Laurie Anderson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Laurie Anderson
Informação geral
Nome completo Laura Phillips Anderson
Nascimento 5 de junho de 1947 (73 anos)
Local de nascimento Glen Ellyn, Illinois
 Estados Unidos
Gênero(s) Música experimental, Art rock
Instrumento(s) Violino
Synclavier
Percussão
Vocais
Período em atividade 1975 - atualmente
Outras ocupações Músico, Performer
Gravadora(s) Warner Bros. Records
Nonesuch/Elektra Records
Afiliação(ões) Lou Reed
Janice Pendarvis
David Van Tieghem
Prêmios Prêmio Wolf de Artes (2017)
Página oficial www.laurieanderson.com

Laurie Anderson (Glen Ellyn, 5 de junho de 1947) é uma artista experimental[1][2], compositora, musicista e diretora norte-americana, cujo trabalho abrange performance, música pop e projetos multimídia[2] . Com formação inicial em violino e escultura[3] , Anderson realizou uma série de projetos de performance em Nova Iorque durante os anos 1970, focando especialmente em linguagem, tecnologia e imagens [1]. Fora do mundo das artes, ela ficou mais conhecida quando seu single "O Superman" chegou ao segundo lugar nas paradas de singles do Reino Unido em 1981. Ela também estrelou e dirigiu o filme de concerto Home of the Brave[4].

Anderson é uma pioneira da música eletrônica e inventou vários aparelhos que usou em suas gravações e performances [5]. Em 1977, ela criou um violino cujo arco usa fita magnética, ao invés de crina de cavalo, e que tem uma cabeça magnética na ponte [6]. No final da década de 1990 ela colaborou com a Interval Research para desenvolver um instrumento a que ela chamou “bastão falante” (“talking stick“), um controlador MIDI de 1,8m de comprimento que acessa e replica sons [7].

Anderson conheceu o cantor e compositor Lou Reed em 1992, e foi casada com ele de 2008 até a morte dele em 2013[8][9].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Laurie Anderson é diplomada em história da arte e escultura. Desde os anos 1970 vem realizando performances em New York especificamente no espaço intermidia chamado The Kitchen[10].

Em 1981, grava o EP "O Superman" em edição limitada sob o selo One Ten Records[11]. O disco é apreciado e relançado pelo influente "branché" da mídia inglesa John Peel, e se torna um sucesso, chegando a segunda posição nas paradas inglesas. O sucesso a faz sair do estatuto de artista "avant-garde" e lhe oferece uma notoriedade entre artistas mais populares. A artista fecha contrato então com a Warner. Um fragmento de O Superman será incluído em seu álbum Big Science assim como na sua considerada obra prima: United States part one to four[12] performance-contínua de oito horas que se torna, em 1983, parte de um disco: United States Live.

Em seguida, a sua carreira é composta de numerosas performances, exposições, discos e colaborações diversas: William Burroughs, John Giorno, Arto Lindsay, Ian Ritchie, Peter Gabriel, Perry Hoberman, David Sylvian (ex-Japan), Jean Michel Jarre, Brian Eno, Nona Hendryx, Bobby McFerrin, Dave Stewart, Hector Zazou, Andy Kaufman, Philip Glass, Marisa Monte, Ryūichi Sakamoto, Lou Reed.

Seus temas prediletos dizem respeito à tecnologia e seus efeitos sobre as relações humanas.

Em 2001, efetua uma tournée pelos Estados Unidos. A data programada para Nova Iorque é 19 de setembro de 2001, pouco depois dos ataques de 11 de setembro. O concerto é mantido e suas palavras apocalípticas em O Superman ("Eis os aviões... Estes são os aviões americanos..."), tomam então um sentido todo particular. Em 2003, ela se torna a primeira artista em residência da NASA, o que resultará na performance The end of the moon.

No Brasil, já colaborou com a revista de arte contemporânea Confraria do Vento, editada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro[13].

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

  • CD-ROM "Puppet Motel" (1994)
  • "Rien dans les poches (Nothing In My Pockets)" (2006), un journal intime sonore en 2 parties d'une heure, coproduit et diffusé par France Culture.

Referências

  1. a b Ankeny, Jason. «Laurie Anderson Biography». AllMusic. Consultado em 12 de junho de 2016 
  2. a b Fletcher, Kenneth R. «Anderson: The celebrated performance artist discusses Andy Warhol, NASA and her work at McDonald's». Smithsonian. Consultado em 12 de junho de 2016 
  3. Amirkhanian, Charles. "Women in Electronic Music – 1977". Texto do encarte do álbum. New World Records.
  4. «AE160D Unit 11: Laurie Anderson». Cópia arquivada em 1 de dezembro de 2007 
  5. Sachs, Ben. «Electronic musician Laurie Anderson takes to the big screen». Chicago Reader. Consultado em 12 de junho de 2016 
  6. Shewey, Don. «The Performing Artistry of Laurie Anderson». Donshewey.com. Consultado em 2 de outubro de 2011 
  7. «University Musical Society: 1999 Fall Season (concert program, September 30 – October 8, 1999)». University Musical Society, Universidade de Michigan. Setembro 1999 
  8. «Lou Reed and Laurie Anderson Wed – Weddings, Laurie Anderson, Lou Reed». People. 25 de abril de 2008. Consultado em 2 de outubro de 2011 
  9. «Laurie Anderson Says Final Farewell to Lou Reed». Yahoo Music. 6 de outubro de 2013. Consultado em 7 de outubro de 2013 
  10. The Kitchen: "History and Mission"
  11. Laurie Anderson - O Superman / Walk The Dog
  12. Fluctuat: "Laurie Anderson"
  13. Confraria do Vento

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Laurie Anderson