Tony Correia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tony Correia
Nome completo Antônio Fernandes Alves Correia[1]
Outros nomes Tony Corrêa
Nascimento 1953[1]
Canas de Senhorim, Beira Alta, Portugal[1]
Nacionalidade Luso-brasileiro

Antônio Fernandes Alves Correia, conhecido profissionalmente como Tony Correia (Canas de Senhorim, 1953) é um ator e executivo português radicado no Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Canas de Senhorim, em Portugal, Tony Correia cursou Engenharia na Universidade de Coimbra. O desejo de atuar coincidiu com a sua chegada ao Brasil em janeiro de 1976 para visitar os tios no Rio de Janeiro: Tony observou as fachadas da TV Globo, onde conheceu o ator e produtor Moacyr Deriquém, que te chamou para fazer um teste para a novela O Casarão, de Lauro César Muniz[2]. Passou no teste e ingressou na trama fazendo o personagem Jacinto e, pelo sucesso do mesmo, foi escalado para Locomotivas no ano seguinte onde atingiu o posto de galã com o charmoso Machadinho. Sobre este fato, Tony conta: "Era uma loucura. Na semana que o Elvis Presley morreu, eu era capa de revista. Eu não, o Machadinho. Sempre dividi bem as coisas"[2]. Atuou ainda na novela Aritana, na TV Tupi e no cinema fazendo O Guarani, Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel e Os Campeões - neste também foi o produtor[2].

Em 1983, Tony se casou com uma carioca chamada Renata e volta para Portugal, onde vai trabalhar na RTP, não obtendo sucesso como ator na emissora. Em 1986, na França, conclui o curso de literatura portuguesa na Universidade de Paris e consegue emprego na France Telecom tornando-se, em 15 anos, executivo do departamento de Publicidade[2]. Em 1997, Tony foi convidado para participar da implantação da empresa no Brasil, o que o conduziu a uma mudança radical: ficar no país com a esposa e os filhos PHILIPPE e CHARLES, nascidos na França. "Muitos me chamaram de louco. Depois de três anos no Brasil, via minha família tão feliz e adaptada. Não queria voltar para a Europa. Pedi demissão", conta ele[2].

A partir de então, aliou suas duas grandes paixões profissionais, ministrando workshops para empresas e mostrando como o teatro pode influenciar no rendimento dos funcionários. No início da década de 2000, voltou a fazer televisão e o teatro com o espetáculo Com a Pulga Atrás da Orelha, dirigido por Gracindo Júnior [2]. Escreveu, roteirizou e produziu, dentre tantas peças, o espetáculo motivacional Navegar é Preciso... Em Prosa, Verso e Riso, que lhe rendeu diversos prêmios e uma comenda da Ordem do Infante D. Henrique em Portugal.

Televisão[1][editar | editar código-fonte]

Cinema[1][editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Tony Correia - IMDb». Internet Movie Database. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  2. a b c d e f g h i j k «Por onde anda Tony Correia - Ator brasileiro com sotaque Português». IstoÉ Gente. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  3. «O Casarão - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  4. «Locomotivas - Ficha Técnica». Memória Globo. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  5. «Locomotivas - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  6. «Aritana - Elenco». Teledramaturgia. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  7. «Parabéns pra Você - Ficha Técnica». Memória Globo. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  8. «Um Só Coração - Ficha Técnica». Memória Globo. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  9. Redação (24 de novembro de 2011). «No "Zorra Total", Carolaine dá em cima de português e deixa Angolano enciumado». UOL. Consultado em 31 de agosto de 2019 
  10. «O Guarani - IMDb». Internet Movie Database. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  11. Cinemateca Brasileira Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel [em linha]