Belíssima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura filme italiano de 1951, veja Belíssima (filme).
Belíssima
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 60 minutos
Criador(es) Silvio de Abreu
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Denise Saraceni
Câmera Multicâmera
Roteirista(s) Sérgio Marques
Vinícius Vianna
Elenco
Tema de abertura "Você é Linda", Caetano Veloso
Tema de encerramento "Você é Linda", Caetano Veloso
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 7 de novembro de 20057 de julho de 2006
N.º de episódios 209

Belíssima é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 7 de novembro de 2005 e 7 de julho de 2006, em 209 capítulos,[1] substituindo América e sendo substituída por Páginas da Vida. Foi a 67ª "novela das oito" exibida pela emissora. Escrita por Sílvio de Abreu, com colaboração de Sérgio Marques e Vinícius Vianna, contou com a direção de Flávia Lacerda, Gustavo Fernandez e Natália Grimberg, com direção geral de Carlos Araújo, Luiz Henrique Rios e Denise Saraceni e direção de núcleo de Denise Saraceni.

Contou com Glória Pires, Tony Ramos, Fernanda Montenegro, Cláudia Abreu, Marcello Antony, Lima Duarte, Irene Ravache, e Cláudia Raia nos papéis principais.

Produção[editar | editar código-fonte]

As primeiras cenas da novela foram gravadas em Atenas, na Grécia.

Segundo Silvio de Abreu, o objetivo da novela era discutir a ditadura da moda e a imposição do padrões de beleza e magreza, tendo como pano de fundo a indústria da moda paulistana, colocando a personagem Júlia como uma espécie de "patinho feio" em uma família de modelos.[2] A telenovela teve como cenário a cidade de São Paulo. As gravações começaram em 7 de agosto de 2005, no centro da cidade[3] As gravações da trama em Atenas, na Grécia começaram em setembro de 2005, envolvendo 31 profissionais brasileiros, entre diretores e elenco, além da contratação de outros 40 gregos para a equipe técnica.[4] Segundo o autor Silvio de Abreu, a escolha da Grécia para ser a principal locação internacional é o fato de ter sido no país que nasceu o mito da beleza.[5]

As roupas utilizadas foram elaboradas com a ajuda de duas figurinistas gregas.[5] Além destas cenas gravadas na Grécia, foi construída uma cidade cenográfica na Ilha de Guaratiba, no Rio de Janeiro. Como a trama se passava em São Paulo, a cidade cenográfica teve que ser alterada, através da inserção, por computação gráfica, de arranha-céus. Também alguns edifícios, com dois ou três andares, foram aumentados. Era aí que se localizavam a oficina de Pascoal, a quitanda de Takae, o açougue de Tosca e o casarão de Murat e Katina. Foram construídos cerca de 120 cenários em estúdio. Gisele Bündchen foi convidada para estrelar a abertura, porém recusou por não ter tempo para retornar ao Brasil devido a alta carga de trabalho na Victoria's Secret na época.[6] A modelo Michelle Alves, conhecida como sósia de Gisele, acabou sendo selecionada em seu lugar.[7][8]

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Cláudia Abreu chegou a recusar o papel de Vitória, uma vez que desejava engravidar – a atriz já havia recusado o convite para protagonizar América pelo mesmo motivo – porém foi convencida por Silvio de Abreu a adiar os planos mais alguns meses.[9] A cantora Kelly Key foi convidada para interpretar a fogosa Giovanna, porém recusou para focar em sua carreira musical, sendo que Paolla Oliveira foi escolhida na sequência após uma série de testes.[10][11] Gisele Bündchen foi convidada para interpretar Érica, porém a modelo recusou por não ter interesse em ingressar na televisão, uma vez que isso acarretaria em meses longe das passarelas.[12][13] Carolina Oliveira foi convidada pessoalmente pelo autor para o papel de Sabina, que alegou que ela não era uma criança que interpretava de forma "adultizada", porém a direção da emissora vetou a escolha, uma vez que os atores que interpretariam os pais da personagem – Cláudia Abreu e Henri Castelli – eram loiros e caucasianos, enquanto a atriz tinha traços indígenas, deslocando-a para Páginas da Vida.[14] O autor chegou a cogitar Carla Diaz e Cecília Dassi, porém as duas atrizes já tinham 16 anos, o que custaria ter que mudar toda a linha do tempo da trama.[15] Após um teste com dez atrizes mirins, Marina Ruy Barbosa foi escolhida.[16]

Cacá Carvalho repetiu o personagem Jamanta que já havia interpretado em Torre de Babel, do mesmo autor.[17] Alguns atores foram incorporados à trama na reta final. Nicola Siri entrou em 8 de março de 2006 para interpretar o agende de modelos Cyro, pai de Érica e que se envolve com Giovanna.[18] Marcos Palmeira entrou em 31 de maio de 2006 para interpretar Gilberto, um delegado que investiga a suspeita morte de Valdete e as armações de Bia, se apaixonando pela personagem de Cláudia Abreu.[19] Com ele também veio Marcella Valente, que deu vida à Cris, a filha de Gilberto e que atrapalhava romance com Vitória.[20]

