Religiões abraâmicas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Símbolos das três principais religiões abraâmicas: judaísmo (Estrela de Davi), cristianismo (Cruz cristã) e islamismo (nome de Deus em árabe).

Religiões abraâmicas são as religiões monoteístas cuja origem comum é reconhecida em Abraão[1] ou o reconhecimento de uma tradição espiritual identificada com ele.[2][3][4] Essa é uma das três divisões principais em religião comparada, junto com as religiões indianas (Darma) e as religiões da Ásia Oriental.

As três principais religiões abraâmicas são, em ordem cronológica de fundação, o judaísmo, o cristianismo e o islamismo. O judaísmo considera-se como a religião dos descendentes de Jacó,[nota 1] um neto de Abraão. Ele tem uma visão estritamente unitária de Deus e o seu livro sagrado central para quase todos os ramos é a Bíblia Hebraica, como elucidado na lei oral. O cristianismo começou como uma seita do judaísmo[nota 2] no século I d.C. e evoluiu para uma religião separada, a Igreja Cristã, com crenças e práticas distintas. Jesus é a figura central do cristianismo, considerado por quase todas as denominações como de origem divina, tipicamente como a personificação de um Deus Trino.[nota 3] A Bíblia Cristã é geralmente considerada a autoridade máxima, juntamente com a Sagrada Tradição em algumas denominações apostólicas, tais como o protestantismo, o catolicismo romano e a ortodoxia oriental. O islã surgiu na Arábia[nota 4] no século VII d.C., com uma visão estritamente unitária de Deus.[nota 5] Os muçulmanos (seguidores do islã) tipicamente apontam o Alcorão como a autoridade máxima de sua religião, como revelado e esclarecido através dos ensinamentos e práticas[nota 6] de um central, mas não divino, profeta, Maomé. Fora destas três religiões bem conhecidas, há uma série de entes relativamente menores, como a Fé Bahá'í e os drusos, ambos originalmente ramificações do islamismo xiita.[5]

Porcentagem de membros de religiões abraâmicas por país.

As três principais religiões abraâmicas têm certas semelhanças. Todas são monoteístas e concebem Deus como uma figura de um criador transcendente e a fonte da lei moral,[6] e as características de suas narrativas sagradas partilham muitos dos mesmos valores, histórias e lugares, embora muitas vezes apresente-os com diferentes funções, perspectivas e significados. Elas também têm muitas diferenças internas com base em detalhes de doutrina e prática. O cristianismo é dividido em três ramos principais (católico, ortodoxo e protestante), além de dezenas de denominações significativas e pequenas. O islã tem dois ramos principais (sunitas e xiitas), cada uma tendo várias denominações. O judaísmo também tem um pequeno número de denominações, das quais as mais significativas são os ortodoxos, conservadores e reformistas. Às vezes e em vários locais as diferentes religiões, e alguns dos ramos dentro da mesma religião básica, têm estado em um conflito amargo com o outro na medida de guerra e derramamento de sangue.

No início do século XXI havia 3,8 bilhões de seguidores das três principais religiões abraâmicas e estima-se que 54% da população mundial se considere adepta de uma dessas religiões, cerca de 30% de outras religiões e 16% é não-religiosa.[7][8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Religião

Notas

  1. Jacó também é chamado de Israel, um nome que a Bíblia afirma que foi dado por Deus.
  2. cf. Judaizantes, Judaísmo Messiânico.
  3. O Deus Trino é também chamado de "Santíssima Trindade"
  4. O islã surgiu especificamente nas cidade de Meca e Medina, na região de Hejaz na Arábia
  5. A visão monoteísta de Deus no islã é chamado de tawhid que é essencialmente o mesmo conceito de Deus no judaísmo
  6. Os ensinamentos e práticas de Maomé são conhecidas coletivamente como o suna, semelhante ao conceitos judaicos da lei oral e exegese ao talmud e ao midrash

Referências