Judaísmo ortodoxo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Rabbi Mosheh Lichtenstein, líder da escola rabínica Har Etzion

O judaísmo ortodoxo é um dos três grandes ramos do judaísmo, uma vertente que se caracteriza pela observação relativamente rigorosa dos costumes e rituais em sua forma mais primitiva e tradicional, segundo as regras estabelecidas pela Torá e pelo Talmud, e imediatamente desenvolvido e aplicado pelas autoridades posteriores conhecidas como Gueonim, Rishonim e Arraronim. Geralmente o Judaísmo Ortodoxo consiste em duas vertentes diferentes, a Ortodoxa Moderna e a Ultra Ortodoxa. Os ortodoxos representam cerca de 15% da comunidade internacional. Os ortodoxos defendem os hábitos tradicionais. Defendem posições religiosas e políticas radicais como não reconhecer sinagogas e rabinos não ortodoxos.

Crenças[editar | editar código-fonte]

O judaísmo ortodoxo é caracterizado pelas crenças de que:

  • Torá e suas leis são divinas e foram transmitidas por Deus a Moisés, são eternas e inalteráveis.
  • Há uma lei oral no judaísmo, que contém a interpretação oficial das seções legais da Torá escrita e também é divina em virtude de ter sido transmitida por Deus a Moisés juntamente com a lei escrita, como incluído no Talmud, Midrash e numerosos textos relacionados, todos intrínseca e inerentemente ligados com a lei escrita da Torá.
  • Zohar fontes da Cabalá que são fontes importantíssimas para o povo Judeu.
  • Segulot que são os encantos protetores, que são para fins como inveja, risco de vida, prosperidade e casamento.
  • Ética dos Pais ensina como os Judeus devem lidar com os seus filhos.
  • Não se aceita Jesus como salvador.
  • Auto responsabilidade pelos atos cometidos e não culpas atribuídas ao "Diabo".
  • Sem crenças ao Inferno.
  • Crenças no mundo vindouro.
  • Hashem é único como o Shemá Israel fala.
  • O messias, de acordo com este ramo do judaísmo, ainda virá. Não creem em Yeshua, ou Jesus (como é denominado em língua portuguesa) como o ungido e filho de Deus.
  • O Mashiach deverá ser da casa de David e virá após a vinda de Elias.
  • O beit hamidrash será construído na vinda de Mashiach.
  • Não se aceita Novo Testamento, Alcorão e nenhuma outra escrituras sagrada a não ser a Torá, Talmud, Zohar e toda a Literatura Judaica, que é imensa.
  • A Torá foi dada para o povo Judeu e ao extrangeiro que quer realmente se converter de coração.
  • Ser fiel a Halachá (Leis de Rabanam que se encontra na literatura judaica e principalmente no Shulcham Aruch).

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Judaísmo ortodoxo
Ícone de esboço Este artigo sobre judaísmo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.