Problemas de saúde[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2006 Fernanda Montenegro passou por alguns problemas de saúde e teve que se afastar da novela, sendo explicado na história que sua personagem forja uma falsa morte quando seu carro cai num barranco e explode.[21] As gravações das cenas do acidente de Bia começaram no dia 9 de janeiro e demoraram cinco dias para se encerrar devido a complexidade de registrar todos os detalhes.[22][23] Na mesma época a trama sofreu outra baixa, uma vez que Glória Pires contraiu hepatite e precisou ficar afastada durante três semanas, fato este que foi explicado como se a personagem tivesse sido internada em uma clínica após ficar imensamente abalada pela suposta morte trágica da avó, fazendo com que o autor trouxesse os núcleos paralelos para o centro das atenções e transformasse o casal de Cláudia Raia e Reynaldo Gianecchini como o principal temporariamente.[24] Glória retornou à trama em 7 de fevereiro.[25] Já Fernanda retornou apenas em 25 de abril.[26][27]

Foi a última novela de Gianfrancesco Guarnieri, que começou a ficar doente logo após o início da trama e seu personagem teve que ser diminuído até que, em 2 de junho, o ator foi internado, não retornando às gravações até o fim da novela. O ator esteve desde o início das gravações bastante debilitado, aparecia sempre sentado e tinha pouco texto, para não exigir demais dele. As cenas de seu personagem, Pepe, um diretor de teatro, eram gravadas no Teatro Oficina, de José Celso Martinez Corrêa, na região central de São Paulo. Como forma de marcar sua presença no desfecho da história e homenageá-lo, Silvio de Abreu fez o personagem Murat, amigo de Pepe, falar com ele ao telefone no último capítulo.[28][29] Gianfrancesco viria a falecer em 22 de julho, três semanas após o fim de Belíssima.[30]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Simpática, bem-sucedida e discreta, Júlia Assumpção é presidente da Belíssima, referência mundial no setor de roupas íntimas. Sua avó, Bia Falcão, a pressiona para se tornar parecida com a mãe, Stella Assumpção – que foi uma modelo bastante famosa, mito de beleza na década de 1960. Fundadora da marca Belíssima, Stella morreu em um acidente de avião junto com seu marido, deixando órfãos Júlia e Pedro. Desde então, Bia Falcão se tornou responsável pelos dois, tendo-os criado. Até hoje tenta controlar a vida deles. Em casa, Júlia só encontra apoio no tio, Argemiro Falcão, vulgo Gigi, e na governanta, Matilde. Bia faz de tudo para Júlia se sentir culpada pela morte dos pais.

A vilã fará de tudo para acabar com os romances de Pedro com Vitória, uma ex- menina de rua que ele escolheu para ser sua esposa, com quem tem uma filha, e Vitória será perseguida pela vilã durante toda a trama, porém, sem perder a fibra e a coragem; e de Júlia com André Santana. Este, apesar de não parecer inicialmente, é um grande e terrível vilão, diabólico e ambicioso, que almeja ser dono da Belíssima em conjunto com seu pai, Aquilino Santana, o seu Quiqui, que aparenta ser um bom velhinho, mas é, na verdade, um bandido da pior espécie, ex-matador de aluguel. André vai se envolver com Júlia e com a filha de Júlia, Érica, uma mulher fútil e perversa como a bisavó Bia Falcão. Érica é aspirante a modelo.

Já na Grécia, Nikos Petrakis é um homem alegre e brincalhão, que fez amizade com a família de Vitória e Pedro, desde que eles chegaram ao país. Mas Nikos tem muita vontade de conhecer seu filho, Cemil, levado para o Brasil, ainda antes de nascer, pela mãe, Katina. Esta fugiu para o país com o turco Murat Güney, que pensa que Cemil é seu filho. Katina esconde de Murat esse segredo com a ajuda da melhor amiga, a fofoqueira Tosca, enquanto Murat esconde da esposa, com a cumplicidade do amigo Peppe, que teve um caso com Bia Falcão no passado, mas preferiu ficar com a mulher. Katina e Murat têm mais dois filhos: a fogosa Safira e o despreocupado Narciso.

Safira está no quinto casamento e tem três filhos, cada um de pai diferente. Foi casada com o italiano Alberto Sabatini, com quem teve Giovanna; depois com um português que fugiu deixando Safira e a filha, Maria João; depois com o judeu Freddy, com quem teve Isaac e, de quebra, agüentou a sogra megera, Ester; depois com Alberto de novo e, finalmente, com o japonês Takae. Safira tenta esconder de si mesma a atração sexual intensa que sente pelo mecânico Pascoal, bem mais jovem que ela, mas não consegue e tem um tórrido e quente romance com Pascoal, sendo que os dois sempre se encontram na oficina dele e eles passa noites quentes e selvagens de sexo. O único que sabe desse romance é um homem que ajuda Pascoal na sua oficina: o deficiente mental Jamanta.

