Judaísmo ortodoxo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rabbi Mosheh Lichtenstein, líder da escola rabínica Har Etzion

O judaísmo ortodoxo é um dos três grandes ramos do judaísmo, uma vertente que se caracteriza pela observação relativamente rigorosa dos costumes e rituais em sua forma mais primitiva e tradicional, segundo as regras estabelecidas pela Torá e pelo Talmud, e imediatamente desenvolvido e aplicado pelas autoridades posteriores conhecidas como Gueonim, Rishonim e Arraronim. Geralmente o Judaísmo Ortodoxo consiste em duas vertentes diferentes, a Ortodoxa Moderna e a Ultra Ortodoxa. Os ortodoxos representam cerca de 15% da comunidade internacional. Os ortodoxos defendem os hábitos tradicionais. Defendem posições religiosas e políticas radicais como não reconhecer sinagogas e rabinos não ortodoxos.

Crenças[editar | editar código-fonte]

O Judaísmo Ortodoxo é caracterizado pelas crenças de que:

  • Torá e suas leis são Divinas e foram transmitidas por Deus a Moisés, são eternas e inalteráveis.
  • Há uma lei oral no judaísmo, que contém a interpretação oficial das seções legais da Torá escrita e também é Divina em virtude de ter sido transmitida por Deus a Moisés juntamente com a lei oral, como incluído no Talmude, Midrash e inúmeros textos relacionados, todos intrínseca e inerentemente ligados com a lei escrita da Torá.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Judaísmo ortodoxo
Ícone de esboço Este artigo sobre judaísmo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.