Art rock

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Art rock
Origens estilísticas Rock experimental, música de vanguarda, rock psicodélico, pop barroco
Contexto cultural Início da década de 1960 no Reino Unido e nos Estados Unidos
Instrumentos típicos Guitarra
Baixo
Bateria
Teclado
Popularidade Algumas bandas tiveram sucesso na década de 1970.
Formas derivadas Rock progressivo

New Wave

Gêneros de fusão
Art punk
Formas regionais
Reino Unido - Irlanda - Estados Unidos - Canadá - Suécia - Brasil - Japão - República Tcheca
Outros tópicos
Sunshine pop
Rock progressivo
Rock psicodélico

Art rock é um subgênero do rock que possui influências da música experimental e da arte de vanguarda.[1][2] O art rock muitas vezes usa mais teclado do que guitarra, e frequentemente conta uma história com temas filosóficos na sua letra.

O termo "art rock" é muito vago e incerto como gênero musical e pode caracterizar diversos tipos de sons diferentes, como: progressivo, punk, alternativo, experimental, contracultura, popular, apesar de predominar uma tendência mais ligada aos experimentos, conceitos e às vanguardas.

Por volta de 1965 grupos como Beach Boys, Beatles e The Byrds lançam trabalhos fortes em sofisticação e experimentalismo. Em 1966 o art rock foi muito presente nos discos, não somente destes grupos, mas de vários no mesmo período.

História[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1966 são lançados alguns dos discos considerados clássicos, como Pet Sounds dos Beach Boys[2] e em seguida Freak Out! de Frank Zappa & The Mothers of Invention. Os Beatles com Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band e o Pink Floyd com o The Piper at the Gates of Dawn, ambas de 1967, também são grandes destaques do art rock. Entre outras bandas citam-se como exemplo Jethro Tull, Tool , R.E.M., The Moody Blues, The Nice, Emerson, Lake & Palmer, Genesis, Kansas, Frank Zappa, Pere Ubu, Electric Light Orchestra, Kraftwerk, Bauhaus, Japan, Talking Heads, Sonic Youth, Radiohead, Nine Inch Nails, A.C.T, The Residents, Roxy Music, Tears for Fears e Porcupine Tree.

No Brasil, podemos citar Apocalypse, Sagrado Coração da Terra, O Terço, Bacamarte, A Gota Suspensa, Zeca Viana, Alfaiate Franz e Seychelles.

Com a explosão do movimento psicodélico em 1967 vários grupos lançavam álbuns experimentais e vanguardistas como Jefferson Airplane, Pink Floyd, Moody Blues, The Who, The Doors, entre outros.

Pós anos 1960[editar | editar código-fonte]

Não só no rock progressivo que o art rock se manteve em alta, mas em grupos pop, new wave e punk do fim dos anos 70 e toda a década de 80.

Talking Heads (1974), tendo influencias pesadas do avant garde Pere Ubu, anos mais tarde leva a influência do estilo já a partir de seu primeiro álbum em 1977. O álbum é conhecido também como importante dentro do art punk, onde a banda explorou muito nos álbuns seguintes.

Vários outros artistas também passaram por este estilo como Laurie Anderson, Kate Bush, Bryan Ferry, David Bowie, Japan, David Byrne (Talking Heads), David Thomas (Pere Ubu), Tom Verlaine (Television), Peter Gabriel (Genesis) e Brian Eno.

Referências

  1. «Prog-Rock». Allmusic (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2009. 
  2. a b FM, Kiss (2014). Classic Rock (Google Books: Universo dos Livros Editora). ISBN 9788579307201. Consultado em 14/11/2016. 
A Wikipédia possui o
Portal do Rock.



Ícone de esboço Este artigo sobre Rock é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.