Já Ornela é uma perua alegre, de bem com a vida e despreocupada, irmã de Alberto e melhor amiga de Bia Falcão. Ela não gosta de se envolver em relacionamentos afetivos e, por isso, prefere casos com homens mais jovens, como Mateus, filho mais velho de Cemil.

E ainda temos a divertida Mary Montilla, uma ex-vedete, ex-cantora e ex-apresentadora de programa infantil, que enriqueceu ao casar com um industrial. Ela o disputava a tapas com Guida Guevara, sua parceira na dupla Os Furacões de Cuba, na extinta TV Tupi, mas levou a melhor. Hoje, Mary não sente falta dos holofotes e prefere curtir sua pequena fortuna, enquanto Guida vive como sacoleira e quer voltar à mídia. Tanto Mary quanto Guida sabem de um segredo que pode devastar a vida de Bia Falcão: ela teve uma filha com o turco Murat, que foi sua paixão no passado, abandonando a criança, por ter sido uma filha gerada fora de seu milionário casamento com um estrangeiro pobre. E esse mistério que Mary e Guida conhecem será um dos pontos altos da trama: quem é a filha de Bia Falcão?

Já Alberto tenta fazer de tudo para conquistar Mônica, sua empregada doméstica, e arma muitos planos para separá-la do homem de sua vida, Cemil. No dia do casamento dos dois, Alberto envia fotos forjadas de Cemil com outra mulher para Mônica, e a jovem desiste do matrimônio. Ela se casa com o patrão, mas ele lhe trai com muitas mulheres, entre elas, Rebeca, dona de uma agência de modelos que tenta transformar Pascoal numa celebridade, e até acaba levando o mecânico para a cama.

A história torna-se ainda mais empolgante quando Pedro é assassinado na Grécia e Vitória, sua filha Sabina - grande paixão de Bia - seu irmão caçula Tadeu e o grego Nikos decidem vir ao Brasil. Bia passa a infernizar a vida de Vitória, persegui-la e envenenar Sabina contra a mãe. Bia arma para Vitória ser presa, acusada da morte de Pedro, e manda esfaqueá-la na cadeia. Porém, logo depois, a vilã morre num acidente de carro, e descobre-se que o mesmo fora sabotado. Logo após isso, André internada Júlia numa clínica, e enquanto isso passa a viver um caso com a enteada Érica. Ao sair da clínica, Júlia flagra os dois da cama e os expulsa de sua casa, mas logo depois é vítima de um golpe financeiro de André, que lhe deixa na miséria, e se torna o presidente da "Belíssima" e dono da mansão da ex-mulher, que vive uma linda e intensa história de amor com Nikos, que se apaixonara pela sobrinha de Gigi desdo o primeiro momento que a viu. Júlia se lembra do dia do acidente de seus pais e constata que ela não teve culpa em nada. A história era mais uma das maldades inventadas por sua avó.

Outro enigma que ronda a novela é que, durante a trama inteira, todos são suspeitos de serem os reais vilões da história, até mesmo Júlia.

Final da trama[editar | editar código-fonte]

Para surpresa de todos, Bia Falcão reaparece viva, e confessa ter forjado a própria morte. Ela arma atentados contra Vitória, tenta separar Júlia e Nikos e tentar conseguir a guarda de Sabina. No último capítulo, a vilã sequestra a bisneta, mas Vitória e André tentam interceder seu plano. Bia atira em Vitória, mas André se joga na frente, é atingido e morre nos braços de Júlia. É revelado que Bia sempre quis ser a única dona e presidente da Belíssima, ela sempre teve inveja da neta, quando Júlia a odebecia tudo ia bem, mas no momento em que Júlia passa a enfrentá-la e ser mais independente nas decisões, Bia passa a vê-la como uma barreira em seus planos. Bia foge para Paris, aonde termina no bem-bom, ao lado de Mateus, mesmo depois de seus crimes e de assassinar seu advogado Medeiros e a secretária Yvete.

Vitória termina feliz ao lado da filha Sabina e do delegado Gilberto, que investiga todos os misteriosos crimes e descobre que Bia contratou André para roubar as ações de Júlia e depois passá-las para seu nome. Ainda descobre-se que Vitória é a filha da vilã, que provocou a morte de Pedro. Safira e Pascoal fazem amor com tanta intensidade, que o muro da oficina despenca e a rua toda os flagra nus. Eles, então, decidem se casar e têm um bebê.

Mary Montilla e Guida Guevara voltam aos holofotes estrelando um show escrito por Gigi para elas, que faz um enorme sucesso. Elas acabam ao lado do advogado Djulian (Giácomo Pinotti) e de Takae, respectivamente. Ornela continua se envolvendo com rapazes bem mais jovens que ela.

