Peter Eisenman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peter Eisenman
Nascimento 11 de agosto de 1932
Newark
Cidadania Estados Unidos
Cônjuge Cynthia C. Davidson, Elizabeth Henderson
Irmão(s) Robert Eisenman
Alma mater
  • Universidade Columbia
  • Trinity College
  • Faculdade de Arquitetura, Arte e Planejamento da Universidade de Cornell
  • Escola de Graduação de Arquitetura, Planejamento e Preservação Columbia
  • Columbia High School
Ocupação arquiteto, professor universitário
Prêmios
  • Bolsa Guggenheim (1976)
  • Doutor honoris causa da Universidade Técnica de Berlim (2018)
  • honorary doctor of the Sapienza University of Rome (2003)
  • doutor honoris causa (Universidade de Illinois em Chicago)
  • honorary doctor of the Syracuse University (2006)
  • doutor honoris causa (Instituto Pratt)
  • Wolf Prize in Architecture (2010)
  • Berliner Bär (2000)
Empregador Universidade Harvard
Obras destacadas State Farm Stadium
Movimento estético arquitetura pós-moderna

Peter Eisenman (Newark, 11 de agosto de 1932) é um arquiteto e teórico da arquitetura norte-americano, um dos principais representantes do desconstrutivismo. O filósofo Jacques Derrida influenciou imensamente a arquitetura de Eisenman.

Museu do Holocausto, obra de Peter Eisenman.

Conhecido mundialmente por utilizar tecnologias de última geração, segundo Castelnou, Eisenman criou o chamado "objeto axonométrico", que representa a obra arquitetônica com um nó sintático que revela as formas, mas confunde a mente devido à distorção do ponto de fuga. Sua arquitetura se caracteriza pelo uso de formas geométricas e orgânicas que se cruzam entre planos e estruturas, onde vigamentos, perfis e superfícies são rebatidos e cortados.

Imagem do satélite USGS do Greater Columbus Convention Center.

A partir de 1967, começa a fazer diversas pesquisas nos projetos das casas I a XI, experimentando assim diferentes metodologias compositivas, das quais a principal, é a trama ou espécie de grade cartesiana, que até hoje utiliza para compor volumetria e dividir seus espaços.

Para Eisenman, espaço, função e mobiliário devem ser estruturados a partir de um sistema mental coordenado. Desta forma, tornou-se um dos precursores da arquitetura desconstrutivista, na década de 1980. Foi diretor do IAUS, em Nova York, em um período onde trabalhou junto com Rem Koolhaas.[1]

Principais projetos e obras[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.