Freedom Struggle. Stanford University. Retrieved December 4, 2019
  6. Kramer, Barbara (2003). Mahalia Jackson: The Voice of Gospel and Civil Rights. Berkeley Heights, New Jersey: Enslow Publishers.
  7. Kramer, Barbara (2003). Mahalia Jackson: The Voice of Gospel and Civil Rights. Berkeley Heights, New Jersey: Enslow Publishers.
  8. Darden, Robert. People Get Ready! A New History of Black Gospel Music, New York: Continuum (2004), p. 220

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.