Cemil se revolta contra Nikos ao saber que ele é seu pai, mas acaba perdoando o grego. O rapaz se casa com Mônica, que termina grávida dele. Rebeca se descobre lésbica e faz um cruzeiro com sua nova paixão, Karen - sua sócia na agência de modelos. Alberto fica com Érica, e a maior rival da filha de Júlia no mundo da moda, Giovana, acaba ficando com seu pai, o italiano Cyro.

Tosca é presa por racismo, mas acaba saindo de cadeia e se encanta com o pai de Dagmar, a noiva de seu filho Fladson, que é negro. Katina e Murat terminam felizes e unidos ao lado de toda a família, comemorando 40 anos de casamento.

Após recuperar todo seu dinheiro, Júlia vai para a Grécia atrás de Nikos, revoltado com ela por uma armação de Bia e André. Os dois acabam fazendo as pazes, e se casam lá mesmo.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Exibição[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2009, a trama foi cotada para substituir Senhora do Destino no Vale a Pena Ver de Novo. Porém a emissora desistiu da reexibição da trama por razão da censura que o Ministério da Justiça estava impondo.[31] Está sendo reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo desde 4 de junho de 2018, substituindo Celebridade.[32][33]

A novela não foi levada ao ar durante um período nos dias 27 de junho de 2018 devido a transmissão do jogo entre Brasil e Sérvia, terminando com a classificação da seleção brasileira, 3 de Julho de 2018 com a cobertura do jogo entre Colômbia e Inglaterra pelas oitavas de final, encerrando com a vitória da seleção inglesa, 6 de julho de 2018 com a exibição das quartas de final entre Brasil e Bélgica, terminando com a vitória da seleção belga e em 11 de julho de 2018 com a transmissão da semifinal entre Inglaterra e Croácia terminando com a inédita vitória do time croata e sua classificação na grande final, ambos pela Copa do Mundo FIFA de 2018.

Exibição Internacional[editar | editar código-fonte]

Ao mesmo tempo que era exibida no Brasil a novela era transmitida pela Globo Internacional só que com os capítulos indo ao ar um dia depois de sua exibição em nosso país. Belíssima foi vendida para 22 países, entre eles Portugal, Russia, Chile, Venezuela, Argentina, Equador e Uruguai. Em julho de 2006, Belíssima estreou no Alpha-Channel da Grécia, onde parte da ação se desenvolvia. Em agosto de 2007, estreou na Costa Rica, exibida pelo canal Teletica, substituindo outra produção da TV Globo, a novela América, que obteve altos índices de audiência no país.[34]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz[35][36] Personagem
Glória Pires Júlia Falcão Assumpção
Tony Ramos Nikos Petrakis
Fernanda Montenegro Beatriz Falcão (Bia)
Cláudia Abreu Vitória Rocha Assumpção
Marcello Antony André Santana
Lima Duarte Murat Güney
Irene Ravache Katina Solomos Güney
Cláudia Raia Safira Solomos Güney
Reynaldo Gianecchini Pascoal da Silva
Marina Ruy Barbosa Sabina Rocha Assumpção
Alexandre Borges Alberto Sabatini
Carolina Ferraz Rebeca Cavalcanti
Camila Pitanga Mônica Santana
Leopoldo Pacheco Cemil Solomos Güney
Vera Holtz Ornela Sabatini
Pedro Paulo Rangel Argemiro Falcão (Gigi)
Carmem Verônica Mary Montilla
Íris Bruzzi Guida Guevara
Nelson Xavier Bento Pereira
Serafim Gonzalez Aquilino Santana (Quiqui)
Letícia Birkheuer Érica Falcão Assumpção Laurenza
Paolla Oliveira Giovanna Güney Sabatini
Cauã Reymond Mateus Güney
Vladimir Brichta Narciso Solomos Güney
Maria Flor Taís Junqueira
Jussara Freire Tosca Rodrigues
Marcelo Médici Fladson Rodrigues
Cacá Carvalho Ariovaldo da Silva (Jamanta)
Bianca Comparato Maria João Güney de Oliveira
Thiago Martins Tadeu Rocha
Ítalo Rossi Dr. Fernando Medeiros
Nicola Siri Cyro Laurenza
Guilherme Weber Freddy Schneider
Angelita Feijó Yvete Barroso
Sheron Menezzes Dagmar de Sousa
Leonardo Carvalho Edmílson
Carlos Takeshi Takae Shigeto
Gianfrancesco Guarnieri Pepe Molina
Lívia Falcão Maria Regina da Glória Teixeira
Mônica Torres Karen Barros
Vitor Morosini Isaac Güney Schneider
Eduardo Hashimoto Ernesto Shigeto
Juliana Kametani Susi Shigeto
Lui Mendes Lourenço
Tony Tornado Isaltino
Maurício Novaes Vlad
Via Negromonte Diva Pacheco
Ada Chaseliov Esther Schneider
Ivone Hoffmann Matilde
Carmen Frenzel Zulmira
Lorena Martins Odila
Enrica Duncan Soraya Güney
Thomaz Veloso Antônio Pereira Sabatini (Toninho)

Participações especiais[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Henri Castelli Pedro Assumpção
Leona Cavalli Valdete Pereira
Marcos Palmeira Gilberto Moura
Marcella Valente Cristina Moura (Cris)
Laura Cardoso Lídia
Graziella Moretto Madalena
Teca Pereira Rita
Juliana Martins Kika
Giácomo Pinotti Dejulian
Emílio Pitta Dr. Natanael
Júlio Rocha Paulão
Sandro Rocha Investigador
Daniel Erthal Lucas
Victor di Mello Humberto Moraes
Rosaly Papadopol Ariane
Alby Ramos Juventino
Bruno Perillo Rogério
Viétia Zangrandi Marta
Mauro Salvatore Marco
Monique Lafond Mônica
Tony Correia Nuno
Alexandre Schumacher Roberto
Ricardo Pavão Juca
Hugo Resende Claudinho
Gisele Fróes Tatiana Junqueira
Camilo Bevilacqua Oscar Junqueira
Pathy Dejesus Celine
Ana Paula Moraes Leninha
Brigitte Blair Ela mesma
Alexandre Herchcovitch Ele mesmo
Daniella Sarahyba Modelo da Belíssima
Ana Beatriz Barros Modelo da Belíssima
Isabeli Fontana Modelo da Belíssima
Ana Cláudia Michels Modelo da Belíssima
Caroline Ribeiro Modelo da Belíssima
Caroline Trentini Modelo da Belíssima
Raquel Zimmermann Modelo da Belíssima
Talytha Pugliesi Modelo da Belíssima
Fabiana Semprebom Modelo da Belíssima
Jeísa Chiminazzo Modelo da Belíssima
Paulo Zulu Ele mesmo

Música[editar | editar código-fonte]

Nacional[editar | editar código-fonte]

Belíssima: Nacional
Trilha sonora de Vários Intérpretes
Lançamento 2005
Gênero(s)
Duração 61:50
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

A primeira trilha sonora da telenovela foi lançada em 2005 pela Som Livre trazendo as canções gravadas por artistas nacionais em português e inglês. Glória Pires ilustrou a capa do álbum.[37]

Lista de faixas
N.º TítuloMúsicaPersonagem tema Duração
1. "Ai, Ai, Ai..." (Deep Lick Radio Mix)Vanessa da MataRebeca 3:43
2. "Feliz"  Maria RitaOrnela 3:25
3. "Então Me Diz"  SimoneJúlia e André 3:31
4. "Encantado"  Maria BethâniaRebeca e Pascoal 3:16
5. "Sina"  DjavanGiovana 3:42
6. "Dor Elegante"  Zélia DuncanCemil e Mônica 3:20
7. "Pensar em Você"  Daniela MercuryGiovanna e Mateus 3:47
8. "Bonita Demais"  Daniel JobimVitória 3:45
9. "Coisa Mais Linda"  Gal Costa e Paulo BellinatiMônica 3:45
10. "As Aparências Enganam"  Elis ReginaBia 3:20
11. "Belíssima"  Ney MatogrossoJúlia 3:24
12. "Você É Linda"  Caetano VelosoAbertura 3:15
13. "Mistura Fina"  Os MulekesGeral 3:31
14. "Meu Fraco É Mulher"  Art PopularAlberto 3:38
15. "Do It"  LenineLocação: São Paulo 3:27
16. "Todo Mundo Gosta de Mim"  Ultraje a RigorNarciso 3:31
17. "Love for Sale"  Zizi PossiOrnela e Mateus 3:27
18. "Usted"  Luis MiguelSafira e Pascoal 3:31

Internacional[editar | editar código-fonte]

Belíssima: Internacional
Trilha sonora de Vários Intérpretes
Lançamento 2006
Gênero(s)
Duração 47:16
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

A segunda trilha sonora da telenovela foi lançada em 2006 pela Som Livre compilando as canções internacionais. Cláudia Raia ilustrou a capa do álbum.[38]

Lista de faixas
N.º TítuloMúsicaPersonagem tema Duração
1. "You're Beautiful"  James BluntVitória 3:43
2. "The Blower's Daughter"  Damien RiceJúlia e André 3:25
3. "Quelqu'un M'a Dit"  Carla BruniÉrica 3:31
4. "Mind Trick"  Jamie CullumNarciso e Taís 3:16
5. "Seven Days in Sunny June"  JamiroquaiPenélope 3:42
6. "Perfect Love"  Simply RedMary e Guida 3:20
7. "Because of You"  Kelly ClarksonCemil e Mônica 3:47
8. "Suddenly I See"  KT TunstallGiovana 3:45
9. "All The Way"  Michael BoltonJúlia e Nikos 3:45
10. "Dance Me to the End of Love"  Madeleine PeyrouxKatina e Murat 3:20
11. "Fake"  Lorrah WizzAndré 3:24
12. "Épefte Vathiá Siopí"  Iannis PoulopoulosNikos 3:15
13. "Usted"  Luis MiguelSafira e Pascoal 3:31
14. "Suave"  Slow DownMaria João e Tadeu 3:38
15. "Quando Ti Penso"  PaoloCyro e Giovana 3:27

Fashion B[editar | editar código-fonte]

Belíssima: Fashion B
Trilha sonora de Vários intérpretes
Lançamento 2006
Gênero(s)
Duração 49:17
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

A terceira trilha sonora da telenovela, intitulada Fashion B, foi lançada em 2006 pela Som Livre compilando as canções que tocavam nos no núcleo relacionado ao mundo da moda, como a agência de Penélope, os desfiles das modelos e a grife Belíssima. Letícia Birkheuer ilustrou a capa do álbum.[39]

Lista de faixas
N.º TítuloMúsica Duração
1. "Sinfonia Nº 40"  Rio 2 Ensemble 3:43
2. "Say Hello"  Deep Dish e Anoushen Khalili 3:25
3. "Don't Cha" (Kaskade Club Mix)The Pussycat Dolls 3:31
4. "Alright"  Red Carpet 3:16
5. "Shining Star"  Get Far 3:42
6. "Night Shifter"  Muzikwerk 3:20
7. "Because of You" (Remix)Kelly Clarkson 3:47
8. "Out of My Head"  Foxy 3:45
9. "White Horse"  Wonderland Avenue 3:45
10. "It's Yours"  Jon Cutler e E-Man 3:20
11. "Fashion SP"  Rio 2 Ensemble 3:24
12. "Say Say Say"  Hi-Track 3:15
13. "Thunder in My Heart"  Again Mec 3:38
14. "Clap Your Hands"  Ramada 3:27
15. "S.O.S. (Message in a Bottle)"  Filterfunk 3:31

Instrumental[editar | editar código-fonte]

Belíssima: Instrumental
Trilha sonora de Sérgio Saraceni
Lançamento 2006
Gênero(s) Vários
Duração 65:19
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

A quarta trilha sonora da telenovela foi lançada em 2006 pela Som Livre contendo os fundos musicais instrumentais.[40]

Lista de faixas
N.º Título Duração
1. "Alma Nikos"   3:43
2. "Turco Lima"   3:25
3. "Fashion SP"   3:31
4. "Triste Jazz"   3:16
5. "Triste Grega 2"   3:42
6. "Tenso Mistério Orquestra"   3:20
7. "Tenso Mistério Geral"   3:47
8. "Romântico Orquestra 2"   3:45
9. "Sinfonia Nº 40"   3:45
10. "Tenso Mistério Bia"   3:20
11. "Tenso Atmosfera Leve"   3:24
12. "Tenso Leve Bia"   3:15
13. "Triste Romântico Orquestra"   3:31
14. "Suspense Bia"   3:38
15. "Triste Grega Mistério"   3:27
16. "Infantil Orquestrada"   3:31
17. "Drama Grego"   3:47
18. "Tenso Piano Orquestra"   3:45
19. "Tenso Vigia"   3:45
20. "Grega Levinha"   3:20
21. "Tenso Grego"   3:24
22. "Romântico Nikos"   3:15
23. "Dança Suspense"   3:31
24. "Romântico Julia"   3:38
25. "Triste Grega"   3:27
26. "Grega Leve"   3:31
27. "Engraçada Sensual"   3:47
28. "Suspense Grega"   3:45
29. "Tenso Cello Pad"   3:45
30. "Tenso Piano"   3:20

Repercussão[editar | editar código-fonte]

O Casseta & Planeta, Urgente! satirizou a novela como Baleíssima. Curiosamente, a vilã Bia Falcão, vivida por Fernanda Montenegro, foi parodiada pelo programa como Bia Falcão - Meninos do Tráfico, levando o nome do documentário produzido pelo rapper MV Bill e pelo produtor Celso Athayde, que foi exibido em partes pelo programa Fantástico no mesmo período em que a novela era exibida.Os cortes de cabelos das personagens da novela geraram tendência e estiveram entre os mais procurados nos salões de beleza. Os mais pedidos eram o cabelo de Vitória (Cláudia Abreu) e Safira (Cláudia Raia)[41]. Além disso, os figurinos da personagem de Cláudia Abreu estavam entre os mais solicitados, de acordo com a Central de Atendimento ao Telespectador da Globo e também era bastante procurado em vitrines sofisticadas e feiras populares, como a 25 de março, em São Paulo[42].

Audiência[editar | editar código-fonte]

Exibição Original[editar | editar código-fonte]

Sua estreia teve média de 52 pontos.[43] Em 20 de fevereiro de 2006, a trama bateu recorde de audiência, com 55 pontos e picos de 58. No capítulo, Júlia (Glória Pires) deu uma surra em Érica (Letícia Birkheuer), após vê-la na cama com André (Marcello Antony)[44] A novela bateu novo recorde de audiência no dia 15 de maio de 2006, quando registrou 60 pontos de audiência. No capítulo foi exibido o retorno da vilã Bia Falcão, depois de quase 100 capítulos fora da trama.[45]

No seu penúltimo capítulo, marcou 59 pontos e picos de 66, com 76% de participação.[46] No último capítulo, a trama marcou 61 pontos, e picos de 66, sendo a última novela a marcar mais de 60 pontos em um capítulo.[47] Teve média geral foi de 48,5 pontos, sendo a 3ª maior audiência da década de 2000, superada apenas por América e Senhora do Destino[48].

Reprise[editar | editar código-fonte]

Em seu primeiro capítulo exibido em 4 de junho de 2018, a novela cravou 19 pontos, maior média de estréia no Vale a Pena Ver de Novo desde a reprise de Cobras e Lagartos em 2014.[49] Em seu segundo capítulo exibido em 5 de junho, a trama cravou 18 pontos, elevando a média da faixa de reprises da Globo, além das atrações seguintes.[50]

Seu terceiro capítulo exibido em 6 de junho registrou uma média de 14 pontos, devido ao fato de nesse dia a novela ser exibida mais cedo por conta da transmissão de uma partida de futebol no horário nobre da Globo.[51]

Já em seu quarto capítulo exibido em 7 de junho, a novela registrou 15 pontos, apesar de ser prejudicada pela audiência pífia do penúltimo capítulo de sua antecessora Celebridade, a trama manteve os bons índices para a faixa.[52]

Porém a novela começou a sofrer queda em seus índices e em 11 de junho de 2018 a trama chegou aos 13 pontos de média registrando uma derrubada de 28% em sua audiência comparada a semana de estreia.[53]Em 12 de junho de 2018 a trama chega aos 12 pontos de média.[54]Registrou recorde negativo em 28 de junho de 2018 quando cravou 11 pontos.[55]

Em 14 de junho, a trama é derrotada pela RecordTV que nesse dia bateu recorde histórico com o Cidade Alerta que estava com uma reportagem especial sobre um sequestro em São Paulo. Nesse dia a novela teve 14 pontos de média contra 16 da concorrente, fato esse que não acontecia na faixa desde 2013 quando a reprise de O Profeta chegou a ficar em 2° lugar em um determinado momento.[56]

Bateu recorde em 2 de julho de 2018 quando registrou o mesmo índice da estreia (18 pontos).[57]Em 10 de julho a novela registra 19 pontos, sendo essa a maior média desde a estreia, além disso a trama também foi impulsionada pelos bons índices da transmissão da semifinal da Copa do Mundo FIFA de 2018.[58]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Prêmio APCA[34]

Prêmio Contigo![34]

Troféu Imprensa
Meus Prêmios Nick 2006

Prêmio Tv Press

Prêmio Qualidade Brasil
Troféu Leão Lobo

Referências

  1. Memória Globo. «Belíssima - Ficha Técnica». Consultado em 21 de dezembro de 2008. 
  2. «"Belíssima", próxima novela das 21h da Globo, vai opor belos a feios». Folha Ilustrada. 16 de outubro de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  3. «Após vilã Laura, Cláudia Abreu vive mocinha em "Belíssima"». Folha Ilustrada. 11 de agosto de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  4. «Cenas de "Belíssima" são gravadas na Grécia». Terra. 29 de setembro de 2005. Consultado em 4 de março de 2016. 
  5. a b «Globo passa um mês na Grécia para filmar "Belíssima"». Folha Ilustrada. 29 de setembro de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  6. «Gisele Bündchen não vai participar da abertura de 'Belíssima'». Imirante. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  7. «Modelos: Michelle Alves ganhou o Brasil ao abrir "Belíssima"». Folha Ilustrada. 13 de julho de 2006. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  8. «Sósia de Gisele abre "Belíssima" e inspira "Casseta"». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  9. «Antonelli, Winits e Ximenes tomam lugar de Claúdia Abreu». Vírgula. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  10. «Kelly Key revela que recusou papeis em novela. Cauã Reymond seria seu par». Ponto Pop. Consultado em 18 de dezembro de 2010. 
  11. «Kelly Key comenta sobre Latino: 'Não tenho o que falar bem'». Globo. Consultado em 18 de dezembro de 2010. 
  12. «Abertura da novela América sofrerá mudanças». Correio do Brasil. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  13. «Assessora da top Gisele diz: 'ela sempre acaba tomando soro'». Vírgula. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  14. «Record tira 'Hulk' e 'Gladiador' da Globo». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  15. «Personagem de Carla Diaz formará um triângulo amoroso em 'Sete Pecados'». O Globo. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  16. «Globo passa um mês na Grécia para filmar "Belíssima"». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  17. «Jamanta, de "Torre de Babel", vai voltar em "Belíssima"». UOL. 12 de julho de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  18. «Nicola Siri estréia em Belíssima». O Fuxico. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  19. «Marcos Palmeira entra em cena em Belíssima». Estadão. Consultado em 30 de abril de 2018. 
  20. «Em "Belíssima", filha de Gilberto tentará até suicídio». Folha de S. Paulo. 23 de junho de 2006. Consultado em 12 de janeiro de 2016. 
  21. «Belíssima: Bia Falcão morre nesta quinta feira em acidente de carro». Fátima News. 19 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  22. «Uma morte em sequências». O Fuxico. 14 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  23. «Bia Falcão volta hoje a "Belíssima"». Folha de S. Paulo. 15 de maio de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  24. «Hepatite afasta Glória Pires de Belíssima». O Fuxico. 16 de janeiro de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  25. «Belíssima: Glória Pires volta a gravar». O Fuxico. 6 de fevereiro de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  26. «Fernanda Montenegro volta a gravar Belíssima». Terra. 26 de abril de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  27. «Belíssima: Júlia vê Bia Falcão». O Fuxico. 28 de abril de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  28. http://diversao.terra.com.br/gente/noticias/0,,OI3549276-EI13419,00-Novela+iBelissimai+marcou+ultimo+trabalho+de+Guarnieri+na+TV.html
  29. «Gianfrancesco Guarnieri não retornará às gravações de "Belíssima"». 6 de junho de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  30. «Gianfrancesco Guarnieri morre aos 71 anos em São Paulo». Folha Ilustrada. 22 de julho de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  31. «Globo desiste de "Belíssima" e reprisará "Alma Gêmea"». O Planeta TV. 19 de junho de 2009. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  32. «Belíssima é a substituta de Celebridade, no Vale a Pena Ver de Novo». Na Telinha UOL 
  33. Redação (5 de abril de 2018). «Belíssima será a próxima novela a ser reprisada no Vale a Pena ver de novo». OplanetaTV. Consultado em 5 de abril de 2018. 
  34. a b c http://memoriaglobo.globo.com/Memoriaglobo/0,27723,GYN0-5273-238363,00.html
  35. «Belíssima - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 2 de janeiro de 2016. 
  36. «Belíssima - Ficha Técnica». Memória Globo. Consultado em 2 de janeiro de 2016. 
  37. «Belíssima: Nacional». Teledramaturgia. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  38. «Belíssima: Internacional». Teledramaturgia. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  39. «Belíssima: Fashion B». Teledramaturgia. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  40. «Belíssima: Instrumental». Teledramaturgia. Consultado em 1 de maio de 2018. 
  41. «"Belíssima" dita cortes e cor de cabelo». Folha Ilustrada. 8 de dezembro de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  42. «A novela que virou moda». Folha Ilustrada. 18 de dezembro de 2005. Consultado em 12 de janeiro de 2018. 
  43. «Belíssima' tem audiência de 52 pontos no capítulo de estréia». Imirante. 8 de novembro de 2005. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  44. «Zapping: Em "Belíssima", André trancará Érica nua em quarto de hotel». A Tarde UOL. 22 de fevereiro de 2006. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  45. «Belíssima tem audiência recorde com volta de Bia Falcão». A Tarde UOL. 17 de maio de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  46. «Belíssima alcança 66 pontos de audiência no penúltimo capítulo». O Fuxico. 6 de julho de 2006. Consultado em 23 de agosto de 2014. 
  47. «"Belíssima" se iguala a "Senhora do Destino"; veja ibope de últimas novelas». Folha Ilustrada. 7 de julho de 2006. Consultado em 7 de setembro de 2015. 
  48. Ricardo Feltrin (18 de setembro de 2008). «Ibope de novelas desaba na Globo». UOL. Consultado em 13 de janeiro de 2018. 
  49. Kogut, Patrícia. «Reprise de 'Belíssima' estreia com 19 pontos em SP e 21 no Rio - Patrícia Kogut, O Globo». O Globo. Consultado em 6 de junho de 2018. 
  50. «Segundo capítulo de Belíssima mantém audiência da estreia». O Planeta TV. Consultado em 6 de junho de 2018. 
  51. «No 3º dia, Globo perde público com reprises de novelas». O Planeta TV. 7 de junho de 2018. Consultado em 8 de junho de 2018. 
  52. «As audiências consolidadas de quinta-feira, 7 de junho». O Planeta TV. Consultado em 8 de junho de 2018. 
  53. «Sem "Celebridade", "Belíssima" registra pior audiência nas tardes da Globo». Na Telinha. Consultado em 12 de junho de 2018. 
  54. «Baixa audiência da reprise de Belíssima preocupa direção da Globo». O Planeta TV. Consultado em 13 de junho de 2018. 
  55. «As audiências consolidadas de sexta-feira, 29 de junho». O Planeta TV. Consultado em 3 de julho de 2018. 
  56. «"Cidade Alerta" chega a pico de 20 pontos, bate recorde e lidera audiência nesta quinta». Na Telinha. Consultado em 15 de junho de 2018. 
  57. «As audiências consolidadas de segunda-feira, 2 de julho». O Planeta TV. Consultado em 3 de julho de 2018. 
  58. «Turbinada pela semifinal da Copa, "Belíssima" bate recorde no Ibope». NaTelinha. Consultado em 11 de julho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]